História Destino ou uma mera Coincidência - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Romeu e Julieta
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Romance, Traição
Exibições 16
Palavras 2.019
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Incesto, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ele me ama?

Capítulo 8 - Será que pode piorar?


Fanfic / Fanfiction Destino ou uma mera Coincidência - Capítulo 8 - Será que pode piorar?

Mãe: acorda Camiliana

Camiliana: o que foi mãe?,hoje é sábado

Mãe: eu sei meu amor,mas a Diana disse para eu vir te chamar

Camiliana: diz-lhe que eu estou a dormir

Mãe: ela disse que você tinha dito que à ajudava a estudar ciências 

Camiliana: que horas são?

Mãe: são 14:00 horas

Camiliana: mãe,não acredito que me deixaste dormir esse tempo todo,a Kilsia e o Tomas?

Mãe: O Tomas foi ver a casa que a tia vai comprar para ele e a Kilsia esta a arrumar a casa,eu tenho de voltar para o serviço,vai tomar banho e come alguma coisa para ires ajudar a menina Diana estudar

Levantei-me,tomei um banho bem prolongado e fui para a cozinha comer alguma coisa.

Cozinha:

Kilsia: a bela adormecida acordou

Camiliana: e a Cinderela só começou a arrumar a casa a estas horas?

Kilsia: es mesmo parva

Camiliana: você já disse isso

Kilsia: como foi a festa dos Cardoso?

Camiliana: foi chata,estava cheia de gente rica e....

Kilsia: eu queria ter ido,a Cristina ia me emprestar um vestido lindo...

Camiliana: Cristina?

Kilsia. sim,a Cristina Bel Monte que estuda contigo,ontem eu fui levar uns documentos ao pai e ela estava sentada no banco de jardim a falar com o motorista que era um incompetente,depois ela deixou cair o lenço e eu fui lá apanhar,ela disse que eu era fiel como um cão e me chamou de amiga

Camiliana: A Cristina não presta...

Kilsia: eu não te perguntei nada,agora despacha-te que eu tenho de arrumar a cozinha

Sai de casa e fui para casa dos Cardoso.

Casa dos Cardoso:

Camiliana: Boa tarde,eu vi ter com a Diana

Empregada: podes subir,ela esta a tua espera

Camiliana: obrigado

Quarto da Diana:

Camiliana: Oi,posso entrar?

Diana: sim entra

Quando entrei deparei-me com a Diana e o Diogo a minha espera.

Diogo: estas bem?

Camiliana: sim,eu estou óptima

Ficamos sem dizer nada durante uns segundos,até que a Diana decidiu quebrar aquele silencio constrangedor

Diana: muito bem,eu vou a cozinha buscar alguma coisa para nos comermos 

Ela foi a cozinha e eu sentei-me numa cadeira e comecei a tirar os livros da mala,o Diogo ficou a olhar para mim de uma forma estranha que me deixou desconfortável.

Camiliana: o que foi? porque estas a olhar para mim dessa forma?

Diogo: eu amo-te Camiliana 

Fiquei sem saber o que dizer,para mim a palavra "amo-te" era tão normal,eu naquele momento não senti nada,eu acho que na realidade eu nem levei a sério o que ele tinha acabado de dizer.O meu pai,quando eu era mais nova disse-me que me amava e logo depois pegou no cinto e espanco-me,desde esse dia eu nunca mais acreditei na palavra "amo-te",essa palavra para mim não significava nada. 

Camiliana: a tua irmã esta a demorar muito 

Diogo: estas a falar a serio?! Eu disse que te amava! e você nem sequer reagiu

Camiliana: a palavra amo-te para mim não tem significado nenhum,para mim é algou que as pessoas dizem da boca prá fora

Diogo: porque não dizes logo que não me amas?porque que não me olhas nos olhos e dizes que na festa você quase beijou o Eduardo,porque continuas a iludir o meu coração?

Camiliana: eu nunca te dei esperança,eu........

Ele beijo-me de repente e eu o empurrei.

Camiliana: para Diogo! o que se passa contigo?

Diogo: Desculpa,eu.....

Camiliana: você esta diferente,o que se passou?,eu conheço-te

Diogo: eu não gosto de mentir,mas também não sou capaz de dizer-te a verdade

Camiliana: conta-me o que aconteceu,estas a deixar-me nervosa......Fala!

Diogo: quando eu vi você e o Eduardo quase a beijarem,eu....eu fui lá para fora....e a Cristina estava lá e nos beijamos-nos

Camiliana: você beijou a Cristina (eu fiquei em choque)

Diogo: Diz alguma coisa,por favor....eu preciso que você me perdoe...eu amo-te

Camiliana: não voltes a dizer que me amas (Acho que naquele momento eu tinha me apercebido que eu gostava de verdade do Diogo,mas o meu coração tentava renegar aquele amor )

Diogo: Quantas vezes eu disse que te amo?quantas vezes você me disse que me amava? nenhuma!,você nunca disse que amava......

Camiliana: (baixinho)eu amo-te

Diogo: o que foi que você disse?......eu estou farto dessa situação.....

Camiliana: EU AMO-TE (eu o amo?)

Diogo: você me ama?

Camiliana: estas surdo? eu amo-te 

 Ele agarro-me no braço,olho-me nos olhos e beijo-me.

Diogo: desculpa,desculpa por eu ter beijado a Cristina,desculpa por eu ser um idiota,desculpa.....

Beijei-lhe de repente.

Camiliana: vamos estudar,eu tenho de ir embora daqui a pouco

Diogo: pensei que não acreditavas na palavra amo-te,você disse que era uma palavra sem significado,algo que as pessoas dizem da boca prá fora,o que você realmente sente por mim?

Camiliana: tens razão,eu não acredito na palavra amo-te,mas ela existe no dicionário,e eu não sei como descrever o que sinto por ti,mas sei que é amor,um amor puro e lindo,foi por isso que eu disse que te amava

Ele tocou no meu rosto e olho para os meus olhos e disse.

Diogo: Amo-te não passa de uma palavra,nos somos rebeldes,vamos criar uma palavra nova que signifique amo-te

Camiliana: você quer criar uma palavra nova que signifique amo-te?,você é maluco

Diogo: sou maluco por você

Camiliana: mas se você voltar a beijar a Cristina,eu mato-te 

Diogo: ahahahaha,e se você voltar a olhar para o Eduardo daquela maneira,eu mato-me

Camiliana: (Respirei fundo e comecei a mexer no livro que estava a minha frente)

Diogo: o que foi? não achaste piada?

Camiliana: não,porque que me dizes essas coisas?

Diogo: eu sou digo a verdade,eu vi a maneira que você olhava para o Eduardo,porque que achas que eu beijei aquela cobra da Cristina?!

Camiliana: estava tudo tão bom,mas você tinha de estragar tudo,eu disse que te amo

Diogo: Você disse que essa palavra não significava nada!

Camiliana: E você disse que nos íamos criar uma palavra nova palavra que se significa-se amo-te!!! (O que se passa com ele?o que se passa comigo?estava tudo tão bom entre nos,eu quero chorar mas não o vou fazer,eu sou forte!)

Diogo: Olha nos meu olhos e responde

(Olhei nos olhos dele)

Diogo: você sente alguma coisa pelo Eduardo?

Camiliana: eu......

Diogo: Responde!!!!! sentes alguma coisa pelo Eduardo?

Camiliana: Eduardo?

Diogo: sim,o Eduardo,sentes alguma coisa por ele?

Camiliana: não,o Eduardo esta na porta

O Eduardo estava na porta e estava a olhar para mim a espera da minha resposta,o que se passava?será que as coisas podiam piorar?

Diogo: o que fazes aqui Eduardo?

Eduardo: o teu pai me convidou para vir aqui jantar,ele também ia convidar a Camiliana mas ela já tinha ido embora para casa.....quando eu cheguei a empregada disse-me que a Diana estava a fazer um bolo e para eu subir as escadas e virar a direita

Camiliana: eu tenho de ir embora (quase em lágrimas)

Eduardo: fica,por favor

Camiliana: eu não posso.....eu vi estudar e acabei no meio de uma discussão,e a Diana decidiu fazer um bolo e.......

Diogo: vai embora Camiliana!

Eduardo: não a trates assim!

Camiliana: eu não preciso que ninguém me defenda,...Diogo tu queres mesmo que eu me vá embora?

Diogo: quero,eu estou farto da tua indecisão,as vezes sinto que queres ficar comigo,sinto que gostas dos meu beijos e de mim,outras vezes apanho-te a olhar para ele da mesma maneira que tu olhas para mim ou olhaste um dia,eu já nem sei.....

Camiliana: (em lágrimas) Olha bem para mim,eu vou sair pela aquela porta e você nunca mais vai olhar para mim,você nunca mais vai falar comigo,você nunca mais vai voltar a dizer que me ama,você nunca mais vai me beijar,você nunca mais vai me fazer chorar de novo.......

Diana: o que se passa?eu ouvi gritos,porque que a Camiliana esta a chorar?

Camiliana: eu vou para casa e a próxima vez que quiseres estudar comigo,não chames o teu irmão

Diogo: não esperes que eu te peça desculpas,porque foi você que me magoou 

Saí a correr,quando cheguei a casa fui logo para o meu quarto e comecei a chorar sem saber o porque,inventei que estava doente para que ninguém me pudesse incomodar,mas o meu pai não quis saber,entrou no meu quarto a força.

Camiliana: podes sair por favor,eu não me sinto bem

Pai: eu não te perguntei nada,tens 5 minutos para desceres ou eu te dou motivos para ficares doente

Eu desci e estavam todos na mesa a minha espera.

Pai: podem comer

Mãe: o que se passa contigo Camiliana?

Camiliana: nada

Mãe: queres que eu te sirva? 

Camiliana: não,eu não tenho fome

Kilsia: estas mesmo doente,hoje a mãe fez aquela massa Italiana que você adora

Pai: cala-te Kilsia

Tomas: esta tudo muito bom,devias provar um pouco Camiliana

Camiliana: não obrigado

Pai: aposto que a Camiliana esta grávida,espero que o pai seja aquele Cardoso,ele é rico,pode nos tirar da miséria 

Camiliana: eu tenho nojo de ti

Pai: podes falar o que quiseres,eu sei que você já não é pura,com esse rosto tão bonito deves ter um monte de rapazes,mio Dio,mia figlia è una puttana (Meu Deus,a minha filha é uma puta)

Levantei-me da mesa,olhei-o nos olhos e cuspi no rosto dele,ele levanto-se e tirou o cinto e com a parte de ferro ele espanco-me,ele bateu-me tanto,eu conseguia ouvir os gritos da minha mãe e da Kilsia,ele não parava,até o Tomas tento ajudar-me mas não adiantou nada,ele continuava a bater-me com a parte de ferro do cinto,até que alguém bateu a porta e o Tomas foi abrir.

Diogo: o que se passa?

Tomas: entra,rápido

Ele entrou,eu consegui ouvir os seus passos.

Mãe: menino Diogo,ele vai matar a minha filha!

Tomas: eu já fiz de tudo,mas o senhor Bruno não para

Diogo: PARE DE BATER NELA!

Pai: isso é para ela me respeitar!

Diogo: ELA É SUA FILHA,O SENHOR VAI MATA-LA!

O Diogo empurrou o meu pai e me tomou em seus braços.

Pai: eu sou faço isso porque lhe amo,eu amo a Camiliana

Diogo: o senhor é um monstro,e eu só não chamou a policia por respeito a sua mulher

Ele ia embora comigo em seus braços,mas o meu pai meteu-se a frente da porta

Pai: onde você pensa que leva a minha filha?

Diogo: vou leva-la para um lugar seguro

Pai: quem você pensa que é para me desrespeitar em minha casa?

Diogo: saia da frente,se não eu juro que chamou a policia

Ele saiu da frente e o Diogo levo-me para casa dele.

Casa dos Cardoso:

Senhora Dalila: Digo meu filho,AH!!!!!!!

Senhor Dionísio: O que se passou?,ouvi gritos......Diogo o que se passou com a Camiliana?

Diana: O que se passou com ela?ela esta toda ferida,e eu a pensar que você não vinha jantar porque estava no quarto trancado a ouvir uma daquelas musicas horríveis.....

Diogo: não é hora para brincadeiras,eu acho que ela pode morrer

Eduardo: o que se passou Diogo? foi você que....

Diogo: cala a boca e liga para o Doutor Artur

Senhora Dalila: filho coloca ela deitada no sofá

Ele coloco-me no sofá e tapo-me com uma manta.

Eduardo: Camiliana,estas bem

Camiliana: eu estou bem (Baixinho)

Eduardo: pelo menos ela esta consciente

Senhor Dionísio: o que se passou com ela?

Diogo: eu não posso dizer,se a Camiliana quiser ela depois conta-vos 

Empregada: o Doutor Artur disse que chega daqui a 20 minutos

Diana: a família dela deve estar preocupada 

Diogo: não te preocupes com isso

Eduardo: ela esta a dizer alguma coisa

Senhora Dalila: eu vou ficar junto dela até ao Doutor Artur chegar

Ela ajoelho-se e apertou a minha mão com força.

Senhora Dalila: ela esta quente,ela esta muito quente

Camiliana: eu tenho que o perdoar,ele ama-me (Baixinho) 

Senhora Dalila: ela esta a delirar

Eduardo: nunca vi ninguém que foi espancado a delirar 

Diogo: onde esta o Doutor Artur?

Diana: fica calmo

Camiliana: Segura a minha mão! eu não estou pronta para te ver partir!DIOGO (Gritei muito alto)

Diana: o sonho (baixinho)

Diogo: eu estou aqui Camiliana

Empregada: o Doutor Artur chegou

O Doutor entrou e começou a examinar-me.

D. Artur: ela precisa de ir urgentemente para um hospital,ela esta a sangrar muito

Diogo: porque que nos não pensamos nisso,se ela morrer eu não sei o que faço

Camiliana: me deixa morrer Doutor,eu estou cansada de ser espancada,eu já não quero viver

Depois dessa frase eu adormeci,e só me lembro de ter acordado no hospital.

   


Notas Finais


---------nem sei o que dizer-----------mas gritou a Deus............gritou para ele levar minha alma,até aquela montanha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...