História Desire Insane - Second Season - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Vanessa Hudgens
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Criminal, Justin Bieber, Obsessão, Romance, Traição, Vanessa Hudgens
Exibições 185
Palavras 2.437
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ BABES!
Vocês devem estar querendo me matar, mas primeiro vamos a explicação.
Bom, eu estava sem tempo para escrever tinha a escola e eu também trabalho e fica difícil, mas não foi só por isso, eu não estava gostando do que estava escrevendo nesse capítulo então eu sempre apagava alguma coisa e colocava outra, e isso também atrasou um pouco o capítulo, eu terminei ee agora, revisei e decidi postar ainda hoje, por que em um comentário de uma leitora eu prometi que ia postar até hoje, e eu consegui finalizar, nossa fiquei feliz por isso!
Mas enfim, espero que vocês gostem, e se tiver algum erro ortográfico me desculpem. Boa leitura! ❤

Capítulo 2 - Let's play


Los Angeles

06, Agosto de 2016, 19:46

Point's Of View Justin Bieber

Eu estava a ponto de enlouquecer, aquilo não era possível, eu realmente senti Candice apertando minha mão, eu tenho certeza que senti!

Depois daquela enfermeira intrometida dizer que o que estava acontecendo era coisa da minha imaginação, o médico apareceu e disse que ela estava normal, eu o fiz examinar ela e ele disse que estava tudo completamente da mesmo forma, ela estava inconsciente, mas eu juro, eu senti ela me apertando, ela reagiu e nada iria me fazer ignorar isso. Pelo menos havia uma notícia boa em meio a tudo o que aconteceu, Candy havia ido para o quarto, então ela poderia receber visitas o tempo todo, e eu poderia ficar ao lado dela sempre.

Eu havia deixado meus negócios de lado por um tempo, não que eu fosse abandonar tudo, é claro que não, mas Candice era minha prioridade agora, deixei que Ryan cuidasse de tudo para mim por enquanto, mas as coisas pareciam ter ficado complicadas, eu sempre soube que depois da morte de John eu iria ter total controle sobre o tráfico em Los Angeles, mas também sabia que teriam consequências, alguns traficantes que não eram tão conhecidos no ramo do tráfico estavam atrás de mim, eu só não esperava que eles fossem agir tão rápido assim, eles são uns idiotas se pensam que podem passar por cima de mim, mas não podem!

Já haviam feito um ataque há uma das minhas boates, mas ninguém conseguia descobrir quem estava por trás disse, eu soube que dois traficantes se juntaram para tentar acabar comigo, mas eu não sabia quem eram, e isso já estava me deixando estressado. E como eles sabem que eu estou afastado dos negócios por causa da Candice, eles estavam aproveitando para tentar me derrubar.

Escutei o barulho da porta sendo aberta e olhei para a mesma com a intenção de saber quem era e esperando que fosse algum médico com uma notícia boa, mas nunca era. Emma entrou no quarto e deu um meio sorriso para mim apenas assenti com a cabeça em forma de cumprimento, eu iria precisar sair para resolver uns assuntos e Emma iria ficar aqui com Candice, ela tinha uma arma e Ryan já havia à ensinado como atirar, eu tinha meus seguranças do lado de fora do quarto mas queria que Emma ficasse aqui dentro, caso Candice acordasse, eu queria que ela encontrasse alguém que ela conheça e não um dos meus seguranças.

- Como ela está? - Emma perguntou se aproximando e colocando sua mão em cima da mão da Candice.

- Melhor, agora que ela veio para o quarto pode receber visitas e eu posso ficar aqui com ela, o médico disse que ela está se recuperando. - suspirei.

- Logo ela vai estar com a gente. - falou convicta daquilo e eu assenti, eu queria aquilo tanto quanto ela.

- Eu preciso ir, mas qualquer coisa, qualquer coisa mesmo eu quero que você me ligue e eu vou vir para cá imediatamente. - falei me virando para ela e à encarando.

- Pode deixar Justin, eu te ligo caso aconteça algo. - falou e sorriu.

- É sério, não precisa nem pensar duas vezes antes de me ligar, e assim que eu terminar eu volto correndo para cá. E cuida dela para mim. - falei e ela começou a me empurrar para fora dali.

- Eu vou cuidar dela Justin, pode ficar tranquilo agora anda logo, Ryan disse que os caras estão te esperando na boate. - me empurrou para fora do quarto e antes que ela pudesse fechar a porta eu segurei.

- Promete que vai ligar para mim se ela acordar. - ela sorriu e assentiu.

- Você será a primeira pessoa que irei ligar se isso acontecer, agora vai logo. - sorri para ela e assenti. - Tchau Justin.

- Tchau Emma. - me abaixei dando um beijo na testa da Candice e em seguida saí do quarto.

Olhei para os meus dois seguranças que estavam ali fora e cumprimentei eles.

- É o seguinte, eu quero total atenção de vocês para esse quarto, ninguém além dos médicos ou enfermeiros entram e saem daqui, e Emma, ninguém além deles estão entendendo? - perguntei e eles assentiram rapidamente. - Se eu descobrir que alguém mais entrou aqui, ou que alguém tentou fazer alguma coisa contra as duas que estão lá dentro, se considerem mortos! - falei por último e saí dali.

Respirei fundo e comecei andar até a saída do hospital, eu não queria e não estava preparado para deixar Candice lá sozinha, não totalmente, mas mesmo que Emma estivesse lá e os seguranças também eu ainda tinha medo que algo acontecesse com ela, já conseguiram sequestrar ela quando estava no hospital uma vez, então eu precisava ficar esperto.

Esse era o problema, quando se está no tráfico, quando você comanda todo o tráfico de uma cidade grande e importante como Los Angeles, os outros traficantes até mesmo os que não são conhecidos, eles farão de tudo para te ver cair, irão te atacar no seu ponto fraco, e eu havia deixado o meu exposto, Candice, nunca pensei que pudesse me sentir assim por alguém, nunca pensei que iria me apaixonar por aquela pirralha, mas porra, como não me apaixonar? Ela foi e ainda é a melhor coisa que aconteceu nessa minha vida de merda, ela é incrivelmente incrível, eu nunca teria palavras o suficiente para descrever o quanto eu a amo, o quanto eu quero que ela esteja sempre do meu lado, aquela garota deitada naquela cama de hospital desacordada, era o motivo pelo qual eu queria me manter vivo. Sei que com vida que levo corro riscos terríveis, mas eu sempre iria querer voltar para casa por ela, eu fui um idiota, babaca, eu fui um verdadeiro merda, beijar Chaz na minha frente não era nada perto de tudo o que eu já havia feito para ela, e mesmo assim eu agi como um animal.

Entrei em meu carro e dei partida saindo do estacionamento do hospital e indo para a boate.

Minha cabeça só conseguia pensar em Candice, e se ela acordasse enquanto eu não estava lá? E se depois que ela acordar ela não me quiser, e se ela me afastar, eu fui um pau no cu com ela, a última coisa que eu mereço é que ela me perdoe por tudo, mas eu ainda tinha esprança que sim, ela me mantinha vivo, mesmo que não saiba disso, se algo acontecesse com ela, se caso ela não resistisse, eu acho que eu me afundaria de vez, eu não iria suportar, não iria saber conviver com a idéia de ela estar morta por ter se envolvido comigo. Durante esses meses, tudo o que eu consegui pensar foi nela, apenas ela, só conseguia imaginar que uma hora ela iria acordar e então eu iria abraçar e beijar ela tanto que faria isso por horas, só conseguia imaginar eu me ajoelhando e abraçando suas pernas e pedindo para que ela por favor me perdoasse, talvez fosse a primeira coisa que eu fizesse, talvez ela me perdoasse, talvez ela me odiasse pelo resto da vida, e eu preferia morrer do que ter que aceitar o fato de ela não me perdoar nunca, doeria menos.

Eu sabia que era completamente egoísta da minha parte querer que ela ainda me perdoe, sendo que nem eu mesmo fui capaz de me perdoar pelo o que eu fiz, era totalmente egoísta eu querer ela na minha vida depois de tudo o que ela passou comigo, depois de tudo o que ela passou nas mãos do John por minha causa, mas eu era egoísta e não podia negar, eu não podia deixar que ela saísse da minha vida assim, não conseguia aceitar que ela me deixasse, isso está fora de cogitação, mas eu também não podia forçá-la à nada. Sempre obriguei ela à continuar comigo quando ela ameaçava me deixar, era automático, eu agia feito um animal louco, nunca soube lidar com a idéia de perdê-la, e talvez nunca fosse aprender.

Nossa relação nunca foi algo saudável, desde a primeira vez que ela colocou os pés na minha casa, a gente sempre acabava brigando, e as vezes eu acabava me descontrolando e indo pra cima dela. Eu sinceramente não entendo o por quê dela nunca ter desistido, porra não foram dois meses, e sim dois anos! Dois longos anos correndo atrás de mim e  me aguentando humilhar ela e usá-la e descartá-la como se ela fosse algum objeto descartável, mas pra mim era, naquela época Candice não tinha valor nenhum pra mim, ela apenas me rendia dinheiro, sorri ao me lembrar que ela apenas embebedava os caras e no fim eles achavam que haviam transado com ela, mas ela também não teve muitas experiências com os caras pois quando eu à levei para a boate eu não deixei ela transar com os clientes, ela apenas dançava, isso dela se relacionar com outros caras demorou e não durou muito pois eu à tirei de lá.

Estacionei meu carro em frente a boate e só de olhar já dava pra notar que haviam atacado ali, entrei lá dentro e estava tudo uma bagunça, segui em direção ao meu escritório que ficava no andar de cima e assim que entrei Chris estava lá com Chaz e Ryan, eles olharam para mim e eu os cumprimentei.

- O que aconteceu aqui? - perguntei tranquilo, por incrível que pareça.

- Arrombaram a entrada e conseguiram entrar aqui, destruíram algumas coisas, não pegaram nada, mas todos nós acabamos de receber esse e-mail.

Chris virou o notebook na minha mesa e eu andei até ele para ler o e-mail.

"Não vou deixar que você fique no comando de Los Angeles por muito tempo Bieber, vocês são apenas alguns  moleques no meio dos grandes, e isso não vai durar!"

- Mas que porra! Quem foi que fez isso? - perguntei furioso.

Já não bastava esse pau no cu invadir minha boate e destruir as coisas, agora queria ficar fazendo ameaças, era só o que me faltava.

- Você sabe que agora todo o tráfico de drogas é comandado por você, ou seja mais dinheiro ainda, e você sabe que agora não ter vários caras querendo tomar isso de você. - Chris falou e eu assenti. - Não sabemos quem enviou o e-mail, é um endereço desconhecido, e também não tem como rastrear já tentamos, quem quer que seja já planejou tudo.

Bati na mesa com raiva e fechei o notebook com força, sempre tem algum idiota querendo roubar meu lugar, nunca aceitam que eu sou o melhor, mas se esse cara pensa que vai conseguir me atingir ele está muito enganado, pois eu vou pra cima dele com tudo!

- E onde estavam os porras dos meus seguranças que não fizeram nada e deixaram invadir aqui?! - esbravejei ainda mais irritado, esses merdas nunca vêem nada, nunca sabem de nada.

- Você precisava de seguranças no hospital e os mandou para lá, e não tinha como tirar mais seguranças da sua mansão, muitos deles caíram fora depois que atacamos John e ele morreu, e você não contratou mais nenhum. - Ryan disse e eu me lembrei, esses idiotas, são uns medrosos, ficaram com medo de que alguém fosse querer vingança contra nós e muitos caíram fora, como se fosse simples assim, bando de idiotas.

- Ok, Chaz quero que você fique responsável por conseguir mais seguranças, quero mais seguranças cuidando da mansão, quero seguranças nas boates dia e noite, não vou precisar de seguranças no hospital lá já tem muitos espalhados, mas quero que contrate o máximo de segurança que conseguir, e faça testes com eles para a gente saber que são de confiança. - ele assentiu. - Ryan você vai ficar de olho nos carregamentos de drogas, quero que pegue no pé dos meus capangas para que mada dê errado, e também vai cuidar para que nenhum outro traficante entre na nossa área sem antes passar por nós. - ele concordou com a cabeça e eu olhei para Chris. - Quero que fique de olho em cada e-mail, qualquer mínimo detalhe, e quero que você continue buscando alguma falha deles para rastrear e descobrir quem é o idiota que está por trás disso.

- Vamos precisar de mais armas. - Chaz falou e eu concordei.

- Deixem isso comigo, eu já sei onde conseguir. - falei e eles assentiram. - Vou colocar um seguranças de confiança para cuidar das boates e nos informarem de tudo.

- Então está... - Chris ia falar mas foi interrompido pela porta sendo aberta de pressa por um segurança que estava ali.

- Você não sabe bater na porta?! - perguntei com raiva, esse cara deve estar querendo brincar com minha cara, só pode.

- Patrão, eu e mais três seguranças estávamos olhando o local como você pediu e... - parou de falar, ele estava apavorado.

- Fala logo! - mandei e ele arregalou os olhos.

- Tem uma bomba aqui, e está quase para explodir, temos que sair daqui agora! - falou desesperado.

Olhei para os caras e nós logo começamos a sair correndo dali atrás atrás do segurança, assim que descemos as escadas eu escutei um barulho no andar de cima e então a boate começou a tremer e aquilo iria desabar logo, começamos à correr mais rápido, quando estávamos quase perto da saída de emergência ela desabou e então eu escutei mais um barulho de bomba, mas que porra! São mais do que apenas uma bomba, nós precisávamos sair dali, o mais rápido possível, começamos a correr para a entrada da boate que dava para a rua então um pedaço de madeira caiu na cabeça do Ryan e ele caiu no chão, fui até ele e tentei o puxar mas ele estava desacordado.

- Droga! Chaz me ajuda aqui. - o chamei vendo que estava apenas nós três ali.

- Vamos, Chris e o segurança conseguiram sair. - ele me ajudou a segurar Ryan e começamos a sair dali rápido.

Fomos em direção a saída e assim que conseguimos sair nós atravessamos a rua e colocamos Ryan no chão, Chris veio correndo em nossa direção e abaixou para ver como Ryan estava. Olhei para a boate e ela estava desmoronando, caindo e aquilo me deixou irritado, eu não podia permitir que alguém fizesse isso e saísse ileso, eu iria me vingar, independente de quem quer que seja, iria se arrepender de ter entrado no meu caminho. Se ele quer jogar, vamos jogar!


Notas Finais


Hello, espero que tenham gostado do capítulo, comentem a opinião de vocês e obrigada pelos comentários e favoritos do capítulo anterior, eu fico feliz que algumas de vocês decidiram continuar acompanhando a estória, obrigada mesmo! ❤
Nos vemos no próximo capítulo babes. 💕😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...