História Desolation Row - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kai, Personagens Originais, Sehun
Exibições 109
Palavras 549
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá Amigos, Kouya que vos fala! Não sei quanto tempo faz que estou sem postar fanfics, mas sei que já faz um bom tempo. Tenho um grande histórico de fanfics que comecei mas que não dei continuidade porém, isto não acontecerá com essa aqui, pois já está finalizada.
Tenho essa fanfic guardada somente para mim há bastante tempo, sem ter muita coragem de postar por que não achava que estava boa o suficiente, contudo, estou extremamente satisfeita e acho que já é hora de deixá-la sair de seu esconderijo HUAHUSUHSUHSUH

Os personagens a seguir, são baseados nos personagens de Cameron Monaghan como Ian e Noel Fisher como Michey no maravilhoso e viciante seriado Shameless US, então qualquer semelhança não é mera coincidência HAUHSUHSUH ;u; Sem mais delongas....

Capítulo 1 - Passos na neve.


Fanfic / Fanfiction Desolation Row - Capítulo 1 - Passos na neve.

‘’ O pessimista é uma pessoa que, podendo escolher entre dois males, prefere ambos. ‘’ Oscar Wilde.   

 

Era difícil acreditar, mesmo àquela altura, nos acontecimentos de minutos atrás. Estou preso em um transe. Em um transe entre vestir minhas roupas amarrotadas e a permanecer a recriar o que fervilha em minha cabeça. Sei que não há motivos para sorrir mas mesmo assim o faço. E faço com gosto. Chega a ser ridículo. E então Ele vem à tona no meio dessas lembranças confusas. Ele é o protagonista dessa estranha felicidade que irrompeu em meu cretino coração. Tudo continua voltando e voltando. Não me sinto enjoado dessa rotação, muito pelo contrário, desejo permanecer nela.

Ele saiu de seu quarto só de calção, acendendo um cigarro em seguida. Aquela tinha sido sua primeira vez, havia notado. Mas de longe ele aparentava nervosismo, estava selvagem. Mas selvagem de um jeito bom e não como ele constantemente era; de um jeito ruim.

Em minha mente apenas há espaço em recordar seu corpo sobre o meu. Meu rosto ardendo pelos socos desferidos que trocamos antes de tudo. Por mais que ele fosse menor, conseguira manter-me estagnado por suas pernas endurecidas em meu quadril no meio de nossa pequena luta. O olhar felino boiando nos meus cheios de medo. O que fazia em sua casa? Havia me esquecido...

 E foi neste curioso momento em que ele começou a me despir na pressa.

E na pressa eu deixei.

Do lado de fora uma música do Pink Floyd entrava pela janela. As cortinas se espreguiçavam enquanto eu tremia com o vento frio que nos abraçava. Reconheci a música quando ele me jogou na cama. ‘’ Hey you’’.

Então veio o suor, pele contra pele, atrito entre o pé da cama e o solo de madeira, seu interior extremamente largo e receptivo. Nossos gemidos se mesclando e depois o fim.  ''Divided we fall...''.A música também havia terminado.

 Sexo nunca me foi novidade. Os caras com quem fiquei sempre saiam da cama – ou dos outros lugares em que nos pegávamos – satisfeitos e eu por sua vez, também. Contudo, com ele havia sido diferente. Como tudo isso aconteceu ainda me é confuso. Mas confesso que quanto mais penso nisso, mais meu pau começa a vibrar outra vez.

Estaria eu pedindo por mais?

- Ainda está aqui? – Sou trago de volta de meus devaneios por sua voz crua e ácida. – Já não disse pra meter o pé? – Me inclino em sua direção, sem saber exatamente o que estou prestes a fazer. Parecia estar totalmente chapado. – Se tentar me beijar eu arranco sua língua.

Fim.

Ele e sua fumaça de cigarro voltaram por onde regressaram. Poderia lhe dar um ‘’tchau’’, mas ele não notou minha presença, pois estava xingando a televisão enquanto jogava vídeo game.

Eu já sabia que esta seria a única vez em que faríamos isso, afinal, fora apenas um momento de curiosidade. Ele não nomeou desta forma, mas sequer precisava. Deixei sua casa, expondo-me mais uma vez naquele frio interminável.

E para provar que estive com BaekHyun naquela tarde de sexta, somente meus passos na neve denunciariam minha presença, do contrário, continuaríamos a ser um segredo.

 

 

‘’...[...]... And my hopes they are high I must keep them small

Thought I try to resist...

I still want it all... ‘’

 

 


Notas Finais


Obrigada à você que leu até aqui, um grande abraço e espero ver você na próxima <3 Comentários são mais que bem vindos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...