História Destinos cruzados - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Robert Pattinson
Personagens Personagens Originais, Robert Pattinson
Exibições 3
Palavras 3.112
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom tarde gente bonita!!!
Então eu continuo escrevendo essa fic, porque é algo que amo fazer, no entanto desisti de postar porque ninguém lê na verdade kkk mas minha amiga é muito chata e pediu para postar. Então caso tenha alguém que leu e ficou chateado com o meu sumiço peço desculpas e dê um sinal de vida que assim continuarei postando. Acho que é só isso.
Ahh peço perdão pelos acontecimentos estarem meio devagar mas a partir desse capítulo as coisas vão começar acontecer.
Beijos e obrigada Sra. Wesley pela dedicação como amiga e leitora ❤

Capítulo 5 - Às vezes chorar faz muito bem


Bella's POV

A minha vontade de ir para a festa da Clara no sábado era enorme, tão enorme que depois da aula de dança, cheguei em casa e me joguei na cama e lá estava até que minha mãe gritou da sala perguntando se eu ia sair hoje ou não. Olhei no relógio e percebi que já era mais de 18 horas se eu não fosse me arrumar agora eu iria ficar pronta só amanhã. Eu era bem demorada para me arrumar, a roupa nunca tava boa e eu acabava trocando uma ou duas vezes e depois tinha a guerra contra o meu cabelo, ele tinha ondas que eu achava lindas mas tinha volume então não costumava usar cabelo solto, vivia com elas presas livremente em um rabo de cavalo e deixava umas mechas soltas na frente, por isso demorava a decidir o que fazer com eles quando ia a uma festa, fazer chapinha era muito comum todo mundo ia com os fio lisos as festas até na escola, eram escravas da chapinha o meu cabelo, dizia a minha mãe que ficava muito bem liso mas eu não gostava muito, como fui ao cabeleireiro nessa semana já havia decidido deixar o cabelo solto para mudar um pouco, então era menos uma coisa para decidir, mas aí tinha o brincos, o colar e por ai vai. Fui até o banheiro tomar um banho.

Eu dividia o banheiro com a minha irmã mais velha até o início desse ano, agora ela estava morando em um apartamento junto com mais duas amigas perto da faculdade dela, provavelmente essa era a mesma faculdade que eu vou daqui mais ou menos um ano, cada dia no ensino médio é um saco, mas é um dia mais perto da faculdade. No começo ela prometeu passar os fins de semana em casa, ela dividia as contas com suas amigas, uma era a sua melhor amiga a Sabrina, ela vivia na nossa casa quando elas eram mais novas, minha irmã não tinha ido morar lá definitivamente, algumas coisas dela ainda estavam aqui, nós dividiamos o mesmo quarto, era bem grande e mesmo que ela tivesse aqui não ficava apertado nem ruim, mas um quarto só para você é muito melhor. Nós não gostávamos das mesmas coisas em muitos aspectos, mas nós entendíamos muito bem, ela era minha melhor amiga, a Judith era 3 anos mais velha que eu e nós duas somos bem parecidas fisicamente com nossa mãe, a fisionomia e o corpo, nós três tínhamos mais bumbum do que peitos, para minha irmã era a coisa que ela mais amava no seu corpo, mas eu não, as vezes tinha a impressão que era a única coisa que chamava atenção dos garotos em mim, eu não era linda, mas também não era só corpo, a Aria vivia dizendo que faria qualquer coisa para ter bunda grande como eu. Mas ela não imagina como era desconfortável coloca short ou legging para ir a educação física e perceber os garotos olhando para sua bunda, era horrível, eu não entendia o que algumas garotas tinham na cabeça para se sentirem as garotas mais gatas e desejadas só porque algum garoto olho para a bunda ou os peitos dela isso era RIDÍCULO.

Vesti a roupa que já tinha decidido na semana passada, quando fui ao shopping com a mamãe e me apaixonei pelo short marrom e decidi que ia com ele a festa da Clara, deixei meu cabelo solto ao natural, coloquei um colar com pedras azuis e argolas finas e pratas, e meu anel preferido que ganhei quando fiz 16 anos dos meus dindos que moravam no estado vizinho, ele era dourado com uma flor de pedra verdadeira, nada parecido com as joias baratas que eu estava costumada a usar, eu não tinha frescuras com relação a isso, nem com roupas de marca e maquiagens caras, mas ter um anel verdadeiro no dedo era digamos que diferente, me fez sentir diferente mas ao mesmo tempo me deixou mais parecida com as garotas patricinhas da minha escola. Me olhei no espelho e até que gostei do que vi, estava realmente bom, desci as escadas e minha mãe, Meredith, estava deitada no sofá assistindo TV, ela trabalhava em um instituto de meteorologia apenas pela parte da manhã, de segunda a sexta, o resto do tempo era uma dona de casa dedicada e uma mãe maravilhosa, assim como esposa, ás vezes achava minha mãe boa demais para ser verdade, ela costumava trabalhar bastante e vivia no computador. Ela me olhou e disse : 

-Que linda, já arrumou as coisas para ficar lá ?

-Mãe eu te falei ontem que depois a aula eu deixei minha mochila com as coisas que vou precisar na casa da Clara.

-Ah, desculpa tinha esquecido. Que horas a Aria vai passar aqui ?

-Daqui a pouco, a gente marco ás 20. To bem nessa roupa ?

-Ta sim, esse é o short que você comprou aquele dia né ?

-É, tem certeza mãe ?

-Por favor né. –disse minha mãe rindo.

Fui até o quarto e me olhei no espelho novamente para ter certeza que estava tudo ok, coloquei mais um pouco do meu perfume preferido que de tanto eu usar estava no fim infelizmente, que eu não teria outro dele tão cedo, ele era importado, eu tinha ganhado do Ethan um mês depois que ele foi embora, o cheiro me fazia lembrar dele e ele dizia que escolheu aquele perfume porque fez ele lembrar
de mim assim que sentiu o perfume. Era da Juicy Couture e custava um trezentos reais no mínimo, o Ethan tinha sérios problemas com presentes, depois que ele foi embora eu já tinha recebidos varias coisas dele, esse perfume, um vestido da Forever 21, lindo, azul coladinho ao corpo mas com a sai soltinha do jeito que eu gosto, a gente vivia brigando por isso, ele era só meu amigo e então não devia ficar me dando tantos presentes, e também porque eu não podia dar presentes para ele, ele tinha tudo que precisava e o que não precisava também, qualquer coisa que eu desse seria indiferente para ele, mas ele dizia que ter me conhecido já era o maior presente que ele ganhou. E claro toda vez que ele dizia eu me derretia por dentro.

Meu facebook estava aberto, então fui dar uma última olhada antes de sair, tinha uma mensagem da Alice, pedindo uma foto para ver que roupa eu ia a festa, eu tinha esquecido que ela pediu, tirei foto e enviei pra ela.

-Tá showwww [❤] – ela digitou.
           Alice, era uma amiga do Ethan, que eu conheci um pouco antes dele ir embora, ela ficou uns dois meses aqui, foram uns dos melhores dias da minha vida, ela é super parecida comigo, mas tinha um jeito patricinha talvez pela criação dela, veio de família rica e sempre tem tudo o que quer quando quer, mas desde que nós conhecemos ela sempre me tratou bem, talvez foi isso que fez nós sermos tão amigas, ela me considerava sua melhor amiga e eu também, ela era de gêmeos que combinava com o meu signo. Ela era super confiante e tentava passar isso para mim que tinha meus momentos de insegurança, apesar de só ela saber disso, para os outro eu era uma pessoa mega confiante sempre, a Alice mudava de ideia muito rápido e não gostava de fazer planos, ela adorava sair e isso era bom porque eu era muito caseira, então ela fazia eu sair um pouco de casa, era apaixonada por moda e eu não entendia nada sobre isso, ela me ajudava com roupas, maquiagem e cabelos porque eu era uma negação total com relação a isso. O que eu mais gostava na Alice e que não tinha em nenhuma das minhas amigas era o jeito que ela tinha de me colocar para cima, ela me elogiava e não ficava com ciúmes por nada, ela me conhecia muito melhor do que eu podia imaginar, mesmo em um pouco mais de dois meses de convivência ela sabia quando eu tava triste ou preocupada com alguma coisa, eu não costumava falar das coisas que eu estava sentindo para ninguém mas com a Alice era fácil conversar sobre qualquer coisas desde a mais idiota até aquelas coisas que você não fala para ninguém. Principalmente as coisas que ninguém mais podia saber, confiar nela era mais fácil do que na minha irmã.

Judith tinha um pouco de ciúmes dela eu acho, Alice tinha 24 anos então ela devia ser amiga da Judith e não minha, mas ela me entendia como se fosse uma adolescente de 16 anos como eu, coisa que a minha irmã não fazia, às vezes ela costumava me julgar errado como se nunca tivesse tido a minha idade, eu nunca entendia essas atitudes estranhas porque na maior parte do tempo nós nos dávamos muito bem, tirando as brigas pelas roupa que existiam desde que eu me lembro de ficar imaginando como seria quando eu tivesse a idade dela, ai eu pegava as coisas dela para ver como eu ficava e ela odiava, depois quando crescemos nós dividíamos as roupas e ai brigávamos de novo porque ela tinha uma mania insuportável de pegar as minhas coisas emprestadas e não devolver, ai eu tinha que ficar catando as minhas coisas dentro do armário dela. Me deu uma saudade de tudo isso, de quando a gente dividia a mesma casa, as coisas, eu fui a primeira a saber que ela iria embora para valer. Houve uma época em que eu adorava quando ela ia dormir na casa das amigas, então eu tinha o quarto todo pra mim, mas eu andava me sentindo tão sozinha, eu me lembro dia em que ela me disse que ia morar em outra casa.

-Olha só, eu quero que você saiba, eu vou contar para a mamãe, mas não agora, é que... mesmo que eu não fique morando na casa da Sabrina, eu vou morar em outro lugar, acho que já ta na hora de eu viver minha própria vida. –ela disse isso como se eu fosse uma criança, fazia apenas uns 4 meses, mas foi exatamente como uma criança que eu me senti, eu me abracei nela e comecei a chorar, no momento eu não entendi porque estava chorando, nós duas costumávamos imaginar como iria ser nossas casa quando ficássemos mais velhas, mas era tão cedo, eu devia estar dando pulos de alegria por ela, mas o combinado era terminar a faculdade primeiro e depois comprar uma casa, a casa dos sonhos dela, e agora ela já estava indo tão cedo, sem nenhuma plano para o futuro apenas indo.

-Ai eu to tão feliz por você, promete que vai se cuidar e não vai fazer besteira ?

-Tá eu prometo, só de vez em quando, e você tem que prometer que não vai esquecer de mim e que vai continuar me contando o que tão acontecendo por aqui, ok ? – eu concordei e rimos abraçadas.

Sai dos meu pensamentos com a minha mãe me chamando dizendo que a Aria tinha chegado, o pai dela tinha um carro simples, um Gol, de uma cor esquisita, meio verde meio prata, quando chegamos na festa, a casa da Clara, estava muito bonita com todas as luzes acesas e outros pontos de luz branca que se via pelas janelas. Saímos do carro e entramos na casa que estava com a porta do lado aberta, que dava direto na parte da piscina que estava com as luzes acesas, tinha um DJ no deck, tocando uma música do Calvin Harris, tinha umas garotas da minha escola, magras demais e arrumadas de mais, me fez até pensar que eu estava desarrumada, perguntei para a Aria se eu estava bem, ela vestia uma blusa soltinha presa em uma saia cor de rosa comprida até o pé, a blusa era branca simples, com alcinhas finas e um colar provavelmente feito por ela, a corrente era de tecido, meio esfarrapado, eu não fazia a menor ideia de como se chamava aquilo, com uma pedra rosa na ponta presa por nos, era bem bonito até. O cabelo estava liso e preso em um rabo de cavalo, e como era típico ela usava uma sombra preta bem esfumada com bastante lápis de olho, eu fiquei pensando se ela tinha feito chapinha, não era típico dela. A Aria era a mais baixinha de nós quatro e por milagre ela estava usando saltos o que também não era típico dela.
             -Você tá linda! –ela disse sorrindo.

-Tem certeza? Olhas essa garotas. – disse olhando de canto para as garotas que estavam sentadas em um sofá que tinha em um canto, junto com uns garotos que reconheci serem do mesmo ano que o Harry.

-Ah, por favor, quando elas não estão arrumadas demais ? – ela me respondeu com uma cara de quem diz “desde quando a gente se importa com isso”.

-Tá bem, você fez chapinha ?

-Sim, porque? Fico estranho ?

-Não, fico legal, desde quando você faz chapinha e usa salto para uma festa normal ?

-É que eu quero mudar um pouco... tentar ser diferente para alguém – ela me respondeu e olhou para baixo.

-Você não me contou, sua vadia, quem é?

-É um garoto do último ano e ele vem e sei lá ... só tentei ficar mais bonita.

-Ainn, Aria ... apaixonada ... - a abracei.

-Oii, florzinhasss ! – era a Clara, com o seu cabelo impecável e o sorriso como se fossemos amigas desde sempre. O que me fez sentir mais nervosa.

–Divirtam –se meninas eu já volto, vocês estão lindas. –elas nos abraçou e saiu.

Nós fomos pegar uma bebida na mesa, tinha um cara fazendo drinques e do nosso lado um garoto, talvez da minha idade, que eu não conhecia, ele me olhou e sorriu, ele era muito bonito, tinha olhos castanhos escuros, cabelos com cachinhos e um sorriso lindo, talvez fosse a minha salvação para mais uma noite de vela, a Aria estava com esse cara que eu não fazia a menor ideia de quem fosse, que daqui a pouco já estava por aqui, a Melany vinha com o namorado, a Stephanie ia estar com o Harry, eu espero que não ali, mas se não fosse ele, seria outro e a Clara não ia ficar na sua própria festa sozinha, porque o plano dela de tentar alguma coisa com o Harry com certeza já tinha dado errado. Saímos dali, a Aria pegou o celular e eu pensei em pegar o meu porque eu não tinha exatamente nada para falar e ninguém que estava ali eu conhecia. Mas aí do nada surge a Fany, saindo de um corredor, que dividia a casa do muro dos vizinhos, com batom borrado, ela teve que passar por nós , então nos cumprimentou. E foi inevitável tive que dizer :

- Ei acho que ta borrado aqui. –disse dando uma risadinha

– Quem você tava dando uns beijos? –Nós três rimos. Ela ficou vermelha, e isso respondeu a minha resposta, ficar vermelha por causa de garotos não era coisa da Fany, então significava que ela estava com o Harry, aquela vaca, ficando com o ex da amiga dela no meio da festa da amiga . Ela mudou de assunto perguntando pela Clara e saiu atrás dela, tomara que ela estivesse indo contar para ela porque era o que eu ia fazer. Um garoto, magro, alto, cabelos cortados com um corte estranho, olhos escuros, um alargador na orelha, camisa xadrez preta e branca, calça jeans apertadinha, veio caminhando até nós, eu conhecia ele, mas não lembrava o nome, ele tinha aula de artes comigo, parecia ser legal e era até bonito, ele olhou para mim e fez sinal para mim não falar nada e deu um sustinho na Aria, então era esse o cara.

Eles se cumprimentaram com um selinho, a Aria me apresentou, ele era o Theo, parecia bem simpático.

-A gente vai dá uma volta tá ? – A disse com uma carinha de triste por me deixar, eu tinha o costume de chama- lá de A as vezes.

- Tá bem A, divirtam-se.- disse jogando beijinhos. Peguei o celular, tinha uma mensagem do Ethan.

“Divirta-se na festa hoje. Não esquece de contar aquilo para sua amiga.”

Não me lembro bem que dia eu tinha ligado para o Ethan e contado para ele essa historia toda, ele me disse que eu devia contar porque se eu tivesse no lugar dela eu ia querer que ela fizesse o mesmo. O bom de conversar com o Ethan era que você podia falar sobre tudo, ele me disse que não gostava muito do Harry, primeiro porque eu achava ele bonito e segundo porque ele achava meio errado isso que o Harry tava fazendo, esconder o que ele e a Stephanie estavam fazendo, era errado, ele tinha dito, estavam fazendo ela de boba e eu concordava plenamente. Fui atrás da Cla, ela estava junto com a Fany, elas falavam sobre o Pietro, e pelo que eu entendi a Fany estava pensando em voltar com ele.

-Cla, eu posso falar com você um pouquinho ?

-Tem que ser agora ? Nesse momento chegou a Aria e elas mudaram de assunto.

-Então quem era aquele boy que você tava dando uns amassos ? – perguntou a Melany que havia chegado. A Aria riu, e falou para nós quem ele era, e deu a noticia de que eles estavam oficialmente namorando. Foi aí que a Clara disse.

-Então... agora só falta a Bells. Tem um cara, ele ta na faculdade e ele é um sonho.

-Meu deus gente, quanto tempo eu estive fora ?- disse a Melany brincando.

– A Fany, vai voltar com o Pietro então, eu tenho o Lucas, a Aria esse boy magia aí.

- Claro que só falta a Bells, como sempre. – disse a Stephanie. Eu pensei em rir, mas as meninas tavam rindo com tanta vontade, me deu vergonha e vontade de chorar o tom de voz que a Fany falou foi de zombaria, aquilo me magoou. A Clara não riu como elas e olhou para baixo, eu virei e sai andando, as lágrimas escorrendo, a primeira ideia foi ligar pro Ethan, mas ele ia pensar que eu sou uma idiota. Sai dali e atravessei o gramado. Um cara me chamou mas eu não dei atenção deve ser só um daqueles garotos idiotas da minha escola. Sentei no meio fio e o idiota sentou do meu lado, ele não viu que eu tava chorando? Ou o que ?

-Você tá bem ?

-To sim, só quero ficar sozinha. –Sequei as lágrimas e olhei para ele.

–Harry ?
 


Notas Finais


Espero que tenham gostado e não se deixem levar pelo jeitinho do Harry hein.... ele não é o que parece SUAHSUAHSUAHSUAHSUHA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...