História Destination of Love - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neymar
Exibições 204
Palavras 2.264
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Nada bom.


Já tínhamos assistido a um filme e o outro estava no fim, David dormia e eu estava com certa ansiedade do que aconteceria depois que ele desligasse aquela televisão. 

O filme então acabou, os créditos começaram a passar e eu fechei os olhos pra fingir que dormia. Eu não sei o que estava acontecendo comigo. Mas eu queria muito beija-lo de novo. 

Ele desligou a TV e percebi ele virar na cama ficando de frente pra mim.

— Eu sei que você não tá dormindo — sussurrou e riu.

Ri fraco, a mão dele veio parar na minha cintura.

— Eu acho melhor não — falei contragosto.

— Por que? Não é como se um de nós fosse nos apaixonar — falou — né? 

Assenti.

— Deixa acontecer Gabe, o que vier é lucro. 

E então me beijou, senti um arrepio da ponta do pé a cabeça. Ele me causa essas coisas. O corpo dele já estava encima do meu, mas sem colocar peso e foi quando as coisas começaram a esquentar demais..

— Chega! — sussurrei o empurrando.

— Ah Gabe, sacanagem deixar um homem assim hein — falou e eu ri. 

— Dorme aí vai — resmunguei.

Virei de costas pra ele e senti ele me abraçar, não sei o que aconteceu depois porque eu cai num sono tão gostoso. 

Acordei cedinho no outro dia, hoje é quando a mãe do Lucca vem buscá-lo pra ficar um final de semana com ela lá no Brasil. Já tinha arrumado as coisas dele, tirei o braço de Neymar de cima de mim e acordei David, peguei ele no colo que dormiu no caminho de um quarto pro outro na curva do meu pescoço, ri fraco. Judiação ele ter que acordar essa hora. 

O troquei com ele capengando de sono, ele não gosta que ninguém penteia o cabelo dele além de mim. Ele fala que minhas mãos são daquelas princesas dos desenhos, eu fico toda encantada quando ele fala essas coisas pra mim. 

Desci com ele no colo e já que ele não queria tomar café, o deitei no meu colo e ele dormiu. Ficamos naquela posição por bastante tempo já que eu acabei dormindo junto com ele, acordei com o flash de algum celular e adivinha quem era? Neymar tirando foto da gente. Ele é um perturbado. Joguei uma almofada nele que começou a rir, a campainha tocou e ele foi abrir.

— Amorzão — funguei no pescoço dele que riu — acorda.

— Já acordei titia — falou se espreguiçando — a mamãe já veio? 

Assenti, nos levantamos é a mãe de David já estava na porta. Ela é legalzinha. 

— Até segunda homenzinho — falei beijando a testa dele — titia ama você.

— Eu também amo você titia gabe — me abraçou. 

Acenei pra Carol e ela respondeu com um sorriso, David foi com ela e logo eles sumiram das minhas vistas. Subi pro meu quarto pra arrumar minhas coisas, afinal, eu estou de folga esse fim de semana. Não que isso me feliz, até porque eu já me acostumei com o Lucca, todos os dias estamos juntos e quando é minha folga eu sinto falta dele. Fechei uma mala pequena só pro fim de semana, tomei banho, me arrumei e já estava saindo da casa. Eu estou meia chateada de como Neymar olhava pra mãe de David, não era um olhar apaixonado, mas como se quisesse ficar com ela de novo. 

Por sorte sai antes dele notar e já estava dentro do ônibus, assim que cheguei na casa da tia Lou estava tudo escuro, fui acendendo as luzes e no meu quarto encontrei um monte de colchões e os trastes dos meus amigos neles. 

— Deita aqui ou cala a boca — Andy falou.

Oh bicha venenosa. 

Me deitei no meio de Ian e Mel e cochilei.


{..}

Acordei quando senti um líquido frio contra minha pele. Ah não acredito! Ryan e Sofi saíram correndo, eles me acordaram com um balde de água gelada. Ian e Mel estavam sem entender do meu lado um pouco molhados também é assim que entenderam o que aconteceu começaram a correr atras deles junto comigo.

Depois de uns bons tapas estávamos jogados nos colchões que agora estavam secos.

— Hoje vai ter uma balada foda aqui perto — falou Ian — só os milionários e famosos.

— Eu não posso ir — fiz bico.

— Querida você ainda é filha de dois milionários — Andy revirou os olhos — e também tem os meses que você trabalhou. 

— Mas eu não vou. 

— Vai sim! — falaram juntos.

— Seu chefe vai estar — Mel falou maliciosa. 

— Eu não me importo — menti.

— Vai dizer que você nunca pegou ele? — Ryan perguntou.

— Lógico que já, quem vê pensa que não perdeu a virgindade aos quatorze — Andy falou e eles caíram na gargalhada.

Mostrei o dedo do meio, idiotas. 

— Eu vou — falei e abri um sorrisinho.

Eu queria ir pra curtir mesmo. 

— Então já começa a se arrumar porque já são seis da tarde — Ian falou.


Mel, Sofi, Andy e eu corremos pra nos arrumar. Sofi e lésbica e já tentou me pegar um monte de vez e Andy é gay, uma turma louca. Tomei banho, escovei os dentes no banho, adoro fazer isso. Lavei o cabelo e sai um tempo depois, expulsei todos do meu quarto. Coloquei uma lingerie combinando, afinal, já estou quatro meses sem fazer nada. Quem sabe hoje eu não tiro o atraso? Procurei entre minhas coisas um vestido bonito e achei um preto maravilhoso, curto, um pouco de decote, o vesti, coloquei os saltos e fui arrumar meu cabelo. O sequei por completo e como ele é longo deu um pouco de trabalho, o bom é que e lisinho então compensa na hora da chapinha, assim que terminei de arruma-lo sorri, eu estava linda. Não passei muita make, só marquei bem meus olhos e passei um batom rosa claro. Ótimo. 

Me olhei no espelho.

Porra.

Eu estou linda! 

Fazia tempo que não me sentia tão bem assim, tirei uma foto e postei no insta, segundos depois milhares de likes e elogios.

Bastante gente me pergunta o por que de eu estar trabalhando sendo que meus pais são ricos, eu não quero falar até porque muita gente os julgariam mal e me julgariam também, então não respondo. Mas estou bem triste com isso, eu sinto saudades e tal é saber que eles não ligam nem pra perguntar se eu estou bem, dói. 

Ian invadiu o quarto e ficou babando na minha pessoa, já peguei ele várias vezes, acho que já sei quem vai tirar meu atraso hoje. Sorri ao pensar na possibilidade.

— Você tá muito gata! — falou se aproximando. 

— Eu sei querido.

Ele riu. 

— Vamos? 

Assenti e saímos do ap, estávamos todos lindos e maravilhosos, tiramos varias fotos e entramos na limusine a caminho da tal festa dos ricos e famosos. 

Assim que coloquei o pé pra fora da limusine os flashs quase me cegaram. Eles faziam perguntas de todos os tipos.

“Você tá se envolvendo com o craque Neymar?”

“David Lucca seria seu filho?”

E um monte de outros absurdos que me fizeram dar risadas, entrei na boate e os olhares voltaram pra mim. Só tinha gente famosa e ricos, caralho. Passei o olho em toda a multidão e parei em um homem de terno abraçados com uma morena do cabelo curto.

Ela mesmo.

Bruna Marquezine.

Ele me olhou com desdenho como se eu não fosse digna de estar ali junto com esse povo rico e sorriu beijando Bruna. Aquilo me magoou, lógico que sim. Mas eu não vou deixar isso me abalar, não mesmo! É claro, eu não vou lá e fazer barraco, até porque eu ainda preciso do emprego até me estabilizar de verdade. Eu vou apenas esquecer a minha paixonite por ele que acabou de acabar, ah qual é? Eu me apaixono fácil mas me desapaixono mais fácil ainda. 

Quem é Neymar perto do Ian? Ou Ryan? 

Quem estava apaixonada por ele mesmo? Eu não era. Gargalhei e peguei uma taça de champanhe. 

Ian entrelaçou nossas mãos e fomos pra pista, hoje eu só quero saber de beijar na boca e muita tequila! Começou a tocar “Sim ou não” da Anitta. Joguei o cabelo e comecei a dançar com Mel, Sofi e Andy. Conseguimos a atenção da boate inteira, afinal Brasileiros sabem ser sensuais quando querem, até demais. 

Vi Neymar me olhando, não dei nem atenção. Bruna me olhava com cara de nojo, ótimo porque é isso que eu sinto por ela. Nojo. Aquela cara de santinha não me engana não! 

Fiz estilo Joelma que era do Calypso quando jogava o cabelo, vi todos gritarem em comemoração e ri. O garçom me entregou uma taça de champanhe e vi um monte de gente se juntar a nós dançando também. 

Como eu amo ser diva! 

Vi vários outros jogadores de futebol ali e pretendo pegar algum deles, só pra provar mesmo. O que eu mais acho gato é o Alexandre Pato, oh cara bonito viu.

Ele me olhava com um sorriso maravilhoso no rosto e ergueu a taça me saudando, fiz o mesmo com a minha e bebemos depois. A música tinha acabado e assim que a melodia de “tudo errado” começou, entrei no clima de novo, Ian parou na minha frente e começamos a dançar juntos. 

Esses olhos azuis dele são um arraso! 

Coloquei minhas mãos na nuca dele e ele me puxou segurando minha cintura, senti vários olhares em nos. Inclusive da minha ex paixonite aguda. Aproximei nossos rostos, ele sorriu e apertou o meu corpo contra o dele e então nos beijamos. 

Tinha até me esquecido como Ian beijava bem. Aproveitei cada segundo daquele beijo, os sorrisos, tudo. Foi realmente um beijo de tirar o fôlego e nos separamos por falta dele também. Ele piscou e saiu indo pegar bebida, ri e sai da pista também. Vi duas pessoas ali com olhares feios sobre mim, mas pergunta se eu ligo? Eu não ligo! To cagando e andando pra eles.

Me sentei em uma das mesinhas próxima ali e fiquei bebendo quando um certo jogador gato veio até mim. Pato. 

— Olá — sorriu.

Sotaque fofo! 


— Oi — falei e sorrimos.

— Você tá bem? — perguntou.

O encarei. 

— Você não quer saber isso — falei e ele riu assentindo.

— Você sabe o que eu quero! — se aproximou.

Olhei para os lados e vi muita gente nos olhando, meus amigos e os amigos do jogador nos olhavam. Até Neymar não tirava os olhos de nós dois. 

— Então faça.

Ele sorriu e começou a tocar “In The Name Of Love”, e então ele me beijou, pude ouvir algumas comemorações dos amigos dele, afinal, eu sou gostosa e isso é quase um troféu pros caras diante dos amigos deles. 

Minhas mãos estavam em sua nuca, as dele na minha cintura. Ele pediu passagem e eu abri um pouco a boca pra isso, e então começamos a realmente nos beijar. Amanhã isso vai estar em todos os jornais, não quero nem pensar nisso, só curti o momento. 

Quando faltou o ar nos separamos e sorrimos, no final de tudo ele pediu meu número, passei e conheci toda a rapaziada. 

Agora estávamos todos juntos numa mesa, todos os jogadores que eu sempre fui fã estavam aqui. Desde Messi e todos os outros. Gabi Gol, Oscar, David Luiz, Pato, Daniel, Bernad, Thiago e vários outros, conversávamos como se fossemos amigos a anos. 

Eu já estava bêbada, perdi todos os meus amigos de vista e com uma vontade incontrolável de vomitar.

— Você está bem Gabe? — Bernad perguntou.

Neguei e apontei pra minha cabeça.

— Eu cuido dela! — Neymar se pronunciou.

Ele estava ao meu lado e Bruna do outro lado. Ela o encarou e ele fez alguns gestos pra ela que assentiu bufando.

Ela não gostou nada.

Ele me pegou e começamos a andar no meio das pessoas, entramos em um dos banheiros e ajoelhei no vaso. Neymar segurou meu cabelo e comecei a vomitar tudo o que eu bebi e comi hoje. Neymar ria e gravava snaps de mim, afinal, mesmo eu não gostando mais dele como antes ainda éramos “amigos”. 

Assim que saímos do banheiro, Bruna se despediu de Neymar e foi embora, pelo que eu entendi ela vai se despedir da mãe essa noite e vai passar as férias com a gente.

Mereço.

— Rapaziada, eu vou levar ela pra casa — Neymar falou e todos começaram a se despedir de nós dois.

— Vai ter um churrasco lá em casa, vê se aparece Gabe! Eu gostei muito de você — Bernad falou e eu assenti. 

Acenei pra todos e saímos da boate abraçados, ou mais ou menos isso já que eu não me aguentava em pé. Entramos num dos carros muito foda de Neymar, ele colocou o cinto em mim, tombei minha cabeça pro lado e acabei cochilando. 

Acordei com Sofi me cobrindo, vi duas pessoas se deitarem ao meu lado e logo depois todos estavam deitados, a luz se apagou, senti um braço na minha cintura e acabei dormindo novamente. 


{..}


— Até o meu dia de folga! — me despedi.

Eles me abraçaram e eu entrei no táxi, agora já tenho dinheiro pra isso. 

{..}

— Titia Gabe! — sorri ao ouvir aquela voz.

— Oi meu amor — o abracei. 

— Oi vaca! — Rafa me abraçou.

— Nossa ainda bem que voltaram, senti falta de vocês — falei abraçando Nadine. 

— Nos também sentimos — falaram sinceros me abraçando.

— Amanhã é o churrasco na casa do Bernard e ele quer muito que você vá — falou Rafa e eu assenti. 

Neymar entrou na sala com a pior cara do mundo, e a raiva dele parecia ser direcionada a uma só pessoa.

Eu.

— Gabriele, você pode ir até o escritório? Eu quero falar com você — falou sério e subiu.

Nos entreolhamos e subi.

Eu estou com uma sensação nada boa. 


Notas Finais


?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...