História Desventuras domésticas - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Appa!suga, Child!bangtan, Min Family, Ommajin, Yoonjin
Visualizações 606
Palavras 2.938
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ProtectSeokjin, obrigada por compartilhar/divulgar minha fanfic, isso foi um grande incentivo e uma grande gentileza.
Não existem palavras para descrever o quanto me alegra o fato de você, tal como os outros leitores (Super fofos), apreciar minha fic e minha escrita, mesmo quando está repleto de erros ou quando está massante.
Prometo que tentarei melhorar e betar as fics antes de postar.
Espero que apreciem o capitulo.

Aé, e queria pedir desculpas para a JINosaur por não responder mas eu não consegui visualizar o seu comentário. :(

Capítulo 6 - Netflix and Chill


Estavam sozinhos em casa pela primeira vez em meses e a única ideia que surgia em suas mentes era assistir Netflix e relaxar, enquanto secretamente remoíam a ausência dos menores.

Havia sido algo premeditado, haviam combinado durante semanas com SeokHan, o irmão de mais velho de Jin, que esse, junto de Yeoni, sua esposa, passariam o sábado com as crianças para que eles pudessem enfim ter um momento intimo, mas aquilo parecia uma real tortura, sentindo a dor no peito da preocupação.

O casal confiava muito na família Kim, principalmente quando se tratava do irmão do mais velho que se parecia totalmente com o mesmo. Ambos eram lindos, limpos, educados e gentis, foram criados para serem príncipes e, por sorte, SeokHan arrumou uma princesa fabulosa para si, a mulher era tão magnifica quanto o jovem Han, além de ser ótima em culinária e com crianças, o que era triste, já que essa não podia gera-los - uma triste ironia da vida -, mas estava focada em sua carreira, por isso, optou por ajudar o jovem Jinnie com seus adoráveis filhos, além, é claro, de tentar educar Yoongi.

Assim como os Min adultos, as crianças também amavam os tios, animando-se só com a ideia de passar um dia todo com eles, por isso acordaram cedo, trocaram-se e esperaram até a vinda dos parentes sem dar um pingo de trabalho, com exceção de Jungkook, que chorou e implorou para não ir, comportamento que mudou assim que Yeoni o puxou para o seu colo, deixando-o brincar com seu cabelo longo e escuro.

A situação se tornou ainda mais óbvia quando Jin, que saiu da sala em busca de uma coberta, retornou pegando o marido a olhar as fotos em família com saudade, o que partiu se coração.

-Ei, eles estão bem! - Afirmou, puxando seus cabelos escuros e ressecados para trás, dando-lhe um beijo no nariz. - Eles vão voltar!

-Eu sei. - Revirou os olhos, tentando manter a pose de durão, essa que logo caiu. - Mas é estranho e você sabe disso. Não gosto quando eles ficam longe, mesmo que estejam com a sua família. Quer dizer, o que será que estão fazendo? Já comeram? Estão agasalhados? Eu não sei, eu não estou vendo e...

-Calma Yoongi, caramba! - O mais velho interrompeu. - A ideia foi sua, para inicio de conversa.

-A pior que já tive. - Torceu o nariz. - Ah, dane-se! Vem cá, eu quero abraçar você pro resto do dia.

-Nossa, está carente.

-Mudei de ideia, vai fazer algo para eu comer! - Bufou irritado, vendo SeokJin rir, sentando-se ao seu lado e acomodando-o em seus braços. - Ingrato do caralho.

Resmungou, sentindo o cobertor envolver seu corpo. Logo voltaram sua atenção para o filme que passava, algo de terror, mal-feito, mal-produzido e com péssimos atores, mas que ainda assim distraia-os, trazendo gargalhas ao casal pelos péssimos efeitos. Permaneceram abraçados durante todo o filme e quando as letrinhas miúdas subiram, Jin pode ver o marido sonolento contra o seu corpo.

Yoongi era leve, por isso são foi difícil carrega-lo no colo até o andar de cima, derrubando-o na cama, onde se juntou minutos depois, após uma ligação no celular de SeokHan para ver se estava tudo certo. Observou o companheiro de traços suaves e bonitos cochilar ao seu lado, acariciando seu rosto com ternura, pegando no sono sem perceber.

Era quase duas da tarde quando tornou a acordar, sozinho na cama, correu os dedos pelo lado do esposo e suspirou pesado, ouvindo a risada doce e tremida não muito longe, correu os olhos pelo quarto encontrando Yoongi sentado na cadeira de computador, encolhido e com um bloco de folhas e lápis.

-Boa tarde, Cinderela! - Resmungou com humor.

-É bela adormecida, Yoonnie! A Cinderela... Você sabe... É a escrava! - Sorriu.

-Tanto faz, tanto faz! - Mordeu o lábio e voltou ao que fazia. - Pode por favor não se mover?

-Nem parece que tem filhos... - Revirou os olhos, voltando a deitar.

-Meus filhos são garotos, eles assistem Scooby Doo não filmes bobos da Disney!

-Bobos é sua cavidade anal! - Rosnou, revirando os olhos.

-Opa, desculpa princesa Jin!

-Yoongi, não me tente... - Avisou, caindo na risada logo em seguida. - Está me desenhando?

Min lambeu os lábios e inclinou-se em direção ao bloco.

-Estou, mas ficou ruim!

-Você sempre diz isso. - Jin riu.

-O problema é o modelo... Sempre.

-O que vamos fazer no resto da tarde, Suga? - Preferiu ignorar o comentário.

Abandonando o bloco na mesinha ao lado, o mais novo ergueu-se e caminhou em direção a cama.

-Eu tenho uma ou duas ideias... - Sorriu de canto.

-E o que elas são...

-Bem, ambas envolvem comida... Você cozinhando para mim! - Sorriu, recebendo um golpe de travesseiro no rosto. Acomodou-se ao lado do marido na cama.

-Eu tenho uma ideia ainda melhor. E essa envolve você, em baixo de mim, gritando alto para todos os vizinhos...

-E o que te faz pensar que eu vou ficar por baixo, princesa? - Resmungou, vendo o mesmo rolar para cima de seu corpo, apoiando o peso em seus braços.

-Porque é essa a opção que estou te dando.

-Bem, eu não estou no clima mesmo! - Revirou os olhos, tocando nos ombros do mais velho.

-Você sempre está no clima. Você é o Yoongi, afinal.

O menor ponderou, deslizando as mãos pelo braço de seu esposo lentamente e sorriu preguiçoso.

-É, eu sempre estou no clima, mas... - Virou o rosto encarando o travesseiro ao seu lado, corando. - Eu não gosto de ser o passivo e você sabe.

-Ah, senhor! Não é aquela história de reduzir sua masculinidade da nossa adolescência não, né?

-Jin, porra, não! - Torceu os lábios. - É só que dói e eu não sou muito tolerante à dor...

O mais velho ponderou, flexionando os braços e dando leves selinhos na bochecha do companheiro.

-Eu vou ser cuidadoso...

-Não!

-Yoonnie, eu vou te preparar com cuidado. -Tornou a pedir

-Jinnie, não!

-Eu faço até beijo grego se quiser...

-É tentador... - Pensou, dobrando suas pernas. - A resposta ainda é não.

-Caramba, quando foi que se tornou tão broxante?

Yoongi bufou, revirou os olhos e então encarou o pescoço alvo do marido sentindo-se envergonhado.

-Tá, eu faço, mas...

-Mas? - Questionou sorridente.

-Nada, nada. Não importa! - Ralhou.

-Ei, Yoonnie eu não quero que se sinta forçado a nada... - Selou os lábios do menor rapidamente, virando-se para passar o nariz contra a pele macia. - Se você não quiser nós não fazemos, eu não vejo problema nisso!

-Eu quero! - Afirmou. - Eu só... Esquece, é bobagem.

-Fala. - Pediu em seu ouvido, vendo-o se arrepiar. Escutou-o resmungar, movendo a cabeça negativamente. -Yoongi...

-Vamos logo com essa merda!

Suspirando derrotado, Jin ajoelhou-se na cama retirando sua camiseta com rapidez, apenas para encontrar seu companheiro encarando-o com o lábio inferior entre os dentes e seu rosto rosado. Inclinou-se, levando os dedos aos botões da camisa do mais jovem, desabotoando um por um lentamente, capturando cada detalhe de pele, as pintinhas, o rubor, algumas marcas. Voltou a deitar-se contra o seu corpo, enterrando seu rosto no pescoço pálido, correndo a língua lentamente, vendo a pele se arrepiar.

-Amor? - Chamou, sua voz abafada contra a pele sensível. - Essa camisa é minha.

-Bem... Não? - O Min pareceu incerto, envolvendo os braços ao redor do pescoço do parceiro. -É, Talvez? Bem que ela pareceu muito grande.

-Você é uma graça. Quero que fique com ela agora.

-Se continuar com isso eu vou sair daqui. - Avisou.

SeokJin riu, descendo os beijos lentamente por todo o pescoço até seu tórax. Levou seu dedo indicador até o mamilo, acariciando o local com cuidado, correndo a língua contra o outro. Yoongi sufocou um gemido, arqueando as costas buscando mais contato. Jin desceu sua boca, mais e mais, garantindo alguns chupões pelo abdômen lisinho, parando sobre o umbigo, apoiando a testa no local e com agilidade começou a desabotoar a bermuda jeans do outro, descendo-a rapidamente por suas coxas, deixando-a na altura dos joelhos.

-Você não usa cueca, não?

-Isso não diz respeito a você. - Respondeu, grosseiro.

-Bem, de fato, mas o jeans não machuca?

-Me chupa gostoso.

-Quanto romantismo, não é amor? - Resmungou chupando os dedos lentamente, umedecendo-os o suficiente para preparam seu marido. Dando-se por satisfeito, deslizou os dedos para a entrada rosada, acariciando cuidadosamente, enquanto levava o membro do maior à boca, introduzindo a glande lentamente. Sugou-a com força soltando-a bruscamente ouvindo o barulho alto, algo como um 'pop', devido a entrada de ar. -Tente relaxar.

Yoongi apoiou-se em seus cotovelos para conseguir observá-lo, obtendo uma visão perfeita de seu parceiro voltando a chupá-lo, jogou sua cabeça para trás e gemeu manhoso, dando a oportunidade para que Jin penetrasse-o com seu dedo, movendo-se para abri-lo lentamente.

-Caralho, eu não lembrava que doía tanto! -Rosnou, contorcendo-se levemente.

O maior torceu e dobrou os dedos fazendo movimentos leves, tentando estabelecer um ritmo para  ambos os movimentos. O mais jovem tocou seu cabelo, acariciando-o de leve como recompensa e incentivo para o esposo que fechou os olhos aproveitando. Separou mais suas coxas e voltou a encara-lo, sentindo seu corpo amolecer lentamente, passando apenas a tremer de prazer. SeokJin o encarou provocativo e sem aviso introduziu o segundo, voltando a repetir o mesmo processo.

-Relaxa, relaxa, relaxa... - O Min passou a repetir para si, ignorando a sensação de ardência, focando apenas na língua quente de seu marido que torturava-o lentamente.

-Se fosse o passivo mais vezes não doeria tanto! - Exclamou divertido, levando um dos testículos na boca. O menor gritou, surpreso e extasiado, movendo-se para baixo por mais contato. - Gosta quando toco aqui, Yoonnie?

-Cala a maldita boca e continua!

-Tão rude! - Murmurou, tirando os dedos lentamente, antes de força-los com rapidez para dentro novamente.

-Ah, caramba Jin! Não brinque comigo assim...

-Eu não gosto da sua atitude! - Sussurrou, subindo seu corpo lentamente.

-A revolução da princesa rosa-Ah! - Revirou os olhos, sentindo a palma estalar contra sua coxa. - Não erotize as palmadas para educação...

-Por quê? Isso te faz querer me chamar de Daddy?

-No máximo de Omma, Hyung! - Provocou.

-Você não me chama de Hyung tem certo tempo!

-Eu sempre te chamo de Hyung, você que não presta atenção em mim.

-Pobre Yoonnie-baby, tão carente! - Riu retirando os dedos lentamente, tocando o elástico de sua calça de moletom, deslizando-a para baixo, retirando-a junto de sua cueca. Levou as mãos ao short jeans no joelho do parceiro, arrancando-o também. Debruçou contra o seu corpo e sorriu gentil, tocando o rosto fofinho do menor. - Ei, isso é atenção suficiente para você?

-Nossa, isso é tão ridículo Hyung! - Mordeu os lábios. - Eu não sou um bebê carente, vamos logo com isso.

Ergueu-se da cama indo até o banheiro do quarto, atraindo o olhar curioso do marido. Voltou minutos depois com um pequeno tubo na mão, enquanto a outra mão esfregava seu membro, masturbando-se lentamente. Voltou a cama, ajoelhando-se entre as coxas e lentamente despejou o líquido oleoso contra o pênis, espalhando-o, jogou um pouco contra a sua bunda também, fazendo-o se arrepiar com a temperatura, era gelada, mas que com o passar dos segundos ia aquecendo e aquecendo, ardendo de forma deliciosa.

-Vou entrar, amor! - Avisou, puxando o quadril para si, erguendo e juntando as pernas finas e pequenas, apoiando-as em seu ombro. Sentiu-o se posicionar e sua musculatura tensionou. - Tente não pensar muito no que eu vou fazer. Sério, limpe a mente. - Pediu, se empurrando para dentro, penetrando-o vagarosamente, ainda que com certa facilidade graças ao lubrificante.

-Não, Jin, não! - Sussurrou, apertando os olhos, sentindo lágrimas brotarem, escorrendo pelo canto dos olhos. - Vamos parar, eu não acho que aguento...

-Podemos mudar de posição. - Disse, beijando a pele de sua coxa com carinho. - Relaxa, respira...

-Eu estou tentando, porra. - Choramingou. - Nossa, eu não me lembrava de tanta dor. Como você aguenta?

-Auto-confiança, confiança em você e anos e mais anos sendo o passivo da relação! - Piscou, divertindo-se com a pergunta.

-Não é engraçado, é triste. Desculpa!

-Nossa, você é definitivamente um Tsundere!

Revirando os olhos, Yoongi focou o olhar no teto, movendo-se levemente dando autorização para que Jin continuasse. Os movimentos eram leves, delicados apenas para não machuca-lo e mesmo assim era difícil sentir-se relaxado, mesmo que os leves suspiros do mais velho o deixassem fora de órbita. Uma leve pausa e uma mudança de posição, agora as pernas estavam contra o colchão deixando o corpo do pequeno levemente de lado, SeokJin inclinou-se sobre o parceiro, mantendo seus rostos próximos, permitindo distribuir beijos pelo rostinho levemente corado.

Os movimentos também mudaram, tornando-se mais fortes e profundos, ainda que lentos, tornando tudo mais intenso, os olhos de seu parceiro tinham algo oculto que acalmava o Min, algo que fazia ceder as suas vontades e necessidades e foi a eles que culpou quando a sensação passou de dolorosa para prazerosa, forçando-o a fechar os olhos para não se levar demais pelo momento, mas falhou, soltando gemidos tímidos e roucos.

-Jinnie Hyung, eu te amo! - Permitiu-se sussurrar quando os movimentos aceleraram, fazendo-o ronronar mais alto e manhoso. - Eu te amo mesmo!

-Ah, eu também! - Exclamou, encostando sua testa contra a do parceiro, encarando-o intensamente. - Está gostoso, Yoonnie?

-Porra, sim! - Sussurrou, rebolando junto com o mais velho, ajudando com os movimentos.

-Você é tão apertadinho. - Gemeu. - ...E lindo, você é maravilhoso, ainda mais quando geme meu nome.

-Jin, cacete, não! - Resmungou, jogando a cabeça para trás, aproveitando a sensação de ouvir tais palavras.

-Tão perfeito para mim! - Sussurrou, provocativo, desacelerando cada vez mais o movimento até parar completamente. - Me faz querer te torturar bem devagarinho, ver você pirando, implorando e chorando por mais!

-Eu... Eu não vou implorar! - Gaguejou irritado. - Eu posso ficar assim o dia todo.

-Sim, você pode, mas quando nossos meninos voltarem nós vamos ter que parar. - Piscou, divertido, vendo a carranca emburrada formar-se no rosto pequeno do outro. - Mas eu vou ser bonzinho e vou fazer do jeito que quiser, mas vai ter que lembrar disso toda vez que pensar em me chamar de princesa novamente.

-Ah, vá a merda-ah! - Mandou, ofegante, sentindo os movimentos voltarem, ainda mais rápidos e intensos, acertando sua próstata. Esticou-se e abraçou-o com força, mordendo o braço apoiado ao lado de sua cabeça para abafar os gritos de prazer. Separou levemente as coxas e passou a estimular seu membro negligenciado, tentando acompanhar o ritmo das investidas, atrapalhando-se no caminho.

Os movimentos furiosos de Jin, a masturbação, as palavras sujas proferidas com tanta naturalidade e seu olhar, tudo foi o suficiente para leva-lo a completo êxtase, perdendo o juizo, sentido a visão escurecer, o corpo amolecer e então a enorme sensação de alívio transbordar em um gemido rouco e manhoso, quase levando-o a inconsciência. Os movimentos do esposo mantiveram-se por um longo tempo, esse que não foi capaz de deduzir. Ao atingir o ápice, afundou o rosto no travesseiro, gemendo rouco, preenchendo-o.

Mantiveram-se na posição por algum tempo, aguardando a respiração normalizar. SeokJin moveu-se, jogando-se ao seu lado na cama, rindo fraco.

-Caraca, quase quatro meses! - Yoongi resmungou, suspirando aliviado.

-Bem, daqui quatro meses repetimos a dose!

-O que? Não, nem pensar... Semana que vem as crianças vão visitar seus pais, depois disso os meus pais e então o meu irmão...

-Com o seu irmão eu não os deixo! - Revirou os olhos.

-É você tem razão... E se ceda-los? - Questionou, recebendo o olhar mortal de Jin como resposta.

-Vamos tomar um banho antes que eles cheguem.

-Ah, mas eu estou com preguiça!

-Yoonnie, vem! - Chamou, como o dono de um cachorro, segurando sua mão

 

Foi impossível não sorrir aliviado ao abraçar suas crianças, inteiras, vivas e alegres. Mal podia acreditar que meio dia distante deles lhe causaria tanta saudades e mesmo que todos falassem simultaneamente e de assuntos variados, causando uma verdadeira baderna, tornou a se sentir em casa, pois para SeokJin sua casa era aonde seu amado e seu bebês estavam.

Agradeceu o irmão imensamente e enfim conseguiu parar para dar atenção às cinco crianças animadas, impondo ordem com o seu super-poder de mãe. O sorriso delas aumentou quando Yoongi desceu as escadas com seu rosto amassado, cabelos bagunçados e roupão, sorrindo amável para os filhos, sentando-se lentamente na base da escada enquanto Taehyung saltitava em sua direção.

-Pai, eu quero um cachorro... O tio e a tia tem um, eu quero um também! - Pediu, deitando-se em seu colo.

-Pede pro Hyung. - Exclamou vendo a feição de estranhamento do menino.

-Hyung?

-O Jin, Jin Hyung.

-O omma é mais velho? - Questionou, parecendo divertir-se.

-Como pode não saber a idade de seus pais?

-Ah, sei lá! É que você é todo velho e rabugento e eu... Opa, desculpa! - O menino exclamou, fazendo uma careta antes de correr rindo. Yoongi encarou-o incrédulo antes de levantar-se, negando com a cabeça.

-Tch! Essa criança... - Resmungou, vendo um sorriso brotar no rosto de Jin que automaticamente se tornou uma gargalhada.

-A propósito vovô... Digo, appa!- Taehyung provocou, reaparecendo próximo as escadas. - Por que o senhor está mancando? A idade já está atacando?

O mais velho corou, encarando Seokjin com seriedade.

-Eu vou te matar! - Ralhou. - Vou usar o Tae para bater em você!

-Quero ver me pegar, andando desse jeito! - Provocou, partindo para a cozinha, deixando para trás um esposo levemente zangado

 

 


Notas Finais


Eu definitivamente vou desistir de lemon, porque eu não sou boa nisso. Juro para vocês a fic estava toda certinha ontem ás três, mas eu me enrosquei na hora de escrever essa cena. Então desculpem por esse papelão, espero que esteja ao menos aceitável.
Eu não betei perfeitamente, então desculpem por isso também (Eu devia estar fazendo trabalho hoje, mas eu fui um tanto irresponsável e deixei para postar hoje)
Agradeço a todos os comentários e incentivos, vocês são adoráveis e eu quero abraçar e morder todos. Vocês são meus "musos" <3
Fico feliz que gostem dessa fic, pois eu realmente não esperava um resultado tão bom.
Até o próximo.
~Bjoos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...