História Destiny (Larry Stylinson) Season Two hiatus - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Gay, Harry Styles, Larry, Larry Stylinson, Louis Tomlinson
Exibições 128
Palavras 2.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DON'T MATTER HOW FAR I'M GONE, I'M ALWAYS FEELING LIKE HOMEEEEE
amar mesmo eu amo essa musica, o resto eu finjo
MENTIRA AMO MUITO larry stylinson
brincadeira, amo little mix também
EEEEE amo bts
....
e amo voces muitao sz
boa sorte ai jao, é nois nas notas finais

Capítulo 20 - Game Over, Bitches


Maio de 2014 – Rio de Janeiro

 

Louis e Harry estavam descansando no seu quarto de hotel. Eles tinham acabado de fazer um show incrível, e a única coisa que queriam era descansar juntos.

Louis estava sentado, apoiado na cabeceira da cama. Harry estava deitado, com a cabeça no colo de Louis. O de olhos azuis estava focado em fazer pequenas tranças nos cachos do namorado.

Harry: Eu te amo, sabia?

Louis: Sim, sabia. – Riu. – Porque essa declaração repentina?

Harry: Porque eu estava lendo uma história, e nela dizia que quando você ama alguém, é como se você estivesse entregando uma arma a essa pessoa e deixando que ela atire a hora que quiser. Sei lá, só queria que você soubesse.

Louis: Profundo. Ora, Harry Styles, saiba que você é a única pessoa do mundo inteiro que tem a arma que pode me matar, e você pode atirar a hora que quiser. – Falava enquanto deixava beijos por todo o rosto de Harry.

Harry: Eu nunca vou atirar. Se você morresse, eu provavelmente morreria junto.

Louis: Que exagero. Se eu morresse, eu ficaria te assombrando toda a noite, dizendo para você seguir em frente e ser feliz.

Harry: Impossível.

Louis: Concordo. Impossível ser feliz sem a minha presença.

Harry: Convencido.

Louis: Sou mesmo. – Mostrou a língua. – Tem algo contra isso?

Harry: Sim, tudo.

Louis: Vê se me erra, garoto. Agora, se você morresse, o que você acha que eu iria fazer?

Harry: Pegar geral. – Louis deu um tapa na cabeça dele. – Ai! Estou brincando. O que você iria fazer?

Louis: Me casar com alguma mulher, ter um filho e chamar ele de Harry Curly Styles Junior.

Harry: Ugh. Não. Você vai se casar comigo.

Louis: Isso é meio óbvio. – Entrelaçou suas mãos. – Nós vamos casar e ser felizes para sempre. – Cantarolou.

Harry: Aqui não é a Disney.

Louis: Quem disse que não? Aqui pode ser o que você quiser.

Harry: Como chegamos nesse assunto, afinal?

Louis: Não sei. Você que começou com essa coisa de armas.

Harry: Ah sim. Você é o único que pode me matar, Alouisio.

Louis: Alouisio?

Harry: Vi em um cartaz de uma fã.

Louis: Essa fã era a Emma?

Harry: Talvez.

Louis: Ok, ok. Você também é o único que pode me matar, Hazza Eduardo Estilos.

Harry: Foi a Emma que te falou esse apelido, certo? – Louis concordou rindo.  – Sabia.

Seria tão lindo se eles realmente fossem os únicos que tivessem o poder de se matar... Uma pena que o jogo não funciona assim.

Eles tinham chegado no local. Era uma espécie de galpão abandonado, exatamente como o da morte de Emma. Eles eram donos de vários galpões abandonados, talvez.

Eles entraram no galpão, e eles não sabem como, mas Zayn, Liam, Gemma e Louise estavam encurralados contra a parede, com duas armas apontadas para eles. Armas que estavam sendo seguradas por um garoto e uma garota. Esses nos quais estavam um de cada lado da “sala”, o garoto segurando Louis e a garota segurando Harry. E eles não tentaram se soltar, porque bem, eles tinham uma arma. E, no fundo, quatro cadeiras, ocupadas por quatro pessoas. Uma delas eles reconheceram ser Georgia. E do outro lado, um Niall que observava tudo sozinho e sem expressão.

Louise: Olha o cabelo dessa mulher. – Sussurrou para Gemma. – Se for para eu morrer eu quero chegar no céu com esse cabelo.

Gemma: Louise, cala a boca em nome de tudo que é mais sagrado na sua vida. – Sussurrou de volta, mas ambas sussurraram alto o suficiente para que Alicia pudesse ouvir e dar um sorriso a elas.

Georgia: Espero que estejam preparados para o gran finale. – Falou se levantando com sua taça de whiskey. – Mas antes, vamos as devidas apresentações. Alexander, Octavia, Alicia, Carter e Otavia. Acho que vocês já conheciam todos nós.

Alexander, que estava sentado em uma das cadeiras. O cara do apartamento de Niall e Emma e da boate.

Octavia, a secretária, que também estava sentada, elegantemente com seu copo de whiskey na mão e um sorriso presunçoso.

Alicia, a camareira. E um sentimento estranho de já terem a visto em algum lugar, sem ser no hotel.

Carter, o garoto no qual eles estavam fechando contrato na gravadora, que segurava Louis.

Otavia, a garota da boate, que estava segurando Harry.

Eles estiveram por perto o tempo todo.

Ok então, eles estavam muito fodidos.

Eles tinham Georgia, Alexander e Octavia sentados nas cadeiras, com sorrisos bastardos e copos com bebidas. Eles tinham Alicia, que tinha se levantado e caminhado até eles com uma arma na mão. Eles tinham Carter e Otavia, que seguravam Louis e Harry, enquanto apontavam suas armas para o resto deles. E tinha Niall, que não se manifestou em nada, mas que estava os ajudando.

É, eles estavam bem fodidos mesmo.

Alicia: Agora, vamos explicar a vocês o que vai acontecer. Temos uma proposta. Já que tudo isso começou por causa de vocês dois – Ela apontou a arma para Harry e Louis – Vocês morrem. Ou, nós podemos deixar vocês dois vivos e matar o resto. O que vocês preferem?

Louis: Porque vocês estão fazendo isso?

Simon: Porque eu os contratei para isso. – Simon surgiu, caminhando lentamente até estar ao lado de Alicia. Ele tinha um sorriso no rosto, um sorriso de vitória. – Vocês estão frente a frente com os melhores assassinos do Reino Unido. E com o amiguinho de vocês, que agora está do nosso lado.

Harry: Tudo isso para que? Vingança? Nos matar vai fazer de você menos filho da puta?

Simon: Sim, meu querido, é uma vingança. Vocês não sabem o quanto eu sinto remorso por ter feito vocês o que são hoje, por ter dado a vocês tudo o que vocês queriam. Vocês simplesmente jogaram tudo fora por causa de um ou dois romances idiotas. E ainda acabaram com a minha vida.

Zayn: Sente remorso de ter nos explorado e destruído a nossa vida, você quer dizer.

Simon: Quietinho que o assunto não é com você. Você abandonou a banda, o seu namoradinho te abandonou, e vocês dois, Louis e Harry, não vou nem comentar. Tive que aguentar muita pirralha no meu pé por causa do amorzinho de vocês.

Liam: Se você não fosse um escroto, nada disso teria acontecido, sabia?

Simon: Mesmo na hora da morte, vocês continuam sendo aqueles adolescentes insuportáveis, pelo amor. Vocês me jogaram na prisão como se eu fosse um nada, acharam que eu ia esquecer disso?

Louis: Na verdade, a intenção era que você se lembrasse disso todos os dias, mas tudo bem. – Ironizou.

Alicia: Sinceramente, se esse garoto não calar a boca eu atiro nele agora mesmo.

Louis: Você já vai fazer isso de qualquer jeito, para que esperar?

Carter: Cara, você não tem medo da morte não? – Perguntou olhando para Louis enquanto ainda o segurava.

Simon: Calem a boca, eu ainda não terminei. – Falou impaciente. – Vocês vão pagar por tudo o que me fizeram, e vão pagar caro.

Alexander: Chega de toda essa conversa. – O moreno se levantou com sua taça na mão, e caminhou até eles. Nós já fizemos a proposta, vocês só precisam responder.

O clima ficou mais tenso. Não que já não estivesse antes, mas agora estava pior. Eles pararam para pensar.

Eles iriam morrer.

O tempo corria.

Os segundos passavam.

Tudo tão rápido, e ao mesmo tempo passando em câmera lenta diante de seus olhos.

Desespero.

Aflição.

Medo do futuro.

Medo da vida.

Medo do destino.

Era o que eles sentiam no momento.

Alexander: E ai? Me respondam.

Louis e Harry se encararam em desespero. Os olhos azuis de Louis procuravam os olhos verdes de Harry como se suas vidas dependessem disso.

E dependiam.

Quando os olhos se encontraram, os corações pararam de bater por um segundo. Um misero segundo, que naquele momento valia mais que uma hora.

Alexander: Vocês não estavam atrás da porra de um final feliz? Vocês estão a um passo dele. Só basta aceitar. – Alexander dizia enquanto um sorriso se apoderava de seu rosto.

Haviam tantas perguntas nas cabeças de Louis e Harry. Porque? Tudo aquilo justo com eles, porque?

Eles só estavam tentando achar a felicidade. E eles conseguiram.

Mas não para sempre.

Era tão errado assim?

Harry olhou por todo o galpão. As pessoas que ele mais amavam estavam ali. Com expressões de pânico. Expressões de medo. Lágrimas desceram do rosto do cacheado assim que ele voltou a olhar para Louis. O de olhos azuis o encarava com uma expressão de dor no rosto. Ele sabia o que Harry estava pensando.

Louis: Eu te amo... – Louis falou apenas com a boca na direção de Harry.

Harry: Eu te amo. – Harry respondeu de volta.

Ambos encararam o chão por alguns segundos. Ou até mesmo minutos.

Alexander: O tempo esta passando...

Louis e Harry olharam para o homem, que levava a taça de whisky a boca. Um sorriso brincava em seus lábios, enquanto ele ingeria a bebida.

Ele amava vencer. Por mais sujo que fosse, ele amava. Não importa o que aconteceria as outras pessoas. O sentimento de vitória era o suficiente.

Ele foi contratado para isso. Então ele iria terminar seu serviço, sem ao menos sujar suas próprias mãos.

Uma das suas melhores vitorias, ele diria.

Harry e Louis se olharam uma ultima vez.

Azul no verde.

Eles sabiam o que tinha de ser feito.

Eles sabiam que aquele era o destino deles.

Louis: Nós vamos... No lugar deles.

Simon: Sábia escolha. - Sorriu. Tudo o que ele sempre quis iria se realizar. Ver Harry e Louis naquela situação. Saber que todos que os amam iriam sofrer.

Era no mínimo, animador.

Ele olhou para Liam e Zayn. Eles encaravam Louis chocados. Ao lado deles, estavam Gemma e Louise, na mesma situação, com lágrimas pelo rosto.

Era um adeus.

Alexander: Eles são todos seus. – Alex falou para Alicia, que sorriu. Simon foi para o lado de Georgia e Octavia, no lugar que antes pertencia a Alex. Ele iria assistir aquilo de um ótimo ângulo.

Alex permaneceu ao lado de Alicia, sorrindo. Mais um assassinato completo para o currículo. Alicia firmou a pistola em sua mão, antes de aponta-la para Louis. Sua mira era certeira. Bastava apenas ela apertar o gatilho.

Louis e Harry estavam chorando, enquanto se olhavam. Tinham acabado as forças. Eles tinham perdido um jogo que eles nunca aprenderam como jogar. Era o fim. E eles não podiam fazer nada a respeito.

Louis fechou os olhos e inclinou a cabeça para baixo. Ele sabia que era o seu fim. Harry também fechou os olhos. Ele não tinha forças para assistir a morte da pessoa que ele mais amou a sua vida inteira.

Em sincronia, os dois começaram a se relembrar de suas vidas. De todos os momentos até ali. De suas famílias, de seus amigos, deles mesmos. Da sua história.

Mesmo que isso tenha os levado até a morte, mesmo que o simples ato de amar um ao outro tivesse os levado até aquele momento, tinha valido a pena cada segundo.

Em sincronia novamente, eles abriram os olhos e se olharam. Azul no verde.

É, valeu a pena.

Alexander: O que você está esperando? – Sussurrou para Alicia. Ela estava com a arma apontada para Louis, enquanto seus olhos azuis trocavam entre Louis e Harry.

Alicia: Hum... Acho que simpatizei com o casal. – Falou fazendo todos a olharem. – Eles são bonitinhos juntos. E a filha deles é um amor.

Alexander: Do que você está falando?

Alicia: Eles tem uma história de amor tão linda... Seria injusto terminar assim.

Alexander: Você está ficando louca caralho?! – Ele iria partir para cima de Alicia, se ela não tivesse o dado um golpe certeiro na cabeça com a arma, fazendo ele cair no chão, desacordado.

Alicia rapidamente se virou, apontando a arma para Simon, que a olhava incrédulo. Georgia fez sinais para que os irmãos fizessem alguma coisa com Alicia – Já que ela estava de costas para eles – Mas a única coisa que Carter e Octavia fizeram foi apontar suas armas para Georgia e Octavia, respectivamente.

Alicia: Você achou que a gente ia cair nessa? – Perguntou ironicamente para Simon – Vocês quatro, desarmados, apenas assistindo enquanto nós fazemos o trabalho sujo. Assim, se alguma coisa desse errado, o sangue estaria nas nossas mãos, não é mesmo? Nós não somos idiotas.

Simon: Você se ofereceu para fazer isso. Você se ofereceu para mata-los.

Alicia: Você é muito idiota mesmo. Além de que, isso não justifica vocês usarem o Carter e a Otavia.

Georgia: Que porra vocês dois acham que estão fazendo?!

Carter: Nada, irmãzinha querida. Apenas o que tem que ser feito. – Ambos soltaram Louis e Harry, para o desespero de Simon. Esses, por sua vez, correram até os amigos, a irmã e a filha, e para si mesmos. Mas eles estavam chocados demais para fazer alguma coisa que não fosse assistir o que estava acontecendo.

Alicia: Eu te avisei, Simon. Um dia sua ganancia iria te derrubar. E é exatamente o que está acontecendo. Há alguns anos, uma pessoa me ensinou que para ganhar o jogo é preciso usar as mesmas armas que os inimigos. E foi exatamente o que nós fizemos. – Niall, que estava parado, surpreendentemente se moveu para o lado de Alicia, sorrindo para eles.

Niall: E é essa pessoa que vai dar o tão esperado xeque-mate.

Eles estavam em silencio. Os passos se aproximando eram a única coisa audível. Era quase nítido no ar a tensão de Simon, Georgia e Octavia por saberem exatamente quem era, o ar de vitória de Niall, Alicia, Carter e Otavia, e o ar de confusão de Louis, Harry, Gemma, Louise, Zayn e Liam.

Harry olhava toda aquela cena confuso, e ficando realmente com medo da pessoa que estava chegando. Era claramente uma mulher, mas ela estava usando um capuz que escondia seu rosto.

Ele ficou mais confuso ainda quando olhou para Louis e viu que ele estava com um enorme sorriso no rosto, enquanto olhava para essa mulher. Mulher cujo levou a mão até a touca do capuz e o tirou lentamente, revelando seu rosto com um sorriso.

Emma sempre gostou de uma entrada triunfal.

Emma: O jogo acabou, vadias.


Notas Finais


Twitter: @boymeetstydia
VRA
olha aqui acalmem os cus que tudo vai se explicar ta EU SEI Q VCS NAO TAO ENTENDENDO NADA mas num futuro próximo vocês vão entender

o jogo vai virar lalala o jogo vai virar lalala

vcs acharam que a emma tava morta ne???? mas meus amores, a emma ressurge das cinzasssss

agora sei la quando eu volto ta, flw vlw


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...