História Despedida pros seus dias mais normais. - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Justin Bieber, Selena Gomez, Taylor Swift
Personagens Demi Lovato, Justin Bieber, Selena Gomez, Taylor Swift
Tags Amor, Colegial, Demi Lovato, Dor, Drama, Escola, Justin Bieber, Romance, Selena Gomez, Taylor Swift
Exibições 71
Palavras 1.096
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Poesias, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey hey hey, divirtam-se com o capítulo!

Plágio é crime!

Capítulo 11 - O silêncio é a dor.


Justin:

Olhei fundo nos olhos dela, eram castanhos quase mel, eu senti medo, mas seu olhar me deu tranquilidade, peguei em sua mão caso ela fosse embora eu teria segurado pela ultima vez e então:

__ Selena, eu fiz coisas horríveis...

__ Eu sei que você não é o sonho de príncipe encantado, mas eu também não sou um princesa Jus! - Disse ela me interrompendo com lágrimas nos olhos, ela parecia estar aflita com o que eu ía dizer, parecia que já sabia, que já a muito tempo desconfiava.

__ Você é a mulher mais linda, mais inteligente, do mundo inteiro, você mudou a minha vida em um fim de semana, você me apresentou um estilo de vida diferente, me mostrou a opção de ser limpo, de dormir tranquilo, de não ter pesadelos com o que talvez tenha feito durante seu dia, e isso não tem preço... Mas infelizmente, eu não posso mentir pra você Selena, você pode ir embora se quiser, e nunca mais falar comigo, você pode sumir, me bater, e até me denunciar, eu não ligo, só te peço que antes de fazer qualquer coisa, me olhe nos olhos e me dê um último abraço.

Não vou te contar todo o meu passado, não faz sentido isso, talvez um dia eu conte, quando ele já não doer mais em mim, o que não é o caso - Eu estava chorando, eu falava, e as lágrimas rolavam, eu e ela, em prantos __Eu droguei garotas pra facilitar a transa, nunca transei com nenhuma delas sem permissão, elas ficavam sóbrias o suficiente para dizer pelo menos "sim", mas a a partir do sim, já não respeitava mais a vontade delas, eu fazia o que eu queria, e as tratava feito lixo, eu fiz isso com a Marjore, e na noite em que a Demi não lembra como foi parar em casa sangrando, fui eu, eu paguei um cara aquela noite para drogar a Demi, mas drogar como sempre droguei outras mulheres, só que com a Demi foi diferente, ela apagou, e eu não me importei, a levei para o motel mais próximo, e a estuprei, ela não lembra de nada porque eu a droguei, eu senti prazer com aquilo, eu sou doente, eu uso drogas, eu chapava todas as noites, e transava com prostitutas, ou com qualquer mulher que eu quisesse, e nunca deixei de fazer isso, mas depois que te conheci, tudo mudou, parece conversa fiada, mas não é, eu juro pela minha mãe, que eu gosto de você, gosto de verdade, e quero por você mudar. Eu já contei pra Demi, ela disse pra eu não contar pra você, disse pra eu te fazer feliz, disse que se você soubesse eu não teria chance, mas resolvi arriscar, porque não é justo com você, uma moça tão maravilhosa, ficar com um monstro como eu sem saber quem sou realmente. - Terminei limpando minhas lágrimas e a olhei, sua feição era estagnada, era irreconhecível, suas lágrimas secaram, seu rosto estava de uma forma que não consigo descrever, eu me senti aliviado, porém com medo, mas indagado: "Por que ela ainda está aqui?" pensei. E então neste momento, foi quando ela soltou minhas mãos, me deu um abraço forte e saiu calada, sem dizer uma palavra.

Eu fiquei parado durante 50 minutos no mesmo lugar, sem saber o que realmente fazer, pra onde ir, pois a minha bússola era Selena, e ela havia ido embora, então sentei nos degraus do colégio, de frente pro jardim, e comecei a chorar, sinto uma mão em meu ombro, me virei e era Marjore:

__ Vamos comigo pra casa, você precisa de um banho... - Disse ela.

__ Quero você longe de mim garota... Pro seu bem! - Respondi.

__ Jus, eu não tenho medo de você, francamente, você acha que aquela sem sal vai suprir suas necessidades animais no sexo? Você acha que ela é pálio pra mim?

__ Você só pensa em fuder garota? Não é só isso que um homem quer pra vida toda não!

__ Eu não penso em apenas fuder Jus, eu penso em fuder com você, e se quiser, é só me seguir, que 'facin' esse seu sentimento vai sumir, e você só vai querer meter fundo, cada vez mais fundo!

__ Sai daqui Marjore! Eu não quero mais transar com você!

__ Eu não aceito não como resposta...

__ Então foda-se! O dia que eu quiser uma marmita eu te chamo querida! 

Saí sem olhar pra trás, ela falou coisas, mas eu não ouvi, e nem queria, fui pro vestiário masculino da escola, e nos colchonetes eu dormi até o outro dia.

Selena:

Ele me olhou fixo nos olhos e me disse que precisava falar uma coisa, e parecia que eu já sabia, parecia que eu já imaginava, que eu fazia ideia do que era, mas quando ele disse, meu mundo caiu, ele se denominou monstro, e eu concordo, jamais seria a favor de um estuprador, ele não estuprou somente a Demi, e sim todas as mulheres que ele drogou, elas não estavam em condições de opinar sobre nada, isso é misógino, me deu nojo, e ao mesmo tempo pena, como ele havia pedido, eu dei um abraço, e saí calada, minha cabeça rodava, eu transei com um estuprador, mas ele não me estuprou, eu quis, preciso falar com a Demi, eu não estou nada bem.

Marjore:

Eu vi que Jus e a Selena estavam conversando a mais de 20 minutos, tentei ouvir por trás do arbusto mas não consegui, é muito sem sal mesmo essa Selena, eu já o teria levado pra minha casa, e dado tudo que ele queria, é bunda que ele quer é bunda que ele vai ter, é boquete, espanhola, afogar o ganso? Beleza, dava até de ponta cabeça pra ele, mas ela só o abraçou, patético, e ele sentou nas escadas e começou a chorar, eu fui atrás dele, pois sabia o que ele queria, e eu tinha pra dar, porém ele recusou, e ainda me chamou de marmita, eu disse:

__ Se você for embora agora nunca mais na sua vida vai me comer entendeu? Você pode implorar, que eu não vou te dar seu filho da puta!

Mas ele apenas continuou a andar, fui dali para um bar, e comecei a beber sem parar, um cara mané me dispensou, dispensou meus seios, meu boquete sensacional e minha espanhola, hoje eu ía dar pro primeiro que aparecesse, seria a deusa do cara na cama, preciso me provar agora que eu sou muito melhor que isso.


Notas Finais


Opinem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...