História Destiny - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Doyoung, Haechan, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Johnny, Mark, Taeil, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta
Tags Abo, Doeil, Jaeje, Jaeyong, Markchan, Markhyuck
Visualizações 238
Palavras 1.419
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Magia, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Aqui está outro especial Doeil<3

Boa leitura<3

Capítulo 44 - Eu te amo


*•*•*•* NO DIA SEGUINTE *•*•*•*

*•*{TAEIL POV}*•*

Acordei com o alarme do celular, desliguei e quando vi as horas eram 06:30.

Doyoung estava a dormir, deitado de barriga para baixo. 
Ele é tão fofo. 

Sorri e deitei-me virado para ele.

Fui dando beijos carinhosos na sua bochecha e ombro até que ele se mexeu. 

- Que horas são? – Ele perguntou e eu ri, dando um selinho nos seus lábios. 

- Bom dia. – Ele sorriu e bocejou. 

- Bom dia. – Ele disse e abriu mais os olhos, olhando para mim. – Já me pode dizer que horas são? – Ri e dei um beijo no seu pescoço.

- São 08:30. – Ele arregalou os olhos e levantou o tronco. 

- Você está brincando não está? – Estou, mas ele não precisa de saber isso. – Como é que já é tão tarde? Temos que ir embora daqui a meia hora, eu tenho que tomar banho, ver se o Donghyuck precisa de alguma coisa. – Ele sentou-se e olhou para todos os lados, agarrou na roupa interior que estava em cima da cama e vestiu. 

- Você pode ter calma? – Ri quando ele se levantou e começou a andar pelo quarto tipo uma barata tonta. 

- Calma? Eu tenho meia hora para tomar banho, vestir, ir falar com o Donghyuck e fazer um monte de coisas! – Eu gosto muito de o ver assim todo apressado, fica tão fofo. – Vou tomar banho. – Ele olhou para todos os lados e depois aproximou-se de mim dando um selinho nos meus lábios. 

- Doyoung espera. – Ri e ele olhou para mim levantando uma sobrancelha. 

- Você está brincando comigo? Se estiver eu juro que sou capaz de te castrar! – Nesse momento ri alto e podemos dizer que fiquei com medo.

- Agressivo, nossa. – Fiz sinal para ele olhar para o meu celular e nesse momento ele agarrou num travesseiro e atirou para mim. 

- Idiota, eu estava a entrar em pânico já! – Ri mais e levantei-me, aproximando-me dele e dando um selinho nos seus lábios. 

- Ainda temos tempo. – Ele riu e envolveu o meu pescoço com os seus braços e deu um impulso para cima, ficando no meu colo. 

- Então, vamos tomar banho? – Ele perguntou junto aos meus lábios e eu sorri. 

- Vamos. – Comecei a beijar o seu pescoço enquanto andava para a frente até que chegámos à porta do banheiro. 


[*]


- Você tem tudo? – Perguntei assim que voltei a entrar no quarto dele depois de vestir outra roupa. 

- Acho que sim... – Ele suspirou e depois olhou para mim. – Chega aqui. – Ele estendeu um dos braços na minha direção e eu sorri.
Fechei a porta e depois aproximei-me. 

Doyoung colocou os braços à volta do meu pescoço e abraçou-me. 

Retribui o abraço e fechei os olhos, os abraços dele são muito bons. 

- Ninguém pode saber do que fizemos aqui. – Ele disse e mesmo sabendo que me vai custar imenso, sei que o melhor é fingirmos que não aconteceu nada, pelo menos quando estivemos com outras pessoas.

- Eu sei. – Parei o abraço e olhei para ele. – Eu te amo. – Ele sorriu e olhou para baixo. 

- Eu também te amo. – Olhou para mim e eu acariciei o seu rosto. 

- Ninguém pode saber, mas... isso não significa que não podemos repetir não acha? – Ele riu e afastou-se, fechando a sua mala. 

- Talvez... – Olhou para mim e eu abanei a cabeça. Aproximei-me dando um abraço por trás e ele sorriu. 

- Isto pode parecer uma maluquice, mas eu nunca tinha sentido tantas coisas com alguém como senti com você. – Ele riu e beijou a ponta do meu nariz. 

- Em que sentido?

- Em todos. 

- Sabe hyung... eu sinto o mesmo. – Sorri e beijei a sua bochecha. - Nós vamos entrar numa daquelas coisas tipo sexo sem compromisso? – Ele perguntou e eu ri. – Parecemos adolescentes, nossa senhora. 

- Você não quer compromissos comigo é? – Ele suspirou e olhou para os meus olhos. 

- Você sabe que não é isso, é só... nós não podemos ter nada de pelo menos assumido. 

- Eu sei... – Fiz um biquinho e pousei o meu queixo no seu ombro. – Mas ninguém precisa de saber, apenas nós. 

- De qualquer forma é melhor continuar como estamos, você sabe que eu tenho razão. 

- Sei, infelizmente. – Ele sorriu e virou-se para mim iniciando um beijo carinhoso. 

- Mas isso não significa que eu vou deixar de gostar de você. Vamos com calma pode ser?

- Pode. – Sorri e voltámos a outro beijo. 

Ouvi alguém bater à porta e nesse momento parámos o beijo e eu afastei-me um pouco. 

- Hyung posso entrar? – Ouvimos a voz de Donghyuck e Doyoung sorriu olhando para mim.

- Pode. – Donghyuck entrou no quarto sorrindo e olhou para nós dois.

- Não interrompi nada pois não? – Doyoung olhou para mim e sorriu.

- Não.

- Hyung, você viu carregador do meu celular? – Doyoung riu. 

- Você emprestou-me ontem porque eu me esqueci do meu no Sul lembra? Está aqui. – Doyoung abriu o fecho pequenino da mala e de lá tirou o carregador. 

- Obrigado hyung. – Naquele momento Donghyuck suspirou e abanou a camisa. – Está imenso calor aqui não está?

- Nem por isso Donghyuck, você está com febre? – Donghyuck sorriu e Doyoung arregalou os olhos. 

- Você está... 

- Ainda não, mas não deve faltar muito. – Riu e vi que Doyoung ficou meio (para não dizer completamente) assustado. 

- O que se passa? 

- Ele vai entrar no cio. 

- Você e o Mark vão entrar no cio ao mesmo tempo? – Acho que não pode dar certo, o melhor mesmo é eles voltarem para o Sul.

- Parece que sim, por isso é melhor irmos embora. – Doyoung disse e eu ri.

- Vocês por favor, comam alguma coisa antes, ainda são 08:00 por isso têm tempo. 

- Eu estou esfomeado. – Donghyuck disse e eu ri. 

- Não deve haver problema Doyoung. – Ele suspirou e assentiu. 

- Vamos então. 

- Vou pedir a alguém para vir buscar as malas de vocês. – Eu disse e eles assentiram.

Saímos do quarto e fomos até à sala onde comemos, Mark já estava lá, quando entrámos notei que Donghyuck ficou um pouco... estranho. 

- Bom dia Mark. 

- Bom dia. – Ele disse e olhou para Donghyuck com um sorriso muito... estranho. 

- Meninos, vocês estão muito estranhos. – Eu disse e eles riram. 

- Deve ser impressão sua hyung. – Donghyuck disse e Doyoung olhou para mim. 

- Você está vendo porque é que eu não queria que eles se aproximassem? – Ele disse e eu neguei. 

- Calma, não vai acontecer nada. 


Começámos a comer e só sei que Mark e Donghyuck estavam a olhar um para o outro com sorrisos muito maliciosos, é, não vai dar certo se eles continuarem na mesma sala.

- Bem, já está na hora. – Doyoung disse passados uns minutos. – Donghyuck, vamos? – Donghyuck olhou para Doyoung e assentiu. 

- Vamos... – Levantou-se e aproximou-se de Mark. – Vou ter saudades suas. 

- Também eu. – Mark abraçou-o com força e deu um beijo no seu pescoço. – Vá, vai embora antes que eu fique fora de mim. – Eles riram e Donghyuck afastou-se mordendo o lábio inferior. 

- Adeus hyung. – Mark disse e Doyoung sorriu.

- Adeus Mark. 

- Eu vou com vocês. – Eu disse e saímos da sala em direção à saída do palácio. 
Lá estava um carro à espera deles, as malas já deviam estar lá dentro.

- Bem, até daqui a uns dias. – Eu disse e eles sorriram. 

- Tome bem conta do Mark, hyung. – Donghyuck disse e eu sorri. 

- É esse o meu trabalho. – Ele sorriu e entrou no carro.

Eu e Doyoung ficámos a olhar um para o outro, até que ele se aproximou e me deu um abraço apertado. 

- Até daqui a uns dias Doyoung. – Eu disse sentindo o meu coração apertar.

- Até depois hyung. – Afastámo-nos e ele acariciou uma das minhas bochechas. 

- Eu te amo. – Sussurrei e ele sorriu. 

- Eu também te amo, idiota. – Eu olhei em volta e quando vi que não estava ali ninguém aproximei o meu rosto do seu e dei um selinho nos seus lábios. 

- Até daqui a uns dias. 

- Até daqui a uns dias. – Ele sorriu e entrou no carro. 

Começaram a andar e eu acenei. 

Bem, não vai ser por muito tempo, apenas alguns dias.
Mas eu já não sei o que é passar um dia sem ver o Doyoung, estou demasiado habituado e dependente da presença dele. 
Acho que estou apaixonado mesmo...

 


Notas Finais


Ficou bom?

Comentem se quiserem<3

Bem, eu estou há mais de um mês sem att uma das minhas outras fics, e tenho outras para att, então vou deixar de att Destiny durante alguns dias, só para conseguir concentrar-me nas outras ok?

Por favor não desistam de mim, voltarei em breve prometo!❤️❤️

Beijinhos❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...