História Destined To Love You - Capítulo 74


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Exibições 976
Palavras 2.868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Orange, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii galerinha!!
Cheguei...
Será que agora teremos alguma reação da Lauren?

Tenham uma boa leitura.

Capítulo 74 - Primeira visita ao quarto


Fanfic / Fanfiction Destined To Love You - Capítulo 74 - Primeira visita ao quarto

 

CAMILA POV

 

Por ter pego no sono um pouco tarde, acabei acordando quase na hora do almoço, o que na verdade agradeci, pois pelo menos assim eu sofro menos com a ansiedade.

Tomei um banho demorado, e me troquei. Quando cheguei na cozinha, me deparei com meus pais e Sofi, todos preparando o almoço. Meu pai descascava as batatas para o purê e Sofia ria enquanto espremia algumas laranjas para o suco.

- Olha a bela adormecida ai... – Meu pai disse com um grande sorriso.

- Achei que tinha decido hibernar esse final de semana. -  Agora minha mãe entrou na brincadeira.

- Eu ia te acordar, mas a Mama não deixou!

- Acho que estava cansada e dormi demais.  – Respondi entre um bocejo.

- Então vamos aproveitar e ajudar no almoço! – Meu pai me disse jogando uma batata pra mim.

A preparação do almoço foi um tanto divertida. Eu ouvia meu pai contar sobre suas experiencias na cozinha e minha mãe logo o cortava contando sobre os estragos que ele fazia.

A conversa seguia animada na cozinha, tanto que o tempo passou e logo vi minha mãe servindo o almoço que era arroz, frango assado e purê de batata.  Durante o almoço, contei para meus pais que eu iria visitar a Lauren no hospital junto com a Mani. Minha mãe achou cedo demais e disse que era melhor deixar a familia visitar primeiro e ir outro dia. Meu pai não se mostrou contra e Sofia insistia em querer ir junto, mas minha mãe logo a repreendeu dizendo que hospital só serve para crianças apenas quando elas estão doentes.

Logo após o almoço, fui para o meu quarto me trocar, já que em poucos minutos Mani chegaria.

Procurei uma roupa apresentável para ir ao hospital. Passei meu perfume e arrumei meu cabelo. Passei uma maquiagem leve e dei a ultima olhada no espelho.  Depois de pronta, desci as escadas, me deparando com meus pais na sala.

- Onde você vai arrumada assim? – Minha questionou me olhando de baixo em cima.

- No hospital?

- E que tipo de festa estão dando nesse hospital? Desde quando as pessoas se maquiam pra ir a um hospital? – Agora meu pai que resolveu pegar no meu pé.

- Parem... Não tem nada de surpreendente em mim.  – Disse cruzando os braços. `Por sorte, ouvi a buzina do carro da Mani e eu dei graças a Deus por não precisar manter aquela conversa com meus pais.

Me despedi deles e sai em direção ao carro branco que estava em frente a minha casa. Cumprimentei Mani, que estava com um grande sorriso e logo saimos rumo as ruas de Miami.

- Mani, será que tem como passar na floricultura antes de irmos? – Perguntei ao lembrar da pequena lojinha de flores que tinha no caminho.

- Flores? Pra que?

- Pra Lolo.

- Flores pra que? Ela não morreu! – Olhei incrédula pra minha amiga que estava com a testa franzida.

- Mani! – A chamei repreendendo. – Você esta convivendo muito tempo com a Dinah. Até as piadas de humor negro dela você já esta fazendo!

Normani olhou pra mim e deu os ombros, sem nada dizer. Assim que paramos em frente a lojinha de flores, pedi um pequeno Buquê simples, porem colorido. Não demorou muito para que logo estivessemos estacionando em frente ao hospital. Tinha varios carros ali e eu torcia para que não tivesse muitas pessoas para ver a Lolo hoje.

Descemos e eu ajeitei o pequeno embrulho em meus braços.  Mani foi na frente e eu a segui.

- Temos que passar pela recepcionista primeiro e ver como está o movimento no quarto dela. – Disse assim que entramos na recepção do  hospital. Mani assentiu e eu fui até a tal Rachel.

Avisei a recepcionista que estava para visitar Lauren. Ela me olhou curiosa e perguntou meu nome e eu respondi. Ela logo olhou no sistema e me reconheceu como “A Namorada” da paciente e chamou um dos enfermeiros que estavam para dar orientações aos visitantes. O homem que aparentava ter uns 30 anos, logo saiu pelos corredores a dentro. Enquanto isso, avisei que estava acompanhada por uma  amiga da Lauren e ela apenas balançou a cabeça.

O enfermeiro chegou e apenas fez um sinal com a cabeça para a recepcionista. Ela pediu para que seguissemos ele e foi o que eu e Mani fizemos.

Assim que paramos na frente do quarto 103, ele deu duas pequenas batidas e abriu a porta. Logo apareceu David na porta com sua inseparável prancheta.

- Oi David! – Disse sorrindo. Ele sorriu de volta pra mim e encarou Normani por alguns segundos e logo fez sinal positivo para o enfermeiro que nos acompanhava.

- Oi Camila! – Respondeu por fim. – Estão acompanhadas? – Ele perguntou para mim e Normani e apenas assentimos. – Podem entrar.

Ele deu espaço para a gente. Assim que meus ouvidos ouviram o barulho de sua frequencia cardiaca, meus olhos se colocaram em busca da pequena cama branca proximo a janela, onde Lauren parecia brilhar com a claridade que invadia os vidros.  Olhei para David que levantou a mão em direção a Lauren para que eu me aproximasse. Sem pensar duas vezes, fui em passos apressados até sua cama. Deixei o pequeno buquê em cima de uma mesinha que tinha ao lado e prendi meu olhar sobre a garota a minha frente.

Ela estava serena como sempre. Suas olheiras ainda permaneciam escurecida, porem não aparentava tanta palidez como antes. Admirei sua face cansada por alguns segundos e então me lembrei de Normani. Olhei para trás em busca de minha amiga, e ela permanecia parada na entrada com os olhos arregalados e uma pequena palidez nitida em seu rosto. Ela parecia estar um pouco em choque, talvez por não estar totalmente preparada com a imagem da amiga numa cama daquela forma.

Sorri para ela para mostrar que estava tudo bem e a chamei com a mão. Assim que ela adentrou melhor ao quarto, David fechou a porta atrás dela. Ela olhou para trás e David tambem deu um sorriso de conforto.

- Está tudo bem senhorita? – David perguntou ao ver Mani suspirar. Ela apenas assentiu e se aproximou de onde eu estava com Lauren. – Estou vendo que trouxe flores para dar cor e vida a esse quarto... Vou coloca-las num vasinho com agua depois.

Segurei a mão da Lauren entre a minha enquanto Mani se aproximava mais. Hoje ela não estava tão fria e eu conseguia sentir o calor de seu corpo em minha mão. Mani a analisava, correndo os olhos em seu todo. Eu sorri para minha amiga e pedi que ela estendesse a mão. Assim que ela fez isso, coloquei a mão da Lauren entre a sua e Mani a segurou firmemente, sentindo a presença da Lolo naquele local e isso parece que deixou ela mais tranquila. Ri quando ela sorriu enquanto acariciava a mão fina e pálida da Lauren.

Aproveitei a distração do momento entre as duas e a David que estava analisando alguns frascos de remedio na mesinha proxima a janela, de costas pra mim, e me aproximei do ouvindo de Lauren.

- Oi Lolo... Sou eu, a Camz! – Sorri ao pronunciar o apelido único dado a mim por ela.

Depositei um beijo demorado em sua têmpora. Assim que meus labios foram se afastando, ouvi o apito de sua frequencia cardiaca aumentar, me tirando a atenção dela e olhando assustada para o aparelho ao lado. David tambem se virou rapidamente analisando sua frequencia e logo se virou pra mim com uma sobrancelha arqueada. Ele viu minha proximidade dela, já que não me levantei e mantive paralisada ao lado de sua cabeça.

- Parece que alguem se animou com sua presença. – David disse rindo pra mim enquanto ia até outra mesinha pegar um aparelho de medir pressão. Eu olhei ele sem entender e Mani riu.

- Como assim? – Perguntei mais confusa ainda. Fiquei analisando enquanto David media a pressão dela.

- Bom,  isso aconteceu ontem no fim da tarde tambem. Não se preocupe, ela não se alterou em nada. Apenas está reagindo a alguns sentidos, o que é bom. 

- O que na verdade aconteceu? – Mani perguntou.

- Ontem quando ela chegou no quarto e eu terminei de ajeita-la junto com a enfermeira que acompanha ela a noite, disse que iria ligar para Camila e avisa-la para poder visita-la. A frenquencia cardiaca dela aumentou no mesmo segundo. A enfermeira mediu a pressão dela e estava no limites normais. Agora novamente ela  reagiu a algum estimulo que você deu a ela.

- Então ela esta nos ouvindo? – Mani perguntou novamente.

- Acredito que perfeitamente. Isso é sinal positivo. O cerebro dela esta reagindo aos poucos e ela tem grandes chances de acordar.

- Isso é bom... muito bom! – Disse sorrindo e Mani fez o mesmo.

- Bom, sei que você vai cuidar bem da sua namorada, então vou aproveitar que está aqui para levar as fichas até a sala do médico.  – Corei com o comentario sobre “sua namorada” que David  dizia e Mani segurou a risada, até que ele finalmente saiu.

- Vai cuidar bem da sua namorada, uh?! – Mani começou a rir e eu revirei os olhos.

- Não começa Mani...

- Tá bom! – Mani colocou a mão da Lauren novamente sobre a cama.

Olhei para Lauren e sorri ao ver como suas sobrancelhas estavam mais grossas graças a alguns fios que nascerem por causa dos dias que ela esta no hospital sem faze-las. Corri meu dedo sobre os pelos bagunçado, alinhando como da primeira vez que a vi daquela forma no hospital.

- Hey Lolo... A Mani tambem está aqui para ver você! – Falei enquanto fazia carinho em sua testa com as pontas dos dedos. – Eu não avisei ninguem ainda, mas acredito que logo todo mundo vai vir te ver essa semana. Já passou da hora de você despertar e abrir seus lindos olhos verdes, estou com saudades de encara-los. – Sorri mordendo os lábio inferior.

- Você está lidando com isso melhor do que eu imaginava. – Ouvi a voz da Mani ao meu lado e a olhei sem entender. – Você consegue fazer com que pareça tão simples, ao inves de apresentar a gravidade do estado dela.

- Ela vai ficar bem Mani. Se não for por ela, será por mim! Já conversei isso com ela e eu sei que ela não vai me deixar na mão. Ela logo vai voltar pra gente e vai te atormentar por todos esses dias que ficou longe!

- Assim todos esperamos. Essa branquela chata tem que voltar a colocar o terror naquela mesa. E precisamos logo de alguem pra rir de suas piadas sem graça. Ela deve gostar muito de você pra achar graça! - Revirei os olhos e Mani riu. -  Vou deixar vocês um pouco sozinha... preciso beber agua! – Mani disse indo em direção a porta. – Nada de se agarrarem enquanto eu não estiver aqui.

Revirei os olhos para o comentario da Mani. Logo ela saiu e pude aproveitar o momento a sós com ela. Vi uma cadeira ao lado e puxei para me sentar proximo a Lauren.

- Oi minha linda! Senti sua falta, sabia? – Olhei para sua frenquencia e parecia um pouco mais acelerada. – Acho que está feliz em saber disso, não é?! – Sorri tentando imaginar como ela me encheria o saco se eu dissesse isso pra ela quando estivesse acordada. – Espero que tenha sentido minha falta tambem, pois não tem uma hora sequer que eu me esqueço de você. Mani parece um pouco em choque com seu estado. Mais tarde vou avisar a Vero e a Dinah para poderem vir ver você. Ah, vou avisar a Ally tambem. Apesar de tudo, ela está se mostrando preocupada com você. Ela disse que orou por você no culto dessa semana. – Dei um tempo para ela processar tudo e voltei novamente a falar. – Sofia anda me perguntando muito de você. Acho que ela tambem está sentido sua falta. Lauren, você tem que ficar boa logo. Eu não aguento mais esse silencio, eu quero ouvir sua voz, mesmo que seja com você me irritando com alguma coisa. – Bufei frustrada por esperar qualquer reposta e nada. Passei minhas mãos pelos meu cabelos, e logo voltei a atenção a ela. – Você não pode me deixar assim Jauregui. Eu não consigo pensar, nem dormir e as vezes até comer parece dificil quando lembro que você está aqui ao inves de estar em qualquer outro lugar.

Peguei sua mão e trouxe até meu colo. Olhei suas unhas que estavam um pouco maior do que o tamanho que ela mantinha. Brinquei  com seus dedos antes de levar sua mão até meus labios, deixando um beijo que acabou ficando marcado pelo meu batom.  Olhei rapidamente para trás e vi que ainda estava sozinha. Me aproximei mais perto da Lauren e rocei meu nariz em sua bochecha.  Desci a ponta do nariz pela sua face, até alcançar seu pescoço, onde continuei com um carinho e deixei um beijo. Ela tinha muita cocega naquela area e se ela estivesse respondendo aos comandos do corpo, com certeza iria me empurrar pra longe e se retorcer toda. 

- Você ainda está tão cheirosa. – Aproveitei que estava proxima a curva do seu pescoço para sentir o cheiro de sua pele e Cabelo. – Estão cuidando bem de você por aqui. - Sorri voltando a atenção ao seu rosto. – Será que seu te beijar igual na historia da bela adormecida você acordaria? – Mordi meu labio inferior e novamente verifiquei se tinha alguem ali. – Isso será nosso segredo, Jauregui!

Me aproximei e abaixei sua mascara de oxigenio rapidamente. Umideci meus labios e dei uma olhada nos labios da garota a minha frente. Em menos de três segundos selei nossos labios. Fechei meus olhos senti um arrepio correr por minha espinha com aquele toque. Já estava com saudades daquela sensação que só Lauren me causava.

- Vai acabar ajudando para que ela tenha um infarto assim! – Abri os olhos e me afastei rapidamente, colocando a mascara nela novamente e olhando assustada para David e Normani que riam na entrada da porta. Senti meu rosto queimar e pela cara debochada da Mani, com certeza eu estava vermelha como uma pimenta.

- Não precisa ficar vermelha assim, Mila. Até parece que nunca pegamos vocês  se beijando. Sem contar aquele dia lá em casa que a Dinah pegou vocês duas na minha sala de madrugada já se...

- Mani! – A repreendi cortando sua fala. – Será que dá para não entrar em detalhes? – Mani olhou pra mim e riu.

- Bom, acho que não vou precisar mais medir a pressão, já que o coraçãozinho de alguem está acalmando. – David ria enquanto eu corria os dedos pelo braço da Lolo. – Eu não gosto de ser o mensageiro da má noticia, mas o horario está esgotando. Vocês tem cinco minutos antes que finalize o horario de visitas.

- Ninguem veio alem da gente pra visitar ela? – Mani questionou David que riu.

- Agora a tarde não, mas no periodo da manhã esse quarto parecia loja em dia de black Friday. Eu não sei como liberaram tanta gente de uma vez só. Quase fui esmagado aqui. – Mani e eu rimos com comentario de David. – Bom, acho melhor se despedirem antes que alguem venha chamar nossa atenção por vocês ainda estarem aqui.

Normani foi despedir primeiro. Ela disse alguma coisa no ouvido da Lolo e depois deixou um beijo no topo da cabeça. Me proximei novamente, e segurei sua mão depositando um beijo em sua palma. Deslizei meus dedos por toda a extremidade de seu braço, passei pelo seu ombro, contornei sua cravicula e subi pelo pescoço. Passei a ponta do dedo lentamente pela mandibula e segurei seu rosto delicadamente. Me aproximei de sua bochecha e deixei um longo beijo ali.

- Fica bem Lolo... Prometo voltar em breve! Espero que você me surpreenda quando eu voltar. – Deixei um beijo em sua testa e me aproximei de seu ouvido. – Eu amo você, bobinha! – Sussurrei e sorri, logo me levantando e encarando David e Mani.

- Acho que agora podemos ir, certo Mila? – Mani me perguntou e eu assenti.

- Cuida dela por mim, David!

- Estou aqui pra isso Camila!

- Não esqueça de me ligar, seja por qualquer coisa, por mais insignificante que pareça ser.

- Espero que na proxima ligação eu traga boas noticias novamente! – David sorriu e apertou minha mão se despedindo.

- Vai ser sim... Vai me fazer chorar de alegria, eu tenho certeza disso! – Chacoalhei sua mão e soltei, para que ele repetisse o gesto com Mani.

Assim que saimos do hospital, Mani me deixou em casa. Pedi para que ela avisasse o pessoal, já que ela tinha o contato de todos os amigos da Laur. Assim que cheguei em casa, meu pai esperava ansioso por alguma resposta positiva. Contei sobre Lauren alterar os batimentos cardiacos quando falei com ela e meu pai disse que é um bom sinal. Minha mãe tambem perguntou sobre Lauren e Sofi me questionou quando ela viria em casa novamente.

Após o fim do dia, jantar com minha familia e ajudar minha mãe a escolher uma foto nova pro seu perfil do twitter, fui dormir lembrando da saudade que estava daquela branquela.

 


Notas Finais


Lauren parece não estar mais tão mal, será que ainda terá alguma sequela?

Até mais!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...