História Destinos Cruzados -RUGGAROL - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Gravidez, Sexo
Visualizações 202
Palavras 1.645
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amores , acho que hoje não vou conseguir fazer a maratona por causa da net que tá muito lenta.

Maaaaas ... tem um cap novinho pra vocês. E hoje está muito fofinho.

Bianca leitura , prometo recompensar vocês ❤️❤️

Capítulo 23 - Capítulo 23: De volta ao lar


Narração Karol 

Já não aguentava mais ficar naquela cama. Minha barriga ainda doía um pouco mas tudo o que eu mais queria era ir pra casa. Ruggero ficou todo o tempo aqui comigo. Ele me perguntava de cinco em cinco minutos se eu estava bem. Eu sei que isso o afetou por causa da sua ex namorada, tentei acalma-lo mas não adiantou muito. Quase pulei de alegria quando as últimas vinte e quatro horas no hospital acabaram. Chegamos em casa e todos estão lá. Sol , Valu , Caro , Antonella , Bruno , Mike , Agus e Bruna. 

- Mamãe - Sol diz com a voz chorosa. 

Chego perto Dela e me agacho mesmo com a reprovação do Ruggero. Dor nenhuma me importa , só preciso abraçar a minha pequena. 

- Hey , Filha. Eu tô aqui. Não precisa chorar. - Digo abraçando ela forte. 

- Tava com medo , mamãe 

- Não precisa ter medo filha , eu tô aqui viu. -Me levantei e fui comprometer os outros enquanto a Sol ia pro braço do Ruggero. 

Abracei O Mike , Agus , meus sogros e minhas amigas. 

- Karol , você quer me mayar do coração ? - Valu falou 

- Que bom que está bem , Kah. - Carolina disse. 

- Eu estou bem meninas. -Abraço as duas ao mesmo tempo. 

Me separei das duas e vi a Bruna avançar na minha direção. 

- Meu Deus , Karol. Nunca mais invente de levar uma facada ouviu bem ? -Ela disse e todos , exceto Ruggero que revira os olhos , riem. Ela me abraça apertado , faço uma careta com a dor que Ainda sinto. 

- Bruna, a Karol Ainda sente dor. Chega de apertar ela. - Ruggero diz se aproximando com a Sol nos braços. 

- Desculpa , desculpa , desculpa. - Ela diz rapidamente. 

- Sem problemas - Eu falo. 

Todos jantaram aqui hoje. Amanhã é o aniversário da Sol e esse foi o assunto na mesa. Logo quando vou precisar me dobrar em mil eu levo uma facada. Agora vai ser muito mais difícil fazer tudo. Apesar de ter a ajuda de todos. Depois do jantar todos vão embora e o Ruggero leva a Sol para o quarto já que a pequena está caindo de sono e facilmente vai dormir. Aproveito o tempo pra ir no escritório do Ruggero. Pego uma caderneta e começo a verificar se está tudo certo para amanhã e tudo que irei ter que fazer. O médico pediu total repouso mas não posso ficar deitada em pleno dia do aniversário da minha filha. 

Aproveito também pra ajeitar as coisas da empresa. A festa que tenho que organizar por lá está sendo responsável por grande parte da minha dor de cabeça. Ajeito tudo para o dia de amanhã já que nem eu , nem Ruggero iremos para a empresa. Falei pra ele que não precisaria dele aqui mas ele faz questão. Escuto alguns passos e logo depois vejo o Ruggero na porta me observando. 

- O que você está fazendo ? -Ele diz se aproximando e sentando na cadeira do meu lado. 

- Organizando umas coisas. 

- Posso saber que coisas são essas ? 

- Algumas coisas da empresa e olhando se tá tudo ok pra amanhã. Vai ser um dia puxado. 

- Karol , você levou uma facada. Não pode fazer muitos esforços. -Seus olhos estão cansados , como se não dormisse. 

Me levanto e sento em seu colo. Deito minha cabeça no seu peito enquanto seus dedos brincam com meu cabelo. 

- Eu sei. Mas é o aniversário da Sol, eu quero fazer parte disso. Vou me cuidar. 

- Vai mesmo porque vou estar em cima de você direto. 

Sorrio ao ouvir seu comentário. E lhe lanço um sorriso perverso. 

- Adoraria você em cima de mim agora. - Ele pensa e logo nega com a cabeça. 

- Nem vem , Karol. Eu estou louco pra me enterrar em você mas não vou fazer isso hoje. - Ele diz e eu faço um biquinho. 

- Naaao , Rugge. 

- Sim , Karol. 

- Bom ... meu namorado não quer me satisfazer , então vou ter que fazer por conta própria. - Faço menção de me levantar mas ele né senta de novo em seu colo. 

- Porra. Foi você quem pediu. - Ele me põe em seu colo e nos guia até seu quarto. 

Sinto minhas costas se encontrarem com o colchão sedoso. Sua boca captura a minha com necessidade. Suas mãos deslizam pelo o meu corpo como se gravasse cada parte dele. Nossas línguas travam uma batalha intensa e maravilhosa. Agarro seus ombros com força e ele solta um gemido abafado. Seus beijos descem para o meu pescoço. Jogo a cabeça pro lado pra lhe dar mais acesso. Sua trilha de beijos seguem para meus seios que agora estão somente com o sutiã. Com seus dedos ágeis ele abre o frecho e retira o sutiã se afastando pra me observar ali , somente de calcinha pra ele. 

- Você é tão linda. A mulher mais linda que já conheci. 

Ele torna a me beijar e sua boca logo ataca meus seios com rapidez , sugando e rodeando o mamilo com a língua. Sua mão aperta meu outro seio. Sinto sua mãos descer pela a minha barriga , parando aonde tem a recente marca da cirurgia. Com tanto tesao eu esquece da dor que sentia antes. 

- Não dói. -Eu digo ao vê-lo observar o ferimento. 

Ele assenti e continua descendo seus beijos. Sinto sua respiração chegar no meu ponto fraco. Logo suas mãos abaixam a minha calcinha e sua língua me invade. Solto um gemido assim que sinto sua boca em mim. Arqueio minhas costas com tanto prazer. Ele continua, só que agora ele me penetra com dois dedos. 

- Ruggero ... - Digo sem fôlego. E posso sentir seu sorriso. 

- Tão deliciosa. 

Sinto meu interior se contrair e sei que meu orgasmo está próximo. E como se soubesse disso também , Ruggero aumenta a velocidade em seus dedos e língua. Fazendo assim eu ir a loucura. Alguns segundos a mais e eu gozo. Ele se levanta e chupa os dedos me fazendo ver a cena mais sexy de toda minha vida. 

Ele abri os botões e zíper da calça liberando seu membro duro. Ele vem por cima de mim fazendo de tudo para não por peso. 

- Estou te machucando. - Eu nego. 

- Você tem certeza disso ? 

- Mais que tudo. Você não vai me machucar. Eu preciso de você agora. 

Ele não espera mais e me penetra por completo. Um gemido que sai da minha boca é cordado por seu beijo quente. Suas estocadas se intensificam cada vez mais me fazendo delirar. 

- Aah ... Rugge 

- Você é tão gostosa. 

- Mais ... forte .. Ruggero - Digo ofegante. 

- Á suas ordens - Ele obedece e não demora muito pra nós dois explodirmos em êxtase. Ele sai de mim e me olha. 

- Acho que você está vestido demais - Digo apontando para suas roupas. 

- Poderia resolver esse probleminha pra mim ? 

- Só se for agora. - Digo lhe beijando. 

Começamos ali mais uma rodada deliciosa de sexo. 


                           [...] 

Depois do século maravilhoso com o Ruggero ele me puxou com cuidado para descansarmos. Me acordei no meio da noite e vi que ele Ainda dormia tranquilamente. Me levantei com cuidado para não acorda-lo , vesti sua blusa e sai devagar pelas as escadas. Passei pelo o quarto da Sol e me aproximei de onde ela dormia. Tão calma , parecendo um anjo. Deixo um beijo em sua testa e vou para a Sala. Vejo o piano do Ruggero ali e me lembro de todas as aulas que tive quando pequena pra aprender a tocar. Me aproximo e me sento em seu piano mesmo sabendo que é um de seus xodós. Meus dedos começam deslizar pelas as teclas e a melodia ecoa baixa pela a sala. 


Narração Ruggero

Acordo no meio da noite e vejo que a Karol não está. Sinto um aperto no coração e saio em direção á sala , passo pelo o quarto da Sol e respiro aliviado ao vê-la bem e dormindo. Quando chego na sala vejo uma cena linda. Karol está sentada no meu piano, seus dedos dando vida a uma linda canção. Ela está de olhos fechados aproveitando cada nota da canção. Me aproximo maravilhado com a sua perfeição em tocar e me sento ao lado toando em seus ombros. Ela abre os olhos rapidamente e logo depois sorrir tímida em me ver. 

- Desculpa ter usado seu piano. Eu não resisti. - Ela diz meio tímida. 

- Se eu puder te ver tocando tão lindamente assim você pode usar quando quiser. -Digo e me sento ao seu lado. Pego seu rosto com minhas mãos e deixo um selinho em sua boca. - Karol ... 

- Hum -Digo com minha cabeça em seu pescoço. 

- Porque você e a Sol não vem tipo dormir aqui mais vezes. Vocês podem trazer algumas coisas suas. Aí depois vocês passam a vir com mais frequência aqui e trazem mais roupas. Talvez pudessem trazer tudo de vocês pra cá. - Falo como quem não quer nada. 

- Rugge ... está me chamando pra morar aqui ? 

- Talvez - Dou de ombros. 

Vejo um sorriso surgir em seu rosto e ela começa a me dar vários beijos. 

- Isso foi um sim ? 

- O que você acha , seu bobo. 

- Não vejo a hora de ter você e a Sol na minha casa. Que agora será nossa - Digo a abraçando. 

- Eu te amo , Rugge. 

- Eu sei 

- Convencido. 

- Eu também te amo. 

Nos beijamos e ele me levou para o quarto me amando mais uma vez. 


Notas Finais


Ruggero , Sol e Karol morando juntos ❤️❤️
Próximo cap será o aniversário da Solzita ❤️❤️
Espero que tenham gostado e me desculpem se tá um lixo ou se tiver erros

Comentem e favoritem ❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...