História Destiny's Choices - Capítulo 5


Escrita por: ~

Exibições 182
Palavras 3.828
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey folks!

Eu amo, babo, lambo e tenho ciúme dessa foto.
Portanto, cuidem dela! HAHAHAHA

(caso tenha algum erro, me desculpem!)

Boa leitura! ♥

Capítulo 5 - Cinco


Fanfic / Fanfiction Destiny's Choices - Capítulo 5 - Cinco

Final de Junho/2016

CT provisório da Seleção de Portugal

Marcoussis – França

 

- Daniele, você veio! – Fernando Santos a cumprimentou quando a viu saindo de seu carro esportivo.

- Não podia perder, afinal, o convite veio do técnico da minha seleção. – se abraçaram e ele a acompanhou até o campo, onde os rapazes já se aqueciam.

Tinham bastantes pessoas pelas arquibancadas e vários repórteres querendo uma foto ou vídeos para seus jornais. Daniele chegou mais perto de onde ficavam os assistentes e o técnico e logo Cristiano veio correndo em sua direção.

- Hey! Achei que tinha se perdido! – ele cumprimentou. Já estava suado e o seu rosto levemente corado por causa do sol forte e dos exercícios.

- Eu peguei um pouco de trânsito, afinal, não vim num ônibus enorme que abre espaço onde quer que esteja. – brincou se referindo ao ônibus deles. Ela havia observado no começo da rodovia que os levariam até o CT que o ônibus chamava atenção e as pessoas abriam espaço, como se estivesse passando o carro da polícia por ali.

- Nós te chamamos para vir de ônibus com a gente. – defendeu o atacante.

- Eu sei. Mas não quis aceitar. – ela respondeu. – Agora vai lá treinar antes que eu leve uma bronca por estar atrapalhando vocês. – riu com ele e quando ele se virou para se afastar, não aguentou e deu um tapa na bunda dele, como forma de incentivo para o treino. Ele virou-se com cara de indignado! Ela riu mais ainda da expressão dele. O atacante voltou onde estava e roubou um selinho dela, saindo correndo logo após. Daniele percebeu a agitação dos fotógrafos e dos torcedores que presenciaram a cena.

Droga! Ela tinha esquecido eles por um momento.

Seu rosto estaria estampado por ai no outro dia como o novo affair de CR7.

~♥~

O treino estava no final. Faltavam poucos minutos para acabar o segundo tempo reduzido do treino. Cristiano havia feito duas assistências perfeitas e dois gols, os quais ele olhou para o banco onde ela estava, acenando para ela dedicando os gols para a advogada.

Fernando apitou, falando que eles podiam ir para os vestiários. Daniele levantou-se e aplaudiu junto dos outros torcedores que começavam a se movimentar no estádio. Pegou seu celular e a garrafinha de água e seguiu para onde os jogadores iriam passar.

- Oi novo affair do CR7! – Pepe cumprimentou, sacaneando a moça que apenas mostrou a língua para ele, rindo em seguida.

- Agora é público, casal. – Sanches falou para eles. Cristiano se aproximou de Daniele, apenas dando um beijo suave em seu rosto. Ele estava super suado, igual os outros meninos.

- Desculpe por isso. – Daniele e Cristiano falaram ao mesmo tempo, causando risos nos dois e nos outros. – Eu não queria ter batido na sua bunda na frente de todo mundo, quando eu vi, já tinha feito – Dani completou. Os outros rapazes foram na frente, deixando-os para trás.

- E eu nem pensei nos repórteres ao te beijar. – o atacante falou andando ainda ao lado dela – Agora já era. Você é o meu novo affair.

- Espero que isso seja uma boa coisa, atacante. Senão, tão rápido quando eu vim, eu volto. – ela brincou o desafiando.

- Rápido? Você acha que dois anos foram rápidos?

- Dois anos? – Daniele parou um segundo de andar absorvendo a declaração do jogador.

- Eu quero você desde que te conheci em São Paulo. Ai viramos só amigos e perdemos um pouco de contato. Mas eu nunca me esqueci de você nesses meses. – como Ronaldo conseguia falar aquilo na maior calma? As borboletas estavam brigando em seu estômago enquanto Dani se dava conta de que tanto ela quanto ele esperaram todo esse tempo para ficarem juntos.

- Eu também não, atacante. – declarou voltando a andar ao lado do CR7 – Ainda mais quando você ficou me desafiando na nossa primeira conversa.

- Desculpe. Eu não estava acostumado com as mulheres agindo daquela maneira perto de mim.

- Daquela maneira como? Profissionalmente? – Dani questionou irônica.

- É. Você nem parecia estar na frente do CR7 de Portugal! Isso mexe com o ego de um homem igual a mim.

- Ai meu Deus! Essa é a declaração mais absurda que eu já ouvi sair da sua linda boca. – Dani riu dele pulando em suas costas. – Só por isso você me carrega. – ela passou as pernas pela cintura dele. Ronaldo segurou em suas pernas para ela não cair para trás. Já estavam dentro do CT, longe dos fotógrafos, por isso a demonstração pública de afeto podia ser feita sem se preocuparem com as fotos dos dias seguintes.

- Preciso de um banho – Cris falou, deixando-a descer de suas costas quando chegou a frente da porta do vestiário dos jogadores. – Você me espera por aqui?

- Ela estará na minha sala, Ronaldo. – ouviram a voz do técnico respondendo e chamando Daniele com as mãos.

- Vou levar bronca por sua causa! – ela disse baixo enquanto se aproximava do técnico. Ele riu apontando para ela parecendo um irmão mais velho, sacaneando com a cara de assustada dela.

- Não fique preocupada, Daniele – Fernando disse para ela, a encaminhando até sua sala – É só uma conversa que quero ter com você.

- Tudo bem.

Chegaram até a sala do técnico e Daniele sentou-se na cadeira de frente para o dono da sala. A sala estava decorada com algumas coisas de Portugal e algumas fotos dos jogadores. Não poderiam personalizar muito o estádio, pois era emprestado para eles treinarem no período de euro copa.

- Eu gostaria de fazer uma proposta para você, Daniele. – o técnico começou sem mais delongas, sentando-se na frente dela, em sua cadeira – Desde a copa eu analiso o seu trabalho como advogada desportista. E o seu trabalho é impressionante. Eu sei também que você quer ampliar seu escritório além de São Paulo, talvez até do Brasil. E eu tenho uma oportunidade para você. - Daniele ouvia atentamente o que ele dizia. – Poderíamos começar em Lisboa, que é a nossa sede. Lá você seria inserida no nosso departamento jurídico. Contudo, teria total liberdade para ter o seu próprio escritório, num prédio a sua escolha. Não teríamos problemas de você ser advogada de outros times, contando que não seja outra seleção.

A proposta seria ela manter o escritório Amaral&Larsen em São Paulo, enquanto ela iria para Lisboa, se ajustar a cidade e ao país. O salário inicial era um absurdo! Ela, representando os três times grandes de São Paulo, ganhava o que ele estava oferecendo para apenas um time. Fora os honorários com cada ação. Seriam liberados para ela os melhores assistentes jurídicos disponíveis em Lisboa, para auxiliá-la, além de moradia no melhor bairro da capital portuguesa, perto da casa de Cristiano Ronaldo. O técnico soltou essa pequena informação de maneira persuasiva, ela sabia.

- Eu agradeço, Santos, de verdade. – Daniele começou sem saber muito bem o que responder no momento – Contudo, as culturas, as leis, são totalmente diferentes de um país para o outro. Eu sou muito boa no que faço no meu país, com as minhas leis. Infelizmente, as leis não são universais igual jogar bola ou a medicina, por exemplo. Se eu fosse médica, seria muito mais fácil ir trabalhar em outro país, teria apenas que me adaptar aos problemas regionais, mas a base seria a mesma. Agora no Direito não é assim. Portugal e Brasil, por mais que seja parecido em várias coisas, ainda assim não são iguais. Eu teria que solicitar à Ordem dos Advogados do Brasil para ter uma inscrição na Ordem dos Advogados de Portugal, além de começar meus estudos tudo de novo. Eu seria praticamente inútil para você no começo.

- Eu sei disso. Por isso você teria os assistentes e eu te dou o tempo que achar necessário para se adaptar e estudar as nossas leis. Não será como se você tivesse fazendo faculdade de novo. Seria uma especialização. – Santos tentou convencê-la – O problema é o salário? Podemos aumentar a proposta. Eu realmente quero você no meu time, Daniele. O seu trabalho é impecável, ainda mais depois que eu pude ver de perto o que você fez pelos meus jogadores. No meio da copa do mundo no seu país, você conseguiu entrevistas de esclarecimento e livrou meus rapazes de um desconforto muito maior com a imagem deles. – Fernando Santos se levantou e pegou a mão da mulher, olhando nos olhos dela – Eu e toda a Federação Portuguesa de Portugal queremos você no nosso time, Daniele. Você não tem idéia do quanto. – ele falou aquilo praticamente de forma paternal, balançando a cabeça de Daniele. Ela não tinha medo de arriscar, contudo, a proposta seria arriscar demais. – Não me de uma resposta agora. – o homem soltou de sua mão, indo até a sua gaveta e pegando uma folha com a proposta de trabalho e um contrato de trabalho, entregando a ela – Faz assim, leve essa proposta com você. Não precisa agir diferente comigo nos próximos dias. Uma coisa será a nossa relação no hotel com os rapazes e outra eu te fazendo uma proposta de trabalho. Eu prometo que não irei te pressionar nas refeições do time. Pode me dar uma resposta depois de analisar os papeis e antes do final da Euro, de preferência. Eu estarei disposto a discutir cada pedaço dessa proposta, desde o seu tempo de adaptação até local de moradia, férias para você continuar com o escritório no Brasil e tudo mais. Só pense com carinho. – ele tirou os olhos dela e olhou para a porta, onde Cristiano já esperava. Daniele acompanhou seu olhar, sorrindo para o atacante murmurando que já ia até ele – Será uma guinada na sua carreira internacional. Tenho certeza que assim que você aceitar o Real Madrid irá querer você também. Agora pode ir, antes que o Ronaldo exploda de saudade de você. – brincou, apontando para o atacante que estava na porta ainda, quieto. Já sabia que o técnico iria querer a advogada em seu time, e também já havia ouvido o Santos conversando com Zidane e Florentino, o seu técnico e presidente do Real Madrid, respectivamente, sobre o trabalho impecável da mulher.

- Posso te dar uma resposta até o final da Euro? – Daniele fez as contas rapidamente em sua cabeça, sabendo que teria mais ou menos uma semana para se decidir.

- Claro. – Fernando respondeu, levantando-se novamente e apertando as mãos da mulher, sorrindo para ela.

- Farei o possível para ir até a final e te dar mais tempo – Ronaldo riu, amenizando o clima da sala, fazendo os outros presentes rirem junto. Aproximou-se da mulher estendendo a mão para ela.

- Obrigada por isso. – ela piscou, pegando na mão dele e saíram juntos em silêncio novamente.

A cabeça de Daniele estava cheia de coisas. E Cristiano não queria atrapalhar a sua garota de pensar na proposta de trabalhar no time dele.

- Chegando ao hotel eu vou jantar com os rapazes. – o jogador falou depois de pegarem a estrada no carro dela a fim de voltar pra o hotel. Daniele havia dado as chaves para ele dirigir, pois não queria dirigir naquela hora. E os outros jogadores já tinham ido embora com o ônibus.

- Tudo bem, mas não é por causa de trabalho né?

- Eu não quero te atrapalhar a pensar no assunto, Dani. – Cristiano respondeu, olhando rapidamente para ela, que ainda mantinha os olhos no rosto dele.

- Se você quiser jantar com os rapazes, tudo bem. Mas não por esse motivo. Não vou me debruçar em cima desse contrato agora. Tenho alguns dias ainda. Vou pensando aos poucos. Tem muita coisa a ser analisada para eu tomar uma decisão.

O atacante sorriu para ela e pegou em sua mão, levando a palma até seus lábios e dando um beijo suave. Voltou a repousar a mão na coxa dela, ainda com os dedos entrelaçados. Daniele sorriu, agradecendo o carinho. E assim seguiram, de mãos dadas, pela estrada, enquanto Cristiano dirigia com maestria e ela cantava uma música animada no banco do passageiro.

- Comida no quarto ou no restaurante? – o jogador perguntou sem dar atenção a malicia da frase, fazendo Daniele explodir em gargalhadas.

- Ah meu Deus! Como você é pervertido! – ela ria junto dele, ficando momentaneamente vermelha por causa da situação e das gargalhadas.

- Eu deixo você escolher hoje, gata. – ele disse cheio de pose, a fazendo rir ainda mais.

- Pode ser no quarto. Menos pessoas olhando. – ela completou rindo, piscando marotamente para ele.

 

Chegaram até o hotel e foram para o quarto M9. Cristiano ligou pedindo serviço de quarto enquanto Daniele ia tomar um banho rápido.

- Por que M9? - Dani ouviu a voz dele na porta do banheiro, mas sem entrar no cômodo. Ela estava quase terminando o banho.

- Porque M10 me lembra seu amigo Messi – ela respondeu colocando a cabeça para fora do Box de vidro escuro, sorrindo ao ver a cara dele parado na porta do banheiro tentando enxergar algo além dos vidros escuros.

- Parece que a recepcionista tem senso de humor ao me colocar justamente no quarto M10. – o atacante respondeu rapidamente saindo do banheiro para atender a porta. Pediu para o rapaz colocar a comida na mesa e deu a gorjeta que fez o garoto rir que nem bobo. – Chegou a comida, advogada. Anda logo com esse banho. – ele falou mais alto, servindo suco para os dois.

Ela saiu do banho vestindo um shorts jeans claro, uma regata branca e estava descalça e secava o cabelo numa toalha branca.

- Você parece meu filho. Demora uma década nesse banho quente e depois sai descalça. – ele ralhou com ela, jogando um chinelo em sua direção. – Calce.

- Nossa, que pessoa mais autoritária que eu fui arrumar – ela calçou os chinelos e deu um beijo rápido nele. Era incrível como as coisas fluíam entre eles. Daniele há muito tempo não se sentia daquela forma. Ele passou as mãos pela cintura dela, a puxando mais para perto, inalando o perfume que saia dos seus cabelos recém lavados.

- Vamos comer? – perguntou o atacante, guiando-a até a mesa.

Jantaram em meio a risadas e conversas aleatórias entre eles.

- Posso tirar uma foto nossa para o Instagram? – ele perguntou depois que já tinham terminado de comer.

- Você que sabe. O jogador internacionalmente famoso é você. Eu sou apenas a Daniele Amaral, advogada no Brasil. – ela respondeu simplesmente enquanto ele se aproximava com o celular já no aplicativo da câmera.

- Foda-se. Eu estou feliz e quero compartilhar isso. Se para você não tem problema, para mim menos ainda. – eles se abraçaram e sorriram para a foto. Tiraram umas três sentados na mesa de jantar. Depois Cristiano levantou-se e a chamou para ir até a varanda do quarto. Tiraram mais umas quatro fotos juntos e depois ele brincou de tirar fotos dela. Uma pose mais espontânea que a outra que o fazia sorrir bobamente ao vê-las no aparelho celular. Já tinha escolhido o próximo fundo de tela de seu celular e a foto que ele iria postar no Instagram.

- Vou pegar morangos, quer? – ela perguntou, já saindo da varanda e indo até o frigobar que ficava na sala de estar.

Os quartos do hotel eram pequenos apartamentos, para ser bem sincera. Possuíam quartos, banheiro, uma pequena sala e varanda. Todos os cômodos equipados com os melhores móveis, desde frigobar com produtos e frutas selecionadas, até banheiras de hidromassagem no banheiro.

Cristiano a acompanhou até a sala, deixando o celular na mesinha de centro, afinal, ele já havia postado a foto deles dois juntos na mesa de jantar, sem marcá-la ou colocar legenda. Queria manter a privacidade dela. Seu celular estava tocando uma música agitada que ele gostava, dentro de sua playlist.

            Sentou-se no sofá e ficou observando a advogada pegando morangos e um pedaço de chocolate de dentro do frigobar. Ela deu uma mordida em um morango, oferecendo para ele logo após. Ela ainda estava perto do frigobar, de um lado da sala, e ele perto dos sofás, do outro lado.

- Vem aqui comigo. – Cristiano disse estendendo a mão dele para ela, levantando-se em seguida.

- Mas o que você tem a me oferecer? – fez charminho, sorrindo para ele.

- Uma dança.

- Só? - perguntou arqueando a sobrancelha e ele não respondeu, apenas voltou a sorrir, indo até ela.  

Ele colocou as duas mãos na cintura de Daniele e ela entrelaçou os braços pelo seu pescoço, com o cotovelo apoiado pelos seus ombros e o olhar fixo naquelas íris castanhas que ela tanto gostava. A música que tocava era de batidas fortes. Ela não reconhecia a música, mas não fez muita questão ao observar aquele homem na sua frente, vestindo apenas uma calça de moletom, exibindo todo aquele belo peitoral nu e livre de tatuagens.

Começaram dançando de acordo com o ritmo da música, ainda colados. Porém, em questão de segundos se encarando já dançavam lentamente, como se houvesse outra melodia ecoando pela sala, num ritmo deles, próprio.

Daniele examinava o rosto de Cristiano querendo guardar suas expressões tão leves e reconfortantes. Seus olhos agora a puxavam mais pra perto, numa linha invisível e ela movia seu rosto involuntariamente, aproximando a ponto de encostar as suas testas. Sentia a respiração do atacante perto dela, o ar saia de sua boca acelerado e soprava na dela.

Um hálito bom e refrescante invadia seus pulmões.

Daniele estava ferrada, tinha ciência disso. Até então ela não tinha feito sexo com ele, mas depois daquele olhar de Cristiano, ela sabia que estaria perdida para sempre.

- Você comeu chocolate e morango - ele falou com um sorriso, já sabendo que ela o havia feito, mas ele ainda não tinha comido a sobremesa.

- Você já provou essa combinação? – ela o provocou e ele acabou dando uma risadinha.

A boca dele se aproximou da dela e então deu uma mordida em seu lábio inferior a fazendo gemer baixinho, o seu toque quente a havia arrepiado da cabeça aos pés. Ele passou a língua pelo seu lábio e voltou a separar as bocas.

Ela sabia que ele queria brincar, mas Daniele queria muito mais daquela boca. Beijou seus lábios com vontade. O braço dela passou pelo seu ombro e ela segurou seus cabelos com força, o guiando e ele fazia o mesmo. Era incrível o quão sincronizado eles estavam.

Era incrível como eles faziam os movimentos certos na hora certa, era como se fossem encaixes perfeitos de um quebra-cabeça.

Os corpos estavam colados e Daniele pode sentir a excitação dele quando a região pélvica encostou-se a seu corpo. Ela tinha desejo dele, ela o queria e queria agora. Quebrara o beijo apenas para dizer:

- Quarto!

Ronaldo a guiou, ainda sem quebrar o beijo, até o quarto. Quando entrou no cômodo, trocaram olhares maliciosos.

Ele colocou uma das mãos na cintura da mulher e a outra no seu pescoço, puxando um pouco do cabelo escuro de Daniele enquanto ela passava a mão pelo seu tronco nu.

Aproveitando o lugar onde as mãos de Daniele já exploravam, Ronaldo aproveitou e retirou a regata dela, jogando-a no chão logo após. Parecia satisfeito com o que via quando esboçou um leve sorriso ao observar os seios cobertos pelo sutiã rosado.

Guiou-a até a cama. Daniele deitou-se ainda olhando para ele, se perdendo na imensidão castanha e se deixando levar pela onda de prazer que estava sentindo. A moça abriu um sorriso envergonhado ao perceber seu olhar de admiração pelo seu tronco. Observou-o se aproximando novamente e abrindo o fecho de seu sutiã, jogando-o longe também.

Ele seguiu por beijos pelo colo e passou sua língua quente pelos seios de Daniele, um de cada vez, a fazendo arrepiar. Desceu com mais beijos já retirando os shorts que a moça vestia. Daniele se deu conta que já estava apenas de calcinha em sua frente e ele ainda estava com a calça de moletom e a boxer preta de sua marca de cuecas.

- Vamos dar um jeito nessas roupas, sim? - sussurrou, levantando o tronco e tirando a peça incomoda. Em pouco tempo, ele também só estava de boxers e então voltou a prensá-la na cama, deitando seu corpo sobre o dela e beijando sua boca com vontade.

Amaral mordeu seu lábio inferior. Apenas de sentir seu corpo sobre o dela já a deixava extremamente excitada e ela não via a hora de sentir todo aquele volume dentro de seu corpo. Eles se queriam dessa maneira luxuriosa desde que se conheceram em São Paulo, dois anos antes. Deixariam o romantismo para depois.

Ele pareceu perceber sua inquietação e também parecia querer o mesmo.

Daniele tomou a iniciativa tirando suas boxers com a ponta dos pés, jogando-as para baixo. Sua ereção era incrível e a moça não deixou aquele volume passar despercebido. Seu corpo tremeu ao sentir o seu membro roçar na parte interior da sua coxa.

Ronaldo interrompeu o beijo, encostando a sua testa a dela.

Daniele ficou de olhos fechados, sentindo a respiração ofegante dele se chocar fortemente com a sua própria respiração e logo suas mãos, cautelosamente, tiraram a calcinha que ela vestia.

Ela o ajudou, levantando um pouco o corpo para que a peça passasse entre eles. Com o movimento, as testas deles se desencostaram e ele parou para observar o corpo nu e suado de sua mulher, mesmo com a pouca claridade que invadia o quarto.

Dani abriu os olhos, deixando-os baixos e encarando apenas o sorriso pervertido de Cristiano antes dele se posicionar em cima dela. Com a camisinha já vestida, deixou seu membro devidamente colocado na entrada de sua intimidade.

Aos poucos ela sentiu a glande penetrar e a respiração de Daniele simplesmente parou, até que ele o fez completamente, vagarosa e torturantemente, investindo com força e velocidade. A sensação era simplesmente indescritível, nunca havia sentido nada como isso antes e ela devia admitir que valera a pena esperar quase duas semanas, sem contar os dois anos anteriores separados. 

Dani gostava de sua agressividade e romantismo, juntos ao mesmo tempo. Dividindo espaço na cama deles. Ronaldo mantinha a velocidade incrível e às vezes não dava pra ocultar o prazer que ela sentia com gemidos sussurrados, fazendo sua voz se manifestar involuntariamente.

Como não tiveram preliminares, ele teve que dar o melhor de si, mas o resultado foi gratificante: ambos tiveram o orgasmo praticamente ao mesmo tempo.

Cristiano caiu cansado sobre o corpo dela, dando um selinho demorado em seus lábios antes de se aconchegar ao seu lado, seus olhos fechados e seus cabelos suados mostrando o resultado de todo o esforço.

Amaral observava seus belos traços. Parecia que ela não era a única tomada por essa sensação maravilhosa. Ambos estavam com um sorriso bobo nos lábios.

Ele se enroscou nela e fechou os olhos dormindo logo em seguida. Daniele fez o mesmo, mas antes uma verdade passou pela sua cabeça: ela havia transado com Cristiano Ronaldo, o famoso CR7, jogador mundialmente famoso e capitão da sua seleção do coração.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!

Beijos ;**


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...