História Destinos Cruzados - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz"
Exibições 189
Palavras 2.314
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Visual Novel

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


GENTE DESCULPA FICAR TANTO TEMPO SEM POSTAR, eu estava tendo bloqueio de criatividade, mas prometo NÃO abandonar essa fic ok? Eu tive outros problemas também, por isso não postei antes.
Mas que saudades de vocês, boa leituraaaa

Kissus

Capítulo 4 - Ciúmes?


Fanfic / Fanfiction Destinos Cruzados - Capítulo 4 - Ciúmes?

- Laito.. - chamo o nome do ruivo com a voz baixa, por mais que estejamos nesse momento de paz, eu não quero me apegar, ele é meu dono.

- Oi - disse ele ainda sorrindo para o mar, ele estava feliz por ter me visto caindo na areia, RIDÍCUlO

- Sabe, é que.. - dou uma pausa - que horas vamos voltar pra casa? - Olho para o relógio e depois volto a encarar o ruivo, que agora estava com semblante sério, eu abri a boca algumas vezes e me arrependi de ter falado naquele momento, parece que foi em vão todo o esforço que fizemos pra puxar uma conversa.

- Não vamos voltar, eu realmente quis te sequestrar, essa foi minha intenção. - ele deu de ombros e levantou da areia. - Somos só nós dois agora felina.

- Voce consegue pensar? - digo me levantando e indo atras dele. - Vai me sequestrar por qual motivo? Eu ja sou sua "felina" não basta?

- NÃO BASTA. - O ruivo grita me fazendo dar uns passos pra trás, ele cerrava seu maxilar, vi seus olhos ficarem cintilantes como se estivesse pegando fogo, meu coração por alguma razão esta batendo cada vez mais forte, minhas pernas tremeram. - Não basta. - ele repete mais baixo, indo em direção ao carro. - Vamos logo, voce já conseguiu estragar a noite.

                               ******

Fiquei o trajeto todo em silêncio, as vezes eu me pegava olhando para o Laito, suas mãos estavam tremulas no volante, por algum motivo pensei ter visto ele chorando, eu queria abraçar ele e pedir desculpas afinal a minha função era fazer ele se sentir confortável, protegido e amado, todos os bichinhos de estimação passam esses sentimentos para os donos não é?  Mas por quê eu não consigo?  Por quê tenho medo dele?  E qual é o meu medo?
Descemos em silêncio, peguei minha mochila e dei passos lentos, mas mesmo assim mais rápidos do que a do ruivo.Abri a porta como se fosse a última que eu faria na minha vida, olhei rápido pra trás e Laito estava mexendo no celular, e ajeitando seu chapéu, é as coisas voltaram ao normal. - Aonde você estava? - A voz grave de Reiji me fez voltar pra realidade, foi como um choque para me tirar do mundo em que eu estava viajando.

- Fui dar uma volta com o Laito. - digo ainda parada na porta, eu olhei para o chão e pude sentir meus olhos ficarem embaçados. O ruivo passou por mim e nada disse, sentou-se ao lado da Yui e começou a apertar suas coxas, levantei meu olhar e quando vi nitidamente ele estava a beijando, parece que meu mundo desmoronou, ele é só apenas meu dono, por quê vou me importar?

- Ta com fome? - pergunta Reiji me puxando para dentro de casa e em seguida fechando a porta. - Voce não comeu nada.

- Não quero, obrigada. - Dei uns passos em direção a escada, ate que me lembrei e virei pra trás . - Reiji?

- Diga. - O mais velho estavam reprovando Laito com os olhos, até que sua atenção voltou pra mim.

- Tem al..gum qu..arto de hóspe..des? - minha voz saiu falhada, eu sou sensível a esse ponto de querer chorar e me jogar no chão querendo atenção? E Quão forte eu fui treinada pra ser?

- Tem, é ao lado do meu. - se pronuncia o loiro, descendo as escadas, sorri em agradeço para o mesmo e comecei a subir as escadas, até que a mão de Shuu puxou meu pulso - o que aconteceu? Brigou com o namorado e agora que se isolar para Laito não ver que sua gatinha está ferida?

- Exatamente.

- O que? - Shuu me olhou surpreso e eu preferi ignorar.

                                ******

Entrei no quarto de Laito e joguei minha mochila no chão, peguei minhas coisas e fui em direção ao quarto de hóspedes. - Garota má - Uma voz rouca me vez parar automaticamente meu coração ficou com batimentos rápidos, AH DEUS NÃO QUERO FEZ A CARA DESSE INFELIZ SE NÃO EU MATO. - VAI ME IGNORAR? - a voz de Laito se sobressaltou no corredor.

- Devo fazer o mesmo que voce fez comigo na porta de entrada Mestre? - digo com a voz sarcástica, ainda com as mãos na maçaneta.

- eu não te ignorei.

- ah não, apenas jogou encima de mim a capa de invisibilidade e por esse motivo não conseguiu me ver. - minhas pernas começaram a ficar tremulas, me segurei firme na porta pra não perder o equilibro, respirei fundo e engoli o seco. - Talvez a Yui esteja com saudades de você.

- Ciúmes?

- Não tenho.

- Posso fazer voce perder seus ciúmes?

- Não.

- Ah vai, Deixa - sua voz começou a ficar melancólica.- Pera! VOCÊ CONFESSOU QUE ESTAVA COM CIÚMES. - ele deu um sorriso de vitorioso.

- N..ão! - entrei no quarto e tranquei a porta.

- SURPRESA! - a voz do ruivo novamente se sobressaiu, so que agora no quarto, MERDA! O que faço agora? - Me obedeça sou teu dono, vai pra cama.
                              
                                  *****

Eu apenas concordei e sentei na borda da cama, fechei meus olhos tentando me livrar das batidas exageradas que meu coração estava dando, minhas pernas foram pressionadas pelas mãos de Laito, É UM PERVERTIDO MESMO.
Suas mãos foram subindo cuidadosamente até meu rosto, forcei ainda mais meus olhos, ate que, ele beijou minha testa. - O q..ue? - digo pra mim mesma.

- Não te vejo como um objeto sexual, sei que errei beijando a Yui, mas eu estava com raiva e confuso.- sua voz estava rouca e pude perceber o quanto ele estava próximo a mim - eu queria te dar boa noite.

- po..r q..ue estava com raiva? - engoli seco tentando não parecer que eu estava nervosa, porque sim, eu estou e muito. - fiz algo errado?

- A forma de como o Reiji te trata me integrou. - ele sentou-se ao meu lado, suas mãos estavam inquietas sobre a cama, antes ele tinha um semblante brincalhão, mas agora era quase impossível reconhecer. - Nunca tive problemas com ele, por mais que eu faça bastante merda, ele sempre tentou me compreender eu sempre o admirei por isso, mas agora tenho raiva.

- não deveria sentir entao. - consegui apenas dizer isso, Laito baixou a cabeça como se estivesse procurando respostas, eu me senti culpada. - dorme hoje aqui?

- por que deveria? - ele virou-se pra me olhar, por um instante pensei em ter visto ele corar, eu...fiz algo?

                      %%  Laito On %%

No instante que parei para ver ela, meu coração disparou, eu não entendi o motivo, só sei que foi a sensação mais estranha que já senti, era como se tivesse bichos e mais bichos no meu estômago, como se no meu peito o meu coração estivesse preso dentro de uma caixa e cada vez mais era apertado.
A pele dela é reluzente como se fosse de anjo, sua voz suave e doce, suas mãos pequenas, os cabelos tem cheiro natural de baunilha, ela é a delicadeza em pessoa, seus gestos são curtos e rápidos, como se estivesse ensaiado.
Ela ainda esta pouco tempo morando aqui, mas foi o suficiente para mim aprender sobre ela.
Sou o tipo de garoto que, é fácil de chegar em uma garota e conquistar, mas com ela é totalmente diferente, ja usei quase todos os meus recusos, mas ela parece não me notar, será que ela me odeia tanto assim?
Eu notei o quanto ela odeia peixes, azeitona, frutos do mar, beringela e o cheiro da manga, não gosta de comer frutas pela manhã, passa a tarde lendo livros enquanto prepara um café, fala baixinho enquanto dorme, quando mente a ponta do seu nariz levemente fica vermelho, quando está com vergonha ou triste sempre baixa o olhar e fica enrolado seu cabelo na ponta do dedo e sempre quando está comigo, ela fica com as bochechas vermelhas, não que ela já não possue essa cor naturalmente, mas ficam sempre mais viva e sitiante quando está comigo.
Notei que ela sabe tocar Harpa, seus dedos parecem leves ao tocar cada corda, pra mim um verdadeiro anjo. - Laito? - a voz da Kayami me tirou dos pensamentos, que pareciam distantes.

- Hum..  - olhei para o relógio - vai dar 06h da manhã e eu ainda não estou com sono.

- Sob..re sua perg..unta, o porq..uê voce de..veria dor..mir hoje aqui, é que eu est..ou com m..edo. - ela fala com as mãos inquietas no seu colo, pude perceber o quanto está tímida me pedindo pra dormir aqui, devo me aproveitar?

- O que vou ganhar com isso? - pergunto rindo.

- minha gratidão eterna. - ela sorri.

- ah não princesa, quero algo que possa me fazer sentir prazeres. - apontei pro sua coxa.- gosto de brincar em lugares inapropriados.

- P......E..EERVERTIDO! - Sua bochecha que antes estava rosada agora eram vermelhas, suas nanicas pernas correm pra direção oposta de mim, ela ficou em pé ao lado do guarda-roupa, como se tentasse se esconder.

- Ta achando que vai pra Narnia? - Me sentei mais confortável sobre a cama - Tenho que te contar uma parada, lá é chato.

- SAI DAQUI.

- Magoou. - comecei a dar pulinhos na cama, até que meus olhos fixaram na harpa dela - Kayami, quero que você cante pra mim.

- NANI? - ela que antes se escondia, parou enfrente ao seu instrumento, com um sorriso enorme no rosto. - qual a palavra mágica?

- Não A.B.U.S.A - revirei os olhos, ela rapidamente pegou sua harpa e botou uma cadeira enfrente a cama, onde eu estou sentado, começou a tocar cordas e olhou pra mim, como se estivesse pedido permissão pra cantar - Pode cantar.

Eu gosto do seu sorriso
Eu gosto da sua energia
Eu gosto do seu estilo
Mas não é por isso que eu te amo

E eu, eu gosto da maneira como
Você se tornou estrela
Mas não é por isso que eu te amo
Você sente, você me sente?
Você sente o que sinto, também?
Você precisa, precisa de mim?
Você precisa de mim?

Você é tão lindo
Mas não é por isso que eu te amo
E eu não tenho certeza se você sabe
Que a razão que eu te amar é você
Ser você
Apenas você
Sim, o motivo de eu te amar é tudo isso pelo que passamos
E é por isso que eu te amo

La la
La la la la
La la
La la la la

Eu gosto da maneira que você se comporta mal
E quando nós ficamos fora da linha
Mas não é por isso que eu te amo
E como você mantém a calma
Quando eu sou complicada
Mas não é por isso que eu te amo

Você sente, você me sente?
Você sente o que sinto, também?
Você precisa, precisa de mim?
Você precisa de mim?

Você é tão lindo
Mas não é por isso que eu te amo
E eu não tenho certeza se você sabe
Que a razão que eu te amar é você
Ser você
Apenas você
Sim, o motivo de eu te amar é tudo isso pelo que passamos
E é por isso que eu te amo

Mesmo que a gente não consiga superar
Eu sempre estarei aqui para você
Você

Você é tão lindo
Mas não é por isso que eu te amo
E eu não tenho certeza se você sabe
Que a razão que eu te amar é você
Só você
Apenas você
Sim, o motivo de eu te amar é tudo isso pelo que passamos
E é por isso que eu te amo

Depois dela ter cantado, Kayami me olhou com certa tensão, era como se ela estivesse acabado de se declarar pra mim, eu pensei e repensei muito antes de abrir minha boca. - Isso foi uma declaração para o Laito? - A voz de Reiji sobressaltou sobre o comodo, fazendo Kayami se assustar na cadeira e quase cair no chão, em um ato rápido eu peguei ela pela cintura.

- Mesmo que se ela estivesse se declarando, seria pra mim e não pra voce.

- Kayami você gosta do Laito? - Reiji me ignorou e olhou para a pequena, que agora estava confusa demais, dava pra ver nos seus olhos.

- Nã..o. - sua voz saiu tremula mas suas palavras firmes, se fosse outra pessoa eu acreditaria, mas seu narizinho revelou ela, ele estava levemente vermelho, essa mentirosa.

- E daí se ela não gosta de mim? - Puxei ela pra mais perto - Eu gosto dela.

- O que? - Reiji me fuzilou com os olhos - Ela é sua gata e não sua mulher.

- Não pode ser a mesma coisa? Eu a vejo como uma mulher e espero que ela me veja como homem, desculpa maninho mas eu não tenho a intenção de deixar ela ficar com você, como eu disse sou ciumento com as coisas que me pertence.

- L..ai- na hora que Reiji estava se aproximando, puxei Kayami sobre meu corpo, e a beijei.
Foi diferente dos meus outros beijos, porque dessa vez minhas pernas tremiam, e eu tinha que ter cuidado para ela não se quebrar, de tão frágil que parecia ser, ela meu deus uma sequência de tapas, e eu forçava seu corpo mais contra o meu, até que os tapas pararam e pude sentir ela dando passagem pra lingua, estávamos realmente nos beijando?
Ela parecia estar brincando com meu cabelo, puxava e soltava ela na mesma sequência, eu levantava ela mais pra cima pra ficar do meu tamanho, quando faltou o ar, paramos o beijo, e seus olhos estavam marejados, meu coração apertou ao ver essa imagem.

    Kayami, me desculpa?

   


Notas Finais


Reiji : Vou TE MATAR?
Laito : Pelo o que? Por ter a beijado?
Reiji : Voce é mesmo um desgraçado!
Laito : Ta reclamando só porque eu tive atitude e voce nao? Pela amor de Deus Reiji se toca.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...