História Destinados - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara
Tags Naruhina, Sasukedevoltaakonoha, Sasusaku, Shikatema, Time7
Exibições 402
Palavras 4.088
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Deixando mais um aqui, desculpem a demora!
Boa leitura <3

Capítulo 40 - Outro Modo


Sakura já havia voltado do hospital com preocupação nos olhos verdes. Mas sua preocupação não era só ligada aos nukenins, mas a Sasuke.

Ino havia sugerido que passasse a dormir na sua casa, junto de sua mãe. E ela parecia bem disposta em receber a amiga. Sakura aceitou o pedido, agradecida por Ino ser útil quando mesma precisava.

Em relação a Sasuke, ela mal sabia que equipe iria, mas a deixava tão receosa. Pois de fato, não queria se afastar do seu amado.

Afinal, quem queria?

A noite já caira em Konohagakure no Sato. A lua crescente estava no céu, iluminando algumas partes das ruas. Porém existiam penumbras e sombras bastante densas ao voltar para casa.

Quer dizer, a casa não lhe pertencia, mas sim a Sasuke. Aliás, ele a fizera com que sua casa fosse dela também. Incrível o como ambos estavam se tornando um casal normal.

Ela chegou ao apartamento, cansada. Irrompeu a porta da frente, desçalcando as sandálias no hall. Sasuke não estava na sala, e ela sentia um leve cheiro de comida pronta.

Bom, seu estômago roncou. Sasuke era uma benção!

*-*-*

A cabeça do Uchiha estava confusa, primeiro que havia ninjas usando o nome de Kakashi para uma coisa contra o Estado.

Ele estava sentado, olhando sua comida. Mas, infelizmente, ele não conseguia comer. Sua cabeça pensava tantas coisas que mal sentia fome.

Dentre os outros problemas que ele estava enfrentando, tinha Sakura. Bom, a sua companheira, a quem ele sempre recebia devoção e carinho. Ele não queria deixá-la sozinha. Nem que fosse numa missão perigosa para cuidar dela.

— Konbawa, Sasuke-kun — ela disse levemente, passando a mão no cabelo do moreno. Isso arrepiava o cabelo da nuca dele, a voz suave era tão próxima de seu ouvido.

Para ver o quanto o Uchiha estava ocupado. Ele mal ouvira a porta da frente ser aberta. Para ele já não importava mais, ela estava sob seu teto, em segurança.

— Você não comeu?

— Não — respondeu ele. Ela semi-agachou ao lado dele, olhando-o, preocupada.

— O que foi? — indagou ela, envolvendo o rosto dele com as mãos. Era palpável sua preocupação, e também, era notável o cansaço mental dele.

— Não é nada — ele desviou os olhos dela. Ela afagou o cabelo dele, passando os dedos delicados e finos entre os fios negros e grossos.

— Sasuke-kun, vá descansar, pelo menos essa noite — pediu, dando um beijo na testa do moreno, um beijo casto. Sakura o convenceu, ele precisava de descanso.

Ele a obedeceu, levantando da cadeira e deixando seu prato intocado na mesa. Indo para o quarto dele, e deitando na cama de barriga para cima.

Talvez.

Sakura havia dado uma pergunta sobre Darame estar envolvido. E isso, sua resposta estará no próprio País das Ondas, algo que Iwao citou.

Seria mesmo que Iwao tinha certeza no que dizia? E se fosse tudo uma armadilha?

Ele estalou a língua, e depois fechou os olhos.

Não conseguiria dormir tão cedo.

Sakura estava alimentando até então seu estômago vazio, após ter feito isso, ela fora lavar a louça e deixar a cozinha limpa.

Tirou a bandana que envolvia seu cabelo, numa espécie de tiara. Colocando-a em cima da cômoda do quarto, e assim, pegando seu pijama para tomar banho.

(...)

Sakura tinha a certeza absoluta do quanto o Uchiha estava inquieto na cama. Ela estava penteando os fios róseos na beirada da cama, de costas, mas conseguia sentir.

Ela depositou a escova de cabelo em cima do mesa de cabeceira, e assim, trouxe suas pernas sobre a cama. E virou-se ao moreno, que se mostrava silencioso.

— Sasuke-kun? — indagou ela, gentilmente, ainda sentada na cama, olhando-o com certa preocupação.

Ele suspirou.

— Hun?

— Você quer conversar? — ela indagou, tombando a cabeça para o lado.

Ele olhou para Sakura, o rosto estava aparentemente cansado.

— Deveríamos?

Ela sorriu, e deitou na cama, olhando-o nos olhos.

— Você parece-me tão... — tocou o rosto dele. — Inquieto. Não é algo do seu feitio estar assim.

Sakura o conhecia tão bem. E isso o Uchiha admirava. Mas é claro, que ele não falaria isso a ela, até porque, Sakura não estaria na missão que ele fora enviado para amanhã.

— Não é nada.

— Você está mentindo para mim — franziu ela os lábios rosados. Ele deu um sorriso torto.

— Não é necessário — declarou ele. Ela desfez o embicamento dos lábios, e deu um sorriso triste. Deslizando as mãos do rosto alvo para os ombros dele.

— Por que não é necessário? Você não confia em mim? — indagou ela.

Ele confiava, mais do que tudo. Mas se havia algo que Sakura tinha para ser admirado era a confiança que ela depositava nele, porém... Sakura sempre fazia essa confiança se romper pelo simples fato d'ela ter feito algo que não era para ser feito.

— Nada é necessário agora — disse ele, tendo uma leve irritação no olhar. — Eu confio em você, mas acho que seria desnecessário dizer.

Sakura suspirou, derrotada.

— Sei — disse ela, não convencida da resposta de Sasuke.

— Você deveria descansar — ele sorriu, um sorriso carinhoso. A rosada suspirou profundamente.

— Eu sei — assentiu ela, meio a contragosto.

Sasuke sorriu de lado, fechando os olhos. E girou o tronco, inspirando e expirando calmamente. Então, sentiu braços passaram por baixo dos seus, dando-lhe um abraço carinhoso.

— Eu estou aqui — disse ela com os lábios contra a pele do pescoço dele. — Ainda estou aqui com você...

Ele assentiu. Envolveu as mãos de Sakura com as suas, entrelaçando os dedos sem restrição nenhuma.

Sasuke, a princípio, sempre soube que não estava sozinho. E a agradecia por isso.

— Arigatou — disse ele, em tom quase inaudível. Isso fez a rosada sorrir, e aconchegar-se no Uchiha.

— De nada, Sasuke-kun — disse a Haruno baixinho.

Se de fato, havia algo nessa mulher que o impressionava ou o que fizesse admirá-la ainda mais. Ele não se importava, já estava decidido a desde sempre fazer isso.

Sakura sempre seria a mulher que não o deixaria sozinho, ambos eram um porto-seguro do outro e sabiam disso.

*-*-*

Kakashi analisava os diagnósticos entregues de noite através de Sakura. E ele havia decidido não ler no mesmo dia, e então no começo da manhã, ele foi lê-los.

"Sintomas: Dores de cabeça, dores de estômago, mal-estar, diarreia, vômitos, difilcudades de respiração".

Os sintomas eram variados. Isso é bem óbvio, já que cada organismo reage de um jeito.

Semelhava sintomas de alergia alimentar.

— Não há como negar, uma alergia alimentar à droga dada a eles — disse o Hokage olhando para Shikamaru.

— Então, quer dizer que os sintomas são muitos semelhantes — afirmou. — E pelo que vimos, não parece ter alguma coisa que acabe com essa alergia.

— Pelos relatórios feito no hospital de Shizune, foram indicados muito soro pois alguns poderiam desidratar pelas sessões de vômitos e diarreias — contou Kakashi. — Deram remédio de ervas que podessem melhorar, mas, nenhum obtiveram sucesso.

— Estão ficando mais complicados do que eu pensei — disse Shikamaru. Kakashi assentiu, e recolocou a pasta na mesa.

— Entendo — assentiu o Hokage. — Se continuar com esse andamento é provável que... — não quis continuar sua frase, mesmo que não fosse seus shinobis era doloroso dizer isso.

Shikamaru arregalou os olhos.

— Mas Kakashi-san, se tirássemos o Selo? — sugeriu o moreno.

— Nani?

— Se seus corpos estão agindo dessa maneira — deu uma pausa, fechando os olhos e os abrindo de volta. — Por reação alérgica por parte do Selo, e se tirássemos o Selo? Talvez isso possa parar.

Kakashi pensou por um momento, e descansou o queixo no punho.

— Então, você acha que nosso problema será resolvido, corrompendo o Selo, hã? — indagou o Hokage. Shikamaru assentiu.

— Como Sakura conseguiu retirar o seu, achamos a melhor coisa tirar desses nukenins também — disse o Nara. — Não poderão ficar presos até o fim da vida, Kakashi-san.

Kakashi ponderou o pensamento de Shikamaru.

Na realidade, o Nara tinha toda razão. Se mesmo Shizune teve hipóteses de que fosse por parte do Selo que isso está acontecendo, então, a única forma de combater essa alergia, era tirando o próprio Selo.

Por parte das hipóteses de Shizune, estão corretas. Sakura e Sasuke confirmaram sobre uma droga, algo que fez lembrar o próprio Uchiha quando Orochimaru fazia o mesmo com os ninjas que possuíam o Selo Amaldiçoado. Fora o que realmente aconteceu com os nukenins.

— Sakura, Ino e Saku terão de fazê-los, certo? — inquiriu o homem dos cabelos prateados.

— Sim — assentiu com a cabeça mesmo com a mão no queixo. — Mas creio que se colocarmos Sakura numa dessas missões com nukenins, Sasuke não achará muito certo.

— Não o farei contra sua vontade, sei o quanto ele sente por ela — disse o Hokage. — E aliás, ele está tentando de todas as formas protegê-la, e isso é importante para nós também.

E como o Hokage sabia, afinal, ele mesmo viu algo desse tipo no seu escritório dias atrás. E teve que admitir que Sasuke era rigoroso com Sakura sobre proteção.

— Se colocássemos um shinobi que podesse vigiá-las, como um guarda-costas?... Mas nenhuma delas estão vulneráveis — sugeriu.

— É uma boa opção, Shikamaru — concordou o Rokudaime. — É por segurança, mesmo estando em nossa aldeia.

Shikamaru se aproximou da mesa do Hokage. Enquanto esse mexia entre os pergaminhos organizados sobre a mesa, e assim encontrando o que precisava, o desenrolou e sorriu por baixo da máscara.

— Lee e Tenten estarão junto de Sasuke — disse Kakashi. — E bem, o time 10, está separado, mas enviarei Chouji para a missão dessa noite também, por enquanto, assim como time 7 também está separado. O time 8, ainda só estão disponíveis Kiba e Shino, pois Hinata está com licença de maternidade prolongada por mim.

— A equipe Ebiso não foi a equipe que fora escoltá-los na fronteira? — indagou Shikamaru. Kakashi o olhou de soslaio.

— Naruto já deve voltar de sua semana de recesso, deve ser hoje se não me falha a memória — comentou ele. — Sim, foi essa equipe mesmo.

— Vai colocar Naruto de vigia?

— Sasuke confia em Naruto, não posso colocar qualquer ninja sem o consentimento do meu aluno — disse o Rokudaime.

— Que problemático — disse o Nara. — Não sabia que Sasuke se tornara tão cuidadoso.

E quanto cuidado por causa de uma garota. Isso que ela já o desobedeceu tantas vezes. Mas parece que o Uchiha pouco se importava com esse fato.

— As pessoas mudam, Shikamaru — sorriu o Hokage. — E Sasuke também foi uma delas.

*-*-*

Sakura espreguiçou-se na cama, e sorriu para a negritude de olhos que a observavam.

— Ohayou, Sasuke-kun.

— Como consegue ficar tão feliz em acordar? — resmungou ele, ainda com o rosto no travesseiro.

— Eu não sei — sorriu docemente. E sentou-se sobre a cama, esticando os braços, sentindo os raios solares, mesmo tão fracos, queimarem a sua pele alva das suas costas. — Mas... apenas consigo — juntou as mãos no colo.

Sasuke bufou. Talvez da alegria de Sakura ser tão fútil, ou porque ele era carrancudo de manhã.

— Eu acredito que essa missão não seja uma armadilha arquitetada por aquele senhor — opinou ela, de repente. Sasuke estreitou os olhos. — É o que eu acho, ele ainda não me convenceu de que fosse verdade. Mas acredito que seja, então, eu estou numa corda bamba, não sei qual lado eu vou cair, e acreditar.

O moreno sentou-se na cama, e olhou para a rosada sentada na cama também.

— Está dizendo que isso possa ser uma armadilha? — ele passou quase a tarde inteira no dia anterior pensando nessa possibilidade.

— Bom, sim — sorriu tristemente. — Mas eu não tenho certeza. Eu só não queria que isso podesse nos separar novamente.

Ele assentiu.

— Agora, eu estou sendo negativa, não é? — indagou ela.

— Não — negou ele. — Você só está preocupada, e isso é normal. Se caso for uma armadilha, penso que conseguiremos sair ilesos.

— Eu sei disso, ainda mais quando se trata de você — Sakura franziu as sobrancelhas, e cruzou os braços. — Mas não só isso que me deixa preocupada...

— O que te deixa preocupada? — inquiriu ele, estreitando os olhos.

— Por incrível que pareça, Sasuke, também estou preocupada com os nukenins — e tombou seu rosto, fitando ainda o Uchiha.

E então, a exaustão que tomava conta de Sakura ontem, mentalmente, era por causa dos nukenins.

Sakura-chan tem um bom coração, acho que isso seja certo a fazer”, foi o que disse Hinata.

— Você acha que eu deveria estar assim?

Sasuke pensou por um momento. Mesmo que ela seja uma kunoichi forte e corajosa, ela também era humana e uma médica.

Isso que alguns sentimentos possam intervir nisso, Sakura ao menos está tentando esconder seus próprios sentimentos. No entanto, ela sentia a dor dos seus pacientes. Era desgastante para si própria.

— Acho que sim. Mas sua preocupação é necessária. Só penso que isso não possa intervir enquanto estiver trabalhando.

— De maneira alguma — assentiu. — Os meus sentimentos ficam sempre atrás quando estou no trabalho. E aliás, somos treinados para não fraquejar na frente dos pacientes.

Ele assentiu.

— E aonde você vai ficar?

— Vou ficar na Ino, por enquanto — ela respondeu. — Ela própria se ofereceu, então eu aceitei.

Ele suspirou.

— Então, quem vai com você? — indagou Sakura, enquanto colocava uma mecha rósea atrás da orelha.

— Humpf, nada demais — disse Sasuke. — É de improviso, apenas.

Ela comprimiu os lábios, e assentiu com a cabeça.

— Se você diz assim, eu entendo — deu de ombros. Ele sorriu de lado, afagando os fios róseos, sedosos e delicados dela. — Tome cuidado.

Ele assentiu.

— Tomarei — inclinou o corpo, beijando a testa da rosada. Ela suspirou.

— Assim eu espero, Sasuke-kun. Assim espero — sussurrou enquanto era beijada na testa.

*-*-*

— Então, você quer que eu proteja a Sakura-chan, Saku e Ino? — indagou Naruto com as mãos na cintura. — Okay, eu aceito, não me parece tão difícil.

— Não é por ser difícil, Naruto — disse Kakashi, o Hokage pensava de como Naruto, diferentemente daquele gennin que ele era, consegue levar as missões de forma tão leviana? — Elas ainda terão de fazer algo que tire o Selo, e então, terão de ir ao hospital e para a prisão.

— NANI?! ENTRAR NA PRISÃO, DATTEBAYO?! — gritou o loiro.

— Não grite, Naruto — disse Shikamaru.

— Sakura explicará a você — disse Kakashi indicando a cabeça levemente para a porta. Que fora batida. — Entre.

— Ohayou, Kakashi-sensei — disse uma Sakura animada entrando na frente e depois, entrara um Sasuke desanimado.

— Ohayou, Sakura — disse Kakashi com certa alegria. E Shikamaru cumprimentou o casal com a mão.

— Teme, Sakura-chan! — sorriu Naruto.

— Naruto? — indagaram ambos. O loiro fez careta.

— Ah, qual é, eu não sou tão feio assim, dattebayo — reclamou o Uzumaki, cruzando os braços. Sasuke revirou os olhos.

— Chegaram na hora certa — disse Kakashi com entusiasmo, algo meio atípico do Hokage, mas convenhamos que ele precisasse disso.

Sakura colocou uma mão na cintura.

— Hã... isso tem a ver com o Naruto? — indagou ela apontando o olhar ao loiro.

— Sim — respondeu balançando a cabeça, com as mãos cruzadas na frente do rosto. — Naruto, você, Saku e Ino, terão um trabalho importante.

— Que trabalho importante? — indagou Sakura e Naruto, enquanto Sasuke perguntara isso mentalmente.

— Tirar o Selo de todos os nukenins, mesmo aqueles que estejam doentes. E precisa ser de imediato — respondeu Kakashi. — As alergias alimentares podem piorar a cada instante se o Selo permanecer.

Sakura assentiu.

— Então preciso encontrar Saku e Ino — disse ela. — E tirar o Selo.

— Sasuke, Rock Lee, Mitsashi Tenten e Akimichi Chouji se encontrarão na fronteira — disse Kakashi. — Depois do pôr do sol, porém antes, podemos discutir estratégias?

— Hai — assentiu o moreno.

— Kakashi-sensei — disse Naruto. — Bem que podia ter me mandado junto com o Teme. E aliás, eu não quero entrar em prisão, não, dattebayo.

Sakura fez careta.

— Não vai ser agora, idiota. Ainda Saku fará o processo da retiração do Selo, mas você viaja! — disse a rosada.

— Sakura tem razão — disse Kakashi e o loiro bufou.

— Tá legal, tá legal, dattebayo — reclamou. Sakura deu um beijo na bochecha do Uchiha e sorriu, saindo na frente. — Nos vemos em breve, Teme — sorriu abertamente.

Assim que Sakura e Naruto saíram, Kakashi respirou fundo.

— Então, Sasuke, o que você está pensando?

— Andei analisando algumas das informações que Iwao nos deu, e Sakura também pensou no mesmo — e bufou. — Se isso não poderia ser uma armadilha.

Mas nem todos acreditavam que Iwao poderia estar do lado de Darame.

— Entendo, que Iwao queira separar você de Sakura, para depois levá-las, ela e Saku, para Darame — disse Kakashi.

— Por acaso, Darame possa estar no País das Ondas? — indagou Shikamaru. — Se as drogas retornarão para seu lugar de origem, é provável que Darame estará lá. Tenho suspeitas de que ele próprio não vai estar lá.

— É muito arriscado, porém, se for verdade — disse o Rokudaime. — Sakura correrá mais perigo do que se imagina.

Sasuke e Shikamaru assentiu.

*-*-*

Sakura comprimiu os lábios para Saku, e suspirou.

— Temo que possa acontecer coisa pior — ela disse, olhando para o lado. — Bom, não acontecerá coisa boa se ficarmos aqui paradas, certo?

— Sim — disse a loira. — Aliás, eu até fiz o que precisávamos. Agora, só precisamos dá-los para cada nukenin.

— Como assim? — indagou Ino de braços cruzados. — Dá-los o quê?

— O comprimido de liberação de chakra, não sou todos que fazem um ótimo controle dele — explicou Saku com uma caixa de plástico com vários comprimidos.

— Entendi — disse Sakura. — Temos que entregar um comprimido para cada paciente, mas... precisamos levá-los para o campo de treinamento se caso o fizermos.

Naruto olhava as três kunoichis sem entender o que está acontecendo. Mas resolveu não entender e vigiar.

— Naruto? — chamou Sakura. — Teremos de levar os nukenins para o campo.

— Nani?! Não pode! Eles podem fugir! — disse o Uzumaki. — É loucura, dattebayo!

— Loucura é você, o próximo Hokage dizer isso — disse Ino arqueando a sobrancelha.

— Por isso mesmo, proteger a todos — disse Naruto cruzando os braços. Sakura revirou os olhos.

— Você está parecendo o Sasuke, só que informal — resmungou Sakura. Naruto franziu o cenho.

— Eu não tenho nada a ver com o Teme, dattebayo! — disse ele, um pouco ofendido. Depois do acontecimento de Mari dizer que Sasuke era mais bonito que Naruto, os últimos dias o loiro confirmou que ele era muito mais lindo que o Uchiha, e as pessoas eram estranhas – na opinião dele –, por escolher o moreno chato e resmungão.

Sakura riu.

— Mas está parecendo querer nos proteger o tempo todo — disse a rosada.

Ponto para Sakura.

— Hum — resmungou o loiro. Ele não queria ser como o Uchiha, ele mesmo lembrou que usara henge no jutsu para se transformar em Sasuke para beijar Sakura, algo que não deu muito certo pela baita dor de barriga que o atormentou. — É mas, eu fui chamado pelo Kakashi-sensei para isso, então, não farei o contrário da minha função, mesmo que seja tediosa, dattebayo.

Ponto para Naruto.

— Esse não é o Naruto-baka que eu conheço — disse Sakura. — O ninja seguidor de regras. Você não é esse jeito.

Naruto bufou derrotado. Sakura ganhou. Ela conseguia usar a sua persuasão de forma justa.

— Tá legal, o que vocês querem que eu faça? Mas estão devendo um favor — disse Naruto com as sobrancelhas franzidas. — Não faço favor por nada, dattebayo.

— O que quiser, Naruto — disse Ino com as mãos na cintura. E Saku assentiu.

— Iremos conversar com Tsunade-sama e com Shizune para levá-los até o campo de treinamento, e aliás, Naruto, você tem que pedir ao Kakashi-sensei um pelotão de jounins para nos ajudar — explicou Sakura. — Muito deles estão enfraquecidos e muito gripados, não tem como eles fugirem.

— Mas os jounins também ficarão de guarda — acrescentou Ino. — Agora, não enrole e vá atrás do Hokage, enquanto nós iremos para onde Tsunade-sama e Shizune estão.

Naruto corcondou com a cabeça, e saiu do recinto em alta velocidade. Saku suspirou.

— Não será necessário os jounins para vigia, os nukenins estão enfraquecidos — disse ela sorrindo. — Não há possibilidade deles fugirem.

— Infelizmente, Saku, era necessário sim — disse Sakura. — Já que estamos com problemas, quanto mais ajuda melhor.

Saku assentiu.

— Missão: convencer a shishou e a Shizune — disse Sakura com entusiasmo. — Por acaso, Ino, a shishou não está brava com você por não estar dias um pouco afastada do hospital?

— Acho que não — disse Ino. — Acho que ela compreende que Kakashi-sensei me deixou como um ninja médica de ajuda. Então, não podemos demorar certo?

Saku e Sakura assentiram.

*-*-*

Ao entardecer, Sasuke ficara sentado no galho de uma árvore, vendo o sol se pôr no horizonte.

Seu semblante permanecia impassível, porém no seu interior, estava ao contrário do que se mostrava estar.

Sakura estava em boas mãos, quer dizer, não tão boas assim. Naruto era um tiro no escuro, mas isso não importava, porque Naruto realmente a protegeria com sua própria vida, Sasuke mesmo testumunhou isso.

Ele a viu alguns minutos no almoço, ela parecia apressada com a retiração do Selo que o próprio Hokage mandara fazer. E o Uchiha ainda achava imprudente, mas aliás, ele não comandava Konoha, então não seria ele a sofrer as consequências. Quer dizer, seria ele sim, e assim como os outros shinobis.

Pode até mesmo arrancar um sorriso caloroso, e no abraço carinhoso, o cheiro doce viciante que dela emanava. Quem diria que, Uchiha Sasuke seria o ninja conquistado tão facilmente por Haruno Sakura? E aliás, ele não arrependia nem um pouquinho por estar se apaixonando cada vez mais por aquela rosada.

Distraído demais ali, Sasuke ouvira uma voz animada e outra desanimada se encontrarem.

— Tenten-chan! Está animado para a nova missão?!

— Por que está tão animado, Lee? — replicou a morena dos coques achocolatados com as mãos na cintura.

— Uma nova missão, Tenten! Eu não deveria estar mais contente?! — sorriu com entusiasmo.

Sasuke franziu o cenho com desgosto e impaciência. Lee deveras irritante.

— Konbawa, minna-san! — disse a voz grossa, no entanto, feliz de Chouji.

— Yo, Chouji — disseram Tenten e Lee.

— Isso é uma investigação! E eu adoro isso! — disse Lee animado. Tenten revirou os olhos, e Chouji deu uma risada descontraída. Sasuke bufou, sério que o Uchiha tinha que aturar o sobrancelhudo e sonso a besta?

Sim, e era o destino. E Sasuke agradeceu ao Kakashi — mesmo que ironicamente —, por escolher Tenten, Chouji e Lee para essa missão. Eles possuíam jutsus e táticas que poderiam ajudá-lo, de qualquer forma, ainda agradecera Kakashi por ter feito uma boa e sábia escolha — algo que o Hatake sabia fazer muito bem.

E quando o sol desapareceu do horizonte, Sasuke descera de seu esconderijo.

O trio se surpreenderam com a aparição de Sasuke na sombra densa da árvore. E o moreno estava apreensivo esta noite, porém com o olhar indecifrável dificilmente de decodificar.

— Sasuke — disse o trio, abismados talvez. Já fazia bastante tempo, e quanto tempo eles não se encontravam dessa forma para um missão.

Mas estamos falando de Uchiha Sasuke, o ninja ainda temido por várias pessoas, e tão temido que salvara esse mundo. É tão irônico esse mundo, não?

— Espero que Kakashi tenha dito o que acontecera, e que estejam bastante atentos a qualquer barulho. Primeiramente é sigiloso — disse Sasuke. — Ninguém sabe sobre isso.

O trio concordou. E assentiram correndo e pulando atrás de Sasuke para a floresta.

Será que essa missão não era uma emboscada?

Continua...


Notas Finais


Vocês são umas figurinhas, leitores(as)-chan, eu realmente me divirto nos comentários. Eu adoro a participação de vocês, de verdade mesmo, só acho que muitos estão acanhadinhos, e alguns são fantasmas, e me deixa muito preocupada.

Hum, o que será que eles irão descobrir? *aquele friozinho na barriga*

Odeio de deixar o SasuSaku fora de cena, mas daqui para frente serão nossos mistérios, mas acreditem que logo recompesarei o amor SasuSaku aqui.

Até o próximo! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...