História Destiny - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chris Evans, Kaya Scodelario
Personagens Chris Evans, Kaya Scodelario, Personagens Originais
Tags Amor Proibido, Chefe, Gravidez Indesejada, Moda
Exibições 72
Palavras 1.392
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie, como estão? Espero que bem.
Vamos aos avisos básicos:
- Fanfic de total autoria minha, ou seja, se a virem em outro lugar, é plágio e crime;
- Chris Evans e Kaya Scodelario não me pertencem, mas os personagens sim;
- A fanfic não é movida a comentários, todavia, os mesmos serão bem vindos;
- Quero dedicar essa fanfic para a Karol (@vettelian) que é uma grande e maravilhosa amiga, te amo ka <3 e quero agradecer a @eleven, por essa capa maravilhosa <3
- Esse capítulo não é um prólogo, ele já inicia na narração da personagem principal.

Espero que gostem e perdoem os erros ortográficos. Boa leitura! <3

Capítulo 1 - Start


 Clarisse Wright 
 
  música tocava, alegrando todos nós. Trabalhar daquele jeito era maravilhoso. Muita gente poderia dizer que aquilo era totalmente errado, já que ouvir música enquanto costura, não dá para se concentrar muito bem. Mas, aquilo, de alguma forma nos aproximava. Os outros alunos pareciam estar em êxtase, assim como eu. Era tão prazeroso estar em um ambiente assim, com todos juntos e felizes. O sinal tocou, anunciando o término da aula. O professor nos elogiou, como sempre. Levantei da cadeira, guardei meu material e quando estava saindo, um garoto de minha classe me encarava, sorrindo. Ele era alto, loiro, musculoso e bonito, com certeza “galinha”.
— Clarisse, não? — perguntou ele. Tímida, assenti. — Sou Derek.
 Apertei suavemente sua mão estendida. 
— Bem... Sempre estive te observando e te acho linda, gostaria de sair comigo algum dia? — Derek perguntou, envergonhado. Sorri, fazendo-o sorrir.
— Claro. Agora tenho que ir, até mais — falei.
— Até.


 Na volta para casa, coloquei meus fones de ouvido, me envolvendo em um mundo só meu e de mais ninguém. Homens que passavam por mim ficavam me encarando como se eu fosse um pedaço de carne. Era um sensação horrível. Estar sendo observada por todos não é muito legal mas não posso negar que atenção às vezes é bom. 
 Ao passar perto de uma loja de vestidos de gala, F&G, tive uma ideia. Eu iria procurar um emprego. Mas, ao ver a imagem da modelo dentro da loja, estampando as vitrines com os vestidos, quase me fez passar mal. Era Karina White, uma modelo super famosa e ex namorada minha. Ela era uma lésbica assumida e estava namorando com uma colega de trabalho, tão famosa quanto ela. Sinceramente, aquelas duas se mereciam. 
Continuei andando, mas as lembranças do nosso namoro, viam à tona em minha mente. Nosso fim não foi muito do jeito que eu esperava. Em uma noite, Karina voltou do trabalho e disse que queria terminar porque tinha conhecido uma mulher que estava apaixonada por ela. Claro que doeu, terminar com uma pessoa que esteve ao meu lado durante anos, não é fácil. Mas depois de algum tempo, superei. 

 O fim da tarde de verão estava magnífica. O céu tinha tons alaranjados, róseos e azuis por toda sua extensão. Não pude deixar de sorrir, afinal não é todo dia que chego antes do anoitecer. Encontrei minha mãe na cozinha fazendo nosso jantar. Ela parecia mais animada do que de costume, com certeza deve ter tido um encontro com o seu namorado. 
— Oi, mãe — cumprimentei. Depois de alguns segundos cantarolando, ela percebeu minha presença e riu envergonhada.
— Olá, Clary. Como foi a aula hoje? — perguntou, sorrindo alegre. Minha mãe era uma das pessoas mais lindas que já havia visto no mundo. Seus cabelos loiros que iam até os ombros eram lisos. Eu havia puxado a cor do cabelo de meu pai e por isso, às vezes pensava que minha mãe não gostava de mim tanto como gostava de minha irmã mais velha, Anne, que era praticamente sua cópia. A cor de seus olhos era azul, como o céu. Com certeza ela estava no auge de sua vida. Era tão bela que as vezes perguntavam se ela era minha irmã mais velha. 
— Foi ótimo. Até fui chamada para um encontro por um garoto da minha sala — respondi sorrindo. 
— Isso aí — disse — você tem que fazer como sua velha e poderosa mãe Margaret e conseguir encontros. 
— Ah, então era por isso que estava tão animada? — perguntei.— Você tem um encontro com o seu namorado? 
— Ele não é meu namorado — respondeu — é só um ficante.
— Sei. 
 Peguei uma maçã da fruteira e subi para meu quarto, para esperar o jantar. 

 Durante todo o tempo em que comemos, falei que queria começar a trabalhar. Óbvio que sua reação não foi boa. Ela não parava de dizer que eu ainda era uma criança e que crianças não deveriam trabalhar. Mas depois de algum tempo me dando bronca, ela permitiu. Por causa disso, acabei dormindo mal porque fiquei muito ansiosa. 
 Acordei tão cedo que nem minha mãe estava acordada, muito menos Anne. Como temos o costume de quem acordar primeiro preparar o café da manhã, cozinhei alguns ovos e fiz café bem forte, do jeito que eu e minha mãe gostamos.
Acabei comendo sozinha e fui me arrumar para ver se conseguia algum emprego. Coloquei um vestido florido solto, salto alto e coloquei apenas meus brincos da sorte, que foi um presente de meu pai ausente. 

Passei praticamente o dia todo procurando alguma oferta de emprego e nada. Simplesmente nada. Eu estava prestes a desistir, quando vi o enorme prédio da empresa de roupas F&G. Claro que poderia ser a toa, mas não poderia deixar essa chance escapar. Por mais que só pessoas “cultas” trabalhassem ali, não era errado tentar. 
Fui até a recepcionista, que tinha uma expressão de tédio estampada bem no meio de seu rosto. Mastigava lentamente seu chiclete, que mesmo de longe podia sentir o cheiro de menta. Ela me analisou de cima a baixo, estudando cada defeito e qualidade minha. 
— Boa tarde — falei tentando ser educada. Ela só arqueou suas sobrancelhas bem desenhadas com certo desgosto. Que ódio. 
— Em que posso ajudar? — sua voz parecia de uma mula morrendo. Era fina e aguda, quase fazendo meus tímpanos explodirem. 
— Por acaso vocês estariam procurando novos empregados? — perguntei, esperançosa.
— Não, no momento não — disse amargamente — por que não vem outra hora? 
 Porque talvez você vai estar sendo estrangulada por mim! Ah, mas claro que só dei um sorriso e dei meia volta, decepcionada. 
— Espere — falou alto. Voltei quase correndo e virando meus pés naqueles saltos enormes. — Pode deixar seu currículo aqui, vou dar para o meu chefe e quem sabe você não é selecionada para uma entrevista de emprego? 
 Fucei na minha pequena bolsa preta de couro e o desespero bateu quando vi que os papéis com meu currículo haviam acabado. Droga. 
— Deixe-a entrar, Camile — um homem atrás de mim disse. Sua voz era grossa e autoritária. Olhei para a mulher em minha frente que por sinal deveria ser a Camile, e vi que estava surpresa. Virei e vi um homem alto, com o cabelo castanho meio loiro, músculoso e dono de um par de olhos azuis maravilhosos. Trajava uma simples calça jeans escura, uma camisa justa azul marinho e um sapato social. — Siga-me. 
 Durante todo o trajeto até aonde quer que ele estivesse me levando, ele bebericava seu café, fazendo-me ficar cada vez mais nervosa. 
Ele havia parado em frente a uma enorme porta de madeira chique e a abriu, revelando uma enorme sala com um sofá de couro cinza no canto. No meio da sala, tinha duas cadeiras, uma na frente e outra atrás de uma mesa de vidro. Em cima, tinha um porta-retrato do homem com algumas pessoas e um computador. Ele se sentou atrás da escrivaninha e indicou o lugar em sua frente para que eu me sentasse. 
— Então, o que te traz aqui? — perguntou ele, de certa forma, sarcástico. Cruzou seus dedos na frente do rosto e apoiou os braços em cima da mesa. 
— Vim aqui procurando emprego — respondi. Ele riu. 
— Qual o seu nome? — perguntou. 
— Clarisse Wright.
— Interessante. Bem, sou Henry Bellini e por enquanto só temos vagas para assistente do chefe. E no caso, eu sou o chefe. 
— Eu posso marcar entrevista? — perguntei, nervosa. Senti o suor escorrendo pelas minhas costas, provavelmente molhando meu vestido.
— Não precisa — disse rudemente. Me assustei com tal ato. Como assim não precisava? — só tenho uma pergunta.
— E qual é? 
— Está solteira? — perguntou. Pronto. Já começou com as piadas. Tive vontade de levantar e sair rindo. Mas percebi que aquilo não era uma piada, era sério. 
— Sério isso? — ele assentiu. — Sim, sou solteira. E a propósito, faço faculdade moda. 
— Pronto. Está contratada — falou — você começa na próxima segunda. 
— Mas... Só isso? — perguntei. Aquilo não parecia real. Ele só podia estar brincando comigo. 
— Sim, só isso. 
— Não vai perguntar se já trabalhei em outros lugares? 
— Não, porque não me importo — suas palavras pareciam facadas em meu peito. — Você é qualificada e ponto. Se quiser o emprego, você o têm, mas se não quiser, pode me dizer aqui e agora. Vai querer trabalhar aqui ou não? 
 Juntei minhas sobrancelhas, em descrença a tudo que ouvia.
— S-Sim... Quero o emprego. 
 Ele sorriu, revelando seus belos dentes brancos e alinhados.
— Então é isso. Você está contratada, Clarisse.

 

 

 


Notas Finais


Vejo a Kaya Scodelario como Clarisse, Alex Pettyfer como Derek, Jennifer Aniston como Margaret, Blake Lively como Anne, Chris Evans como Henry Bellini e Cara Delevingne como Karina White <3

E para aqueles que ficaram confusos: Clarisse é bissexual.

Espero que gostem :3 até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...