História Destinada ao trono - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Famíliareal, Princesa, Rainha, Sangueaxul, Segredos
Exibições 46
Palavras 2.462
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Dança


Para a dança tiraram a máscara e fizeram um coque com fios soltos e botaram uma coroa feita com diamante e prata com desenhos de floco de neve e brincoa de brilhante, combinavam perfeitamente com o vestido que também era brilhante.

–Estou nervosa.– Deixei escapar para eu mesma no espelho, as meninas ajeitaram a calda.

–A senhorita esta parecendo uma princesa! Uma princesa do gelo.– Uma delas disse, eu sorri de lado e agradeci. Eu estava nervosa como nunca para aquela dança. Para começar, nos meus outros aniversário os vestidos eram bem mais comportados e eu não fazia ideia de que estava dançando com o meu noivo. Seria bem mais difícil dançar com esse vestido e sabendo da verdade.

–Creio estar na hora.– Uma das meninas que me ajudaram disse, eu assenti com a cabeça e sai do quarto me dirigindo a escada, assim que cheguei uma luz de foco parou em mim, o salão estava escuro, apenas com outra luzde foco em Steven, seus olhos pararam em minha roupa e seu rosto tomou uma forma que eu não pude decifrar o que ele estava epsentindo, desci as escadas como ensaiado, assim que toquei o chão do salão os violinos soaram e meus pés começaram a dançar naturalmente. Eu tinha ensaiado demais aquilo para algo dar errado, parei nos braços de Steven que me conduzia perfeitamente.

Os convidados nos olhavam e eu evitava o olhar de todos, inclusive o de Steven e fowuei meus pensamentos apenas na dança, a vontade que eu tinha era de sair correndo, mas eu consegui controlar minhas pernas para que ela apenas dançassem finalmente o último passo ocorreu. Steven me levantou e me levantou e me desceu suavemente e a última posição era a minha testa colada na dele. As luzes normalizaram e o salão aplaudiu.

–Não sei se quero te largar.– Ele disse, me afastei dele e franzi a testa. –Esse vestido é muito... Muito...

–Muito?

–Muito provocante.– Ele disse e olhou em volta desesperado, eu franzi a testa. –Estão todos te olhando!

–É o meu aniversário, acabamos de dançar, é normal estarem olhando.– Falei.

–Você acha que eu vou acreditar que homens olhem para voce vestida desse jeito e pensem "Olha, como eles dançaram bonitinho, queria eu botar um tutu e sair dançando por ai".– Ele disse ironizando, eu fiquei com raiva.

–Nem todos os homens são idiotas quanto você.

–Meninos! Parabéns pela dança, vocês são maravilhosos juntos.– O rei da Dinamarca disse indo até nós, na mesma hora eu e ele forçamos um sorriso.

–Muito obrigada.– Falei sorrindo, ele virou para mim.

–E você esta maravilhosa! Mas que menina linda que se tornou a pequena bebê da floresta.– Ele disse. –De uma volta, deixe eu ver esse vestido.

Eu dei uma voltinha rindo e ele sorriu depois fez uma reverencia.

–Sem dúvidas a beleza digna da rainha de Ruêmania.– Ele disse e foi embora olhei para Steven e o sorriso dele se desfes ao mesmo tempo.

–Não gosto dele.– Ele disse, eu franzi a testa.

–E eu não gosto de você.– Falei, ele sorriu de lado e deu de ombros.

–Eu sei.– Ele respondeu. –Esse é o meu jeito de dizer que você esta bonita. Até demais para o seu próprio bem.

–Eu sei me cuidar, obrigada.– Falei.

–Você não abaixa a guarda nem quando eu te elogio?– Ele disse, neguei com a cabeça pegando mais um dos petiscos que os garçons traziam.

–Nicole como você esta linda!– Um dos primos de Steven da itália veio me cumprimentar, ele acabou de fazer dezoito anos também.

–Acabei de falar isso pra ela, não é mesmo amor?– Steven falou me abraçando de lado, eu estranhei mas forcei um sorriso.

–Tenho que ir falar com o resto dos primos.– Ele disse e fez uma reverencia para sair, devolvemos a reverencia.

–Até dois minutos atrás estávamos brigando.– Flei, ele ficou com cara de bravo. –Você definitivamente é um idiota.

Eu sai ali chateada, Theo e Rachel continuavam conversando e Estella estava falando com um grupo de homens da Áustria, que riam das piadas dela, sorri de lado felizes por elas.

–Não acredito que chegamos a tempo de te ver dançando!– Ouvi uma voz falando, virei na mesma hora, era Linda, a mulher de Nicolas, meus olhos arregalaram e eu os agarrei na mesma hora.

–Vocês estão aqui!– Falei animada, eles riram. –Como esta o barco?

–Esta ótimo.– Ela respondeu. Linda estava sempre com aparencia de verão, independente da estação, ela e Nicolas compraram um barco e viajam pelo mundo com ele, eles já viajaram por quase o mundo inteiro. Os cabelos de Linda eram enormes e loiros.

–E como esta a pequena Valentina?– Perguntei, Valentina era a filha de seis anos de Nicolas e Linda, ela é loirinha como Linda e tinha os olhos verdes de Nicolas. A menina mais parece uma sereia, cresceu e foi educada no mar e vive viajando com os pais.

–Esta com a avó no Hawai.– Nicolas disse. –Estava ansiosa para te ver mas a avó não a ve faz muito tempo, então ela decidiu ficar no Hawai com a mãe de Linda.

–Minha mãe vai surtar quando te ver!– Falei, ele sorriu.

–Ela já surtou.– Linda disse rindo. –E surtou ainda mais quando eu disse que estava grávida do segundo.

Eu quase cai para trás, bem que notei wue Linda estava ainda mais bela do que ela já é.

–Tia Sofia também esta! Quem sabe se for uma menina não possa ser a futura rainha da Áustria?– Falei, ela riu.

–Já falei com a sua tia e é o que ela mais torce pra acontecer.– Ela disse, eu a abracei e abracei Nicolas.

–Felicidades.– Falei sorrindo de lado, ela sorriu também.

–Nick, temos que nos despedir, estou ficando bem cansada ultimamente, mas nos vemos amanhã no café.– Linda disse, assenti com a cabeça.

–Amanhã a gente se fala com mais calma.– Falei sorrindo, eles se despediram e foram para os aposentos, as músicas começaram a tocar e mais uma vez todos tinham um par, menos eu. E todas as músicas eram sobre a mesma coisa: amor. 

–Quer dançar?– Steven disse se aproximando, eu pensei wue era para mim e dei um meio sorriso, ele passou direto por mim e abordou uma outra garota que estava nas minhas costas, meu coração partiu. Minha vida é uma merda declarada.

Não aguentei e fui até o cantor, subi no palco e ele parou de cantar, todo mundo me olhou e eu peguei o microfone.

–Oi gente! Boa noite.– Comecei, a fixa do que eu estava fazendo começou a cair e eu comecei a ficar nervosa. –Desculpa, mas eu queria cantar uma música, se não for muito incomodo. Eu pensei que já que não posso dançar talvez cantar fosse me ajudar.

Pedi para que os músicos tocassem Pretty Hurts e peguei o microfone para me preparar, estavam todos me olhando então eu fechei os olhos e comecei a cantar de todo o meu coração aquela música. Quando acabei sequei a ponta dos olhos e todos ficaram em silêncio por um instante, gelei. Meu coração parou e só começou a bater de novo quando todos começaram a aplaudir.

–Canta mais uma!– Gritaram, eu ri um pouco sem graça.

–Posso?– Perguntei para o cantor que estava na guitarra, ele piscou com um olho e assentiu com a cabeça.

–O palco é seu.– Ele disse, eu sorri.

–Então vamos de Stone Cold.– Falei, eles sorriram e o homem do piano começou a tocar e ao ritmo da música eu comecei a cantar, um pouco insegura, mas aos poucos fui me soltando, lembro de ter cantado essa música durante anos e anos graças ao Steven, ela me remete a um tempo de muita dor, mas também de muita superação. E ele sabe que é pra ele. Ele sempre soube.

Todos aplaudiram mais uma vez, mas dessa vez eu não conseguiria cantar outro porque já sentia meus olhos inundando.

–Muito obrigada.– Falei rápido e corri para fora do palco para que ninguém me visse chorar, todos tentaram me parar para me cumprimentar e eu apenas agradecia e corria para o jardim onde sentei novamente no banco e deixei que a neve me envolvesse, senti alguém chegando e sentando do meu lado.

–Eu não deveria ter cantado aquela música.– Falei ainda com os olhos fixados em um pinheiro cheio de neve, eu sabia que a pessoa que estava do meu lado era Steven, tomei coragem e olhei para ele que olhava para o pinheiro.

–Sua voz sempre foi linda.– Ele disse. –Mas acho que ela fica ainda mais especial nessa música. Você cantava Thousend Years para dançarmos no jardim.

Eu lembrei daquela época e dei um pequeno sorriso, ele tirou o paletó e me cobriu e depois ficou me olhando, foquei meus olhos na neve que caia e ficamos ali em silêncio. 

@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-@-

Eu acordei e olhei para o relógio, mesmo tendo ir dormir as quatro da manhã acordei as sete, botei o roupão e fui para varanda. Assim que fui para varanda me arrependi, no jardim de trás estava Steven beijando uma garota, eu arregalei os olhos e entrei no quarto de novo.

–Já esta acordada?– Ouvi alguém entrando no meu quarto, era Rachel.

–Rachel? O que ela esta fazendo aqui?– Perguntei chocada, ela botou o indicador na boca e botou as mãos no cabelo.

–Eu estava no quarto do seu tio.– Ela disse, arregalei meus olhos.

–Você é maluca?

–Você acredita em amor a primeira vista?– Ela disse, eu balançava a cabeça.

–Você surtou?– Perguntei, ela assentiu com a cabeça e começou a chorar. 

–É disso que minha mãe tinha medo. É disso que eu tinha medo.– Ela disse andando de um lado para outro. –Ele abriu os olhos quando eu estava indo embora, ele me viu indo, mas acho que estava tão cansado que achou que fosse um sonho... Preciso ir.

–Nunca vi Theo tão encantado com uma garota antes.– Falei, ela botou a mão em seu coração e se sentou.

–Estou com sérios problemas.

–Por que?

–Porque não quero partir! Pela primeira vez to pensando em realmente em me hipnotizar.– Ela disse e seus olhos se encheram de lágrimas. 

–Vai abandonar tudo que você construiu até hoje lá, sua avó, suas amigas, seus tios para isso?– Falei, ela me olhou com seriedade.

–Pela primeira vez penso que sim.– Ela já estava com suas roupas normais e abriu a janela, olhou lá pra fora, suspirou e se jogou como sempre, olhei para baixo para ver se Steven ainda estava lá e nem sinal dele, Ranchel pode correr livremente até o portão. E a cena ficou repetindo em minha mente como se fosse um filme, desci para o café da manhã e como deduzi Steven não estava lá, apenas Theo com olheiras e cara de desolado, Estella, Mel, Daniel, Nicolas, Linda, Ester e Jack. O resto dos convidados deviam estar de ressaca.

–Ficou amigo da Raquel?– Perguntei para Theo, ouvir o nome dela pareceu ter animado e dado um golpe nele ao mesmo tempo. –Ela teve que sair correndo para o voo, mas a vi bem triste. Algo dentro de mim diz que ela não vai ficar tão longe.

–Em que cidade ela mora?– Ele perguntou, eu gaguejei.

–Merriwquens.– Respondi qualquer cidade do Sul, ele ficou em silêncio e assentiu com a cabeça, olhei para a mesa e estavam todos casados.

–Alguém sabe onde esta Steven?– Estella perguntou, eu sorri de lado ironicamente.

–No quarto dele, com uma garota.– Falei, Mel abaixou a cabeça e eu tomei um gole do meu café.

–Chamem Steven!– Jack ordenou, o guarda no mesmo instante assentiu e foi busca-lo.

–Não precisa disso.– Falei.

–Precisa sim, Steven já tem dezenove anos e ele é seu noivo.– Daniel disse, o olhei e implorei com os olhos para wue ele não o chamasse, acho que ele entendeu que eu queria ficar só.

–Quero sair.– Falei, a mesa inteira virou para mim.

–Sair para onde exatamente?– Daniel perguntou.

–Quero ir para a cidade. Quero sair do palácio pela primeira vez.– Falei. –Eu nunca vi nada além desse palácio e essa floresta!

–Acho justo.– Ester disse, Mel virou para ela. –Desde que vá com Estella armada não vejo problema. Estella sabe defender as duas facilmente.

–Concordo.– Estella disse, meu coração acelerou de felicidade, não acredito que veria pessoas! Que tocaria na rua! Que veria o shopping, prédios...

–Mas quero que Steven vá junto.– Mel disse fazendo meu mundo cair.

–Você me odeia.– Falei, nesse mesmo instante Steven entrou na sala.

–Vocês vão passear.– Ela disse com um sorriso no rosto, Steven não parecia nada contente.

–Me chamou por causa disso?– Ele perguntou chateado.

–Seu avô mandou te chamar com toda a razão desse mundo. Sua noiva esta aqui e você deveria estar aqui também. 

–Pra onde vamos?– Ele disse bufando e sentando do meu lado sem saco.

–Podemos ir ao shopping, e depois a algum mirante...– Estella disse sorrindo.

–Vai ser ótimo ir a um mirante com vocês duas! Já estou vendo Estella pedindo para pular de paraquedas.– Steven disse irônicamente.

–É o meu sonho.– Falei.

–É um sonho idiota, deixa de ser infantil Nicole.– Ele disse, a raiva subiu na minha cabeça e eu dei um tapa na cara dele.

–Eu te odeio!– Gritei com toda a força, olhei para Mel e para Daniel e sai batendo pé, ouvi alguém correndo atrás de mim e corri mais rápido, até que essa pessoa tocou no meu ombro.

–Você sabe que eu sou mais rápida.– Ela disse arfando, eu sentei na escada e fiquei olhando para um ponto fixo. –Pense pelo lado bom, poderemos jogar ele do alto da montanha.

–As vezes fico chocada com as suas ideias...– Falei, ela me olhou com uma sobrancelha levantada. –Todas elas são geniais!

–Ele é o meu irmão.– Ela disse, eu suspirei.

–As vezes não parece.

–Você sempre será muito mais a minha irmã do que ele.– Ela disse e me abraçou de lado, encostei a cabeça no ombro dela. –Fica calma, tudo vai se ajeitar. O amor é uma coisa engraçada... Imagina se você estivesse apaixonada pelo príncipe de Fuonde, podia se bem pior.

–Fuonde? Juro que até o príncipe herdeiro de Fuonde é melhor.– Falei depois olhei pra ela. –Nunca entendi direito porque é o maior inimigo de Ruêmania, é um país tão lindo.

–Eles já tentaram declarar guerra milhares de vezes. Na quarta guerra mundial eles queriam tomar todo o nosso território... Meus bisavós odeiam aquele lugar.– Ela disse, parecia triste falando daquilo.

–Rachel dormiu com Theo.– Falei, ela arregalou os olhos. –Ela disse que estava apaixonada.

–Ela estava bebada.– Ela disse rindo, eu ri também. –Vem, temos que nos arrumar como pessoa normais.

–Não acredito que isso esta acontecendo.– Falei empolgada, ela riu e nós subimos as escadas juntas.


Notas Finais


Gente, eu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...