História Destinos - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 26
Palavras 13.561
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Voltei.. Desta vez mais cedo.

Antes dos recados, vou falar deste capítulo, que esta um furação de sensações, a gente começa com raiva, depois para um momento mais engraçado, e assim vai até o final.

Como todo mundo já viu e sabe, eu sempre usei a mesma cantora para os cover da Lauren, mais devido a falta de atualização e tempo pelo decorrer da historia, eu acabei trocando, por enquanto vou continuar com a que eu estarei usando hoje, mais eu ainda posso mudar, mais eu sempre procuro manter o mesmo padrão de voz.

Este capítulo estará cheios de links, para poder identificar algo, como eu venho usando. Também terá o links de três personagens da historia, de como eu mais ou menos imagino, ninguém necessita imaginar igual, recomendo que pelo menos abram os links das fantasias, caso alguém não saiba quem é.

Como eu falei, este capitulo contem musica, então recomendo ouvir na hora que ela for cantada, tanto a cantora que representava a voz Lauren, quanto o do Oliver, foram trocados, mais o do Oliver foi pela voz mesmo, pois o ultimo só tinha aquele vídeo de aproveitável, as musicas estarão em ordem, conforme elas forem tocadas, para saber a hora de dar play, deixarei um palavra em negrito.

Estarei colocando o link de como eu imagino a mãe da Lauren, a Ellen, mais gostaria de lembrar que diferente da imagem, a mãe da Lauren tem olhos azuis.

Links nas notas finais.

Boa Leitura.

Capítulo 18 - Capítulo 18 - Halloween


 

Era por volta das 15horas da quinta-feira, quanto a morena e o sobrinho se encontravam na confeitaria, junto com os outros dois funcionários e Lucy, que havia ido mostrar o resultado final do projeto de reforma da casa da morena, o resto da semana havia passado rápido, a segunda-feira da morena havia sido mais agitada, já que ela teve que enfeitar toda a confeitaria com o tema de halloween, a porta de entrada havia ganhando uma decoração de múmia, as mesas e o balcão haviam ganhados enfeites do tema, em uma das paredes havia pernas de bruxa, os uniforme de Ben e Sam também haviam mudado, até o da morena também. Na quarta-feira a morena, a loira e o menino haviam visitado Lara no orfanato, a menina havia recebido os três com um sorriso imenso no rosto, os três brincaram com a menina e na hora da despedida, a menina desta vez estava mais animada, pois sabia que daí dois dias eles viriam buscar ela, a loira e a morena havia explicado o que iria acontecer e a menina não reclamou estava feliz demais para reclamar.

Os cinco se encontravam tão entretidos com a conversa, que nem repararam quem havia acabado de entrar na confeitaria, somente quando a voz chamou a atenção deles.

 

- Oliver meu amor, não vai dar uma abraço na sua avó. – a senhora falou seria, fazendo os cinco virarem o rosto em direção a voz.

 

Automaticamente o rosto dos quatro se fecharam, ganhando uma fisionomia séria, menos Samantha, que não tinha conhecimento de quem era aquela mulher.

 

- O halloween chegou mais cedo, porque já tem bruxa andando pelas ruas. – a ruiva falou baixo.

- Concordo plenamente. – a morena riu baixo.

- Então, Oliver, não irá cumprimentar sua própria avó. – a senhora abriu os braços.

- Desculpe, vó. – o menino meio contra gosto se aproximou da senhora, a abraçando. – Oi vó. – o menino deu um sorriso forçado.  

- Veja como você cresceu. – a mulher olhou para o menino e sorriu. – Este seu cabelo está  grande, já está na hora de cortar. – a senhora falou passando a mão no cabelo do menino, que fez uma careta. – Você já está parecendo um marginal, igual sua tia. – a senhora destilou seu veneno.

- Não irei corta vó, eu gosto dele assim, e não fale assim de minha tia. – o menino suspirou, já acostumado com a senhora.

- Senhora Hanson, não me leve a mal, mais a senhora está na minha loja, e não irei tolerar a senhora falando caluniar sobre mim, ainda mais na frente de Oliver. – a morena tinha um tom sério.

- Pois bem, não vim aqui para discutir com você, mais sim para trazer estes papeis. – a senhora falou e logo um homem, que até agora ninguém havia reparado, saiu de trás da senhora. – Este é meu advogado, o senhor Houston. – a mulher apresentou.

- Boa tarde. – o homem comprimento.

- Lucy, ligue para Soph e peça para ela vir aqui. – a morena falou baixo para somente a ruiva ouvir. 

- Tudo bem.

 

Logo que a morena pediu, a ruiva já se afastou, indo até sua bolsa e pegando o celular. Não demorou muito para a ela achar o contado da loira e ligar.

 

- Oi Lucy. – a loira falou animada do outro lado da linha.

- Soph! Eleonor está aqui, e veio com um advogado, Laur pediu para mim te ligar. – a ruiva tinha um tom sério.

- Peça pra ela me aguardar, não deixe que Eleonor entre na casa ou o advogado, peça para Lauren não fazer nada sem minha chegada. – a loira falou seria do outro lado da linha.

- Venha o mais rápido que puder. – a ruiva pediu.

- Em poucos minutos estarei ai. – a loira falou logo desligou. 

 

A ruiva voltou a se aproximar deles e pode ver que a morena tinha as mãos fechadas em punhos, em um sinal claro de nervosismo.

 

- Eu já liguei para ela, daqui a pouquinho ela está aqui. – a ruiva sussurrou.

- Obrigada ruiva. – a morena deu um leve sorriso para a ruiva. – A minha advogada já está caminho, eu não irei autorizar nada e muito menos irei assinar nada, se a senhora quiser ver Oliver, fique à vontade, pois ele é seu neto, e não irei proibir, mais eu sou a guardiã legal dele, então a senhora tem que seguir minhas ordens, a senhora gostando ou não. – a morena falou seria.

- Veremos até quanto tempo você terá este privilegio. – a mulher falou amarga.

- Vó, foi meu pai e minha mãe que escolheram eu ficar com minha tia Laur, porque a senhora não pode aceitar isto. – o menino suspirou cansado das atitudes da avó.

- Seu pai Peter, sempre teve uma venda nos olhos, pelos encantos da sua mãe, sempre soube que não se podia confiar nele junto com ela, a prova disto, é ele ter me apunhalado nas costas e ter deixado você com ela. – a senhora apontou com a cabeça para a morena.

- Até o seu próprio filho, sabia que a senhora não seria a melhor escolha para Oliver, Peter sempre o amo demais para deixar com alguém iria mudar Oliver, ele sabia que Lauren iria deixar ele crescer livre e o melhor, sabia que ela iria criar ele como só eles iriam cuidar. – a ruiva se manifestou.

- Não ouse me acusar de não saber cuidar do meu neto, Oliver precisa crescer em um ambiente na qual ele pertence, não uma confeitaria de quinta. – a senhora esbravejou.

- Eu não estou te acusando, eu estou afirmando. – a ruiva revirou os olhos entediada.

- São de pessoas como você e está daqui, que quero meu neto longe. – a senhora esbravejou novamente.

- Mais, felizmente são de pessoas como a senhora, que ele fica longe. – a morena falou seria. – Senhora Eleonor, se a senhora veio para ver Oliver, aproveite seu tempo e fique com ele, agora se a senhora veio aqui para ficar destilando seu veneno e tentar tirar Oliver de mim, sinto muito mais isto não irá acontecer. – a morena suspirou, não queria brigar com a senhora na frente do menino.

- Se eu fosse a senhora, dava ouvido ao que ela está dizendo. – a loira falou entrando no local.

- Hoje ela, com certeza dirigiu como o James Bond. – a ruiva sorriu, o arrancando uma risada do irmão e da baixinha ao lado dele.

- Vejo que realmente se sucumbiu para o lado dela. – a senhora olhou com desdém para a loira.

- Eu avisei a senhora, que se tentasse algo contra eles, eu mesma iria defende-los, nada que a senhora tente fazer ira tirar Oliver de Lauren. – a loira tinha a postura seria e o tom frio.

- É o que veremos.

- É um prazer te conhecer senhora Mitchell, sou Liam Houston, advogado familiar. – o homem estendeu a mão a loira, para cumprimentá-la. 

- Senhor Houston, sua cliente tem o direito de visita, mais se ela começar a ofender e caluniar, tanto Lauren, quanto o local que eles vivem, serei obrigada a entrar com uma medida protetiva, por saber que Lauren é portadora dos documentos que comprovam que ela é a guardiã legal de Oliver, nem um documento forjado de vocês tem valor aqui, por ser advogada, sei que irá querer ver a casa, mais já aviso, aqui não tem nada que o senhor possa usar contra Lauren, ela é guardiã legal de Oliver, e sua cliente tem que aceitar isto, pois nada que vocês dois possam fazer ira arrancar o menino dela. – a loira se aproximou da morena, ignorando a mão do homem.

- Então, a senhora não se importaria, deu dar uma olhada na casa. – o senhor usou um tom debochado, levantou uma sobrancelha, olhando para a loira de cima a baixo.

- Não, pelo contrário, o senhor pode olhar tudo, aqui não tem nada para se esconder, mais saiba que estarei ao seu lado o tempo inteiro, pois conheço a sua fama de corrupto e fraudador, então não permitirei que vocês implante algo na casa, para assim usar contra Lauren, vocês ainda estão tento sorte, que estou permitindo a entrada de vocês na casa para olhar, já que tenho certeza que vocês não tem nem uma autorização de juiz, mais como sei que Lauren não tem nada para esconder irei permitir.

- Está presumindo que somos desonestos? – a senhora olhou para a loira.

- Não estou presumindo, estou afirmando, conheço das artimanhas do senhor Houston, para ganhar seus casos, e sei que a senhora não irá medir esforços e nem as consequências para tirar Oliver de Lauren. – em nem um momento a postura e o tom da loira mudou.

- Viu porque eu falo que ela é a melhor advogada de New York. – a baixinha falou baixo, do lado dos dois irmãos ruivos.

- Eu acabei de entrar para seu clube de idolatrarão a Soph. – o rapaz ruivo falou.

- Eu também. – a ruiva falou sem tirar os olhos dos cinco.

- Senhora Mitchell, todos sabemos que a senhora é advogada criminal, não está na sua área para poder achar que sabe de algo. – o tom debochado que o senhor vinha usando o tempo inteiro, sumiu, dando lugar ao tom desafiador.

- Posso ser de área diferente, mais pode ter certeza que sei mais que o senhor, vejo que o senhor me conhece, já que desde que entrei aqui, o senhor fala meu nome, sem nem eu precisar me apresentar, isto mostra que me conhece, mais não o suficiente para saber que meus pais eram advogados renomeados, acredito que saiba somente do meu pai, que pode ter sido um dos maiores advogados criminais, mais vejo que não sabe minha mãe, que era advogada da área familiar, então eu sei tanto de uma área, quanto da outra, já que cresci e aprendi com dois dos maiores advogados de New York. – o tom da loira era controlado, mais por dentro a raiva já dominava.

- Vamos acabar logo com isto, se a intenção do senhor é vim aqui para achar algo contra mim, o senhor não irá achar nada, mais como Soph mesmo disse, eu não tenho nada aqui, então se quiser olhar tudo, que olhe, então quanto mais rápido melhor, assim quem sabe a senhora Hanson desiste de uma vez por todas de tentar tirar Oliver de mim. – a morena suspirou, querendo que aquilo acabasse logo e eles fossem embora.

- Ótimo. – o advogado falou.

- Ben e Sam, tome conta de tudo aqui para mim, que eu vou subir ali com eles. – a morena pediu virando para os funcionários.

- Pode deixar. – a baixinha sorriu.

- Eu vou subir com vocês, eu não posso perde a cara desde senhor, quando ver que aqui não tem nada de errado. – a ruiva sorriu. – Depois eu conto tudo para vocês. – a ruiva virou para o irmão e a garota ao lado dele e piscou, arrancando um sorriso dos dois.

- Vem, vamos subir. – a morena indicou começando a seguir em direção a escada, sendo seguida pela loira e os outros. – Ruiva se você não se importa, poderia acompanhar Soph, com o senhor Houston, ficarei com Eleonor na sala, para ela poder aproveitar este tempo com Oliver. – a morena pediu assim que chegaram na parte de cima.

- Sem problemas, era com está loira mesmo que eu queria ficar. – a ruiva sorriu.

- Oliver porque não leva sua avó para a sala, assim ela se senta e pode conversar com você e aproveitar do tempo que está aqui. – a morena tinha um tom carinhoso com o sobrinho, tentando passar calma para ele, pois era nítido o desconforto do garoto e um certo medo também.

- Vem vó. – menino chamou a senhora indo em direção a sala ao lado.

- Eu vou ficar com eles. – a morena avisou, recebendo um sorriso e um balançar de cabeça das duas, num sinal de positivo, logo seguindo em direção a sala.

- Vem, vamos começar. – a loira falou seguindo em direção ao quarto do menino.

 

Logo os três começara a olhar a casa, sempre com olhar atento das duas mulheres sobre o homem, qualquer movimento suspeito dele, as duas ficavam de alerta. O homem verificou o quarto do garoto, comprovando que não tinha nada de errado ali, então seguindo para o quarto da morena.

 

- Se eu fosse o senhor, mantinha suas mãos aonde eu possa ver. – a ruiva alertou, assim que viu o homem levar a uma das mãos, até sua pasta. – E os olhos nas coisas e não no corpo da loira ali, se você fosse mais esperto, já teria visto a bela aliança que ela carrega no dedo, acredite, você não irá querer ver a pessoa que colocou aquela aliança alia, com raiva, é só um aviso, não tente dar um de espertinho, pois estou de olho em cada movimento seu. – a ruiva piscou, falando baixo para somente o homem ouvisse, que revirou os olhos e continuou olhando.

- Veja só o que temos aqui. – o homem falou pegando uma foto. – Sua cliente tem hábitos não muito educativos e violentos. – o homem virou a foto mostrando uma foto tirada no dia do paintball. – Podemos ver aqui tanto ela, quanto o próprio garoto com armas.

- E vemos que o senhor não é meio burro, é completamente, já que se o senhor olhar melhor, irá ver que isto são armas de paintball, sendo que a arma usada por Oliver, era do seu próprio pai. – a ruiva revirou os olhos.

- Mais isto não deixa de ser um mal exemplo. – o senhor sorriu.

- Um simples desenho animado, também não deixa de ser um mal exemplo, então não vejo a pratica de um esporte, igual qualquer outro, seja um mal exemplo, se o senhor olhar melhor na foto, poderá ver que Oliver está com todos os equipamento de segurança, fora que ele já tem a idade permitida, para a pratica do esporte. – a loira falou seria.

- Que seja. – o homem revirou os olhos.

 

O homem olhou a casa inteira, chegando finalmente na sala, onde estava a morena, com a avó de Oliver e o garoto, sabia que a senhora iria ficar nervosa, já que com as duas na sua cola não conseguiu fazer nada.

 

- Alguma coisa? – a senhora perguntou se levantando.

- Infelizmente não senhora Hanson, a casa não tem nada de errado e também não encontrei nada. – o homem falou com raiva.

- Bem, o plano dos dois de implantar algo aqui, foi por agua abaixo, já que seu querido advogado não conseguiu fazer seu trabalho. – a ruiva sorriu vitoriosa.

- Mais um incompetente. – a senhora bufou.

- Nem um dos outros advogados que a senhora arrumou eram incompetentes, o problema é a senhora, que não aceita que não irá conseguir tirar Oliver de Lauren. – a loira falou seria.

- Não me subestime, eu sempre consigo o que eu quero, e eu não deixarei que meu neto seja criado, por um ser pecaminoso. – a senhora exaltou sua raiva.

- Já avisei uma vez, e tornarei avisar, eu não deixarei que a senhora faça nem um mal a eles, não me obrigue a entrar com uma medida protetiva, contra a senhora. – a loira alertou.

- Isto é uma ameaça? – a senhora perguntou com raiva.

- Não, isto é um aviso. – a loira falou seria. – Se a senhora já terminou sua visita, já pode se retirar da casa de Lauren, afinal o objetivo de vocês não deu certo.

- Pois nós iremos, não ficarei mais nem um minuto nesta espelunca. – a senhora se levantou do sofá. – Vamos, senhor Houston. – a senhora começou a seguir em direção a porta.

- Vejo que é muito intima de sua cliente, senhora Mitchell, já que é a segunda foto que vejo a senhora nela, e pela posição das duas nesta foto, acho que senhora é muito mais do que advogada da sua cliente. – o senhor falou ao olhar a foto que Liz havia tirado das duas no balão, para em seguida mostrarem para elas. – É um desperdício duas mulheres que nem vocês, ficarem se esfregando pelos cantos. – o homem não escondeu o nojo em seu tom de voz.

- Mais o que? – a senhora virou pegando a foto da mão do advogado. – Meu Deus, eu não acredito que meu neto está tendo que conviver com está pouca vergonha, isto é inaceitável, uma criança ter que viver no meio do pecado, vocês são duas sem vergonhas, nojentas.

- Já chega vó. – o menino falou mais alto, chamando a atenção de todos. – Não ouse falar mal ou julgar minhas tias. – o menino suspirou. - Me desculpe por isto vó, mais não permitirei que a senhora fale assim do relacionamento delas, a senhora já insultou e falou asneiras demais sobre minha tia, e agora a senhora também está falando de tia Soph e do relacionamento delas, se tem algo que aprendi com meus pais, é que, todo tipo de amor é valido, que não importa gêneros, classes ou cor, o importante é o amor entre os dois, pois uma garota pode gostar tanto de um garoto, quanto de uma garota, ou até mesmo dos dois, assim como um garoto pode também, e isto não é uma algo ruim, pois o importante é o amor entre os dois. – menino olhou para a tia antes de continuar falar. – Minha tia vem cuidando de mim desde que meus pais se foram, e desde então ela me dá todo o amor que só eles poderiam me dar. – a morena sorriu e o menino voltou o olhar para a senhora. – Já a senhora só vem se mostrando uma pessoa má e sem coração, então se a senhora não quer que eu me afaste da senhora de uma vez, é bom a senhora começar a respeitar a minhas tias. – menino falou sério, arrancando um sorriso das tias e fazendo a avó ficar sem reação. 

- Eu tenho que aplaudir isto. – a ruiva começou a bater palmas. – A senhora levou uma lição de moral de uma criança de 10 anos. – a ruiva riu.

- Como ousa colocar meu neto contra mim. – a senhora virou com raiva em direção a morena.

- Não fui eu que fiz isto, foi a senhora mesmo, com seus insultos e preconceito. – a morena se aproximou do garoto, colocando o braço em seu ombro.

- Isto só mostra que não sabe educar meu neto, mais eu irei mudar isto, quando ele estiver sobre meus cuidados, vamos senhor Houston. – a senhora se virou seguindo em direção a porta.

- Nada que a senhora faça, irá mudar isto, aceite que Oliver ira ser criado por Lauren, pois, não quero ter que tomar medidas drásticas. – a loira se aproximou dos dois, pegando a mão da morena e entrelaçando os dedos.

- É isto que iremos ver. – a senhora abriu a porta, descendo a passos pesados, sendo seguida pelo advogado.

 

Logo os quatro também desceram, encontrando os funcionários olhando para eles.

 

- Oh meu Deus, vocês dois perderam. – a ruiva falou animada se aproximando dos dois funcionários. – Eu tenho que admitir que entrei no clube dos que veneram a loira ali, mais o melhor de tudo, foi meu príncipe Oliver, dando lição de moral da bruxa de Blair. – a ruiva riu, fazendo a loira e a morena revirarem os olhos, e o menino e os dois funcionários também rirem, a ruiva começou a narras todo o episódio de dentro da casa da morena, enquanto a morena se mantinha em silencio.

- O que te preocupa? – a loira falou baixinho, passando os braços pela cintura da morena.

- As ameaças de Eleonor. – a morena suspirou cansada.

- Eu não deixarei que nada aconteça com vocês, me ouvi bem. – a morena concordou com a cabeça. – Vocês são o que eu tenho de mais valioso no mundo, são minha família, e somos Johnson’s e os Johnson’s cuidam uns dos outros, então não permitirei que nada aconteça. – a loira sorriu, usando a frase que tantas vezes a morena já usou com ela.

- Eu acredito em você, Sophie Johnson. – a morena aproximou seu rosto do da loira, unindo os lábios, foi uma beijo só de lábios, carinhoso, passando toda a confiança e amor que uma tinha pela outra.

- Tudo vai dar certo. – a loira sussurrou, colando sua testa na da morena.

- Ei casal, que tal fazemos alguma coisa, para aliviar a tensão? – a ruiva perguntou fazendo as duas mulheres se afastarem.

- O que tem na cabeça? – a morena perguntou abraçando a loira por trás, já que a mesma havia se virado para ver a ruiva.

- Que tal pedimos algo para comermos e depois subir para o cantinho de vocês? – a ruiva sugeriu.

- Parece uma boa ideia. – a loira virou o rosto olhando para a morena.

- Realmente parece uma boa ideia. – a morena sorriu, estava mesmo precisando de um momento mais calmo.

- Já está quase na hora de fechar aqui, podemos ajudar vocês e depois podemos pedimos algo. – a ruiva falou.

- Podemos pedir algo do Shake Shack? – o menino sugeriu.

- Se você quer algo de lá eu peço para você, alguém quer algo de lá também? – a morena sugeriu.

- Eu vou quer. – o rapaz ruivo levantou a mão.

- Certo, Sam quer comer o que? – a morena olhou para a baixinha.

- Eu quero comida mexicana.  – a baixinha informou.

- Eu estou junto com a Sam, também vou querer. – a ruiva informou, a morena concordou com a cabeça.

- Anjo, o que você vai querer? – a morena perguntou dando um beijo no ombro da loira.

- Eu acho que vou querer comida japonesa. – a loira virou o rosto olhando para a morena.

- Eu também vou querer. – a morena sorriu. – Bem, já que já sabemos o que iremos querer, vamos acabar aqui, depois faço os pedidos. – a morena beijou novamente o ombro da loira e se afastou, voltando a trabalhar.

- Certo. – a ruiva concordou.

 

Com não faltava muito para a hora de fechar não precisaram trabalhar por muito tempo, os seis arrumar e limparam tudo e depois de tudo em seu lugar, morena fez os pedidos para cada um, como haviam desejado, Ben e Sam foram para suas casas tomarem banho, mais logo voltaram, a ruiva e a loira, tomaram banho da casa da morena mesmo, já que a loira tinha roupa lá e a ruiva pegaria uma da morena, não demorou muito para os pedidos começarem a chegar, assim que todos os pedidos entregue, todos começaram a subir para a parte do terraço do apartamento, a morena acendeu a lareira e todo mundo se sentou nos sofás e cadeiras ali.

 

- Eu sei que já finalizei o projeto da sua casa Lauren, mais acho que vou dar umas melhorias aqui, este lugar é incrível. – a ruiva olhava para os lados, já imaginando o que poderia fazer.

- Eu gosto dele assim. – a morena falou.

- Eu sei que sim, mais acho que aqui poderia ser mais aconchegante. – a ruiva sorriu.

- E o que você tem em mente? – a morena perguntou, já conhecendo o olhar da ruiva.

- Primeiro podemos começar a chamar um paisagista, para ele poder dar um jeito nas plantas, eu já iria chamar um, mais irei mandar ele dar uma olhada aqui, depois podemos dar uma mudada no acesso daqui, subir pela escada de emergência não é muito fácil.

- Isto eu concordo com a tia Lucy, não é muito fácil subir aqui. – o menino falou do lado da ruiva.

- Isto é verdade. – a morena concordou.

- Não precisamos mexer muito, pois sei que gosta daqui do jeito que é, só irei mexer um pouco, melhorar, sem modificar. – a ruiva explicou.

- Tudo bem, eu estarei acompanhando a reforma mesmo, então acabarei auxiliando em algo e ficando de olho em tudo. – a morena concordou.

- Sam? Já consegui se inscrever em alguma universidade? – a loira perguntou para a baixinha.

- Na verdade ainda não. – a garota suspirou derrotada. – Não é muito fácil quando não se tem nem uma recomendação ou bolsa, as minhas notas são altas, mais só isto não está me ajudando. – a baixinha fez uma careta.

- Mande seu currículo escolar para mim, eu mesmo irei fazer uma carta de recomendação, tenho amizade com um pessoal da Columbia, não me formei lá, mais eles nunca negariam uma recomendação de alguém do meu nível, ainda mais formado em Harvard. – a loira sorriu.

- Oh, muito obrigada por isto, senhora Sophie. – a baixinha se levantou e foi abraçar a loira, que acabou rindo da animação da garota.

- Sem agradecimentos, por favor, e só Soph, sem senhora. – a loira sorriu.

- Sam, já pode largar ela. – a morena revirou os olhos, e a baixinha se afastou da loira. – Estou vendo que logo irei perde minha funcionaria. – a morena fez uma carreta.

- Não sabia que tinha se formado em Harvard. – a ruiva falou.

- Meus pais também se formaram lá, meu pai tem uma filial do escritório lá em Boston, então quando estudava lá, eles ficaram lá, depois que me formei voltamos para New York. – a loira contou.

- Eu já sabia disto. – a baixinha sorriu.

- Sam, você é capaz de saber até o número do sapato dela. – o rapaz ruivo falou, fazendo a baixinha fazer uma careta, arrancando risadas de todos.

- E você Ben, como está indo na faculdade? – a irmã do rapaz perguntou.

- Apesar de ter faltado hoje, eu estou indo bem. – a rapaz deu de ombro.

- Logo terei que contratar dois funcionários novos. – a morena suspirou.

- Eu gosto de trabalhar aqui, então, irei enrolar o máximo para sair daqui. – o rapaz sorriu.

- Isto é reconfortante. – a morena sorriu.

 

Eles ficaram ali conversando e rindo sem nem ver a hora passar, quando já estava tarde, todos seguiram para suas casas, deixando só a morena e o sobrinho, já que a loira foi para seu apartamento, pois ainda teria que arrumar sua mala para o outro dia, a morena estava arrumando a cama para se deitar, quando Oliver bateu na porta, entrando no seu quarto.

 

- Eu posso dormir aqui com a senhora hoje? – o menino perguntou meio envergonhado.

- Claro que sim, meu amor. – a morena sorriu, puxando mais o lençol para o menino poder se deitar.

- Obrigado. – menino correu se deitando ao lado da tia, que havia acabado de se deitar.

- O que está te preocupando? – a morena perguntou, conhecia o sobrinho, ele estava mais calado desde a visita da avó.

- A senhora acha que minha vó, pode me tirar da senhora? – o menino perguntou em voz baixa, como se tivesse medo de falar alto e aquilo se realizar.

 - Ninguém nunca vai me tirar de você, sua tia Soph não irá permitir, e eu acredito nela, então não precisa ficar preocupado, pois nada irá acontecer com a gente. – a morena tinha um tom carinhoso.

- Eu acredito nela. – o menino sorriu de leve e se aproximou da tia, se aconchegando nela.

- Não se preocupe com isto, tudo vai dar certo no final. – a morena beijou a cabeça do menino, o abraçando.

- Boa noite, tia. – o menino desejou.

- Boa noite, chef. – a morena puxou mais a coberta, cobrindo os dois.

 

Não demorou muito para o menino dormir, a morena ainda ficou perdida nos seus pensamentos, querendo ou não, a visita de Eleonor, tinha mexido com todos, afinal a senhora mostrou que não iria medir esforços para prejudicar a morena, mais ela confiava a vida na loira, e sabia que ela também não mediria esforços para ajudar. Foi pensando nisto que o cansaço venceu e a morena acabou adormecendo.

 

[...]

 

Já era por volta das 16horas, quando a loira já se encontrava em seu apartamento, como iria viajar, a loira não fez seu horário normal de trabalho, ela havia arrumado sua mala no outro dia, assim que chegou da casa da morena, agora já estava tomada banho e optou por vestir, calça jeans, um camisa xadrez, um suéter, deixando a gola, os punhos e o comprimento da camisa para fora, alguns acessórios e sapatos de salto, a loira esperava a japonesa, pois o pessoal tinha marcado de sair todos da casa da morena,  não demorou muito para seu celular apitar, anunciando uma nova mensagem, quando a loira olhou, constou que era a japonesa, avisando que já estava lá em baixo, a loira verificou toda a casa antes de sair, pegando sua mala, ao chegar na parte de baixo encontrou a japonesa do lado de fora do carro.

 

- Pronta para irmos? – a japonesa abriu a o porta mala, para poder colocar a mala da loira.

- Sim. – a loira sorriu.

- Será que todos já estão lá? – a japonesa perguntou fechando o porta mala, depois de colocar a mala da loira.

- Não sei, mais provavelmente a metade já checou. – a loira abriu a porta do carro da japonesa.

- Como que estão divididos as coisas? – a japonesa perguntou, já sabendo que eles tinham combinado que dividir o pessoal por carro, para assim não precisar ir todo mundo com seu carro.

- Com Lauren, irá eu, Oliver e Lara, com Jimmy irá, Lucy e Ben, já com Bruce, irá Rose, Tony e Katy, contigo ira, Jessie e Rob. – a loira avisou vendo a japonesa das a partida.

- Eu gosto daquele menino. – a japonesa riu, lembrando do jeito do menino.

- Que nem diz Lauren, Rob é um Don Juan, em fase de crescimento. – a loira riu.

- Com certeza ele é. – a japonesa riu.

 

Não demorou muito para as duas chegaram na confeitaria, o pessoal já se encontrava lá, só faltando Lucy e Jimmy, já que Ben havia levado sua mala e tomado banho na casa da morena, a loira deixou a japonesa com o pessoal e subiu para a casa da morena, já que a mesma havia subido para tomar seu banho, quando a loira entrou no quarto da morena, encontrou ela já vestida, em frente ao espelho, a rumando o cabelo, a morena havia optado por vestir, calça jeans, blusa de manga, jaqueta militar, alguns acessórios, coturno e um touca.

 

- Já terminou? – a loira perguntou se aproximando.

- Já. – a morena sorriu, olhando a loira pelo reflexo do espelho.

- Tá cheirosa. – a loira abraçou a morena por trás, enviando o rosto no pescoço da morena.

- Já está todo mundo lá em baixo. – a morena perguntou se virando passando os braços em volta do pescoço da loira.

- Não, falta Lucy e Jimmy ainda. – a loira falou passando o nariz no pescoço da morena. – Eu amo este seu cheirinho de morango. – a loira sussurrou subindo o nariz, fazendo a pele da morena se arrepiar.

- Não faz isto. – a morena sussurrou, quando começou a sentir os lábios da loira beijar aquela região.

- Porque? – a loira perguntou ainda beijando o pescoço da morena.

- Porque não vamos poder continuar. – a morena arfou, quando a começou a dar leves mordidas em seu pescoço.

- Eu vou parar. – a loira falou, mais continuando o que estava fazendo.

- Droga. – a morena gemeu baixinho, quando a loira mordeu um ponto de pulso em seu pescoço.

 

A morena levou a mão a nuca da loira, trazendo seu rosto para junto do seu, unindo os lábios a beijando com desejo, as mãos da loira, apertando a cintura da morena, juntando os corpos, a morena sugou a língua da loira, a fazendo arfar e apertar ainda mais sua cintura, as mãos da loira se infiltraram para dentro da camisa da morena, arranhando levemente o abdômen e cintura da morena, a loira finalizou o beijo, mordendo o lábio inferior da morena, o puxando até desprender dos seus dentes.

 

- Acho melhor nós paramos, antes que eu perca o resto do controle que ainda tenho. – a morena sussurrou, começando a passar seu nariz no da loira.

- Então acho melhor nós descermos. – a loira sussurrou.

- Eu também acho. – a morena selou os lábios rapidamente e se afastou entrelaçando seus dedos nos dá loira. – Vamos, ainda temos que buscar a Lara. – a loira concordou com a cabeça, e as duas começaram a seguir em direção a escada. – Já que está todos aqui, acho que já podemos ir. – a morena falou ao ver Lucy e Jimmy ali com o pessoal.

- Vamos então. – a ruiva falou se levantando.

 

Logo todos se encaminharam para os carros, e não demorou muito para todos seguirem em direção ao orfanato, que não demorando muito para chegar, todos desceram e entrando no orfanato, mais somente a morena e a loira, seguiu em direção aos quartos, pois já sabiam que a menina loira estaria ali, já que ela quase não brincava com as outras crianças, devido seu problema de saúde, ao chegar ao quarto da menina, a morena abriu a porta silenciosamente e encontrou ela com os pês para fora da cama e com a cabeça abaixada, acompanhando o movimento.

 

- Acho que temos uma garotinha ansiosa aqui. – a morena falou para a loira, chamando a atenção da menina.

- Senhora Lauren, senhora Sophie. – a menina pulou da cama, correndo em direção das duas, abraçando as pernas da loira.

- Oi meu amor, como você está sentindo? – a loira se abaixou ficando da altura da menina.

- Eu estou bem. – a menina sorriu e abraçou a morena.

- Isto é muito bom de saber. – a morena sorriu, se abaixando também. – Vejo que já está  pronta para podemos irmos.

- To. – a menina sorriu.

- Bem, então acho que já podemos ir então. – a morena sorriu. – Mais antes eu preciso, cumprir uma promessa. – a menina olhou confusa para a morena, que revelou um pequeno objeto, na qual a morena escondia com a mão atrás das costas.

- Meu tesouro. – a menina sussurrou, ao ver o objeto na mão da morena.

- Eu prometi de devolver. – a morena sorriu, vendo a menina pegar a caixinha. – Isto aqui é seu também. – a morena retirou do bolso da jaqueta uma correntinha, com uma chave em forma de bailarina como pingente. – Tem que colocar isto aqui. – a morena encaixou a chave, começando a dar corta, logo a caixinha se abriu tocando a música e revelando uma pequena bailaria e um foto da menina e da mãe na tampa.

- A senhora conseguiu. – a menina olhou para morena sorrindo, com os olhos cheios de lágrimas.

- Eu havia prometido, e promessa de dedinho não se pode ser quebrada, nem com chuva e nem com sol, nem que chova canivetes. – a morena levou a mão ao rosto da menina secando uma lágrima.

- Obrigada. – a menina abraçou a morena.

- Não foi nada. – a morena sorriu. – Minha irmã também gostava desta música, é I Dreamed a Dream, dos Os Miseráveis, deixa eu colocar isto em você. – a morena passou a correntinha com a chave, pela cabeça da menina. – Agora você pode ouvir, quando quiser. - a morena sorriu.

- É uma bela música. – a loira sorriu.

- Eu tenho mais uma coisa para você. – a morena levou a mão ao bolso da jaqueta.

- O que? – a menina falou animada.

- Isto. – a morena revelou uma touca com orelhas de raposa.

- Lauren, você está transformando a menina em mini você. – a loira revirou os olhos, no dia que foram comprar mais roupas para a menina, a morena só comprou roupas parecidas com as dela, já que era as que a menina também gostava.

- Coloca em mim? – a menina sorriu, e a morena colocou a touca nela, arrumando os cabelos. – Como estou? – a menina se virou para a loira.

- A raposinha mais linda que já vi. – a loira aproximou da menina a enchendo de beijos a fazendo rir.

- Acho que já está na nossa hora de ir. – a morena falou se levantando.

- Vamos. – a menina falou animada.

- Deixa eu pegar suas coisas então. – a morena se encaminhou até a cama, pegando uma mala, aonde estava as coisas da menina, assim com Consuelo havia avisado. – Vamos?

- Vamos. – a loira respondeu pegando na mão da menina.

 

As três desceram para onde estava o resto do pessoal, que cumprimentaram a menina com animação, logo todos se despediram do pessoal do orfanato e seguiram para seus carros para poderem seguir viagem, já estavam na metade da caminho e no carro da morena, os quatro conversavam e riam, até o locutor da rádio anunciar a próxima música, fazendo a morena chamar a atenção de todos.   

 

- Eu amo está música, e vocês vão ter que cantar comigo. – a morena falou aumentando o som do rádio.

 

Não demorou muito para as batidas da música invadir o carro e a morena começar a cantar.

 

#Lauren

Well, I had me a boy, turned him into a man
I showed him all the things that he didn't understand
Whoa, then I let him go

Now, there's one in California who's been cursing my name
'Cause I found me a better lover in the Uk
Hey, hey, until I made my getaway

One, two, three
They gonna run back to me
'Cause I'm the best baby that they never gotta keep
One, two, three
They gonna run back to me
They always wanna come, but they never wanna leave

 

#Lauren e Oliver
Ex's and oh oh oh's
They haunt me like ghosts
They want me to make 'em all
They won't let go
Ex's and oh's

 

A morena olhou para a loira reprovando por ela não ter cantado, enquanto Oliver olhou incentivando a menina.

 

#Lauren
I had a summer lover down in New Orleans
Kept him warm in the winter
Left him frozen in the spring
My, my, how the seasons go by

I get high, and I love to get low
So the hearts keeping breaking, and the heads just roll
You know that's how the story goes

One, two, three
They gonna run back to me
'Cause I'm the best baby that they never gotta keep
One, two, three
They gonna run back to me
They always wanna come, but they never wanna leave

 

#Lauren, Oliver, Soph e Lara
Ex's and the oh oh oh's
They haunt me like ghosts
They want me to make 'em all
They won't let go

My ex's and the oh oh oh's
They haunt me like ghosts
They want me to make 'em all
They won't let go
Ex's and oh's

 

A morena olhou para a menina sorrindo, já que a pequena também cantava.

 

#Lauren
One, two, three
They gonna run back to me
Coming over mountains and sailing over seas
One, two, three
They gonna run back to me
They always wanna come, but they never wanna leave

 

#Todos
My ex's and the oh oh oh's
They haunt me like ghosts
They want me to make 'em all
They won't let go

 

Os quatro começaram a cantar mais alto.


Ex's and the oh oh oh's
They haunt me like ghosts
They want me to make 'em all
They won't let go
Ex's and oh's

 

Assim que a música acabou todos riam.

 

- Podemos fazer isto de novo? – a menina perguntou animada.

- O caminho inteiro, se quiser. – a morena falou olhando pelo retrovisor, vendo o imenso sorriso no rosto da menina.

 

E assim foi o caminho inteiro, o que arrancou várias risada deles, ainda mais quando eles erravam. O caminho desta forma acabou passando mais rápido e não demorou muito para todos chegarem em frente ao haras, assim que os carros param, a porta da frente se abriu, revelando a mãe da morena. A loira abriu a porta para a menina a pegando no colo.

 

- Que bom que vocês chegaram. – a senhora sorriu se aproximando deles.

- Oi mãe. – a morena abraçou a senhora com força.

- Oi meu amor. – a senhora beijou o rosto da morena. – Oi meu príncipe. – a senhora se aproximou do menino o abraçando com força.

- Oi vó. – o menino sorriu.

 

Os olhos atentos da morena, logo focalizaram um grande vulto cinza, vindo a toda velocidade em direção a elas.

 

- Tiffany, senta. – a morena entrou na frente da loira, assim que viu a grande cachorra cinzas, vir correndo em sua direção, a loira acabou abraçando a menina mais forte e se virando numa forma de proteger ela. – Isto, boa menina. – a morena falou assim que a cachorra parou se sentando na frente delas, a morena acariciou a cabeça dela, que abanou o rabo feliz.

- Ela é um pônei? – a menina perguntou olhando a grande cachorra.

- Não meu amor, ela é um cachorro, o nome dela é Tiffany. – a loira explicou sorrindo, passando a mão também na grande cachorra.

- Vem aqui, passar a mão nela, ela é mansinha. – a morena olhou para a menina e sorriu.

- Ela é grande. – a menina se mexeu no colo da loira, que a colocou no chão. – Oi. – a menina se aproximou da cachorra estendendo a mão, a cachorra lambeu a mão da menina, que riu e logo se aproxima mais.

- Como vai, Ellen? – a loira se aproximou da senhora, a abraçando.

- Eu vou muito bem, minha filha. – a senhora abraçou a loira apertado, depois dando um beijo na testa da mesma, fazendo a loira sorrir com o carinho da senhora.

- Lauren! Não coloque Lara em cima de Tiffany. – a loira repreendeu, assim que viu o que a morena estava fazendo.  

- Desculpe. – a morena e a menina sorriram amarelo para a loira, que nega com a cabeça. 

- Se eu não soubesse que Lauren, não pode te engravidar Soph, iria achar que está menina é filha de vocês. – a senhora olhava a menina sorrindo, ela mexia em Tiffany, com Lauren ao seu lado.

- Mãe! – a morena repreendeu.

- Já adorei ela. – a japonesa falou se aproximando deles.

- Tia Ellen. – a ruiva se aproximou meio correndo, abraçando a senhora com força.

- Lucy, minha filha, que saudades de você. – a senhora abraçou a ruiva na mesma intensidade.

- Eu também senti saudades tia. – a ruiva se separou enchendo a senhora de beijos, o que fez a senhora rir.

- Não seja desnaturada e venha me visitar mais vezes. – a senhora olhou para a ruiva sorrindo.

- Prometo que virei mais vezes tia. – a ruiva sorriu e se afastou da senhora.

- Você eu ainda não conheço. – a senhora se aproximou da japonesa.

- Sou Nikita Miyazaki, trabalho com Sophie. – a japonesa se apresentou.

- Sou Ellen Johnson, mãe de Lauren. – a senhora se aproximou abraçando a japonesa que estranhou um pouco mais retribuiu.

- É um prazer conhece-la, senhora Johnson. – a japonesa sorriu.

- Sem senhora, apenas Ellen, é um prazer conhecer uma amiga de Soph. – a senhora sorriu.

- Mãe, está é Jessie, a mãe do Rob e medica de Oliver e Lara. – a morena apresentou, assim que a medica também se aproximou.

- É um prazer conhece-la pessoal. – a medica se aproximou da senhora com os olhos brilhante, assim como Samantha fazia quando via a loira.

- O prazer é todo meu, Jessie. – a senhora sorriu e abraça a medica.

- Acho que acabamos de achar uma cópia de Sam, só que o fanatismo dela é com outra pessoa. – a ruiva sussurrou para a morena e a loira, que riram.

- Oi senhora Ellen. – o menino loiro cumprimentou.

- Oi Rob, como vai? – a senhora abraçou o menino.

- Eu vou bem, a senhora está muito bonita hoje. – o menino sorriu.

- São seus olhos meu amor. – a senhora riu.

 

Logo todos foram se aproximando e cumprimentando a senhora.

 

- Mãe, deixe-me apresentar uma pessoa muito importante. – a morena se aproximou com a menina loira no colo. – Mãe, está é Lara. – a menina sorriu meu envergonhada para a senhora.

- Muito prazer, Lara, eu sou Ellen. – a senhora se aproximou sorrindo.

- Muito prazer senhora Ellen. – a menina estendeu a mão para a senhora, que a cumprimentou.

- Você está muito linda com está touca de orelhas de raposa.

- Foi a senhora Lauren, que me deu. – a menina sorriu e olhou para a morena que também sorriu.  

- Lauren, você está transformando a menina numa mini você. – a senhora revirou os olhos. – Agora deixe-me me ver estas alianças aqui. – a senhora pegou a mão da loira e a morena. – Teve muito bom gosto Lauren, sabia que não iria decepcionar na escolha. – a senhora sorriu. – Se você fazer ela chorar ou magoar ela de alguma forma, corto seus dedos e língua. – a mãe da morena fala sério para ela, fazendo a morena a abrir a boca indignada e a loira sorrir.

- Mãe! Pelo amor de Deus, seja normal pelo menos uma vez, e outra a senhora tinha que falar isto para Soph, já que eu sou sua filha. – a morena falou indignada.

- Meu amor, você que tem a cara de ativa da relação, então tenho que alertar você e proteger Soph. – a senhora deu de ombro, fazendo a morena e a loira ficarem vermelhas.

- Mãe, pelo amor de Deus, não fala isto nas frentes das crianças. – a morena revirou os olhos, fazendo os outros dar risada.

- Eu literalmente amei está mulher. – a japonesa falou rindo.

- Tia Ellen é a melhor de todas. – a ruiva ria.

- Vem, vamos entrar, Abigail já preparou o jantar, e Charlie e Jacob foram tomar banho. – a senhora começou a se encaminhar em direção a porta, sendo seguida por todas.

 

Todos acompanharam a senhora, e quando entraram na casa, os dois homens já se encontravam, tomados banhos. A ruiva assim que viu o amigo de infância, pulo em seu colo, arrancando risada de todos, até mesmo do namorado, que já estava acostumado com os dois, todos se juntaram em volta da grande mesa e começaram a jantar, contando todas as novidades e acontecimentos, quando já estava ficando mais tarde a ruiva, o irmão e o namorado, foram embora, já que meio contra gosto, a ruiva teria que passar pelo menos uma noite na casa dos pais, já que Ellen havia pedido. Todos estavam na sala conversando, uns sentados no chão e outros nos sofás.

 

- Lauren, Soph, amanhã bem cedo, devemos levar Lara ao hospital, ire fazer alguns exames, só para poder avaliar melhor o caso dela, Jessie me atualizou da ficha de Lara, mais mesmo assim irei fazer alguns exames aqui, só para ter uma visão melhor e ver se não teve nem uma evolução no quadro dela, desde dos últimos exames. – a senhora estava sentada ao lado das duas.

- Iremos levá-la, a senhora acha que o caso dela pode ter evoluído? – a loira não escondeu a preocupação.

- É possível, mais não é certeza, infelizmente o quadro de Lara é grave, pelo o pouco que Jessie me contou, mais como ela conseguiu alguns dos medicamentos necessários, o quadro dela está instável, mais só a cirurgia irá deixar ela totalmente boa. – a senhora tinha um tom profissional.

- Está semana Jessie começou com o medicamentos novos, já que eu e Soph, já começamos a ajudar. – a morena falou.

- Isto ajuda bastante, já conversei com alguns amigos meus de New York, e assim que tivermos uma análise certa, iremos opera-la, quero opera-la o mais rápido possível, para assim o quadro dela não ocorrer nem uma mudança. – a senhora sorriu.

- A senhora acha que ela irá ficar totalmente boa? – a loira perguntou.

- Eu irei responder está pergunta, só amanhã, depois de avaliar o caso dela. – a senhora sorriu carinhosamente, tentando passar confiança para as duas. – Bem, crianças eu irei dormir, amanhã eu tenho que ir ao hospital e depois tenho que olhar a organização da festa, como todos já são de casa, sabem aonde dormir, e qualquer coisa Lauren mostra para vocês, então boa noite meus amores. - a senhora falou chamando a atenção de todos.

- Eu irei me recolher também, amanhã tenho que mudar todos os cavalos de lugar e organizar o estábulo para a festa. – o pai da morena se levantou acompanhado a mulher. – Boa noite meninos. 

 

Todos se despediram do casal e voltaram a conversar, mais também não demoraram muito para decidir dormirem, afinal já era tarde e todos estavam cansado, como a casa era grande, deu para dividir cada um com um quarto, a morena e a loira foram para o quarto onde ficariam as crianças, e arrumou as camas para Oliver e Lara.

 

- O meu quarto é aqui do lado, então se sentir algo ou ficar com medo é só me chamar, Oliver e Rob, estarão aqui do seu lado, e Tiffany ira ficar aqui para te proteger, tudo bem? – a morena perguntou sentada na cama da menina loira.

- Tudo bem. – a menina sorriu.

- Não importa o que tenha, não deixe de nos chamar. – a loira falou.

- Amanhã, iremos levantar cedo, e iremos no hospital, para minha mãe fazer alguns exames, tudo bem? – a morena perguntou.

- A doutora Jessie, já havia me falado. – a menina sussurrou, mostrando o medo da voz.

- Não precisa ter medo, eu e Lauren, estamos o tempo todo com você, e Ellen, ira cuidar de você. – a loira sorriu, passando confiança para a menina.

- Depois, todos nós iremos pedir doces ou travessuras pela cidade. – a morena sorriu.

- Iremos fazer isto? – a menina arregalou os olhos.

- Sim. – a loira riu baixinho ao ver a reação da menina.

- Oh, mais eu não tenho nem uma fantasia. – a menina falou decepcionada.

- Eu e Lauren, compramos para você. – a loira contou, vendo um enorme sorriso se formar no rosto da menina.

- Uma para pedir doces na rua e outra para festa a noite. – a morena sorriu.

- Muito obrigada. – a menina se sentou abraçando a morena e depois a loira.

- Agora deite para dormi, precisa estar com as energias carregadas para a manhã. – a loira pediu.

- Tá, boa noite senhora Lauren, boa noite senhora Soph. – a menina desejou se deitando.

- Boa noite, meu amor. – a loira se abaixou beijando a cabeça da menina.

- Boa noite, pequena. – a morena repetiu o gesto da loira, se levantando da cama e arrumando melhor a coberta na menina.

- Boa noite meninos. – a morena e loira desejou para os dois meninos.

- Boa noite tias. – os dois falaram ao mesmo tempo.

- Tiffany, proteja eles. – a morena falou para a cachorra, que estava deitada ao lado da cama da menina, a cachorra soltou um som com a boca, como se confirmasse o pedido da morena.

 

As duas foram para o quarto da morena, colocaram os pijamas e fazendo usas higienes noturnas, para logo se deitaram.

 

- Você acha que o quadro da Lara possa ter evoluído? – a loira perguntou se aconchegando nos braços da morena.  

- Eu acho que não, mesmo antes de nós ajudamos, Jessie dava seu jeito, e isto de alguma forma ajudou. – a morena sorriu deixando um beijo na cabeça da loira.

- Tomara. – loira suspirou. - Vida, porque Lucy não queria ir para casa dos pais? – a loira se lembrou do episódio de horas atrás, a morena começou uma leve caricia nos cabelos da loira e começou a contar.

- Os pais de Lucy, vivem um casamento de aparência, por causa do cargo político do pai dela, quando éramos pequenas ainda, as brigas entre os dois se tornaram diárias, então Lucy fugia e vinha para cá, minha mãe acabou estranhando, e perguntou para ela o que estava acontecendo, então quando Lucy contou, minha mãe foi falar com os pais dela, mais não resolveu muito, e logo as brigas voltaram, então meus pais acolheram ela, as vezes ela fugia e trazia Ben com ela, mesmo ele ainda sendo pequenos, Lucy vê aqui como a verdadeira casa dos pais dela, por isto ela não queria ir para os dois pais verdadeiros dela, mais minha mãe não quer que ela exclua eles da vida dela, então sempre incentiva ela ficar com eles, nem que seja um pouco. – a morena dá um leve sorriso.

- Seus pais são realmente incríveis. – a loira sorriu.

- Eles são. – a morena falou vendo a loira bocejar. – Acho melhor nós dormirmos. – a loira concordou com a cabeça.

- Boa noite, vida. – a loira se levanta um pouco a cabeça, unindo os lábios em um selinho demorado.

- Boa noite, meu anjo. – a morena aperta mais os braços em volta da loira, fazendo a mesma suspirar.

 

Não demorou muito para as duas adormecerem, afinal o dia das duas tinha sido agitado.

 

[...]

 

Era bem cedo quando, a morena, a loira e a menina foram para o hospital, junto com a mãe da morena e Jessie, já que ela iria acompanhar todo o procedimento junto com Ellen, a menina já havia sido submetida a vários exames, sempre que possível a morena e a loira estavam junto, não deixando a menina sozinha em nem um minuto.

 

- Agora iremos só recolher o sangue dela, e depois pegarei os resultados dos exames e iremos para minha sala. – a senhora avisou, enquanto andavam em direção ao local da coleta.

- Eu não gosto de agulhas. – a menina sussurrou, abraçando mais forte a loira, já que estava em seu colo.

- Não precisa ter medo, eu estarei com você, e não deixarei que nada te aconteça. – a loira também sussurrou.

- Vai ficar tudo bem. – a morena beijou a cabeça da menina, andando com os dedos entrelaçados com os da loira.

- Sente ela aqui, eu mesmo irei retirar. – a senhora sorriu.

- Vem, meu amor. – a loira sentou a menina numa das poltronas da sala, se sentando ao seu lado.

- Vai doer? – a menina perguntou com os olhos marejados.

- Claro que não, será minha mãe que irá tirar, ela é muito boa nisto, você não irá sentir nada. – a morena ficou atrás da loira, com as mãos em seus ombros, a mãe da morena se aproximou amarrando a borrachinha no braço da menina e se afastou.

- Quando eu era pequena, uma vez meu avô contou uma antiga fábula para mim de um camundongo vivia angustiado com medo do gato. – loira sorriu contando a história. – Um mágico teve pena dele e o transformou em um gato. Mas aí ele ficou com medo de cachorro, por isso o mágico o transformou em uma pantera. Então ele começou a temer os caçadores. – a loira viu a mãe da morena se aproximando novamente com a seringa, que acenou para ela continuar a distrair a menina, que nem notou a aproximação da senhora. – A essa altura o mágico desistiu. Transformando ele em camundongo novamente e disse: Nada que eu faça por você vai ajudá-lo, porque você tem apenas a coragem de um camundongo. É preciso coragem para romper os desafios que nos é imposto. – a medica furou o braço da menina, que nem se quer se mexeu, atenta na história da loira. – Mas saiba que coragem não é a ausência do medo, e sim a capacidade de avançar, apesar do medo, caminhar para frente e enfrentar os obstáculos, vencendo os medos. É isto que devemos fazer. Não podemos nos derrotar, nos entregar por causa dos medos. Assim, jamais chegaremos aos lugares que tanto almejamos. – a loira sorriu, assim que viu que a senhora havia coletado todo o sangue, sem nem a menina perceber.

- Eu não tenho a coragem de um camundongo. – a menina falou firme.

- Não, você tem a coragem de uma leoa. – a morena sorriu.

- Prontinho, Lara. – a senhora colou uma band-aid colorido no braço da menina.

- A senhora já tirou? – a menina perguntou surpresa, não havia nem sentido e nem visto a senhora retirar o sangue.

- Sim. – a senhora sorriu. – Vem, vamos para minha sala. – a começou a andar.

 

A loira pegou novamente a menina no colo, e logo a morena entrelaçou seus dedos com os dela, seguindo em direção a sala da mãe. A outra medica tinha ido pegar alguns dos exames já prontos, então encontrariam elas lá. Assim que chegaram na sala, se acomodaram e não demorou muito para a medica loira chegar com os resultados, ela e a mãe da morena, analisaram eles, então a morena e a loira ficaram sentadas esperando, enquanto a menina se distraia com alguns brinquedos da sala.

 

- O quadro de Lara não evoluiu, o que é uma boa notícia. – a senhora sorriu, fazendo as duas também sorrir. – Mais, a cirurgia terá que ser feita o mais rápido possível, qualquer mudança no quadro dela, pode ser crítico, não irei falar de modo técnico pois sei que vocês não iram entender, então irei explicar de uma forma que entendam, os pulmões de Lara, tem duas bolas dentro, que dificulta a respiração dela, teremos que fazer uma cirurgia para retirar isto, a cirurgia consistem e abrir a parte torácica dela e retirar estas bolas, a cirurgia será demorada, mais creio que o resultado ira ser positivo, o pós operatório será dolorido. – a loira apertou a mão da morena, que estavam entrelaçadas, assim que ouviu aquelas palavras. – Devido à dificuldade do procedimento, ela irá precisar muito de vocês, como eu já havia falar, já entrei em contado com amigos meus de New York, então já iremos iniciar os procedimentos pré operatório, eu estarei em todo os momentos com ela, então não precisam se preocupar, creio que logo, logo, está menina terá uma vida normal. – a senhora sorriu.  

- Está semana mesmo entrarei com o procedimento pré operatório, e manterei sua mãe informada, então logo se poderá fazer a cirurgia, logo ela poderá ter um vida normal, e quem sabe assim, ela pode encontrar uma família. – a medica sorriu, fazendo as duas mulheres sorrir.

- Você ouviu, meu amor? – a morena se levantou pegando a menina no colo. – Logo você está totalmente boa.

- Isto parece bom, né? – a menina perguntou confusa, já que não havia apertado atenção nos adultos.

- Isto é maravilhoso, logo você poderá brincar com os outros. – a loira se aproximou, sorrindo para a menina.

- Vocês também iram brincar comigo? – a menina perguntou desconfiada.

- Claro que sim. – a morena sorriu, fazendo cócegas na menina que ria.

- Acho que ela já encontrou sua família, Jessie. – a senhora sussurrou para a medica ao lado, que sorriu, olhando a interação das três.

 

Não demorou muito para elas irem embora do hospital, e ao chegarem no haras encontraram todos ajudando o pessoal da decoração e outros ajudando Charlie e Jacob, a medica foi atrás do filho, encanto a morena e a loira foram atrás de Oliver, junto com a menina.

 

- Eu irei poder andar a cavalo? As outras crianças do orfanato andaram, e eu também queria andar ou pelo menos ver um de perto, já que não posso fazer as coisas de eles fazem. – a menina perguntou confusa, segurando a mão da loira.

- Claro que sim. – a loira sorriu. – Amanhã eu e Lauren iremos te levar para conhecer Zeus. – a menina sorriu.

- Quem é Zeus? – a menina perguntou olhando para a loira.

- Zeus é meu cavalo. – a morena explicou.

- A senhora tem seu próprio cavalo? – a menina perguntou surpresa, fazendo as duas mulheres rirem.

- Sim. – as três chegaram aonde Oliver estava. – Ei chef, o que está fazendo?

- Estou ajudando o vovô com a limpeza dos estábulos. – o menino explicou, enquanto varia o local.

- Iremos ajudar. – a loira falou sorrindo.

 

Logo as três começaram ajudar, dando somente coisas leves para Lara fazer, não demorou para Abigail gritar para todos irem almoçar, todos se sentaram em volta a grande e mesa e começaram a comer e conversa, depois do almoço todos voltaram ao seus afazeres, mais logo a morena e a loira se retiraram, levando Lara e Oliver para tomarem banho, já que iria pedir doces e travessuras, depois a morena auxiliar no banho da menina, a loira a trocou, colocando um vestido todo de tule preto, meias altas, uma jaqueta de couro e coturnos, a loira fez a maquiagem caveira na menina, quanto a morena fazia a do sobrinho, que estava com calça jeans preta, camiseta, uma camisa social, gravata borboleta, suspensórios e coturnos, assim que os dois prontos, foi a vez das duas tomarem banho, a morena optou por vestir, calça jeans, camisa social, uma jaqueta militar, alguns acessórios, coturnos e gravata borboleta, assim como o sobrinho, a loira optou por vestir um vestido, jaqueta de couro, alguns acessórios, meia calça arrastão e um ankle boots de saltos finos. As duas também fizeram maquiagens de caveiras, e assim que prontas foram atrás das duas crianças que iria esperar elas na sala, para não se sujarem ou estragarem a maquiagem.

 

- Pronto, crianças? – a morena perguntou.

- Sim. – os dois se levantaram animados.

- Aonde estas caveirinhas estão indo? – a senhora perguntou sorrindo, vendo todos eles fantasiados.       

- Iremos pedir doces ou travessuras. – o menino respondeu.

- Então, acho que iram precisar disto. – a senhora estendeu dois baldes em forma de abóbora.

- Obrigado vó. – o menino correu até a avó pegando os dois baldes, entregando um para Lara.

- Rob já está pronto? – a morena perguntou sentindo falta do menino, já que ele iria com elas.

- Já. – o próprio menino loiro respondeu, aparecendo na sala, fantasiado de coringa.

- Então vamos? – a loira perguntou.

- Vamos. – os três gritaram animados.

- Tome cuidado crianças. – a senhora riu da animação deles.

- Pode deixar mãe. – a morena sorriu.

 

Os dois meninos saíram apressados, enquanto a menina pegou na mão das duas e saíram, todos entraram no carro da morena, que deu partida indo para a cidade. Como o haras não era muito afastado da cidade, não demorou muito para chegar, a morena estacionou o carro na casa de família de Jacob, e seguiu com as crianças na rua, as crianças iam na frente animados, enquanto as duas iam atrás, só assistindo a animação deles.

 

- É a primeira vez que faço isto. – a loira confessou, andando com os dedos entrelaçados ao da morena.

- Sair com crianças pedido doces ou travessuras? – a morena virou a cabeça olhando confusa para a loira.

- Isto também, mais é a primeira vez que saiu para pedir doces ou travessuras, sempre morei em New York, e com a vida agitado dos meus pais, acabei que nunca fiz isto. – a loira sorriu de leve.

- O bom de morar em cidade pequena é que eu sempre pude fazer isto, minha mãe e pai traziam eu e Emily, e assim como a gente eles também se fantasiavam, então nos duas andávamos pelas ruas, pedindo doces. – a morena sorriu saudoso.

- Estou feliz por fazer isto pela primeira vez, ainda mais ser com vocês. – a loira sorriu.

- Então se prepare, pois, iremos fazer isto todos os anos. – a morena se inclinou dando um leve selinho da loira.

- Oi tia Lucy. – os meninos gritaram, assim que chegaram na casa dos pais da ruiva e a mesma abriu a porta.

- Meus amores. – a ruiva sorriu, beijando cada uma das crianças. – Ei casal. – a ruiva comprimento as duas de longe.

- Oi ruiva. – a morena sorriu.

- Ei Lucy. – a loira acenou.

- Deixa eu pegar os doces para meus monstrinhos. – a ruiva sorrindo, entrando rapidamente na casa e voltando um vários doces em uma tigela. – Depois eu vou querer um pouco destes doces também. – a ruiva piscou. 

- Porque ainda não foi para casa dos meus pais? – a morena perguntou se aproximando.

- Porque meus pais fizeram um almoço com toda família, por causa do meu noivado. – a ruiva revirou os olhos.

- Lauren! – o pais da ruiva se aproximaram da porta, assim que ouviram a ruiva conversa com alguém.

- Como vão, senhor e senhora Miller? – a morena comprimento educada.

- Muito bem, obrigada. – a mãe da ruiva sorriu.

- Está Sophie, minha namorada. – a morena apresentou.

- Prazer Sophie. – o senhor comprimento.

- O prazer é todo meu. – a loira sorriu.

- Bem, nós iremos continuar andando, as crianças ainda querem pegar mais doces antes de voltamos para o haras. – a morena sorriu. – Espero ver o senhores na festa lá do haras. – a morena falou se afastando.

- Nos vemos lá então. – o senhor sorriu simpático, e as eles se afastaram.

- Eles parecem simpáticos. – a loira falou assim que se afastaram da casa.

- Eles não são má pessoas, mais a ideia de manter um casamento de aparecia as vezes sai fora do controle, e isto prejudica Lucy e Ben. – a morena deu de ombro.

 

Elas continuaram andando até as crianças encherem os baldes, como já haviam andado bastante, na volta para o carro, a morena pegou a menina no colo, já que ela não podia se cansar muito. Assim que voltaram para o haras, os cinco tomaram banho para tirarem as maquiagens, e a morena colocou as crianças para dormirem um pouco, já que a noite ainda teriam a festa, e também aproveitaram para descansar um pouco, assim como os outros também estavam fazendo, já que a parte de decoração estava quase completa e agora o pessoal contratado terminariam. Quando já estava quase anoitecendo a morena tratou de acordar as crianças, assim como fizeram a tarde, as duas arrumaram as crianças primeiro, para depois se arrumarem, Oliver estava de Lobisomem, enquanto Lara estava de Bride Frankenstein, Sophie estava de Lady Drácula, enquanto Lauren estava de Lady Frankenstein, assim de todos prontos, desceram para a sala, já encontrando o pessoal pronto por lá, Tony e Katy estavam de  Medusa e Guerreiro de Pedra, Bruce e Rose estavam de Vitor e Emily de A Noiva Cadáver, Niki estava de chapeuzinho vermelho, só que com marcas de garras no rosto, Ben estavam de Owen Grady de Jurassic World, os pais da morena estavam de Mortícia e Gomez Addams, Jessie e Rob estavam de Chuck e Tiffany, de O Boneco Assassino, Jacob estava de Terminador, de O Exterminador do Futuro.

 

- Vocês estão incríveis, de Família Monstro. – a senhora falou assim que viu eles descerem.

- Obrigada. – a morena sorriu.

- Já está todo mundo pronto, o que acham de nos irmos, tenho certeza que já tem gente lá. – o senhor chamou a atenção de todos que concordaram.

 

Assim que a eles saíram da casa, já podia se ver toda a iluminação do celeiro, antes de chegar no celeiro tinha uma espécie de entrada, com várias abóboras iluminadas e galhos, no meio do caminho um pouco afastado podia se ver um caldeirão com bruxas em volta, mais a frente uma carriola com pedaços de esqueleto, já quase chegando no celeiro havia lapides, a porta do celeiro havia duas caveiras como se recepcionasse a entrada de todos, e do outros duas caveiras tirando foto, o celeiro estava todo enfeitado com o tema, as baias dos cavalos viraram espécies de barraquinhas, onde havia desde comida, até alguns jogos. O local onde se treinavam os cavalos, tinha um palco, onde a banda já se posicionava, como o senhor havia falado, já tinha algumas pessoas lá.

 

- Uau. – foi tudo que a loira conseguiu falar depois de olhar tudo.

- Ela é boa, não é. – a morena sorriu.

- Sua mãe com certeza é, eu nunca vi algo tão legal. – a loira ainda olhava em volta.

- Ela se supera a cada ano. – a morena sorri orgulhosa. 

- Tia eu posso pegar alguns cachorros quentes para comer, eu estou com fome. – o menino falou.

- Vamos todos nós, Lara também já deve estar com fome. – a morena olha para a menina que concorda com a cabeça.

 

Os quatro andaram entre as barraquinhas, pegando algo para as crianças comerem, logo se juntaram o resto do pessoal, eles conversavam e dançavam, já que a banda já havia começado a tocar, Oliver e Rob começaram a brincar, enquanto Lara andava pra cima e para baixo com os pais da morena, que levava ela para brincar nos brinquedos e para conhecer os convidados.

 

- Oi gente. – a ruiva chegou chamando a atenção de todos.

 

Assim que a morena olho para ruiva, seu queixo caiu, não acreditando na fantasia do casal, Lucy estava fantasiada da morena, com roupas dela e até tatuagens nos braços, já o Jimmy vinha fantasiado de Oliver.

 

- Eu vou matar vocês dois. – a morena falou brava.

- Laur, você não pode negar, que nossas fantasias estão maravilhosas. – a ruiva sorriu travessa, sabia que a morena iria ficar brava nos primeiros momentos.

- Eu vou mostrar a criativa, a hora que eu pegar vocês dois. – a morena bufou.

- Em minha defesa, isto foi ideia da minha noiva. – o rapaz sorriu.

- Jimmy, quando você vai aprender a ficar do meu lado. – a ruiva revirou os olhos, até com lentes azuis ela estava.

- Ela é faixa preta em judô, só to prezando pelo meu bem estar. – o rapaz deu de ombro. – Vocês são praticamente irmãs, ela não vai relar em você. – o rapaz explicou sua teoria, fazendo a ruiva negar com a cabeça.

- Claro que a ideia só podia ter vindo desta ruiva. – a morena cruzou os braços emburrada.

- Vida, não fique brava. – a loira falou carinhosa, puxando o rosto dela para poder olhar em seus olhos. – Ela foi criativa, não podemos negar. – a loira sorriu, fazendo o corpo da morena estremecer.

- Ela podia ser criativa com outra coisa. – a morena fez um bico.

- Podia, mais ela é Lucy, sua melhor amiga, que vive aprontando algo. – a loira riu deixou os rostos mais perto. – Desfaz este bico, vai. – a loira sorriu vendo a morena negar com a cabeça. – Desfaz, vai. – a morena negou de novo. – Estão eu vou ter que desfazer. – a loira uniu os lábios, em um selinho demorado, fazendo a morena relaxar e sorrir.

- Eu ainda estou brava com você. – a morena falou mais calma virando o rosto para ruiva, que sorriu, se aproximando da morena a enchendo de beijos.

- Você sabe que eu te amo. – a ruiva falou fazendo a morena sorrir.

- Vamos dançar. – o noivo da ruiva puxou ela, indo junto resto do pessoal.

- Quer ir dançar também? – a morena perguntou.

- Eu não sou muito boa. – a loira fez uma careta.

- Nem eu. – a morena sorriu puxando a mão da loira, indo em direção aonde estava o resto do pessoal.

 

No começo a loira estava um pouco travada, mais logo foi perdendo um pouco da timidez e começou a se soltar, todos riam, dançavam e bebiam algo. Depois de um tempo os pais da morena se juntaram com eles, a menina loira ficou no meio das duas, dançando de um jeito que arrancava risada das duas, em um certo momento o vocalista da banda para de tocar e chamou a atenção de todos.

 

- A muito tempo atrás, eu vim numa festa de halloween aqui no haras, e vi um talento que nunca tinha visto antes, tocando aqui em cima, então acho que para mim e para todos, será uma verdadeira honra poder ouvir ela novamente, já que faz um certo tempo que não ouço ela cantar, gostaria de chamar Lauren Johnson. – a rapaz chamou, fazendo todos baterem palma.

- Arrasa gata. – a ruiva gritou, assim que a morena começou a seguir em direção ao palco, fazendo os outros rir.

- Ei Ken. – a morena comprimento o cantor e o resto do pessoal. – Eu era novinha quando toquei aqui, junto com minha irmã, foi apenas uma música, mais aquilo me fez tremer, mais do que eu já tremi em toda minha vida, minha irmã Emily me passava toda confiança que ela tinha em mim, então eu consegui cantar sem vomitar em ninguém. – a morena contou, fazendo todos rirem. – Desde da morte da minha irmã nunca mais havia tocado piano novamente, mais ai eu conheci um anjo desmemoriado, que conseguiu quebrando todas as barreiras que eu havia construído, e com um simples pedido ela conseguiu me fazer tocar novamente. – a morena olhava para a loira, que tinha um enorme sorriso no rosto. – Tocar sem Emily era doloroso, mais meu anjo sem assas, conseguiu fazer eu tocar, como não posso ter minha irmã aqui para tocar novamente comigo, gostaria de chamar para tocar junto comigo hoje, um pedacinho dela na terra, meu sobrinho Oliver. – o menino arregalou os olhos, e logo o pessoal começou a bater palma.

- Eu não consigo. – o menino sussurrou assustado.

- Você consegui sim, você é um Johnson. – a loira sussurrou deixando um beijo o rosto do menino, passando coragem. – Vai lá. – menino acenou com a cabeça e começou a ir em direção ao palco.

- Eu sei que você nunca tocou para tantas pessoas, mais eu sei que você consegui, assim como eu e sua mãe conseguimos na nossa primeira apresentação. – a morena sorriu, a mãe da morena apareceu próximo a palco, entregando um violão para a morena. – Acho que já está na hora de você ter seu próprio violão. – a morena se aproximou do menino, entregando o violão que a mãe da morena havia entregue a ela.

- Ele é meu? – o menino olhou surpreso para a morena.

- Sim, eu não ligo que você use os meus, mais sei que você não fica muito à vontade quando tem que me pedir um meu, quando quer treinar. – a morena sorriu.

- Obrigado tia. – o menino abraçou a tia apertado.   

- Por nada. – a morena beijou o menino e se afastou, sentando na frente de um piano de calda curta que tinha no palco, fazendo todos olharem surpresos, já que a morena não tocava mais, somente a mãe da morena e a loira não mostravam surpresa e sorriu. – Está  música é sua favorita Emily, então espero que esteja escutando de onde você estiver. – a morena fechou os olhos e respirou fundo, assim que abriu os olhos, olhou para o sobrinho passando coragem para ele, acenando com a cabeça para começarem a tocar.

 

And I'd give up forever to touch you
Cause I know that you feel me somehow
You're the closest to heaven that I'll ever be
And I don't want to go home right now

And all I can taste is this moment
And all I can breathe is your life
Cause sooner or later it's over
I just don't want to miss you tonight

And I don't want the world to see me
Cause I don't think that they'd understand
When everything's made to be broken
I just want you to know who I am

 

A morena levantou o rosto, olho para o sobrinho e sorriu, mais logo seus olhos procuraram os da loira, que se conectaram, não desfiando mais.


And you can't fight the tears that ain't coming
Or the moment of truth in your lies
When everything feels like the movies
Yeah you bleed just to know you're alive

And I don't want the world to see me
Cause I don't think that they'd understand
When everything's made to be broken
I just want you to know who I am

 

I just want you to know who I am
I just want you to know who

And I don't want the world to see me
'Cause I don't think that they'd understand
When everything's made to be broken
I just want you to know who I am

I just want you to know who I am
I just want you to know who I am
I just want you to know who I am

 

Assim que a música acabou todos batiam palma e alguns assoviavam, a loira sorriu orgulhosa, enquanto os pais da morena tinha lágrimas nos olhos.  

 

- Obrigada. – a morena sorriu. – Prometo que está será a última música, então gostaria de chamar Jimmy, para poder me ajudar. – o rapaz deu um beijo na noiva e subiu ao palco. – Desculpa por fazer isto chef, sei que tem vergonha, mais acho que está na hora de todos verem o seu talento. – a morena sorriu.

- Oh meu Deus. – o menino sussurrou arregalando os olhos.

- Não se preocupe, Jimmy estará ao seu lado. – a morena sorriu, vendo o amigo sentar ao lado do garoto, com um violão na mão, o rapaz sorriu para o menino que concordou com a cabeça. – A próxima música, pode não ser eu que irei cantar, mais mesmo assim eu dedico ao meu anjo sem assas. – a morena piscou para a loira, que sorriu.   

- Pronto. – o rapaz olhou para o menino que concordou com a cabeça.

- Toque a última música que treinamos. – o menino, olhou para a tia e concordou com a cabeça. – Ei Emily, ele sabe cantar e você não. – a morena riu, a irmã sempre odiou não saber cantar, o que muitas vezes a morena tirou saro.

 

O menino respirou fundo, posicionando os dedos no violão, levantou o rosto olhando para o tio ao seu lado e depois para a morena, e logo começou a tocar, sendo acompanhado pelo o rapaz.

 

You look so wonderful in your dress
I love your hair like that
The way it falls on the side of your neck
Down your shoulders and back

We are surrounded by all of these lies
And people who talk too much
You got the kind of look in your eyes
As if no one knows anything but us

And should this be the last thing I see
I want you to know it's enough for me
'Cause all that you are is all that I'll ever need

 

Rose, Tony e Lucy, subiram ao palco, se juntando com eles, cada um assumindo um instrumento.


I'm so in love, so in love, so in love, so in love

You look so beautiful in this light
Your silhouette over me
The way it brings out the blue in your eyes 
Is the Tenerife Sea
And all of the voices surrounding us here 
they just fade out when you take a breath
Just say the word 
and they'll all disappear into the wilderness

And should this be the last thing I see
I want you to know it's enough for me
'Cause all that you are is all that I'll ever need

I'm so in love, so in love, so in love, so in love

Lumiere, darlin'
Lumiere over me
Lumiere darlin'
Lumiere over me
Lumiere darlin'
Lumiere over me
Lumiere darlin'
Lumiere over me
Lumiere darlin'
Lumiere over me
Lumiere darlin'
Lumiere over me

And should this be the last thing I see
I want you to know it's enough for me
'Cause all that you are is all that I'll ever need

I'm so in love, so in love, so in love, so in love

You looked so wonderful in your dress
I loved your hair like that
And in the moment I knew you better

 

 

Todos batiam palmas, enquanto o menino sorria. A morena se levantou indo até o menino dando um abraço e um beijo do menino, todos acenaram se despedindo e desceram do palco, assim que a morena se aproximou da loira, foi envolvida pelos seus braços a puxando para um beijo apaixonado. Assim que o beijo deve fim, a loira colou sua testa na da morena.

 

- Eu te amo. – a loira sussurrou.

- Eu também, te amo. – a morena sorriu, logo juntando os lábios novamente.

- Eu estou orgulhosa de você. – a loira falou assim que se separaram.

- Eu também estou, obrigada por fazer a escuridão dentro de mim sumir, por ser meu anjo sem assar, por preencher ainda mais a minha vida. – a morena  falou com todo amor, ela estava orgulhosa de sim mesma, afinal depois de tanto tempo conseguiu voltar a tocar, e o melhor, para que outras pessoas que sempre soube da soube da história da morena.

- Obrigada por existir. – a loira sorriu, unindo os lábios novamente, num selinho demorado.

- Eu também estou orgulhosa. – a ruiva apareceu do lado das duas, abraçando as duas ao mesmo tempo, arrancando risada das duas. – Eu não acredito que você tocou para está loira, e nem me falou. – a ruiva fez um bico.

- Desculpe. – a morena deu um sorriso culposo.

- Obrigada, por ter trazido minha amiga de volta. – a ruiva sorriu carinhosa para a loira que sorriu de volta.

- Eu que tenho que agradecer, pois se não fosse você, talvez nós ainda não estaríamos juntas. – a loira se recordou dos conselhos da ruiva.

- Vocês são lentas, mais acho que não iriam demorar tanto para ver que estavam apaixonadas, bem talvez demorariam. – a ruiva riu, fazendo as duas revirarem os olhos e rirem.

- Oliver? – a morena chamou o menino, assim que viu o sobrinho se aproximar. – Você foi muito bem lá em cima, e me desculpe por fazer você tocar e cantar. – a morena sorriu culposa, já que ela sabia que o menino não gostava de chamar a atenção e era tímido.

- Obrigado tia, mais não precisa se desculpar, foi legal ver todo mundo aplaudir. – o menino sorriu.

- O dia que você quiser fazer parte da banda, com certeza você já terá seu lugar, você realmente é uma mini cópia da sua tia. – a ruiva sorriu, passando o braço pelo ombro do menino.  

- Não, prefiro continuar assim, só assistindo. – o menino fez uma careta.

- Agora vamos aproveitar está festa, pois eu só saiu daqui, a hora que o sol nascer. – a ruiva falou animada, batendo palmas, fazendo os outros rirem.

E elas iriam aproveitar, pois a festa estava só começando.

 

 

Continua...


Notas Finais


Musicas tocadas:

Elle King - Ex's & Oh's
https://www.youtube.com/watch?v=X9OvgrxaPKU

Iris - Goo Goo Dolls (Hannah Trigwell acoustic cover)
https://www.youtube.com/watch?v=ngNrocw7SAU

Tenerife Sea - Ed Sheeran (Jonah Baker Cover)
https://www.youtube.com/watch?v=kNK6tYxeHeU

Roupas usadas:

Sophie

Viagem:
http://www.polyvore.com/sophie_74_trip/set?id=209125670

Lauren

Uniforme de Trabalho:
http://www.polyvore.com/lauren_88_job/set?id=210906569

Viagem:
http://www.polyvore.com/lauren_75_trip/set?id=209190444

Fantasias.

Lauren (Caveira):
http://www.polyvore.com/lauren_78_halloween_skull/set?id=210381663

Sophie (Caveira):
http://www.polyvore.com/sophie_79_halloween_skull/set?id=210388391

Oliver (Caveira):
http://www.polyvore.com/oliver_80_halloween_skull/set?id=210394962

Lara (Caveira):
http://www.polyvore.com/lara_81_halloween_skull/set?id=210397047

Lauren (Lady Frankenstein):
http://www.polyvore.com/lauren_73_halloween_lady_frankenstein/set?id=209111492

Sophie (Lady Drácula):
http://www.polyvore.com/sophie_72_halloween_lady_dracula/set?id=208961680

Oliver (Lobisomem):
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/ef/53/4f/ef534f173fc45c546d42c1026941090d.jpg

Lara (Bride Frankenstein):
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/3e/5b/a1/3e5ba18137e7d977f5d827e15d09afa0.jpg

Tony e Katy (Medusa e Guerreiro de Pedra):
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/9d/7a/c5/9d7ac5a345258594d06ce27470dff47a.jpg

Bruce e Rose (Vitor e Emily):
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/fa/cd/68/facd6810109d971d4c82df7042d1f51c.jpg

Charlie e Ellen (Morticia e Gomez Addams):
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/53/47/41/534741ed5f00a203b40ec59ed52f2304.jpg

Jessie e Rob (Chuck e Tiffany):
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/35/4a/a2/354aa21acaca6a3d814dde3f22104b6e.jpg
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/36/bf/ea/36bfeadecbc9ab397f4faa395b81d3b1.jpg

Niki (Chapeuzinho Vermelho):
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/ca/15/ee/ca15eeb43df580d5ef448d8cc0b2dbe2.jpg

Ben (Owen Grady):
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/b9/63/0a/b9630a7c15730575c2cefe746be15823.jpg

Jacob (Terminador):
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/d2/1b/5b/d21b5b81f5e608202a1abc04b782215f.jpg

Decoração da Festa.

Entrada:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/e2/a7/14/e2a714f33aaaf22ad8f44e180e978379.jpg

Caldeirão com Bruxas:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/f7/a5/62/f7a562ec98091d2802ccbe728844f446.jpg

Carriola com restos de esqueletos:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/a2/b3/12/a2b31285ea86a47380cccf4760b74a7d.jpg

Lapides:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/b9/ff/c7/b9ffc7f3afed1a750ba4ca1c1bd87efa.jpg

Caveiras nas Recepção:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/e2/19/c8/e219c804d30dc211ebbf1ea01f1422f2.jpg

Caveiras Tirando Foto:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/b5/6b/dc/b56bdcae76cbdece1f8061b245d6c467.jpg

Personagens:

Eleonor Hanson:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/8a/14/a0/8a14a03983556f0289a461c7efb019f3.jpg

Ellen Johnson:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/8e/0e/ba/8e0eba33f9f195086032578782c54e33.jpg

Charlie Johnson:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/6a/c6/7b/6ac67bfc0a5ffda93361385b3bd2b88d.jpg

Tiffany:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/21/bd/44/21bd443a5a949e8d6348262c1140e4fc.jpg

Objetos.

Touca de Orelhas de Raposa:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/c5/5d/03/c55d031b41f5072d66267e9e69ce44b7.jpg

Violão do Oliver:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/8b/7b/52/8b7b520aae85da78bd4f9eded40e34fb.jpg

Decoração da Confeitaria:

Porta de Múmia:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/17/04/94/1704947527913e9192c619a2f2d04671.jpg

Pernas de Bruxa:
https://homebnc.com/homeimg/2015/10/58-halloween-door-decorations-homebnc.jpg


Obrigada por lerem.

Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...