História Destinos Laçados (KakaSaku) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Kakashi Hatake, Sakura Haruno
Visualizações 58
Palavras 2.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ohayou minna!
eu criei essa fanfic muito inspirado então eu espero que gostem!
vamos lá!

Capítulo 1 - Uma nova escrava


Fanfic / Fanfiction Destinos Laçados (KakaSaku) - Capítulo 1 - Uma nova escrava

A maioria dos reinos eram comandados individualmente pelos poderosos reis, alguns eram superiores aos outros pela sua capacidade e á porcentagem de soldados ou pela sua qualidade de fronteiras, o reino de Konoha sempre foi considerado o maior e superior á todos, sendo o reino que nele tem inúmeros vilarejos espalhados pelo país, não só Konoha tinha sua fama mais também as negociações de escravas pareciam se espalhar por todos os países tanto vizinhos quanto distantes, elas eram solicitadas pelos poderosos príncipes que possuíam ambição assustadora, as torturando e as machucando sem dó e sem piedade, sendo assim á maioria, mais como rein havia um homem chamado Hatake Sakumo, um homem ambicioso e tomado pela ganância, tendo como filho único Hatake Kakashi como príncipe de Konoha e herdeiro de seu pai.

Uma mulher mais que bela e encantadora morava tranquilamente em uma simples casa que ficava localizada no reino de Konoha, morando sozinha á rosada tem um passado misterioso e chocante que ainda á Haruno não fazia ideia de como era, solitária mais vivia em paz e tranquilidade mais como trabalho a rosada trabalhava como médica de um hospital não muito conhecido , sempre faturava pouco oque lhe preocupava bastante e esse motivo não á deixava viver em paz, mais ao saber que tinha uma Tia e que ela ainda estava viva parecia que sua infelicidade tivesse sido esmagada e á curiosidade de conhece-la tivesse invadido em si, sempre soube de alguns boatos dizendo que toda sua família foi massacrada em uma guerra traumatizante que afetou muitos, sempre quis saber sobre seu passado tendo direito absoluto.

Mais num imprevisto Sakura é raptada por homens que pela sua aparência seriam enviados pelo palácio, mais o motivo de tê-la raptado era muito intrigante, os homens á olhavam com uma expressão satisfatória e maliciosa á assustando que se encolhia na carruagem abafada, derrepente tudo fica escuro mais seus movimentos ainda estavam ativos, á carruagem começa a se mover enquanto Sakura não parava de chorar, ela queria que tudo aquilo podesse ser um pesadelo que com certeza seria um dos seus piores, mais não, aquilo era mais que real e o medo a invadia como uma enxurrada de horrores, ficando muito tempo chorando Sakura acabou caindo no sono que nem teve tempo de fechar seus olhos, seu braço foi puxado brutalmente á despertando do sono que virou medo novamente, ela é jogada num quarto escuro cheio de escravas que se encolhiam com a sua chegada.

O homem que á raptou se retira da sala fechando a porta deixando o quarto um pouco escuro, mais uma brecha da porta iluminou uma parte do quarto, ao se virar ela se depara com várias escravas que a encaravam curiosamente, á Haruno dá passos para trás assustada mais ao mesmo tempo que ela se encosta na porta uma azulada vai em sua direção a levantando do chão.

- Sakura, não é? - perguntava a azulada á levantando do chão .

- Sim, mais como sabe o meu nome? - perguntou Sakura desconfiada.

- O homem que te raptou nos falou. - respondeu como se fosse obvio.

- Não sei porque me sequestraram. - a Haruno se duvidava encarando o chão.

- Deve ser porque é muito linda, nunca vi uma escrava tão bela quanto você. - apos ela falar o nome "escrava" Sakura se encolhe e á encara assustada.

- E-Escrava? - se perguntava a rosada molhando seu rosto com lagrimas.

- Sim, á partir de agora você é uma escrava, mais saiba que não estará sozinha. - disse á azulada abraçando Sakura carinhosamente que retribui - eu ainda não me apresentei, me chamo Hyuuga Hinata.

- Prazer, Hinata. - cumprimenta Sakura desanimada - para onde estão nos levando?

- Eu ainda não sei, não só você eu cheguei aqui faz pouco tempo e eu não sei muito. - diz Hinata encarando as escravas que as olhava com curiosidade enquanto cochichavam um por uma.

- Entendo, mais espera, se somos escravas então...

- Teremos que servir os príncipes, obedece-los e não desrespeita-los pois seremos punidas. - dizia Hinata assustando a Haruno com suas palavras.

- ... - Sakura coloca á mão na boca horrorizada - e algumas das escravas já tentaram fugir?

- Já, todas foram impedidas e foram punidas severamente, se for pensar em fazer nisso eu peço que não, seria impossível você escapar. - falava á Hyuuga baixo para que ninguém escutasse sua conversa.

- Confesso que pensei em fugir, mais eu não posso ficar aqui, eu não quero servir príncipes e obedece-los como se fosse o meu destino, eu não posso aceitar isso tão facilmente. - reclamava com voz chorosa.

- Sakura, eu sou sua amiga á pouquíssimo tempo, e te aconselho á não fazer oque pensa em fazer, eu já disse que você não está sozinha. - repreende Hinata abraçando novamente a Haruno que retribuí chorosa.

- Arigato.

 

/.../

 

O príncipe enfrentava seu pai numa luta de espadas com o seu amigo, Naruto sempre foi bom mais Kakashi era mais habilidoso com espadas e o loiro as vezes não conseguia se defender direito, em um golpe rápido Kakashi faz com oque á espada do loiro voasse o mai longe possível, ele aponta a espada no pescoço do loiro que levanta as mãos pro ar indicando ter sido derrotado.

- Venci de novo, como sempre, precisa treinar mais Naruto. - debocha o grisalho guardando sua espada.

- Hum. - resmunga o loiro trincando os dentes - tenho que ir.

- Ate mais. - se despede o grisalho adentrando o palácio ofegante.

Ao chegar na sala real Kakashi se depara com o seu pai desmaiado e com um pouco de sangue escorrendo pelo canto de sua boca, o mesmo corre desesperado se ajoelhando de frente ao seu pai e dando leves tapas sonoros no seu rosto, o mesmo não se refere aos seus toques trêmulos e nervosos, o rei finalmente acorda com seus olhos meio abertos e seus lábios vermelhos pelo sangue, o príncipe o levanta cuidadosamente seu pai o levando ate seu trono.

- Pai, oque aconteceu? - perguntava o grisalho ajudando seu pai á se sentar no trono.

- Filho, eu preciso te contar algo... - o rei é impedido de terminar a frase pois uma tosse forte o atingiu fazendo cuspir sangue. - eu tenho uma doença, e posso morrer á qualquer momento... - ele tosse mais uma vez só que brutalmente, Kakashi fica atônito com á notícia repentina, não queria perder seu pai tão cedo.

- Isso não é verdade! - Kakashi se afasta de seu pai enquanto chorava e soluçava ao mesmo tempo, estava pálido e tremia com uma certa agressividade.

- Você será nomeado como o novo rei de Konoha. - desfere seu pai novamente deixando o seu filho surpreso com á decisão de seu pai.

- Eu não quero que morra! - grita o grisalho furioso puxando seus cabelos nervoso.

- Filho prometa que irá se responsabilizar com o reino, me prometa pelo menos isso. - Sakumo pega na mão de Kakashi esperando sua resposta.

- Eu prometo, pai. - responde o príncipe com seus olhos marejados e embaçados pelas suas lagrimas.

O grisalho não aguenta e abraça seu pai que retrinuia do mesmo jeito, ao sentir um arrepio percorrer pela sua pele Kakashi arrega-la os olhos aterrorizado, de repente o corpo de seu pai fica pálido e gélido resultando estar sem vida e sem movimentações, os olhos de seu pai estavam fechados e seu pulso não extingia, Kakashi não sentinha sua respiração e seus dedos estavam gelados, no canto de sua boca escorria o sangue seco e seu corpo sem vida não retribuía mais o seu abraço nervoso e choroso.

- NÃO!!! - Kakashi não parava de gritar assustando os empregados que ver á situação que o grisalho estava levaram a mão ate a boca aterrorizados.

Kakashi se levanta e dava para se notar sua mascara abafada molhada pelas suas lagrimas como todo o seu rosto, ao ser impedido por um dos empregados o mesmo o encara.

- K-Kakashi-sama, oque faremos? -perguntava um dos empregados enquanto contorcia sua roupa resultando nervosidade.

- Mandem enterra-lo. - os empregados ficaram assustados com á orden do príncipe - é uma ordem!

Como o seu pai Kakashi sempre foi frio e arrogante, não queria se demonstrar um fraco diante do cadaver de seu pai que não ficaria orgulhoso, teria que ser forte e enfrentar isso de maneira obvia, agora será rei e uma responsabilidade imensa cairá sobre si.

- Mande alguem enterra-lo em qualquer lugar do reino só que distante do palácio, não quero o cadaver do meu pai aqui. - ordena novamente enquanto atravessava á porta dos corredores.

 

/.../

 

Já tinha amanhecido e á torre onde se localizava as escravas estavam movimentadas, os donos da torre levaram comida para elas e a mesmas obedeciam sem reclamar, mais á Haruno não queria comer e por esse motivo Hinata se preocupava pois se um dos donos saberem que ela os desobedeceram seria punida severamente.

- Sakura, é melhor comer antes que eles vejam que você está os desobedecendo. - insistia á Hyuuga nervosa e olhando para os lados vendo se alguem escutava.

- Eu já disse que eu não vou comer! - reclamava Sakura novamente afastando o prato que obtinha frutas.

- Oque está havendo aqui? - uma voz grave fez as duas tremerem, o hoem encara Sakura e percebe que ainda não comeu as frutas - porque não está comendo?!

- Porque eu não quero! - apos Sakura desferir essas palavras contra o dono o homem levanta sua mão para esbofetar Sakura só que Hinata aparece em sua frente fazendo com que o tapa á atingisse, todas as escravas da sala ficaram em êxtase observando á situação.

- Seu maldito, não ouse bater na minha amiga! - Sakura esbofeteia o homem á sua frente deixando seu rosto vermelho e ardido, ele á puxa pelo braço agressivamente.

- Sua qualquer, como ousa me bater! agora sim...

- Pare! - um homem que se parecia superior ao outro o parou se aproximado de si - não arranje mais briga, deixe-a em paz! - ordena o dono fazendo com que o homem á soltar e a fucilar com os olhos.

- Obrigada por me defender, Sakura. - agradeceu Hinata abraçando á Haruno que retribuí.

Dois homens invadem á sala das escravas enquanto reodeava o quarto encarando as escravas as analisando, quando o seu olhar se depara com o de Sakura que o encarava assustado enquanto ele á encarava surpreso e  atônito, seu olhar malicioso surge fazendo com que sakura desce passos recuando contra si.

- Você! - o homem  puxou Sakura pelos braços brutalmente á retirando da sala, ela tentava se debater mais era inútil, ela é jogada na carruagem com agressividade enquanto seus olhos marejados encaravam o homem que não estava nem ai para os seus olhares piedosos.

 

/.../

 

Quatro dias depois desde á morte do "antigo" rei, os mordomos e os empregados estavam espalhados pelo palácio decorando todos os cantos, as luzes iluminavam as árvores e as flores se refletiam, o imenso tapete vermelho que ia ate o trono, o cálice de ouro puro e o vinho faziam presente no imenso banquete preparado, as carruagens repousavam de frente ao palácio e de lá sairam os convidados, os lordes e os reis.

Uma dessas carruagens ainda estava parada, Sakura caiu no sono e nem percebeu quando foi puxada novamente e ao abrir seus olhos ela se depara com o palácio, com certeza ela não esperava por isso, por ser levada á um palácio e o mais lindo que já viu, ela é levada á um quarto que ficava mais ou menos dentro do palácio, ao ser jogada nele uma das mulheres ue se habitavam a seguravam para não cair.

- Você deve ser á Sakura, prazer, me chamo anko. - cumprimenta uma das mulheres que tinha os cabelos meio roxeado escuro.

- Sim, mais pra que tudo isso? - Sakura se perguntava encarando todos os produtos de beleza.

- Para você se arrumar, o futuro rei estará de aguardando na sala real, vamos venha cá, eu vou escovar seus cabelos. - pediu gentilmente, Sakura percebeu que sim ela é de confiança e á obedeceu.

- Mais porque "futuro" rei? - perguntou Sakura novamente enquanto a mulher escovava seus cabelos.

- Poque o rei antigo sofreu uma grave doença e apos sua morte o príncipe Kakashi sendo o  seu único filho e herdeiro, ele foi nomeado como rei já faz alguns dias, não só eles mais reis de outros países foram convidados para celebrarem.- explicava anko calmamente.

- Entendi. - apos ouvir todas essas palavras Sakura fica pensativa e ao mesmo tempo nervosa.

- Tome, vista essa roupa. - anko entrega um vestido branco com detalhes rosa e dourado, havia alguns traços parecido costurado delicadamente, as mangas não era muito cumpridase iam ate as suas pernas, a mulher que a arrumou a leva ate a sala real onde estava o rei.

- Kakashi-sama, sua nova escrava. - Kakashi se vira encarando Sakura plerpexo e surpreso, não só ele mais  todos os olhares masculinos foram direcionados ao encontro de Sakura, seus olhos negros estavam definitivamente vidrados nos seus olhos esmeraldinos e brilhantes, seus cabelos longos e rosados estavam soltos, seus cabelos cobriuam a metade de sua testa e seu vestido mouderava perfeitamente em seu corpo, o grisalho se aproxima de Sakura e beija sua mãe se ajoelhan de frente a ela.

- Como se chama flor? - perguntou Kakashi sendo delicado em suas palavras.

- Haruno Sakura. - responde com postura e frieza.

- E muito linda, nunca vi uma mais bela. - elogia o grisalho acariciando seu rosto pálido e sua pele macia.

- Arigato. - agradece.

Sakura começa a ficar nervosa.


Notas Finais


epa gostarão!?
continuo?
obrigado por lerem e sejam bem vindos!

ATE MAIS!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...