História Destinos de Areia - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Gaasaku, Naruto
Visualizações 98
Palavras 2.932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei mas estou aqui :)

Meio morno, mas aquecendo as coisas :p

Aproveitem a leitura, beijos :*

Capítulo 7 - Motivos


Com ajuda da díscipula Sakura se levantou da maca, estava se sentindo melhor, mas seu coração estava picado. Ela só queria recomeçar, porque todo mundo precisa se meter? Será que ninguém nesse mundo enorme é capaz de ajudar?

 

- Acho que vou precisar de ajuda para fazer as malas depois do jantar Hime, posso contar com você?

 

- Claro sensei, eu te ajudo - Ela disse deprimida - Mas não entendo o que aconteceu.

 

- Não se preocupe, você algum dia entenderá...

 

A rosada juntou suas coisas da sala, juntamente com a sua placa que continha seu nome, e de certa forma, ela se culpava, por não ter sido forte para não demonstrar que ainda não tinha superado a rejeição de Sasuke.

 

Seu coração se apertou a guardar a foto do time 7 que havia trazido, as coisas não foram fáceis naquela época, mas não teriam melhorado se ela não tivesse sido testada pela vida.

Deixou a pequena caixa montada e embalada e seguiu para a casa do amigo médico Tokeshi.

 

Na casa de Gaara, os irmãos da areia comiam em silêncio, até que o Kage se pôs a falar:

 

- Quero que amanhã escoltem Sakura para Konoha.

 

- Por que isso? - Temari perguntou confusa e olhou para Kankuro que demonstrava a mesma expressão.

 

- Achei que tivesse concordado por ela ficar em Suna.

 

- Eu me enganei - Gaara disse se levantando da mesa - Ela sente falta deles, não posso ficar de braços cruzados vendo isso.

 

- Mas é só por um tempo - Temari implorou - Ela está sofrendo, mas é uma aliada e pediu ajuda, não podemos dar as costas!

 

- Eu já me decidi - Boa noite para vocês.

 

Gaara fechou a porta do quarto com força e deixou os dois irmãos a sós.

 

****

 

- Tudo bem mano? Parece nervoso - Tokeshi fechou a porta da casa com raiva e bateu com o punho na parede.

 

- Como ele se atreve a mandar a Sakura embora daqui? Ele quase a expulsou!

 

- Eu sei mano, mas ela disse que vem nos visitar quando puder - Hime minimizou a situação assistida pelos pais enquanto alisava delicadamente a mão grande e macia de seu irmão, ele por sua vez negou o carinho e saiu para fora esvaziar a cabeça por saber que a rosada estaria deixando Suna pela manhã.

 

****

 

Sakura caminhava com Hime, Temari e Kankuro juntamente da pouca bagagem que tinha ali, o semblante de todos era muito triste e parecia que Sakura em sua pouca estadia havia apenas incomodado a todos, sem ter tido a chance de recomeçar direito. Ela mordeu o lábio inferior buscando conforto ao invés de se debulhar em lágrimas.

 

“ Mais uma vez eu fracassei, como eu fui idiota... Se eu tivesse sido, mais madura, mais firme, menos infantil, não estaria nesta situação desconfortável, mas sempre é assim, não é? Eu nunca tenho autonomia própria, amor próprio, até quando eu vou continuar nessa?”

 

Sua incessão de pensamentos seguia enquanto eles saíam pela entrada principal do portão da aldeia.

 

“Shannaaroo... Quando vou deixar de gostar dele? Estava tão ocupada esses dias, que havia até deixado ele fora de mim, agora que estou indo embora ele voltou a minha mente”

 

- Esperem! - O guarda da entrada falou os barrando - Está acontecendo uma coisa horrível na cidade, todos... - O guarda desmaiou antes mesmo de sua fala ser finalizada.

 

Kankuro e Temari deixaram as coisas de Sakura no chão e correram para a torre do Kazekage com velocidade. Sakura tratou de começar o atendimento ali mesmo com auxilío da discipula.

- Hime! Precisamos voltar no hospital! Este homem não vai aguentar muito.

 

- Entendido!

 

Sakura e Hime pegaram o homem e o carregaram pela cidade com cuidado até o hospital, onde Tokeshi estava enlouquecido.

 

- O que está havendo?! - Sakura o questionou irada e nervosa.

 

- Centenas de pacientes chegaram aqui com um surto, ESTÃO COM INFECÇÃO E ERUPÇÕES POR TODA PELE!

 

Sakura tratou de ajudar mesmo estando de partida, e não demorou muito notar o aumento de macas no hospital ao ponto dela ouvir apenas gritos e não conseguir se concentrar. Notou que todos estavam adquirindo bolhas de infecção pelo corpo e tratou de higienizar e desinfetar enquanto administrava os remédios, tentando fazer com que a divisão atendesse a todos.

 

- Não adianta, tem muito pouco remédio, estamos com centenas aqui! - Sakura gritou nervosa - Precisamos pedir para outra vila.

 

- Não sei se haverá tempo para todos, alguns estão com uma febre alta demais - Tokeshi chiou enquanto trocava o par de luvas com destreza.

 

- Eu vou buscar mais! - Hime assentiu - Posso ir e voltar no mesmo dia!

 

- Corra Hime! - Sakura não pensou duas vezes enquanto enviou a menina atrás de mais remédios.

 

Temari e Kankuro recorreram à Gaara que tratou de enviar seus melhores ninjas para investigar.

 

- Isso deve ser um pesadelo - Gaara disse ao levantar-se da cadeira do escritório - Como aconteceu?

 

- Não temos ideia - Kankuro disse atônito - Sakura foi para o Hospital para nos ajudar.

 

- Está bem, mas não se esqueçam depois de escoltá-la, pelo menos até metade do caminho.

 

- Certo, mas vamos esquecer isso por enquanto - No momento os aldeões são prioridade.

 

- Está bem, vou... - Gaara sentiu o seu peito falhar e o ar lhe faltar aos pulmões.

 

- Gaara?! - Temari o segurou preocupada.

 

- Argh... Ahh.. - Ele disse engasgado arfando depressa.

 

- Rápido! Vamos levar ele para o hospital - A irmã disse o apoiando pelo ombro e com a ajuda do irmão o carregou até o hospital.

 

- Sakura! - Temari chamou a amiga desesperada - O Gaara também foi infectado! - A boca da rosada curvou-se em desespero. O líder de Suna estava doente e ela teria que ajudá-lo.

 

Ele não apresentava feridas na pele igual os outros, provavelmente estavam por baixo da armadura de areia que cobria seu corpo, ela então colocou as luvas e tocou seu braço com o chackra médico afim de retirar um pouco da areia e ver como esta verdadeiramente sua pele. Sentiu sua mão segura fraca e notou que ele despertara de sua breve crise.

 

- Preciso voltar... - Ele disse tão baixo que Temari que estava ainda olhando os outros doentes próximo a ele, nem havia notado a situação.

 

- Você está doente - Sakura falou firme e o ruivo sentiu a mágoa em sua fala, e ele sabia o motivo - Vou examiná-lo.

 

Temari voltou ao irmão notando que Sakura não esboçava nenhuma expressão. Ela parecia indiferente. Ele deitou lateralmente na cama e deixou o casaco vinho aberto enquanto a rosada pressionava o bisturi por sua pele exposta assim que ele cooperou em remover sua armadura.

 

- As feridas estão recentes, isso é estranho - Ela disse tocando uma - Dói? - Gaara apenas assentiu com a cabeça sem mudar muito a expressão - Ele não está com muita febre - Temari apenas observava calada, quando repentinamente Gaara desarcodou e assustou as duas.

 

- Droga! - Sakura gemeu - Ele está perdendo chackra, vou precisar transferir.

 

Ela abriu sua pele com a ponta dos dedos usando seu chackra para moldar em um bisturi, introduziu então rapidamente o ninjutsu médico e ele pareceu acordar, mas com muito mais dor.

 

- O que está havendo?!

 

- Eu não sei, nunca vi uma coisa dessas - A rosada tentava entender porque seu ninjutsu não apenas não surtiu efeito, mas havia causado uma piora no quadro do Kazekage, ela sentia-se numa tempestade em meio ao oceano.

 

 

Não demorou a tarde cair e Hime voltou com medicamentos e água para o alívio de Sakura.Ela rapidamente distribuiu aos doentes e continuou analisando seus resultados notando que nem os remédios estavam fazendo efeito.

 

- Estão aliviando a infecção, mas não estão curando os doentes.

 

- O que faremos?

 

- Ninjutsu está fora de questão... - Ela arfou desesperada enquanto tentava pensar.

 

- Acho que teremos que controlar o quanto pudermos e descobrirmos a origem do problema.

 

Ela passou a observar todos os doentes e seus prontuários, em busca de alguma informação. A primeira coisa que notou a fez coçar a cabeça. Chamou Kankuro, que era extremamente inteligente para ajudá-la a pensar enquanto rodavam o hospital em meio ao caos.

 

- O primeiro ponto que notei foi que todos são de uma região comercial parece ser em torno da torre do Kazekage.

 

- Acha que tem algo infeccioso ali?

 

- Teria de ser uma bacteria resistente ou algo do tipo.

 

- Talvez por ser pós festival, alguém tenha se infiltrado na aldeia e colocado o virus em circulação.

 

- Sim, mas não seria tão depressa, acredito que tenha que ter sido veiculado rápido. Ontem estava tudo bem.

 

Ela então olhou um enfermeiro lavando as mãos quando percebeu que tinha a resposta nos seus olhos.

 

- É claro... - Balbuciou.

 

- O que? - Kankuro olhou na direção em que os olhos da rosada se encontraram e notou - As caixas de água.

 

- Como?

 

- A água é distribuida de varios pequenos reservatórios, e um maior que é a caixa de água que se encontra na zona comercial.

 

- Temos nossa resposta - Ela disse convicta - Está na água.

 

Kankuro assentiu e eles foram juntos coletar a amostra na caixa que parecia não ter sido remexida.

 

- Isso é estranho, não há sinais de nada...

 

- Parece que não abriram e nem furaram a caixa - Ele disse alisando o exterior.

 

- Vamos recolher uma amostra assim mesmo!

 

Sakura e Kankuro tiraram a amostra da água e levaram diretamente ao hospital e notaram que na pequena ausência as coisas haviam piorado.

 

- Sakura - O enfermeiro a chamou - Estamos no limite, já tivemos seis mortes - Ela abriu a boca e mordeu o lábio em troca do nervoso que já a afetava - E o Kazekage... - O enfermeiro pegou uma lufada de ar para proferir as palavras - Ele piorou muito - Sakura prendeu o ar e correu até o seu quarto, notando Temari desesperada tentando chamá-lo enquanto ele estava desarcodado.

 

- Sakura por favor salve meu irmão! - Ela dizia enquanto o abraçava e chorava sobre seu peito. Sakura colocou a mão sobre o próprio peito e deixou a sala perdida.

 

 

 

A amostra foi levada até o laboratório e a rosada , sem saber o que fazer começou a questionar o que estava havendo, seis vidas perdidas naquele incidente fizeram ela se abalar realmente a ponto de suas mãos tremerem enquanto ela trocava as ataduras e as toalhas dos doentes enquanto os medicava. Não demorou muito e Kankuro voltou com a cara péssima.

 

- Estavamos enganados - A água está limpa.

 

- Droga! - Ela cerrou os punhos - Como uma bactéria ia se espalhar assim...

 

- Temari! - Kankuro chamou - Não fique tão perto dele ou você se contagiará!

 

Sakura virou-se para ver a cena até que um flashback lhe ocorreu.

 

“ Essa parte do treinamento é a mais difícil, tem certeza que está apta? - Tsunade encarava a pequena menina que sorriu determinada.

 

- Claro! Farei meu melhor!

 

- Este capitulo, trata de doenças de chackra.

- Chackra transmite doenças?

 

- Transmite e pega doenças. Alguns poucos shinobis, tem a habilidade de contaminar e limpar o próprio chackra, não são necessariamente médicos, mas tem habilidade incrível de poder carregar doenças e levá-las a outras aldeias, e isso foi muito usado nas duas primeiras grandes guerras. “

 

- Será possível? - Balbuciou a si mesma - Isso realmente não permitiria meu ninjutsu causar efeito, pelo menos não daquela forma.

 

Ela apertou o pequeno coque que fez em seu cabelo e foi até o guarda.

 

- Me tragam uma bacia com água e coloquem antibiótico por favor.

 

O efermeiro prontamente atendeu e a kunoichi segurou a bolha e inseriu no corpo do doente através de uma abertura que fez com os dedos.

 

A bolha penetrou seus órgãos e Sakura sentiu a infecção ser atacada, purgou para fora e retirou a bolha, atirando o liquído na bacia.

 

O guarda sentiu o corpo voltar aos poucos e sentou-se na maca olhando Sakura que parecia querer saber como ele estava.

 

- Estou bem melhor - Ele sorriu genuinamente - Obrigado senhorita.

 

O enfermeiro sorriu satisfeito e Sakura já sabia o que fazer.

 

Ela notificou os médicos e trataram de executar o procedimento em todos, incluindo no Kazekage, o qual Sakura tratou de fazer o procedimento enquanto era observada pelos irmãos da areia.

 

Ela retirou a bolha repleta da bacteria infecciosa e separou uma porção entregando ao enfermeiro.

 

- Você é incrível, obrigada por nos ajudar - Temari fez uma reverência a qual Sakura respondeu.

 

- Fiz apenas meu trabalho, mas o mais importante é localizar o responsável.

 

- O que aconteceu exatamente? - Kankuro questionou.

 

Nesse momento ouviram um grunhido e perceberam que Gaara havia despertado e tentava se levantar, porém Sakura o empurrou gentilmente e recebeu uma carranca.

 

- Precisa de repouso - Ela afirmou.

 

- Preciso encontrar o responsável por isso, imediatamente.

 

- Isso não será fácil - Ela respondeu séria, era notável a mágoa instaurada no coração da rosada pela falta de compreensão de Gaara - Além de ser uma habilidade difícil de encontrar, não pertence a um clã especifíco. Qualquer um com controle de chackra excelente é capaz de manter cultivos de bactéria.

 

- Com certeza Baki está procurando pela aldeia toda suspeitos...

 

- O mais importante é o Kazekage descansar - Gaara franziu o cenho a ela se referir a ele com tanta formalidade, ela estava chateada com a decisão dele - Eu vou aprontar minhas coisas.

 

- Espere - Sakura parou de andar - Durma aqui na aldeia - Amanhã você vai.

 

- Não se preocupe comigo. Venho ainda mais uma vez checar tudo antes de partir.

 

Ela saiu e foi descansar um pouco com a cabeça cheia. Acordou sentindo a cabeça latejar pelo descanso insuficiente, colocou o analgésico na boca e bebeu o copo de água enquanto se arrumava e retornava na madrugada verificar o estado dos pacientes. Sentiu-se aliviada ao ver que estavam se recuperando bem.

 

Entrou no quarto do Kazekage que estava sentado lendo alguns relatórios e ergueu uma sobrancelha.

 

- Achei que tinha dito que precisava de repouso.

 

- Estou repousando - Ele respondeu sério, voltando aos relatórios e Sakura saiu indo aos demais pacientes.

 

- Você está sendo injusto - Kankuro abriu uma carranca - Ela nos salvou várias vezes e você não agradece, por que não a deixa ficar na aldeia? Ela sempre nos ajuda.

 

- Ela que começou me tratar com frieza...

 

- Você não percebe as coisas assim? Ela está chateada, por essa situação, ela só pediu uma chance. Pense nisso.

 

Gaara se reencostou e ficou pensativo, voltando a imagem do seu tio Yashamaru.

 

“ Todos passam a vida ferindo os outros e sendo feridos... O amor é o único que pode acabar com essa dor”

 

Sakura não havia especificado o que ocorreu na aldeia da grama, mas ele sabia que ela estava sofrendo por alguém, que havia de certa forma sido ferida, alguém que ele conhecia e que ele tentou ferir também. Esse alguém era Sasuke Uchiha. Ele era agora um homem redimido, assim como Gaara, repleto pelo ódio também foi salvo por Naruto. Mas ele bem sabia que Sakura o amava, a muito tempo, ela sacrificaria a própria vida por ele, ela de certa forma lembrava Yashamaru.

 

Ele sentiu-se nostalgico ao lembrar dos ensinamentos do tio, que na época não foram compreendidos, mas que hoje faziam sentido, porque ele já não sentia ódio, ele tinha naquela aldeia, pessoas que gostavam e o admiravam, amigos, seus irmãos, todos ali com ele, ele faria por eles e eles fariam por ele. Então a flor de cerejeira de Konoha, parecia estar sozinha tentando curar a própria ferida sem ninguém que realmente estivesse a ajudando. Seu tio feriu ele e Sasuke feriu ela, de certa forma eles eram parecidos e sua mente dissipou ao ouvir os passos rápidos que entraram no quarto.

 

- Pela manhã já pode sair - Sakura retirou o prontuário da beira da cama e tratou de anotar a alta enquanto ele analisava o pequeno corpo delgado da kunoichi se movendo rápido, ela parecia estar com pressa de ir embora.

 

- Ele a feriu? - Gaara profeniu essas palavras fazendo Sakura soltar o prontuário enquanto piscava algumas vezes tentando entender o motivo daquilo - Sasuke.

 

A kunoichi de Konoha parou para analisar a expressão de Gaara, mas ele não demonstrava nada, nem curiosidade, nem pena.

 

- Sim - ela disse.

 

- Só o amor cura as feridas - Ele disse convicto e Sakura segurou a mão em busca de conforto.

 

- Realmente.

- Você pode ficar em Suna, se achar melhor - ela olhou com os olhos marejados quase grata por ele ter mudado de ideia - Mas quero que entenda que seus amigos são muito importantes e com certeza o amor deles pode te ajudar a superar isso.

 

- Obrigada, eles são tudo para mim - ela sorriu tentando esquecer que saiu magoada da aldeia- Mas quero ficar aqui um tempo, esquecendo essa birra.

 

Ela olhou pela janela do quarto dele Hime brincando com outras crianças e sabia que sua mãe não a deixaria voltar para treinar em Konoha. Sakura realmente gostava da menina, era como se ver anos atrás, e ela sabia que assim como devia sua vida para Tsunade, devia a dela para Hime.

 

- Eu tenho um motivo especial para ficar.

 

*****

 

 

 


Notas Finais


Até o próximo ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...