História Destinos Cruzados - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma, Mills, Once, Regina, Swan, Swanqueen
Exibições 171
Palavras 1.443
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal!
Obrigada pelos comentários!!
Esse é o último capítulo pronto que eu tinha escrito, então a partir de agora terei que produzir.
Vamos ao que interessa?
Espero que gostem, e relevem os erros pls.

Capítulo 5 - Capítulo 5


Emma acordou na manhã seguinte com um salto, quando sentiu o pequeno corpo de seu irmão pular sobre sua cama.

- Acorda! Acorda! Acorda! - Neal gritava enquanto continuava a pular como se estivesse em uma cama elástica.

- Neal! Deixa a sua irmã dormir! Vem já aqui! - a voz de sua mãe Mary Margareth soou ao fundo, em meio a bagunça do irmão.

- Mas ela tem que ver a surpresa mamãe! Acorda Em! Acorda! Acorda!

Emma se espreguiçou e coçou os olhos para abri-los em seguida e encontrar o par de olhos claros de seu pequeno irmão lhe encarando, acompanhado de um imenso sorriso. Emma amava acordar assim...

- Emma! Emma! Tem surpresa pra você! - Neal quase atropelava as palavras tamanha era sua ansiedade. Emma sentou-se na cama ainda tentando se localizar no dia.

- Bom dia meu pequeno príncipe - Emma agarrou o irmão e lhe distribuiu beijos por todo o rosto, fazendo o menino rir e se contorcer. - Bom dia mãe.

- Bom dia filha. Tem um presente pra você lá embaixo, entregaram hoje cedo. - Mary disse ainda encostada no batente da porta.

- Uma surpresa! - Neal disse com um sorriso enorme.

- Surpresa é? - Emma repetiu para o irmão e encarou sua mãe que apenas lhe deu um sorriso. - Então, vamos ver o que é né? Fiquei curiosa. - sorriu para o irmão que ainda lhe olhava com aquele enorme sorriso nos lábios.

- Sim! Sim! Sim! - Neal voltou a saltar na cama, mas dessa vez batendo palmas. O menino saltou da cama e correu para fora do quarto da irmã.

Emma se levantou indo ao banheiro, beijou o rosto de sua mãe e foi fazer sua higiene matinal. Ao sair, Emma notou que Mary permanecia parada no mesmo lugar. Enquanto procurava o que vestir, Emma questionou a mãe apenas a olhando. Mary entrou no quarto e sentou-se na cama observando a filha mexer nas gavetas.

- Vai me contar o que houve? - ela sabia que havia algo errado, e Emma sabia que não poderia esconder.

- Killian... - Emma fez uma pausa pensando no que dizer exatamente. Já se sentia humilhada demais apenas por saber sua atual realidade, mas admitir em voz alta tornava as coisas muito piores. Escolheu as palavras e encarou sua mãe. - Killian agora é passado...

- Mesmo? - Mary a olhava com curiosidade. - Não sabia que passados mandavam flores. - ergueu a sobrancelha sabendo que a filha não havia contado tudo. - O que ele fez? - Emma suspirou, toda a noite anterior passou diante de seus olhos e sentiu os mesmos marejarem.

- Traição. - foi só o que Emma conseguiu dizer.

Mary se levantou da cama e abraçou a filha. Emma respirou fundo tentando conter as lágrimas que lutavam para sair, mas ela já havia feito a promessa de não choras mais e ela iria cumprir. Separou-se da mãe e sorriu para a mesma tentando parecer mais forte do que realmente era. A verdade é que seu interior estava destruído, arrasado, mas ela não deixaria aquilo transparecer.

- Pode jogar fora pra mim? As flores? - pediu um pouco sem jeito.

- Neal não vai ficar muito feliz. - sorriu para a filha e lhe afagou o braço.

- Espera ele ir pra escola então... - Emma pediu e a mãe apenas assentiu.

- Vai ao estúdio hoje?

- Sim. - suspirou. A verdade é que gostaria era de ficar em casa, jogada na cama e curtindo sua fossa, mas tinha que ser forte, não era mais uma criança e tinha suas responsabilidades, não havia tempo pro sofrimento. - Preciso terminar o projeto da prefeitura. - Pegou a roupa que usaria naquele dia e jogou sobre uma cadeira.

- Ok. Vou arrumar o Neal pra escola e te espero lá embaixo pra tomarmos café juntas.

- Obrigada mãe. - Emma sorriu em agradecimento.

Mary retribuiu o sorriso e saiu deixando a filha sozinha. Emma suspirou e jogou-se na cama. Iria afundar-se em trabalho, preencher cada pedacinho de seu tempo com ele, ou do contrário, não seria capaz de superar sua realidade, ainda que tentasse.

- Vamos Swan! Você consegue... Você é forte... Você pode qualquer coisa... - tentava se incentivar. Levantou-se da cama num salto e foi em direção ao banho. Sabia que seria difícil passar por aquilo, e que sua jornada de aceitação e recuperação seria longa, mas tinha uma certeza: no fim, ela venceria e tudo seria apenas lembrança.

 

-x-

 

Regina já estava no décimo copo de café quando o relógio marcava 8:00h da manhã. Seu plantão só acabaria ao meio-dia e ela já não aguentava mais. Podia afirmar com grande convicção que aquele havia sido o pior plantão de toda a sua carreira. Todo tipo de paciente de trauma deu entrada na quela noite: acidente, atropelamento, ferimento a bala... todos precisando de uma consulta da Dra. Mills. Regina mal teve tempo de se sentar, passou a maior parte do plantão no centro cirúrgico, emendando uma cirurgia a outra. Pela primeira vez, naquele plantão, estava conseguindo relaxar. Estava deitada na cama da sala de descanso dos médicos, de olhos fechados, e desejando um breve cochilo, que fossem minutos, ela estava exausta demais e qualquer coisa seria lucro. Mal teve tempo de pensar no sono, seu bipe tocou a fazendo resmungar e levantar. Correu em direção à ilha da enfermagem para saber a qual setor se dirigir, mas ao chegar deu de cara com Zelena.

- Bom dia sis! - cumprimentou a amiga com um entusiasmo descomunal para aquela hora da manhã.

- Agora não Zel, me biparam pra uma emergência. - Regina se debruçou no balcão da enfermagem aguardando a enfermeira-chefe.

- Não tem não. Fui eu que te chamei boba...- sorriu de maneira travessa para Regina que a olhou incrédula.

- Você o que?! Puta que pariu Zelena! Não acredito!!! - Regina revirou os olhos e bufou irritada. - Porra, eu estava quase pegando no sono, finalmente consegui relaxar. Eu vou te matar! Eu tava quase dormindo. - choramingou.

- Não seja por isso, vamos pra sala de descanso que eu te faço companhia, depois de conversarmos, é claro... - Zelena agarrou o braço da amiga e saiu arrastando-a pelo corredor.

- O que você quer afinal?

- Uau, já detectei traços de mau-humor... - gargalhou ao ver a expressão de Regina, fazendo a mesma revirar os olhos. - Sabia que adoro te ver irritada? É tão divertido...

- Vai direto ao ponto Zelena. - regina abriu a porta da sala de descanso constatando que a mesma ainda se encontrava vazia.

Ambas entraram no cômodo e enquanto Regina se lançava em uma das camas, agarrando-se a um travesseiro, Zelena se acomodava em uma poltrona perto da cama encarando a amiga. Parecia pensativa, até que soltou de uma vez:

- Você poderia me ajudar com a sua irmã? - perguntou receosa.

- What?! - Regina sentou-se na cama assustada com o que ouvira.

- Você me ouviu e me entendeu Regina, não finge que não... Pode me ajudar sim ou não?

- Zelena, a Olívia é hétero, você sabe disso...

- E daí? Sempre tem uma primeira vez pra tudo. - Regina continuava em silêncio apenas encarando a amiga. - C'mon sis! Eu te faço uma proposta, um acordo, o que quiser...

- O que quiser? - finge interesse, Zelena apenas acena positivamente. - O que por exemplo?

- Er... não sei, talvez... - parece pensar na proposta para a amiga. - Você me ajuda com a Olívia e eu te acoberto até o final do seu plantão, assim você dorme e ninguém te incomoda. - piscou um olho para a amiga.

- Eu tenho uma proposta melhor - chegou na beira da cama ficando mais próxima de Zelena. - Você me acoberta pra eu cochilar um pouquinho e eu te pago um café.

- WHAT?! No way!!! - Zelena estava inconformada e Regina se controlava para não gargalhar. Vendo que a amiga permanecia em silêncio aguardando uma resposta, Zelena bufou rendida. - Fine... Dorme aí sua vaca, mas isso vai te custar caro Dra. Mills.

Regina se permitiu gargalhar e depois lançou um sorriso maroto para a amiga. Zelena apenas revirou os olhos e saiu da sala. Regina finalmente conseguiu descansar do seu "plantão infernal", mas não por muito tempo, logo foi bipada para uma consulta. Quando seu plantão finalmente acabou, buscou Zelena pelo hospital para se despedir. A amiga ainda estava irritada, e Regina apenas lhe lançou um beijo no ar antes de partir. Partiu para casa ainda sorrindo da idéia de Zelena e Olívia juntas...


Notas Finais


É isso gente!
Próximo ep: Storybrooke!!! O primeiro encontro das nossas divas, o que será que rolará?
Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...