História Destined To Love You - Capítulo 73


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Exibições 1.037
Palavras 4.269
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Orange, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heey Galera!!
Calminha que eu voltei.
Desculpe-me pelo sumiço... Problemas técnicos, psicológicos, físicos e climáticos! kk'
Mas cá estou eu!!

Adorei a campanha de vocês kkk #Acorda Lauren

Tenham uma boa leitura!

Capítulo 73 - Noticias


Fanfic / Fanfiction Destined To Love You - Capítulo 73 - Noticias

 

CAMILA POV

Na manhã seguinte foi acordada com o celular notificando mensagens. Era Normani perguntando o que havia acontecido para Dinah ter passado a noite trocando mensagens com ela enquanto reclamava de mim. Com certeza deve ser por causa de eu ter saido ontem com Vero. Mal podia esperar para contar o qual era o verdadeiro plano de Vero.

Respondi a mensagem de Normani pedindo para que ela e Dinah me esperasse na entrada da escola hoje, mas não contei o motivo para elas fazerem isso. Acredito que vão ficar feliz.

Já que estava acordada, me levantei  e fiz minha higiene matinal. Após me trocar e me arrumar, desci as escadas e fui tomar café com minha mãe.

- Bom dia Querida! – Minha mãe me deu um beijo na testa e começou a me servir. – O que aconteceu para acordar cedo?

- Nada alem... Só dormi bem essa noite e acabei acordando um pouco mais cedo. – Peguei meu copo de leite com chocolate e minha mãe me serviu waffles.

Alguns minutos depois de ter terminado meu café, o pai da Ally chegou em frente de casa. Eu já havia me acostumado com a ignorada rotineira que Ally vinha me dando desde a conversa que tivemos junto a Lauren. Eu estava louca para contar pra ela que fui ver a Lolo, mas ao mesmo tempo não estava afim de ver sua indiferença com a noticia.

Entrei no carro, dei bom dia como de costume. Jerry hoje parecia mais contente, cantarolava uma musica desconhecida por mim, enquanto o mesmo batucava com as pontas dos dedos no volante.

- Ally... – Disse na tentativa de desviar sua atenção do celular. Provavelmente estava trocando mensagens com o Troy.

- Oi... – Ela respondeu sem desviar o olhar do celular.

Mordi meu lábio inferior, repensando se seria bom contar ou não. Ally pode até estar um pouco distante, mas ela tem um bom coração e eu sei que ela se mostrou preocupada com Lauren, já que peguei ela perguntando algumas vezes para Normani ou Dinah.

- Ontem eu...

- Ontem você? – Questionou-me.

- Ontem eu fui ver a Lauren! – Por fim falei.

Olhei para ela que agora bloqueava a tela do seu celular e o deixava de lado.

- Serio? Como você conseguiu? Ela não estava na UTI?

- Meio que a Vero me ajudou com isso! – Cocei a nuca e ela me olhou confusa. Parece que ela realmente estava se informando sobre a Lauren.

- Invadiram o hospital? – Ela me olhou assustada.

- Não! Digamos que precisei de apenas uma mentirinha pra conseguir. – Ri amarelo e ela me olhou desconfiada, mas não me questionou a respeito, o que me causou um alivio.

- E como ela está? Ela parece melhor? Acha que logo ela vai poder ir pro quarto?

- Ela está na mesma... não responde a nada, apenas respira com ajuda de aparelhos, mas seu coração bate sereno e tranquilo. Ela aprece estar dormindo, mas ao mesmo tempo suas olheiras profundas faz parecer que faz dias que não dorme.

- Ela fica sozinha no quarto?

- Não... Tem o David. Ele é o enfermeiro que fica o tempo todo com ela. Ele é bem legal e me deixou ficar mais do que o tempo estimado com ela.

Ally pareceu interessada pelo assunto. Já que seu celular havia notificado duas vezes ter chegado mensagem e ela simplesmente ignorou, dando total atenção ao assunto. Não posso negar que senti meu coração se aquecer com isso. Estava vendo minha velha amiga Ally ali: A garota atenciosa que se preocupa com todos.

- Espero que ela melhore logo. – Ela abriu um sorriso acolhedor. – Eu orei por ela ontem no culto.

- Obrigada Ally, isso é importante para ela e pra mim tambem. – Sorri de volta e ela segurou minha mão.

- Ela vai ficar bem. Ela é muito teimosa para desistir da vida assim.

- Dinah diz a mesma coisa!- Rimos juntas e quando dei por mim, já estavamos na escola.

- Nossa... já chegamos! – Acho que eu não fui a única a me perder no tempo. – Bom, se tiver alguma noticia dela, não esqueça de me contar. – Assenti com a cabeça e sorri. – Não é porque não nos entendemos naquele dia que eu não vou me preocupar com ela, ainda mais sabendo o quanto ela é importante para você.

- Obrigada Ally. Isso vindo de você, é muito importante pra mim, acredite! – Descemos do carro e subimos na calçada em frente a escola. 

- Bom, nos vemos depois! – Ela sorriu e acenou indo até onde Troy a esperava.

Fiquei olhando ela se aproximar e abraçar seu namorado. Era engraçado ver o quanto ela era pequena ao seu lado, porem os dois eram o casal mais fofo de toda a escola. Se via a distancia o quanto Troy era um namorado babão.

- Hey Mila! – Virei-me rapidamente, me deparando com Mani e Dinah.

- Oi meninas! – Disse sorrindo. Olhei para Dinah que me analisava um pouco seria.

- Aconteceu alguma coisa? - Mani questionou.

- Eu  queria contar algo... algo que acho que é importante... – Dinah me olhou rolando os olhos e Mani franziu o cenho. – Ontem eu vi a Lauren.

- O que? – Normani me perguntou confusa.

- Espero que esse sonho que você teve, não tenha sido algo erótico! – Mani e eu olhamos indignadas para Dinah.

- Não foi um sonho... Eu fui no hospital vê-la!

- Serio? Como conseguiu entrar? – Mani perguntou animada.

- Vero... Ela me ajudou. Ela planejou tudo e eu consegui entrar e fiquei cerca de meia hora com a Lo. – Respondi sorrindo.

- Vero? Como assim? – Agora Dinah se mostrou interessada na conversa.

- Bom, desde que ela me procurou, ela tinha algo planejado. Ela disse que na sexta-feira Lauren havia conversado com ela e meio que ela atendeu seu pedido. Ela levou Sofia e eu para almoçar e depois ela me levou em casa dizendo que era pra eu me trocar porque iria fazer uma visita. Depois de muito questionar, ela disse que tinha um plano pra entrar no hospital. E foi o que aconteceu.

- Vocês invadiram? – Mani perguntou.

- Não! – Ri lembrando que Ally havia me questionado da mesma maneira. – Ela meio que inventou uma mentirinha e eu consegui entrar.

- As visitas eram apenas para os familiares. Nem se você dissesse que era prima dela não poderia entrar. E com certeza depois de ter visto Taylor e Chris, eles não iriam acreditar que vocês fossem irmãos. – Dinah me olhava um tanto confusa.

- Vero disse que eu era Namorada da Lauren. A recepcionista meio que ficou desconfiada, mas Vero falou tão convencida, que ela acreditou e me deixou ver ela.

- Isso não seria total mentira, já que vocês andavam se amassando mais do que o casal Trolly.

- Não viaja CheeChee. – Disse revirando os olhos.

- Tá... Chega disso! Eu quero saber como foi lá dentro. Como ela esta? – Mani disse chamando minha atenção.

- Meu coração se quebrou quando eu a vi. Ela parecia tão fragil. Parecia uma boneca de porcelana... Branca, imóvel e fragil. Ela tinha umas olheiras tão marcadas  e escuras e estava tão fria. Ela tinha tanta coisa ligada ao seu corpo, e seu braço estava cheio de perfurações. David disse que ela passou por varios exames.

- Quem é David? – Dinah questionou?

- O enfermeiro que fica com ela. Ele cuida bem dela e é muito atencioso. Ele me deixou um bom tempo a sós conversando com a Lo.

- Ela não deu nenhuma reação? – Mani perguntou e eu neguei com a cabeça.

- Eu queria tanto, por minino que fosse. Ela agoniante vê-la daquela forma. As vezes me assustava quando parecia que seu peito não se movia decorrente a respiração lenta. Me dava um arrepio só de imaginar aquele aparelho que mede as frenquecias cardiacas falhar alguma batida. Eu só queria uma reação dela, por minima que fosse.

- Todas queriamos, Chancho! – Dinah jogou o braço por cima do meu ombro e me guiou até a entrada da escola.

Assim que entramos na sala de aula, Dinah foi falar com Vero que havia chegado antes de nós.  Vero ria para Dinah e logo se levantou recebendo um abraço da minha amiga. Vero deu um tapa na bunda da Dinah e em resposta levou um na cabeça. Eu ria da interação das duas.

- O que foi fazer lá? – Perguntei  assim que ela retornou, se sentando atrás de mim.

- Pedir desculpas por ter pensando besteiras a respeito dela, mesmo ela nem ter ficado sabendo disso. E aproveitei pra agradecer pelo o que ela fez por você. Ela disse que em primeiro lugar, fez por Lauren!

Sorri com o gesto bonito que minha amiga fez e me virei novamente para frente, quando o professor entrou na sala.

As aulas hoje passaram rapidas e logo chegou o intervalo. Durante esses dias que Lauren esteve distante, foi o primeiro intervalo que o clima não ficou pesado em nossa mesa. Ally interagia comigo, Dinah fazia suas antigas piadas sobre o tamanho dela e sobre como ela e Troy eram melosos. Mani tambem não estava estranha e mantinha-se como antes, corrigindo e repreendendo Dinah, que bufava com isso. Vero passou na nossa mesa antes de terminar o intervalo. Ela contou um pouco sobre “A aventura no hospital” como ela denominou. Ela disse que depois que eu entrei, a recepcionista começou a dar em cima dela e ela caiu fora dali.

Depois do intervalo, as ultimas aulas passaram mais rapidas ainda. Dinah me deu uma carona, já que Jerry hoje não iria buscar-nos e Troy nos levaria.

A tarde passou tranquila. Sofia  eu fizemos uma maratona de filmes de animações, enquanto terminavamos de devorar os doces que Vero havia nos dado no dia anterior.  Minha irmã já tinha comido quase todos os seus antes, então acabei tendo que dividir o meu depois. Quando o dia se foi e meus pais chegaram, jantamos e depois eu fui ouvir musica com meu pai. Sofia logo se juntou e começamos a dançar no meio da sala. Minha mãe se sentou no sofá e ficou vendo a nossa diversão, mas não demorou muito para que meu pai a puxasse para o meio com a gente.

Depois de muitas risadas, danças e pisões no pé um do outro, decidimos dormir. Eu estava cansada, porem feliz. Hoje o dia foi um dos mais calmos  e alegres pra mim.

Eu estava feliz por ver minhas amigas interagindo comigo como antes. Ally de maneira nenhuma me evitou, Dinah estava brincalhona, Vero não passava muito longe, Troy ajudava com as brincadeiras, menos quando era alguma piadinha da Dinah sobre o tamanho da Ally. Mani ria de tudo e as vezes dava broncas na Dinah. Eu tive uma tarde tranquila e uma noite divertida com minha familia. Eu me sentia completa, meu coração estava completo, porem não transbordava como antes.

Lauren me faltava para poder transbordar. Ela me fazia sentir como um copo cheio em meio um oceano.  Ela era uma imensidão que me fazia transbordar e me perder em meio a isso.  Em meio tantas coisas boas que me aconteceram hoje, seria a mais feliz se recebesse alguma noticia sobre qualquer coisa relacionada a ela.

...

A sexta-feira iniciou bom um brilho diferente. Não sei se era porque hoje dava inicio ao primeiro do dia do outono, mas sentia uma brisa leve bater quando abri a janela do meu quarto.

Me arrumei e peguei minha mochila descendo até a cozinha. Assim que cheguei, vi minha mãe e Sofia. Parece que quem acordou antes do horario dessa vez foi a pequena da casa. Ela estava com seu pijama amarelo de patinho, uma pantufa dos Minions igual ao que eu tenho. Se Lauren aquela vez que dormiu aqui em casa disse que eu parecia uma banana, imagina se ela visse a minha irmã?

Minha mãe preparava um suco de Laranja enquanto Sofia balançava as pernas sentada na cadeira, com os ombros sobre a mesa e com as mãos apoiando o queixo. Dei um beijo em cada uma e me sentei perto da Sofia. Minha mãe nos serviu com suco fresco e eu passei as torradas pra Sofia.

Ficamos conversando sobre o que fazer no final de semana. Hoje de manhã Sofia me perguntou da Lauren. Meu coração apertou pelo fato dela não entender a reação situação do que estava acontecendo com a Lolo. Minha mãe me olhou, percebendo meu incomodo. Sofia já havia me perguntado outras vezes, mas eu sempre desviava o assunto ou apenas dizia que ela estava doente e não podiamos visita-la.

Minha mãe tentou explicar da melhor e o menos desesperadora forma para ela.

Logo Ally chegou com o tio Jerry e eu sai comendo uma maçã. Sofia me acompanhou até a porta e acenou para Ally de longe.

O caminho até a escola foi tranquilo. Ally me falava sobre estar feliz por seu irmão que mora no Texa, estar vindo para passar o final de semana em Miami. Eu apenas sorria compartilhando um pouco de sua alegria. Jerry parecia tão contente quanto Ally.

Assim que chegamos na escola, Ally se despediu e foi a encontro de Troy. Entrei na escola e caminhei até o saguão. No caminho encontrei Vero conversando com Shawn e Siope. Eles me cumprimentaram e Vero logo veio atrás de mim.

Fomos conversando até a sala, onde Dinah estava sentada em sua carteira, lixando a unha. Não demorou muito para a sala estar lotada e a professora adentrar.

Nada de extraordinário se passou nesse periodo da manhã. Eu estava com meus amigos, eles pareciam bem animados com o final de semana. No intervalo, Ally contava para sobre a chegada de seu irmão nesse final de semana. Troy estava um tanto receoso com a ideia de conhecer o  cunhado, mas Ally tentava mante-lo tranquilo sobre isso. Ally não era a única a receber visitas esse final de semana. O pai da Dinah tambem viria com seus irmãos. Ally ficou incrédula de saber que Dinah tem seis irmãos mais novos que moram com sua avó e seu pai. Ela tambem explicou que ano que vem, provavelmente sua mãe voltará para Orange County caso ela consiga uma bolsa na faculdade aqui em Miami. De qualquer forma a casa dela será vendida e caso ela consiga a bolsa, vão comprar um apartamento pra Dinah. Pelo visto as unicas que não tinham nenhum plano pro final de semana era eu e Mani.

A aula passou rapida, assim como o dia. Perdi noção total do dia hoje. Só percebi que o tempo havia passado quando vi Sofi correndo em direção a minha mãe, que havia acabado de chegar  do trabalho.

Ela me deu um beijo e se sentou com Sofia no outro sofá.  Aproveitei que elas estavam distraida com a historia que Sofia contava sobre seu dia de aula, e fui tomar banho mais cedo, já que  haviamos combinado ontem a noite, que hoje iriamos fazer algo diferente em familia.

Tomei meu banho tranquilamente, sentindo a agua morna percorrer meu corpo, me fazendo relaxar. Assim que sai, me enrolei na toalha e fui me trocar. Estava escovando meu cabelo quando ouço meu celular tocar. Era oito da noite e não esperava a ligação de ninguem hoje.  Peguei meu celular e vi um numero que não conhecia, me hesitei um pouco para atender, mas mesmo assim eu fiz.

-  Oi, Camila?   – Uma voz masculina soou do outro lado da linha. Tive a impressão que já a ouvi em algum lugar, porem no momento não me recordava onde.

- Sim. Quem fala? – Perguntei de cara para sanar minhas duvidas. Ainda não estava muito segura com esse negocio de numeros desconhecidos ou anonimos.  Lauren ainda no hospital e o desgraçado que fez aquilo com ela estava a solta por qualquer lugar, pronto para continuar praticando o mal.

- Sou eu, o David! Lembra? Do hospital, enfermeiro da sua garota. – Sorri ao ouvir o nome e a voz exalando simpatia.

- Claro que lembro David. Não tem como me esquecer de você. – Ouvi ele dar um riso baixo.

Só então me dei conta dessa ligação. O que será aconteceu alguma coisa com Lauren? Meu coração disparou em meu peito, um frio percorreu meu corpo e uma agonia começou a me dominar.

- Fico feliz por eu não ter sido esquecido. – Novamente ouvi sua risada timida.

- David, aconteceu alguma coisa?  - Minha voz saiu falha e eu engoli seco esperando sua resposta que, por algum motivo demorou um pouco para ser dada.

- Aconteceu...

- É alguma coisa com a Lauren não é?! O que aconteceu com ela, David? – Disse agoniada com o suspense que ele fazia. Me sentei na cama já esperando a bomba que ele iria lançar.

- Bom, como você me pediu para ligar caso algo acontecesse, foi o que eu fiz. Antes de sair do meu turno, peguei seu numero na ficha de termos e então, cá estou eu! 

- David, por favor... Não faça tanto suspense. Estou quase tendo um infarto aqui. Se não quer me ver amanhã em um dos quartos daquele hospital, me fala logo o que houve.

- Não daria esse gosto para você ser atendida por mim. – Ele riu. – Espero que esteja sentada porque a noticia é pesada Camila.

Meu coração se apertou e rapidamente me sentei na cama. Respirei fundo esperando o que viria pela frente.

- David... O que houve?

- Então... fizemos uma alta serie de exames essa semana com Lauren. Procuramos varios motivos para ela não estar reagindo e verificando se terá indícios de problemas, ou futuros problemas. Os exames mais complexos acabaram e os resultados estão saindo aos poucos. Graças a isso, ela hoje a noite... foi transferida para o quarto e logo estará recebendo visitas!

- Não acredito! – Disse subindo na cama e  pulando. – Ela foi para o quarto? Saiu da UTI? Então ela não corre mais riscos? – Eu sorria tanto com a noticia que sentia meu rosto querendo rasgar.

- Ela ainda corre alguns risco sim. Mas como ela mantem estável até agora, não teria motivos para segurar ela na UTI. Ela ainda corre o risco de ter uma parada cardiaca ou respiratória. Ela tambem pode ter uma morte cerebral ou mesmo uma infecção hospitalar. Ah não podemos esquecer que ela pode tambem desenvolver uma...

- Okay David... você sabe muito bem como estragar uma noticia boa. Já entendi que ela corre varios risco, mas tambem pode melhorar e eu sei que ela vai. – Sorri colocando a mão em meu coração. – Que horas ela foi transferida?

- Agora no final do meu expediente. Eu até a acompanhei e disse pra ela que iria ligar para você. Acho que os pais dela ainda não sabe. Rachel disse que iria ligar amanhã, proximo ao primeiro horario de visitas.

- Essa foi a melhor noticia da semana. Eu nem sei como te agradecer! – Sorri sentindo meu peito aquecer.

- Bom, então você irá visita-la? – Ele perguntou.

- Claro! Mal vejo a hora e... Ah, preciso avisar todo mundo.

- Não querendo cortar sua alegria, mas acho melhor não avisar todo mundo ainda. Rachel vai dar a mesma instrução para os pais dela. No caso será avisado apenas para irem os familiares e pessoas mais proximas.

- Oh, David! Eu nem sei como agradecer por essa noticia. Será que amanhã eu posso ir vê-la?

- Claro! Mas se serve de conselho, vá no periodo da tarde! Provavelmente todo mundo vai querer ir no periodo da manhã para vê-la. Ai a tarde você pode ter mais tempo para ficar com ela, já que o maximo de visitantes no quarto são dois. Ai o revesamento tem tempo maior para ficar com sua garota!

- David, você é incrivel. Eu nem tenho palavras pra dizer o quanto estou grata por isso!

- Depois eu mando a conta para você pagar os agradecimentos. – Ri da cara de pau do enfermeiro e ele me acompanhou. – Bom, meu trabalho por hoje esta feito. Preciso ir, tenho uma balada pra ir, afinal hoje é sexta-feira! – Ouvi ele dar um gritinho de comemoração. – Até mais senhorita, tenha uma boa noite!

- Obrigada David. Com essa noticia minha noite será muito boa! Tenha uma boa noite tambem... Nos vemos amanhã no hospital!

Logo o telefone desligou. Não contive minha alegria e tive que sair contando pros meus pais. Desci as escadas correndo e vi que meu pai havia chegado e tomado banho já. Ele estava sentado no sofá e Sofia estava com a cabeça em seu colo. Minha mãe estava no outro com as pernas esticadas.

Desci a escada correndo e logo a atenção dos três estavam direcionado a mim. Eu tinha um sorriso enorme no rosto e pelo jeito eles notaram mais rapido do que eu imaginava.

- Espero que esse sorriso não seja motivo para eu querer comprar uma espingarda. – Meu disse levando um olhar repreendedor de minha mãe. – O que? Eu ainda sou muito novo pra ser chamado de sogro!

Ri da cara da minha mãe e ri mais ainda do que meu pai disse. Sofia estava mais distraida com a TV do que com o que estava acontecendo.

- Não é nada disso! – Disse indo até onde eles estava e olhei para meu pai, suspirando antes de falar. – A Laur foi transferida para o quarto e amanhã eu posso ir visita-la!

- Meu pai abriu um grande sorriso e se levantou me abraçando. Ele me segurou e me rodou, fazendo Sofia rir com a cena.

- Isso sim é uma boa noticia! Então ela já não corre risco. – Sorriu sentando-se no sofá.

- Na verdade ainda tem riscos, mas como ela está estável, ela pode ficar no quarto!

- Como você sabe disso?  - Minha mãe perguntou.

- O enfermeiro que cuida dela me ligou e disse! – Só então me dei conta da mancada que dei.

- Como assim? Como você sabe quem é o enfermeiro dela? – Meu pai me lançou um olhar curioso e eu engoli seco. Droga! Acho que fiz merda agora.

- Eu... Eu conheci ele por... Ah, Quando fui com Dinah no hospital no dia que ela encontrou a Lo. - Menti.

- Bom, acho que isso merece uma comemoração... Que tal pizza no jantar? – Meu pai disse fazendo Sofia sair gritando pela sala pedindo pizza de calabresa.Minha mãe deu graças a Deus por não precisar fazer janta hoje.

Resolvemos então, fazer a noite do filme e pizza. Enquanto minha mãe foi tomar banho, eu fui até o quarto. Precisava compartilhar minha alegria com alguem e sabia exatamente para quem ligar naquele horario.

- Oi, Mani? - Disse assim que alguem atendeu.

- Oi Mila, aconteceu alguma coisa? – Ela disse um pouco sonolenta.

- Sim... uma coisa muito boa!

- Serio? O que foi?

- Lauren foi transferida pro quarto e pode começar a receber visitas a partir de amanhã! – Assim que terminei de falar, ouvi um grito do outro lado da linha.  Provavelmente era Mani comemorando a noticia. Parece estranho comemorarmos, mesmo sabendo que ela ainda encontra-se em coma e sem previsão de acordar, mas já é um começo, não é?!

- Não acredito Mila! Isso é otimo. Então quer dizer que ela esta melhorando. – Mani parecia tão animada quanto eu conversando com David. – Como você ficou sabendo? O Mike te disse?

- Não... Acredito que ele ainda nem está sabendo. Quem me disse foi o enfermeiro dela. Ele me ligou e disse que vão ligar só amanhã para os pais dela.

- O Mike vai ficar tão feliz. Será que amanhã eu posso ir vê-la? – Mani perguntou e eu lembrei do que David me disse.

- David me disse que como amanhã é o primeiro dia, é mais provavel liberarem as visitas para os familiares e pessoas mais proximas. Acho que nos encaixamos nos “mais proximas”, não acha?

- Falou a namoradinha oficial do hospital. Lembre-se que pra eles você esta em um relacionamento com a Lauren, então eles não vão barrar sua entrada. Agora eu...

- Mani, David disse para eu ir no periodo da tarde, já que provavelmente todo mundo vai no periodo da amanhã. Será que você podia me acompanhar? Talvez consiga entrar com você, assim você pode vê-la tambem!

- Claro que sim, Mila! Que horas é o horario de visitas a tarde mesmo?

- As três.

- Duas e meia eu chego ai amanhã então! Será que Vero e Dinah já sabem disso?

- Acho que ainda não. David pediu para não avisar por enquanto para não causar aglomerações na entrada do hospital. Mas não pude deixar de ligar para você, eu tinha que compartilhar isso com alguem.

- Avisamos então depois que voltarmos. Assim teremos duas noticias: A que ela pode receber visita e como esta seu estado.

- Obrigada Mani. Te espero amanhã! Até mais.

- Até!

Assim que desliguei o telefone, desci a encontro da minha familia na sala. A discussão no momento era: Qual filme vamos ver primeiro?

Eu nem quis opinar, já que estava ciente que não conseguiria nem dar muita atenção para o  filme, pois minha mente no momento só pensa na hora que iria rever a garota que estava dominando minha mente durantes os ultimos dias.

Não demorou muito para que a pizza chegasse. Passamos a noite comendo pizza, depois pipoca e assistimos uns 3 filmes antes de decidirmos dormir. Sofia já havia desmaiado no segundo filme.

Logo fui para meu quarto me preparar para dormir. Deitei na minha cama e suspirei ao lembrar que amanhã iria ver a Lauren. Mal posso esperar para chegar a tarde de amanhã para poder ver meu anjinho novamente.

 


Notas Finais


Quem vai visitar a namoradinha???


Até mais galerinha!! \o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...