História Destroyer - Apenas uma gangue de retardados - Interativa - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 29
Palavras 1.658
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


hellou
ta ai
sa maravilha
E sim, esse na capa é o "ninguém nunca viu o rosto do figurante" Yukine. Sei lá, ninguém nunca viu essa desgraça, queria mostrar ele.

Capítulo 14 - Uma historia, a peça e a diaba


Fanfic / Fanfiction Destroyer - Apenas uma gangue de retardados - Interativa - Capítulo 14 - Uma historia, a peça e a diaba

 

P.O.V – Yuki que é macho só que não.

 

Eu saio da desgraça do celular e da conversa do bonde por causa do berro que a cabra da professora deu. Queria o professor Heleno agora, aquele macaco musculoso, diva nas inimigas, samba na cara delas, pena que ele ta de férias, e quem substituíu aquele viado foi professora Bucetildes de graça, aquela desgraça ambulante, o nome condiz com a cara.

— O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI? — A professora Bucetildes gritou, ou melhor, berrou.

— AQUI NÓS CONTROI... — Jack ia chegando ao estilo bambam, mas depois que viu a dona Bucetildes calou a boca. — ESTUDO. (?) — Ok, eu bugei.

Gente do céu, essa mulher é assustadora. Tipo, Annabelle tu não era da America? Meus pesadelos começaram de novo, Alessia e as falsianes chegaram, minha vida já ta horrível e essa doida tinham que aparecer.

— Convocamos todos os alunos aqui, para lhe informamos que haverá uma peça escolar semana que vêem. — Ah vai tomar no cu mulher, tenho medo de palco, sai daqui, simbora!

Bom depois disso, todos se acalmaram e sentaram o rabo nas cadeiras, parece até votação. Pelo que ela havia falado, tínhamos mais ou menos uma semana e meia pra fazer essa bagaça. E já tinha mandado os convites para nossos pais do core. ELA É LOUCA SA MULHER, ela nem é a diretora e ainda vem com essa desgraça de ultima hora aqui pra gente, pelo amor do cabaço!

Havia falado também para decidimos a peça o mais rápido possível, teríamos a semana inteira para arrumar figurino, ensaiar e fazer o cenário. Agora que eu quero ir embora dessa porra.

Jack e Kazuki haviam sentado na rodinha da fofoca dos meninos com a gente, eu e Yukina na realidade, os meninos tavam brigando, pega a pipoca monamuor.

— NINGUÉM TEM ATITUDE AQUI. PODE CRER. — Felipe e seus escaldá-lo matinal.

— Ah, por favor, como se você tivesse. — Kazuki já chegou com a pipoca.

— Mas eu tenho atitude... — TO MORRENDO, ENGASGUEI, CHAMA O SAMU.

— A atitude da lesma. — Jack como sempre não cala essa boca.

— A verdade que o único que tem atitude foi o Felipe, ele já beijou uma garota. — Yukine falou.

— NADA DISSO! Ele não teve atitude, ela que é a cachorra e puxou ele lá, todo mundo viu a cara de espanto dele! — Vou voar no pescoço do Kazuki em 3...2...

— Então, nenhum dos rapazes tem atitude...? — Eu falei. — Que vergonha piranhas, e vocês ainda ficam brigando por garotas mais nenhum toma a frente.

Mas do que adiantou essa porra? Eles ainda tavam discutindo.

— Vou ensinar uma lição para vocês. — Falei e me levantei, e eles me encaravam enquanto eu tava indo para a rodinha das meninas, peguei qualquer uma lá, e nem percebi que foi a Rebekah, e beijei.

Sou estranho mesmo. Já tava lendo o que tava passando na cabeça da menina “Meu primeiro beijo na vida foi com meu melhor amigo gay. Que fracasso eu sou.”

Nenhum dos meninos falou algo, só me olhavam com espanto, assim como as meninas, a Amaya já tava se lamentando ali, e Kazuki tava meio... “CARALHO”

— Observaram? Agora eu vou pegar os textos. Se me derem licença. — E eu sai, eu sei, sou uma rainha lacradora.

Eu voltei e a professora havia distribuído folhas com as historias. Tinham três: Alice no pais das maravilhas, Chapeuzinho vermelho e Bela Adormecida.

Fudeu.

Eles voltaram a discutir, pois cada um queria uma coisa diferente, só o figurante do Yukine se pronunciou.

— Podemos fazer as três peças em uma. Assim iremos agradar a todos e assim todos ficaram felizes com seus papeis destinados. — W-H-A-T? Yukine figurante teve uma idéia?! E como fazer essa porra ai?

— Yuki, que tal escolher os papeis? — EU SO ME FODO. OBRIGADO.

— Certo... — Olhei a ficha dos personagens... Tive uma idéia sexual.

— Principais... Chapeuzinho vermelho, me deixa ver... — Olhei para todo mundo, e só veio na minha cabeça um nome, e era perfeito. — Barata peituda.

Todo mundo ficou “QUEREMOS FAZER CHAPEUZINHO VERMELHO” E eu também queria, ia fazer coisa safadex.

— Bela adormecida... MARISA MIGA. — Acho que ela não gostou muito da idéia não. — E Alice... Amaya? — E morreu.

Depois de muitas e falecidas tentativas de achar varias pessoas, fiz a lista de cada personagem.

Chapeuzinho vermelho

Lobo mal – Kazuki (quero sexo, muito sexo)

Caçador – Felipe

Coelho figurante – Hanna

Alice

Coelho branco – Yoshiro (sendo que ele tem cabelo preto, e é um figurante que ninguém nunca viu)

Chapeleiro maluco – Eu claro

Gato risonho – Nell (?)

Lebre – Yukine figurante

Rainha de copas – Jack (wtf?)

Bela

Príncipe – Mark (quero sexo²)

Malévola – Uma tal de Keiko, a profe disse que ela não era novata, então ta.

Dragão (?) – Izabel (??)

Acho que ta bom essa lista, que comecem os ensaios dessa porra, só quero ver. Yukine escrevendo a peça, casal em papeis, ah se eu vo.

 

 

Eu tava andando, depois da confusão lá no ginásio e do anuncio da professora Buceta, fui andar, por que é só o que eu faço nessa vida, andar. E do lado de uns serzinhos também.

Amaya que hoje cedo me explodiu com uma bomba, tava me seguindo ao estilo três espiãs demais, até que ela tava suspirando querendo falar alguma coisa, essa desgraça. Jack também apareceu, ele ta em depressão, depois conto esse babado.

— Que qui tu que menina? Fala logo que eu não tenho o dia todo não, tenho psicólogo as quatro e depois academia com o professor Heleno saradão e o amigo dele Leo Stronda.

— Desde quando a escola tem academia doido? — Jack finalmente deu sinal de vida.

— Bem... Eu queria te falar uma coisa há um tempo... — Ih, ela tem AIDS, corre.

— Fala ai viada, tenho tempo não psicólogo daqui a pouco. — Jack estava numa animação, ele sabe que ela tem AIDS? Que filho da puta! Nem me contou, vou descontar do salário.

— O-Oque eu quero dizer... E-Eu... — O CD ta travado aqui.  — E-Eu gosto muito de- — E ela foi interrompida por um ser misterioso, vestido de Batman, que apareceu na nosa frente. Que porra é essa? Halloween é segunda ainda. Aposto que a Amaya queria dizer que gosta de mulher, assim mesmo: “Eu sou safadona, eu gosto de buceta, sai”

— Finalmente, nos encontramos de novo, Yuki. — O ser que chamo de Batman falava apontando pra mim.

— Quem é você? Uma das minhas ex piranhudas?

— Oh troço, eu não te conheço não, sai de mim capiroto. — E fui andando puxando o corpo morto da Amaya pelos cabelos, ao estilo homens da caverna enquanto o Jack ficava encarando com cara de cu, sintomas da depressão.

— VOLTA AQUI! EU AINDA NÃO TERMINEI SMURFETTE VERSÃO CABELO DE MIOJO AZUL!

— CALA A BOCA AE VIADO. SÓ UM SER QUE ME CHAMAVA ASSIM... NÃO CREIO, NÃO TO ACREDITANDO NISSO!

— Shiu miojo! — Essa menina gosta de tretar, ela me lembra alguém... NÃO CREIO²!

— O que você ta fazendo aqui? — Finalmente essa mocreia acorda.

— Eu vim aqui para me vingar, afinal, eu sou a arque-inimiga do Yuki, eu sou IGRIGRIHRIHRGIR  — Poker face para todo mundo, o que a ovelha ta fazendo no corpo dela gente? OVELHA SAI DESSE CORPO.

— Ela ficou tão emocionada em me ver que ta tendo uns ataques de overdose. Voltando, onde a gente tava mesmo? — Falei e sai daquele local enquanto ela ainda estava lá me gritando, maluca.

— VOLTA AQUI, EU AINDA NÃO ACABEI COM IGRIGRIGRIGRI.

— Essa ai já é caso de manicômio, vamo meter o pé.

—  Como você conhece ela? — A cachorra aparece ali brotando em narnia, só podia ser essa cachorra.

— Bem, é uma historia emocionante... Vou contar a vocês.

 

 

 Historia emocionante, narrada pelo mentiroso do caralho do Yuki

 

Era mais um daqueles dias lindos no vale das viadage, na Alemanha. Os passarinhos fumavam, as flores broxavam, os animais dançavam Pole Dance... E o pequeno Yuki estava triste no cantinho da depressão, enquanto seus irmãos idiotas, Yukine viado e Yoshiro figurante delinqüente, o procuravam para fazer aquele surubão. 

Yuki e o resto dos seus irmãos eram os viadinhos, ele e Yukine, enquanto o Yoshiro ficava estuprando eles ao estilos Vou deixar um oco nesse rabo. O pequeno Yuki já estava cansando de ser estuprado e o seu fogo do rabo nunca ser apagado. Ele precisava de alguém pra apagar aquele fogo.

Então pensou: Alguém precisa apagar esse fogo do meu rabo, já. Depois me deixar de cadeira de rodas.

Então, pegou seus trajes, troços, comida, alimento, dinheiro pra comprar alimento, e saiu em busca do famoso “Apago fogo de rabo” para seu problema, além de alguém para satisfazer seus desejos, esse maluco.

Yuki estava indo com os pés – não criatura, era com uma motoca azul da Barbie – e era mesmo uma motoca azul da Barbie, ele havia roubado no caminho de um menino que pretendia se torna bicha um dia.

Então, durante sua viagem com sua motoca azul da Barbie roubada, ele podia ouvir pessoas berrando uma música, uma música muito linda por sinal. Então, com medo, trancou o cu com umas nove chaves. (é, trancou com medo que alguém além do Yoshiro estuprasse seu cu virgem.)

O sangue da Ovelha tem poder, tem cu doce, tem poder!”                        

Quanto mais se aproximava, mais a melodia aumentava, e mais seu cu trancafiava. Do lado da melodia, havia os crente cantando, e do outro, uns escravos, e ele foi pros escravos enquanto corriam e brincavam.

Então, se decidiu que iria se apresentar aos seres humanos que ali corriam, pois achava que eram amigáveis, e até era provável que ele poderia perder seu cabaço.

Fim da historia, WHAT?

 

— Acabei. — Falei me levantando dali e fui embora.

— PERAI, CÊ NÃO CONTOU COMO CONHECEU ELA NÃO! — A cachorra berrava do outro lado da sala, o que a MC Melody veio fazer na escola povo? E ainda dominando a Izabel? To dando o fora daqui ta ligado meu irmão.

Quando cheguei, estava na hora de ensaiar.

Enquanto uma garota muito semelhante a garota vestida de Batman, chegou perto.

 

— Olá, eu sou a Keiko e meu sobrenome é vai toma no cu. 


Notas Finais


maravilhour naum? ~cof
o q eu to fazendo da minha vida?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...