História Despedida de Solteira - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Fifth Harmony
Exibições 766
Palavras 2.925
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


PEDIRAM G!P? SERÁ G!P!
Obrigado à todoooos que me responderam no capítulo anterior lá nos comentários, vocês me ajudaram a definir. Na enquete do tt foi diferente, mas considerei ao resultado daqui.
Os próximos capítulos vem tombo viu, começarão a partir do próximo. Preparem os forninhos, ou melhor dizendo, os cus! DJSUAIRA
Boa leitura;

Capítulo 8 - 8. Descoberta.


Não faço ideia do exato momento em que consegui dormir, mas não deve ter demorado tanto. Simplesmente passou despercebido. Acho que estava mesmo cansada.

Quando acordei, meu primeiro impulso foi abrir as cortinas que davam para varanda. A vista era simplesmente perfeita. Fiquei tão admirada, que dei passos vagarosos na direção da barra de proteção. Esgueirei-me ali e observei cada detalhe da linda praia diante de mim. A água do mar estava num azul límpido, cintilante, com ondas calmas beijando a areia branquinha. Os coqueiros balançavam a favor do vento. Inspirei profundamente o cheirinho delicioso de maresia. Que dia lindo!

Acredito que passei alguns minutos embalada pelas ondas, sentindo o movimento leve que fazia, como se tivesse compondo uma música. Não evitei sorrir, nem abrir os braços para receber o sol. Só então percebi que ainda usava o vestido da festa da noite anterior. Imediatamente, senti-me muito suja.

Olhei para baixo a fim de conferir meu estado deplorável, e acabei percebendo que, dali, o pessoal que estava na área externa podia me ver, bem como eu poderia vê-los. Que mico!

Como se não bastasse estar imunda, despenteada - e provavelmente fedida -, percebi um par de olhos esverdeados, brilhantes, olhando-me de cima a baixo.

Lauren já estava acordada - se é que ela havia chegado a dormir -, e trabalhava mexendo em alguns talheres no estande de culinária.

- Bom dia! - Ela falou alto, mas só um pouco. Dava para escutar perfeitamente dali. Senti-me uma boba por não ter reparado nela antes. - Dormiu bem?

- Muito bem. Bom dia! - Sorri. - O dia está lindo, você já viu isso? - Apontei para o horizonte à minha frente.

- Não hoje! - Confessou, erguendo sua boca para a esquerda de novo. Ah, Lauren... Não faça isso...

- O que está esperando? Venha ver! - Chamei. Só que foi no impulso. Havia me esquecido que estava com a cara amassada, provavelmente com o hálito  horrível e o cabelo desgrenhado.

- Chego em um minuto. - Lauren sorriu. Sim, desta vez mostrou seus belos dentes brancos.

Infelizmente não consegui vê-los direito, pois a distância não permitiu, mas reparei os belos dentinhos da frente maiores que o outro, tipo um castorzinho. Linda!

Ela largou os talheres e em dois tempos, entrou na casa.

Arrependida de tê-la chamado, entrei no banheiro e joguei água no meu rosto. Lavei a boca só com água e me desesperei. Aquilo não ia funcionar. Tentei desembaraçar o cabelo com um pente que tinha encontrado em cima da pia, mas o maldito só ficava ainda mais fofo e rebelde.

Lauren deu leves batidas na porta e a abriu, sem aguardar respostas. Saí do banheiro e decidi ser sincera:

- Preciso de um banho! Urgentíssimo! - Choraminguei. Só depois reparei que ela vestia um short escuro extremamente curto e a parte de cima de um biquíni branco, deixando a pele alva de seu busto a mostra. Suspirei. Parecia bem à vontade. Tentei, mas não consegui evitar dar uma geral nas suas pernas bem torneadas.

Lauren procurou por alguma coisa no quarto, varrendo-o com os olhos.

- Ainda não desfez as malas? - Apontou para as minhas coisas, que estavam jogadas de qualquer jeito em cima de um pequeno sofá.

- Não... Nem sabia que seria necessário.

Ela riu de leve.

- Tem toalhas limpas no banheiro. Posso arrumar suas coisas no armário enquanto você toma banho.

- Faria isso por mim? - Perguntei.

- Faria tudo. - Murmurou.

Ai, não... Mal havia acordado e ela já estava falando daquele modo sussurrante, meio rouco e... Ah, Lauren, Lauren...

Encarei-a, mas acabei desviando os olhos, envergonhada.

- Vou só pegar meu biquíni.

Revirei minha mala e encontrei a sacolinha de pano onde havia guardado meu biquíni preto com fivelas e uma saia de banho combinando. Peguei também a nécessaire que continha alguns itens de higiene. Fui ao sanitário sem sequer olhar para trás.

Meu banho foi rápido, mas completo; tive que lavar meu cabelo e refazer a depilação nos cantinhos. Esta última foi bem interessante, visto que já tinha feito todo o serviço no dia anterior. Só que, sem motivos aparentes - ou não - decidi tirar tudo. Sim, tudo mesmo, compreende?

Saí do banheiro completamente pronta. Decidi não secar meus cabelos, pois pretendia mergulhar no mar e depois na piscina. Não necessariamente nesta ordem.

Lauren estava agachada na frente do armário embutido na parede, separando as minhas coisas. Decidi dar uma olhada. Arrependi-me quase que de imediato.

Qual não foi a minha surpresa quando cheguei no exato momento em que ela estava separando minhas calcinhas e sutiã? Horrorizada, corei de vergonha, tanto por aquilo quanto por ter reparado em sua bunda avantajada, porém Lauren não parou o que fazia.

Fui me aproximando até que percebesse a minha presença. Não demorou muito.

- Ah... - Resfolegou. - Você foi rápida.

Lauren se levantou e me olhou. Não, ela não olhou para os meus olhos, nem para nada que estivesse no meu rosto. A safada deu uma bela de uma secada nos meus seios - que contornavam super bem a meia taça do biquíni - e na minha barriga, que estava à mostra.

Vergonha? Nem um pouco, que é isso? Quase morri.

- Vou pegar uma blusinha. - Falei, com as mãos trêmulas de raiva das dietas que não fiz e dos abdominais que menosprezei.

- Na segunda gaveta. - Lauren apontou.

Curvei-me na direção do armário. A gaveta de calcinhas estava aberta e, antes de fechar, percebi uma coisa que me impressionou muito; todas as roupas íntimas que tinha trazido estavam devidamente separadas por tamanho, cor e tecido. Embora não tenha levado muitas - afinal, só íamos passar dois dias -, havia pelo menos umas oito calcinhas, quatro sutiãs, mais um biquíni e um maiô.

Abri a segunda gaveta e, com as mãos ainda trêmulas, vi minhas blusas organizadas da mesma forma. Peguei a primeira que me apareceu pela frente e soltei um grunhido involuntário.

- O que houve? - Lauren perguntou. - Se quiser que arrume de outra forma, eu posso...

- Está perfeito! - Tratei logo de informar. - Obrigada.

Vesti a blusa, que acabou sendo uma camisetinha branca com detalhes em lilás, virada de costas para ela. Depois, fechei o armário e sorri. Ufa. Que sofrimento era estar na presença daquela mulher perturbadora e... Organizada. Como eu.

E o pior de tudo era que estava só começando.

Lauren adorou a vista da minha varanda. Passamos alguns minutos apenas encarando o horizonte, sem nada dizer uma para a outra. Não precisava. O clima estava agradável demais. O vento corria mansamente, balançando as folhas dos coqueiros, emitindo sons característicos.
Foi então que ouvimos as vozes das meninas vindas da área externa. Elas estavam acordadas e animadas, prontas para o... Almoço. Sim, já era quase meio-dia.

Percebi que estava com fome.

Lauren desceu na frente avisando que ajudaria servir o almoço e eu apenas deixei falando que iria fazer xixi e já descia.

A porta do meu quarto temporário foi aberta de supetão assim que saí do banheiro, quase infarto, mas percebi ser Dinah e suspirei aliviada.

- Preciso falar com você.

- Sobre? - Franzi o cenho, nervosa.

- Relaxa, mas não é pra se assustar.

- Como assim?! - Já perguntei, antecipada.

- Calma! - Aproximou-se se sentando na beira da enorme cama. - Senta aí.

Sentei ao seu lado, apreensiva. Eu estava quase morrendo de curiosidade e também preocupação. Sabe-se lá o que a mente de Dinah estava processando, de tudo poderia se esperar.

- É sobre... Lauren. - Dinah colocou a mão na nuca. Arregalei os olhos e quando abri a boca, ela pediu silêncio com a mão. - Shi! Me escute. - Calei-me. - Não sei como te explicar, mas... Ok! Eu preciso falar isso. - Percebi que falou para si mesma, senti vontade de rir, mas essa não era a hora certa. - Lauren... Ela é... Bom, ela tem...

- Fala logo! - Ordenei, assustada.

- Aí! Calma... - Suspirou pela milésima vez e finalmente soltou o que segurava. - Lauren tem um pênis. 

- O QUÊ?! UM PÊNIS?! - Berrei me levantando. Dinah espalmou suas mãos em meus ombros fazendo com que eu me sentasse de novo com tudo. Encarei-a assustada. - Aí.

- Me escuta e não escandaliza desse jeito! Podem escutar...

- Mas como assim? Um pênis? - Ainda assustada perguntei, atrás de manter a calma.

- Sim. Isso. Um pênis. - Respondeu. - Ela nasceu com anormalidade na gestação e foi diagnosticada como intersexual.

- Intersexual?

- Sim. Isso. Ela poderia simplesmente virar um homem se quisesse, mas pelo que sei, sua mãe não à queria homem. - Explicou, calmamente. - Lauren nunca se imaginou homem e mesmo podendo fazer a cirurgia para tirar o brinquedinho á mais, não quis. - Várias coisas passavam pela minha mente agora. - E depois que engatou na profissão de garota de programa, ela é muito mais procurada do que acha, pois muitas mulheres tem curiosidase. Mais motivos para ela não retirar o que tem demais.

Juro que saber a última parte foi desnecessária.

- Ela é... Tipo um travesti?

Eu realmente não estava entendendo e precisava tirar essa história á limpo.

- Não! Ela não fica com homens, sua preferência sempre foi mulheres. Lauren é uma mulher natural, original,  com voz, corpo, desenvolvimento, e tudo mais, só tem algo que nós mulheres não temos.

- Como você sabe disso? - Perguntei, agora calma.

- E-eu? - Gaguejou. - Marlos! Marlos me disse, pois não queria a noiva desinformada da situação.

- Hm. - Aquilo era de se desconfiar, mas a informação me dada há poucos instantes era ocupação da minha mente agora. - Intersexual?

- Sim. Não lembra? Já estudamos sobre isso.

- Sim. Me lembro. Sempre foi algo que tive curiosidade. - Soltei e logo percebi o sorriso malicioso nos lábios de Dinah. - O quê? Dinah! Não. - Gargalhou me fazendo rir também, por incrível que pareça.

- Vem! Vamos descer. Mas não fale para ninguém o que te disse. - Pediu, se levantando da cama. Repeti seu gesto. - E haja naturalmente. Isso não é coisa de outro mundo.

Suspirei, organizando os pensamentos.

- Pode deixar.

[...]

Sentamos ao redor da mesa, agora montada na lateral da piscina. As garotas tinham acordado muito animadas, estavam falantes e sorridentes. Confesso que não ingressei em nenhuma conversa em específico, nem mesmo compreendi as coisas que falavam, pois meus pensamentos ainda eram rondados pela conversa com Dinah. Foi informação demais para digerir tão rapidamente.

- Senhoritas! - Disse Marlos, aproximando-se. Desta vez ele usava uma bermuda branca e uma camisa florida de botões, que estavam abertos até a metade. - Preparamos um delicioso cardápio para vocês, com várias opções. Hoje, suas companhias irão atendê-las particularmente. Espero que sejam muito bem servidas! Bom apetite!

- Obrigada, Marlos! - Disse Lucy. Ela estava mais animada do que de costume.

- Você está diferente, Lucy. - Comentou Ally, que também havia percebido a mudança. - A noite passada te fez bem, amiga?

- Um bem imenso, Allycat! - Ela respondeu, sorridente. - Não foi o que eu desejava, mas enfim. Foi ótima!

Uau! Lucy e o garçom loiro. Certamente rolou. Lucy não se rotulava à nada, era liberta para suas próprias escolhas e ações, mas depois que engrenou no tribunal sua vida mudou drasticamente. Obviamente ela queria aproveitar ao máximo ali.

- Ai, pessoal, estou tão feliz de estar aqui com vocês! - Disse Dinah, que se mostrou mais do que animada depois de nossa conversa, trajando seu biquíni cor nude mais sexy. Ela usava um óculos escuro enorme e dourado. Estava linda, como sempre.

Naquele momento, Lauren colocou um prato diante de mim. Dei uma conferida, mas não consegui identificar o que exatamente era aquilo, agindo naturalmente. Como estava com vergonha de perguntar - mentira, eu não queria encará-la de novo nem tão cedo -, acabei comendo tudo sem saber. Uma atitude muito rara vinda de minha parte, pois quando digo que não gosto de surpresas isso inclui o cardápio.

Preciso saber o que estou comendo, o que vou comer e o que comerei na semana que vem. Está tudo anotado numa folha de caderno, dentro da minha agenda.

- O que quer beber? - Ouvi sua voz sussurrando perto do meu ouvido.

Assustada, dei um leve pulo. O som da risadinha sarcástica de Lauren se fez presente, mas continuei sem olhá-lo.

- Me surpreenda. - Murmurei, olhando para Normani, que flertava com Marcelo na maior cara de pau.

Ah, minhas amigas... Todas enlouqueceram. Que pena!

- O que vamos fazer hoje? - Peguntou Vero, que era a única que falava com seu acompanhante como se ele fosse uma garçonete, e não um garçom. Queria tanto agir como ela!

- Não faço ideia, não sei o que aprontarão conosco hoje! - Murmurou Dinah.

- Vamos nos divertir bastante, não tenham dúvidas! - Respondeu Taylor, o acompanhante de Ally, o que tinha o cabelo comprido. Estava muito belo naquela manhã. Ally devia estar babando por ele, só não sabia dizer se já tinha rolado alguma coisa. Certamente ela nos contaria depois.

Lauren apareceu depois de cinco minutos, colocando um copo grande na minha frente. O líquido era dourado, parecia guaraná, o refrigerante brasileiro. Tinha bastante gelo e um canudo engraçado, que formava o desenho de um coração. Era só o que me faltava! Um coração?

Suguei o conteúdo do copo. Era bem refrescante, tinha mesmo um gostinho de guaraná no fundo, mas parecia ter mais coisas misturadas. Sinceramente? Adorei. E caía perfeitamente com o clima quente que fazia.

- Gostou? - Lauren perguntou no meu ouvido. Cada pelinho da minha nuca eriçou, e meu braço esquerdo ficou com os poros enormes de tão arrepiado.

- Muito bom, obrigada. - Respondi, ainda sem fitá-la.

Terminamos de almoçar e, sem querer perder tempo para nada, decidimos tomar banho de piscina. Os garotos se juntaram a nós e nos fizeram um desafio; homens versus mulheres no póloaquático.

Claro que a gente não tinha a menor chance, mas aceitamos a batalha como ótimas combatentes.

- Vamos acabar com vocês! - Disse Lucy, muito contente, enquanto prendia os cabelos com um elástico. De todas nós, ela era a que mais tinha senso de competitividade.

Vou ser bem sincera, também não queria perder. Juntamo-nos no canto da piscina e começamos a montar uma estratégia. Era bem simples: as meninas que sabiam jogar melhor tentariam passar a bola rapidamente, enquanto as que não sabiam, ficariam perto da área da barra para marcar o ponto. Havia uma distância mínima que não podia ser ultrapassada para que o jogador recebesse passe de bola, senão seria considerado impedimento. Acabamos fazendo as marcações com cadeiras na lateral da piscina.

Os rapazes trouxeram as barras de ferro e colocaram uma em cada lado da piscina. Reparei quando Lauren a última a entrar na água, retirou a camisa branca que colocará e exibiu seu corpo delicioso novamente. Ela deu um mergulho e emergiu, tendo o cabelo molhado escorrido para frente. Ergueu as mãos e o colocou para trás. Depois, olhou na minha direção. Virei o rosto.

O jogo começou e fiquei meio perdida. Os homens eram extremamente mais ágeis, fizeram o primeiro ponto em menos de meio minuto.

- Vocês são lindas, mas não jogam nada! - Gritou Manuel, o negro gostoso da Dinah.

- Isso é o que vocês verão! - Gritou Lauren, com o espírito competitivo sendo mostrado ali e agora.

O jogo recomeçou e, desta vez, Lauren conseguiu permanecer com a bola. Passou para Lucy, que desviou de Enzo e, quase afundando, jogou-a para o alto. Henrique conseguiu pegá-la. Nadei muito depressa, tocando em seu braço por trás, e ele vacilou. Peguei a bola, desviei de Marcelo e sacudi para Normani, que esperava perto da área. Os meninos nem a viram. Ela mirou na barra e fez nosso primeiro ponto.

- Uhul! - Gritou Lucy, sendo acompanhada por Ally.

- Valeu, Mani! - Berrei.

- Você foi bem - Disse Lauren quando passou por mim. Apenas ignorei. Estava ignorando o fato de estarmos no mesmo time. Era tentação demais para uma só pessoa, vulgo eu.

Bom, o restante do jogo foi praticamente dominado pelos garotos. Fazíamos pontos vez ou outra, mas eram raros. Lauren, Lucy, Normani e Dinah eram as que mais marcavam, Ally, Vero e eu estávamos uma negação. O No fim, quando já estávamos exaustas, o placar demarcava vinte e cinco a
onze. Uma lavada!

- Há! Eu disse que não são de nada! - Falou Manuel, muito animado. Ele parecia mesmo estar se divertindo. Os outros garotos também, visto que sorriam abertamente.

- Duvido que me vençam no pôquer! - Vero gritou para os ares. Os meninos falaram todos ao mesmo tempo, cada um dizendo o quanto eram bons naquele jogo.

Em poucos minutos, montaram mesas redondas na beira da piscina e se dividiram em dois grupos. Como eu não sabia jogar, tratei logo de me excluir.

- Você aprende fácil. - Disse Normani, que era fera demais em qualquer jogo de cartas.

- É, senta aí! - Pediu Ally, tentando me convencer a participar.

- Vocês sabem que sou horrível em blefar. - Respondi. - Relaxem, acho que vou dar uma volta na praia enquanto isso. Estou numa boa!

- Eu vou contigo. - Lauren se ofereceu. Evitei olhá-la, mas não a impedi.

- Alguém quer vir conosco? - Perguntei, mas quase ninguém ouviu. Já estavam absortos demais nas arrumações das cartas.

Suspirei profundamente e tomei coragem.


Notas Finais


Revisei o capítulo demais, mas não está imune de qualquer erro, me perdoem se tiver.
Me chamem no tt; @sweetzzbad
Até depois, xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...