História Destinados - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara
Tags Naruhina, Sasukedevoltaakonoha, Sasusaku, Shikatema, Time7
Exibições 184
Palavras 4.245
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Atrasada! Mas trago mais um capítulo do meu bebê!
Semanas de provas e cheio de trabalhos, como estou doida para entrar de férias! :P
Mas, enfim, sem mais delongas...

Boa leitura :3

Capítulo 47 - Tensão


Sakura mordiscou o lábio inferior, esperando-os para atacá-la. Mas, a demora lhe pertubava, e quando aconteceu, seu contra-ataque não falhou, usando shurikens, kunais, e seu valioso taijutsu.

A rosada não perdeu tempo, e fez a tentativa de fuga, mas não dera muito certo, havia muito deles.

De onde vem tantos nukenins?”

Ela já perdera a contagem feita de quantos nukenins atacara. E isso continuava a ser exaustivo.

Quando seus olhos notaram que, não eram mais nukenins, e sim os mesmos. Os olhos verdes notavam que algo os curavam com facilidade e precisão.

Que jutsu é esse?”

Até alguém puxar seu braço abruptamente para trás, fazendo cair no chão, e fitar o que estava em sua frente.

— Você tem dom de arranjar problemas sozinha, garotinha — disse o homem.

— Quem é você? — inquiriu Sakura, levantando-se e aproximando do homem para reconhecê-lo.

— Fala sério! Você não lembra de mim! — ele diz, magoado. Até a rosada perceber que sua voz era de um jovem.

Sakura observou os fios brancos que apareciam, já que o rosto do homem não era fácil de ser visto, ainda mais com uma máscara. Nas pontas das madeixas descoloridas, eram arroxeadas.

Ele não lhe era estranho, mas, também não conseguia reconhecê-lo.

— Enfim! Agora não fique no caminho, rosada — ele a olhou, e deu uma piscadela. Sakura notou que os olhos dele também eram um lilás. — Antes que o Sasuke me mate por isso!

— Como você sabe sobre... — murmura, e arregalou os olhos. — Suigetsu.

— Finalmente, hein! Você é bem lerdinha comparado ao seu namorado — ele riu. Sakura franziu o cenho. — Foi mal, mas cadê o Sasuke?! Ele não deveria estar cuidando de você?

— Ele está ocupado — Sakura respondeu. — Eu também estava, se não tivesse sido interrompida por nukenins.

— Nha! Tanto faz — Suigetsu retrucou, estalando a língua. — Você tem alguma kunai para me emprestar?

Sakura sacou três kunais, e entregou para o ninja que sorria, com seus dentes de tubarão.

— Fique com o Juugo e a Karin!

— O quê?

— Eu falei que para ficar lá! — Suigetsu disse pegando nos pés de Sakura, inesperadamente, e a jogando para o alto.

Sakura gritou, chamando-o de tudo qualquer nome. Até a mesma ser pega por braços fortes, e não deixá-la mais voar no céu.

— Está bem, Sakura-san? — indagou um ruivo, segurando-a nos braços.

— Hai — Sakura assentiu, descendo dos braços dele. — Arigatou. Mas, como souberam disso...?

— Foi impossível não saber — disse a voz feminina ao mexer no óculos. — Nem mesmo do esconderijo do Orochimaru foi impossível de saber, os jounins guardas relatavam sobre algo do tipo entre si.

— Karin, Juugo — murmurou Sakura. — O que Suigetsu vai fazer?

— Oras, lutar — respondeu Karin como óbvio. — Suigetsu está fazendo isso por diversão!

— Isso que é ser sádico — a rosada comentou. Karin concordou, revirando os olhos.

— Falando nisso — Juugo a olhou. — Onde estaria Sasuke?

— Sasuke-kun deve estar procurando por Sakya — respondeu a Haruno levando a mão para a mecha de seu cabelo. — Me preocupo se algo possa acontecer com Saku e Teruo.

— Sasuke está a mais de três quilômetros daqui — Karin informou. — Ele não está sozinho, Naruto está com ele.

— Entendo.

— Ah! — alguém exclamou ao pular ao lado de Karin, e cruzar os braços sobre a cabeça. — Não foi nada divertido!

Juugo suspirou ao comentário do companheiro. Suigetsu já havia descoberto o segredo do inimigo e o matara após fazer com que não se multiplicasse e recuperasse rapidamente.

— Suigetsu! Você é idiota ou o quê? Como pode lutar em uma situação dessas?! — Karin exaltou. — Baka!

— Eu vou virar um cara surdo antes de chegar na minha velhice, toda vez que essa mulher gritar no meu ouvido — Suigetsu retrucou, cutucando o próprio ouvido com o dedo mindinho.

“Teruo não fugiria”, Sakura lembrou. Ela não ficar parada, deveria procurar por Teruo e Saku, antes que algo ruim aconteça.

— Desculpe, mas eu não posso ficar com vocês — a Haruno disse.

— Ela é mais teimosa que o Sasuke — o garoto dos cabelos brancos comentou.

— Humpf — disse Karin. — Nós não iremos deixá-la por aí, que vai acabar sendo esgoleado aqui, somos nós.

— Mas eu não pedi para ser protegida — contradisse a rosada.

— Nós fazemos apenas o que Sasuke pede — informou Suigetsu.

— Quando foi que ele pediu isso a vocês? — Sakura cruzou os braços.

— Não pediu — disse Juugo. — Apenas deduzimos, Sasuke queria sua proteção pelo que soubemos, então, viemos para cá para ajudá-lo.

— Hum... — Karin pensou. — Eu posso ir com você.

— Procurar por Saku e Teruo? — Sakura inquiriu, perplexa. Por que Karin a ajudaria?

— Exatamente — disse Karin. — No laboratório, esse tal denominado Teruo, Satoru Teruo foi lá, dizendo ser um guarda de Konoha.

— O quê?

— Foi na época que iria acontecer os Exames Jounins — Suigetsu complementou. — Ele era suspeito, e havia até pedido um veneno nada letal.

Sakura ficou ouvindo atentamente.

— Na verdade, Orochimaru ficou com receio de dar um veneno a ele — Karin informou. — Orochimaru está fazendo de tudo para não se incriminar, então, ele recusou.

— Mas Teruo insistiu, dizendo que o mesmo faria o veneno no laboratório, dizia ele ter conhecimento de ervas — Juugo contou. — E ele, apesar de tudo, sabia mesmo. E Orochimaru havia dado permissão, desde que ele não o prejudicasse, estaria tudo sob controle.

O veneno que Teruo me injetou, então, foi feito por sua autoria”, pensou Sakura.

— Sei qual a assinatura de chakra de Teruo — disse Karin mexendo na armação de óculos. — Me lembro bem.

— Se você lembra a do Sasuke... — cutucou Suigetsu com um sorrisinho.

— Cala a boca! — ordenou Karin, ríspida. Juugo balançou a cabeça.

— Vão na frente, enquanto nós iremos atrás, assim, não correrão risco de serem atacadas inesperadamente — disse Juugo, Suigetsu apenas o olhou com um dos olhos, com os braços acima da cabeça.

— Você que planejou isso.

— Para de retrucar, Suigetsu — Karin implicou. — Faça logo o que ele disse, ainda tem mais coisa para acontecer do que escutarmos suas reclamações fúteis e idiotas.

Sakura alternou o olhar entre Suigetsu e Karin, enquanto o ruivo balançava a cabeça.

— Tá, né... fazer o quê!

— Então, vamos — Sakura prosseguiu. — Conseguem fazer um ponto cego, sem serem vistos?

— Talvez — disse Suigetsu. — Mas ficaremos atrás de vocês como podermos.

Sakura e Karin assentiram, seguindo o caminho a frente. A Uzumaki fazia os selos, enquanto Sakura olhava para um lado e para o outro.

Espero que encontre vocês”, desejou Sakura.

*-*-*

— Sasuke, eu sinto chakra aqui embaixo — Naruto bate no metal, causando sons vazios. — Deve haver um esconderijo aqui.

— Não me admiro que tenha esconderijos por debaixo de Konoha — Sasuke desdenhou. — No entanto, isso parece ser feito há pouco tempo, para um metal desses não envelhecer.

— Uhum — concorda o loiro com a cabeça. — Mas... quem faria isso?

— Os próprios nukenins — Sasuke respondeu. — As explosões seriam de um campo minado subterrâneo.

— E por que você não disse isso antes? — Naruto implicou, fazendo careta. O moreno deu de ombros.

— Sakya poderia ter fugido enquanto tinha tempo — o Uchiha disse. — Ela não fugiu, para que seus subordinados tivessem tempo, já que os ninjas estavam com guarda baixa, eles aproveitaram a oportunidade de construí-lo.

— Isso é horrível, Teme! Então, por que você a capturou, dattebayo?!

— Cala a boca — ele mandou. — Meus motivos não são simplórios, e muito menos, idiotas — bufou. — Achou mesmo que eu faria algo desse tipo?

— Hum... — coçou a cabeça. — Talvez.

— Usuratonkachi — “já não esperava mais de você, Naruto”, Sasuke pensou.

— Vai se foder, Teme! — disse Naruto, com as sobrancelhas contraídas. — Ah, eu lembrei de um negócio, e acho que conseguiremos achar Sakya.

— O quê?

— Sou filho do Yondaime e não é à toa, dattebayo! — riu, e fez Sasuke arquear a sobrancelha.

Na opinião de Sasuke, sendo filho do Yondaime Hokage ou não, era idiota do mesmo jeito.

— Vá direto ao ponto, Dobe — Naruto soltou um bufo de descontentamento.

— O Selo, eu deixei a marca do Hiraishin no Jutsu nela — Naruto riu. — Caso eu achá-la, eu vou fazer qualquer coisa que libere meu chakra, e assim, você poderá me localizar com mais facilidade.

— Não preciso que você gaste chakra livremente para localizá-lo — o Uchiha resmungou.

— Deixa de ser arrogante, Teme! É uma ajuda, a Sakura-chan também vai correr perigo se caso não determos Sakya, dattebayo!

— E eu não sei disso? — bufou Sasuke. — Faça o que tenha para fazer, desde que isso não saia do controle.

— Sasuke — chamou-lhe sério. — Não sou eu que vai para lá.

— E quem vai ser? — indagou, perplexo. Ele pensando que Naruto o encontraria depois.

— Bah, como se o verdadeiro Naruto fosse — fez o selo com a mão. — Tajyu Kage Bunshin no Jutsu!

*-*-*

— Kakashi-san! — gritou Shizune, ao desespero, e viu que ele mandava vários pelotões para direções diferentes.

— Shizune — disse Kakashi, após enviar o último pelotão aos ataques de bomba, para levarem pessoas aos abrigos próximos. — O que devo a honra?

— Tenho uma má notícia a dizer — disse a morena. — Satoru-san e Akayume-san foram sequestrados.

— Como?

— Eu não sei, gomen. Já havia acontecido quando fui checar seu quarto — respondeu Shizune. — O médico que estava cuidado de Teruo-san, estava desmaiado quando o encontrei.

— Pelo que eu ouvi dizer, Teruo não fugiria mais, depois do que aconteceu — disse Kakashi, pensativo.

— Sim, ele esteve se adaptando a Konoha muito bem — sorriu. — Ele jamais faria algo contra Konoha, pelo menos na minha opinião.

— Espero que Sakura encontre Saku e Teruo a tempo.

— Espero o mesmo também — disse Shizune. — Soube que Sakya também fugiu.

— Sim, devíamos ter colocado atrás das grades enquanto tínhamos tempo — comentou o Rokudaime. — Mas, foi tão rápido, que nem mesmo os ninjas mandados para a guarda conseguiram ver como Sakya fugira.

— Entendo, o que fará agora?

— Quero que avise aos médicos da prisão para continuarem lá — disse Kakashi. — É importante que ninguém saia de lá, mandei alguns chuunins para cuidarem da guarda, e após mandar esse aviso, quero que ajude a curar os ninjas machucados que encontrar no caminho e levar para o hospital.

— Entendido — Shizune saí, correndo novamente de lá.

Kakashi olhou para a ninja médica ao seu lado, Terumi.

— Acho conveniente fazer o mesmo, Terumi-san — disse o Hokage, ela abriu a boca para dizer algo, porém, ela foi interrompida. — Tudo bem, ficarei bem, vou fazer o meu trabalho melhor possível. Como médica ninja, vá cuidar do hospital.

— Mas e Sakura-senpai?

— Ela ficará bem — disse ele, convicto. — Sakura sabe dar um jeitinho.

Terumi assentiu, e pulou para longe dali. Kakashi suspirou.

— Tenho de ajudar meus shinobis também.

*-*-*

— Que recado?

O silêncio constrangedor da sala, assustava até mesmo Shikamaru, amante do silêncio e da paz. Mas, isso ainda não explicava o que o nukenin de nível abaixo de Sakya estaria fazendo ali.

Temari tinha uma noção real de que, Shikamaru conhecia o homem.

— Primeiramente, quem é você para estar aqui?! — indagou Kurotsuchi, mais aflita do que já estava.

— Quanta petulância e falta de respeito! — questionou Darui. — Um homem sujo, como você, não pode botar um dedo sequer nessa mesa.

— E o senhor não vai me impedir — Darame replicou.

— Por favor, senhores — pediu Choujõrõ. — Isto é uma reunião séria, e não uma baderna. Não admito brigas aqui.

Shikamaru ficou olhando para Darame, perplexo. Mas, como Darame fora ao País do Trovão?

Darui suspirou, e levantou o olhar, observando a reação silenciosa de Shikamaru.

O shinobi de Konoha parece estar ciente de quem é o homem”, pensou Darui, mexendo nos pergaminhos nas mesas.

— Shikamaru-san — disse Darui, atraindo a atenção do moreno. — Por acaso, esse homem tem algo relacionado a Konoha?

— Hai — Shikamaru assentiu. Isso fez com que o shinobi de Kumogakure sorrisse. — Um dos líderes dos nukenins.

— Líderes?

— Não. Ele é subordinado da superior dos nukenins — disse o Nara, cruzando os braços. — Antes, o achávamos ser o quinto líder vivo e ativo, porém, o líder ativo era a superior.

Darui ficou bastante satisfeito. Não fora tão difícil fazê-lo dizer algo.

— Você, aonde está a superior-sama?! — segurou no colarinho de Shikamaru, soltando um bafo fazendo o moreno franzir o nariz. — Aquele Uchiha não deveria ter feito o que devia!

Uchiha?”, pensaram os membros da Aliança.

— Esse Uchiha está fazendo coisas que nem seria de sua obrigação — Darame sorriu, enquanto segurava com veemência o colarinho de Shikamaru. — Você sabe o que somos sem Sakya-sama?

— Idiotas — disse Temari, atacando uma kunai na mão do nukenin. — Que seja, isso não vem ao caso! Mas o que você está fazendo aqui, como entrou?!

— Tenho minhas táticas — disse ele, sorrindo, enquanto desencravava a kunai da sua mão, que respingava o sangue carmesim.

— Como sabem dos clãs Akayume e Satoru? — inquiriu Choujõrõ, confuso pela situação. — São de Kirigakure, como sabem?

— Haruno Sakura soube da história através da sobrevivente Satoru Ayumi, do envenenamento do seu clã — disse Shikamaru. — Ao que tudo indica, no que Sakura e Uchiha Sasuke descobriram, que fora um membro do clã Satoru e do clã Akayume que fizeram o envenenamento.

Darui olhou para Shikamaru, um olhar inquisitivo e incisivo estava em seus olhos.

— A superior dos nukenins, ou seja, a líder deles — disse Shikamaru. — É Akayume Sakya, a irmã gêmea da Akayume Saku.

— Como? Se ambas estavam mortas? — disse Choujõrõ, abismado. Era algo que acontecera na sua vila, como Konoha sabia sobre esse caso?

— A morte foi planejada, nem Saku e nem mesmo Sakya morreram — contou o Nara, cruzando os braços. — Quando vinha para Kumogakure, recebi o recado do Hokage através de Sai... — e olhou fixamente para Darame. — Fazer um dos homens da Aliança como boneco é algo muito fácil para você, não é?

Darame arregalou os olhos.

— Kakashi sabia a estratégia de Sasuke, e sabia de Sakya também — sorriu, convicto. — Darui não desafiaria os membros, muito menos a mim. Isso tinha influência sua, pois Darui havia dito que não iria para a reunião por motivos de saúde.

— Então, você sabia — disse “Darui”. — Não é de admirar que você saberia, por ser o ninja estrategista da Aliança Shinobi.

Kurotsuchi trincou os dentes, dando um soco na mesa, de impaciência.

— Eu não estou entendendo mais nada — disse ela, ao elevar seus olhos.

— Não é preciso, minha cara — disse Darame. — O que eu quero aqui, é conversar com ele! — aponta para Shikamaru. — Devolva nossa líder, que os deixaremos em paz!

Passos pesados vieram ao encontro da sala, quebrando a parede, abrindo um grande buraco ali. Estava o Raikage, com uma careta terrível, e Darui, com o rosto suave e atento.

— Você está trazendo problema a minha vila — disse Kira A. — Eu não vou te perdoar! Vou matá-lo agora, maldito!

Shikamaru ficou apreensivo.

— Trouxe problemas a Konohagakure também — disse Darui verdadeiro. — Isso é imperdoável.

Ay grita, indo para cima de Darame.

— Vão logo daqui! — ordenou Darui, fazendo todos os membros da Aliança saírem pelo buraco feito pelo Raikage. — Tomaremos conta dele.

— Shikamaru, você está bem? — disse Temari, colocando-se ao seu lado.

— Bom, estou. Mas, estou com preocupado com Konoha neste momento — disse Shikamaru correndo ao seu lado. — Kakashi-san deve estar tomando as rédeas da situação, porém, Sakura é importante, e não quero pensar que ela não seja protegida nesse momento.

— Sakura é uma kunoichi forte — Temari disse. — Não acho que ela deixaria ser protegida tão facilmente e não poder fazer nada.

— Você não está errada — Shikamaru disse, após sorrir por saber isso sobre a rosada teimosa. — Não seria só ela, Sasuke também não a deixaria agir.

— Bom, se esse é o caso... — riu. — Temos um caminho para fazer a Konoha.

Shikamaru concordou com a cabeça e sorriu de lado a loira.

*-*-*

— Eu tenho certeza, dattebayo — murmurou o loiro, olhando para o outro loiro consigo. — É um esconderijo.

— Tem que avisar o Sasuke — disse o outro. E sentiram chakras próximos, quando dois estavam com chakras agitados, e os outros dois estavam tranquilos. — Quatro.

— Nani? Quatro o quê? — indagou o primeiro. Os olhos azuis encaram os do outro.

— Tem quatro pessoas aqui, e tenho certeza de que um desses chakras é de Saku — respondeu. — Acho melhor seguirmos em frente e depois avisar os outros, dattebayo.

— Posso me liberar para avisar — disse ele, fazendo o selo com a mão. — Tem um vindo no caminho!

— Bom, se isso é o caso, vai logo então, dattebayo — disse o bunshin. O outro concordou, e se liberou.

Dos olhos azuis, foram para o original. Que depois, os olhos azuis foram ao encontro dos olhos ônix.

— Sakya, Saku, Teruo e mais alguém estão no subsolo — disse Naruto. — Se tivéssemos um ninja rastreador aqui, seria mais fácil encontrar.

— Naruto-kun — alguém chamou. O loiro olhou para trás, encontrando a morena com um sobretudo por cima do corpo.

— Hinata! — disse Naruto. — O que você está fazendo aqui?! — havia dito para ela ficar com Ko e não sair de casa.

— Eu sei — Hinata balançou a cabeça sem graça. — Mas eu preciso ajudar a Sakura-chan.

— Hinata, você não pode ficar aqui! É perigoso, dattebayo! — colocou as mãos nos ombros da esposa. — Não pode ficar aqui!

— Eu preciso! Até agora eu não pude fazer nada — a morena resmunga balançando a cabeça. — É minha vez de ajudá-la.

— Faça o que quiser — Sasuke olhou para Hinata. — Eu não vou interferir, desde que não faça nada para deixar o usuratonkachi se estressar e gritar no meu ouvido, porque senão... eu juro que mato ele.

— Você é idiota, Teme — Naruto comentou, coçando a cabeça.

— Hai, Sasuke-kun — disse a Uzumaki, ao assentir com a cabeça. — Byakugan.

Sasuke olhou para seu lado oposto, avistando dois chakras próximos com seu Rinnegan.

— Karin... o que ela está fazendo aqui? — Sasuke inquiriu. — Juugo... Suigetsu...

— Time Taka? Mas... eles não deveriam estar com o Orochimaru?! — Naruto questionou.

Era o que Sasuke pensou também. Sem que eles tivessem permissão alguma para sair do laboratório de Orochimaru, eles não poderiam sair.

— Isso não importa no momento — Sasuke disse. — Temos que ir atrás de Sakya.

Naruto estava com as mãos e selos feito, pressionados uma na outra. O loiro estava tentando recolher o chakra da natureza para ativar seu Modo Sennin.

— Acho que deveria ser menos imprudente — opinou Sasuke. — Modo Sennin a essa hora é imprudência.

— Pelo menos reconheci quem era o quarto chakra — Naruto disse olhando para frente. — É o do Hiruka, mas o que esse bastardo tá fazendo em Konoha em vez de Kusagakure, dattebayo?!

— Ouvi dizer que o Matsumoto sabe fazer o Jutsu de Personificação — Sasuke murmurou. — Da própria Sakya. Pois me parece, que dependendo a vontade de Hiruka, o jutsu pode ser permanente.

— Como de Saku? — inquiriu Naruto.

— Bom, sim — disse Hinata. — Parece que Matsumoto também usava esse jutsu, e como ele está com Sakya... — olhou para ambos os amigos. — É provável que ele esconda um jutsu poderoso para poder usar Sakura-chan nisso.

Sasuke ponderou. Ele lembrara disso. Sakura mesmo dissera sobre isso em uma missão de Suna.

— Talvez seja um jutsu secreto — disse Sasuke. — Se caso ainda ele não a mostrou, é porque complicação e poder deve ter.

— Ele tem bastante chakra — Hinata observou. — Não tanto quanto Naruto-kun. Mas, seu chakra é incrivelmente grande.

— Vi também duas pessoas com o chakra agitado — Naruto comentou. — Devem estar em um Genjutsu. Devem ter kages bunshins no momento atrás do Hiruka e da Sakya.

— Ótimo — o moreno pronunciou. — Temos que separar Sakya e Hiruka o quanto antes.

— Entendido — disseram Hinata e Naruto.

Sasuke pensava, se Hiruka que “raptou” Sakya tivesse algum plano para liberá-la... pois lhe parecia, que o jutsu secreto do nukenin de Kusagakure, tivesse a ver com a família Akayume, já que Sakya e Saku estavam juntas.

Mas e o Satoru? O que ele estaria fazendo ali?

*-*-*

Sakura seguia Karin, enquanto olhava para os estragos ali, sentia seu coração doer ao ver os ninjas e aldeões machucados.

— Espera — Karin parou. — Eles sumiram.

— Sumiram? — Sakura questionou. — Como?

— Eu sentia perfeitamente bem eles, porém sumiram de repente — disse Karim, voltando seus olhos carmesim para Sakura.

— Os nukenins... havia alguns que podiam transparecer o chakra — a rosada começou. — É impossível que alguns entraram ali para poderem ajudar e assim, usar o mesmo jutsu nos que fugiam.

— Entendo — Karin murmurou. — Mas como deixaram seus chakras ocultados, será difícil achar outra maneira de encontrá-los.

— Só se tivesse o Doujutsu como o Byakugan — disse Sakura. — Precisamente não acharíamos por chakra.

— Bom, vou tentar — a ruiva disse. E viera uma dúvida. — Não há limite para usar a transparência de chakra?

— Talvez tenha — a Haruno disse. — São quatro deles que podem fazer isso, um está preso. Eles não apareceram ultimamente, e sumiram. Pensávamos até que haviam sido mortos.

— Entendo.

Karin ficou pensativa. E Sakura ficou o mesmo.

— Sakura-chan, dattebayo!

Ambas as kunoichis olharam para os quatro kages bunshin no chão, balançando os braços.

— Naruto?

— Sabemos onde estão Sakya e Hiruka! — gritaram ao mesmo tempo. — Segue a gente!

— Você vem, Karin? — Sakura perguntou antes de descer.

— Hai, quem sabe possamos descobrir uma falha no jutsu de transparência?

Sakura sorriu, porém foi impedida de descer, ao sentir uma espada atravessar seu corpo.

— SAKURA-CHAN!

De seus lábios, descera um filete de sangue. Sakura cambaleou, e olhou para o seu leste.

O homem sorriu. E Karin ajudou a rosada tirar a espada do corpo. Suigetsu apareceu ao lado de ambas.

— Eu cuido dele — o Houzuki disse. — O Juugo vai com vocês, esse cara não está colaborando com o dia!

Um dos kages bunshin pegaram Sakura, levando-a rapidamente dali. Karin e Juugo os seguiam, enquanto Suigetsu limpava a espada com um pano qualquer.

— Ah, como eu estava doido para lutar!

*-*-*

Um ninja corria desesperado. O Rokudaime não estava em seu escritório, parecia estar em nenhum lugar já que o procurou tanto.

Até parar, e ver o Hokage ajudando um dos ninjas médicos para carregarem vítimas.

Ele havia saído de uma batalha”, pensou.

— Hokage-sama! — ele gritou.

Kakashi se virou, ao colocar o ninja com feridas profundas no chão forrado.

— Uta? — inquiriu. — O que houve? Aonde está o restante da equipe?

Uta mordiscou o lábio inferior. Contendo um choro incontrolável que viria.

— Foram mortos — Uta respondeu em um fio de voz.

Kakashi arregalou os olhos, abismado. Como? Eram jounnins qualificados? Como poderiam ser mortos facilmente?

— Como isso é possível?!

— No momento em que estávamos de guarda perto do prédio de Uchiha Sasuke, escutamos barulhos suspeitos — Uta contou. — Porém, baixamos nossa guarda, e fomos atacados. Nosso ninja sensorial nem ao menos notou os chakras dos nukenins. E então, só eu pude sobreviver.

— Por quê?

— Havia voltado do departamento médico — ele explicou. — Quando cheguei... era tarde demais...! Sinto muito, Hokage-sama! — pediu aos prantos, curvando-se.

Kakashi suspirou pesadamente, ele não sabia o que pensar. Se nem mesmo o ninja sensorial sentiu, é porque um jutsu para isso fora usado.

Jutsu de transparência”, pensara. Não havia outra opção, aqueles quatro nukenins estavam em Konoha.

Porém, algo lhe dizia que isso não era um início de uma guerra. E sim, algo ainda muito pior.

Teria algum nukenin contra algo em Konoha para estar do lado de Sakya? Ou seria apenas uma brincadeira de mal gosto?

Não, Kakashi tinha certeza de que isso está relacionado desde o início. O início em que se situava em Kirigakure, ou em Kumogakure.

Mas por quê em Konoha?

Kakashi tinha que achar um jeito de lidar com essa situação. Pois ela já fora longe demais.

Era o Hokage. Era seu dever arranjar uma solução plausível.

Ele também tinha um grande fardo nessa vila, como qualquer outro shinobi.

Continua...


Notas Finais


Beijinhos, espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...