História Detention - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, Hailee Steinfeld
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Hailee Steinfeld, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Visualizações 691
Palavras 2.250
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa Leitura!!

Capítulo 12 - Crazy Friends


Camila POV

 

 

Domingo à tarde e eu finalmente estava em casa, essa viagem de bate e volta para Miami foi cansativa, mas ao mesmo tempo proveitosa. Nunca se passou pela minha cabeça que Lauren poderia ser filha de Michael Jauregui, a situação tinha ficado mais cômica do que já era antes, além de ser minha professora, ela agora era filha do chefe da minha mãe. Sorri lembrando de seus olhares fulminantes para mim quando eu estava com seu irmão, minha única intenção com ele era exatamente essa, a provocar, mas acertei um tiro em meu próprio pé quando tive que presenciar seus momentos íntimos com aquela outra mulher que surgiu do nada.

Não sei definir o que senti quando vi Lauren tão próxima e de sorrisos abertos para a outra, sorrisos esses que até o momento ela não os direcionou para mim, ela nem se quer me olhou depois que aquelazinha apareceu, talvez eu estivesse com inveja da morena que teve a atenção de minha professora para si. O fato é que isso tinha mexido tanto com meu emocional que não me permiti me despedir de um jeito correto dela, à vontade que eu tinha era de socar sua cara. “Céus, Camila, você nem sabe o que é ciúmes” estaria eu com ciúmes dela? Parei de pensar quando meu celular vibrou em cima da minha barriga, eu estava jogada na cama.

Hailee: Já voltou de Miami? Dinah e eu estamos indo ao shopping, quer vir com a gente? (16:08)

Revirei os olhos, minha vontade de sair de casa novamente era nula. Rapidamente digitei uma resposta para ela.

Eu: Cheguei há pouco tempo, estou um pouco cansada. (16:08)

Hailee: Tudo bem, nos vemos amanhã?(16:08)

Eu: Claro. ;) (16:09)

 

Larguei o celular ao meu lado na cama e fechei os olhos, a brisa fria que entrava pela janela me fez lembrar do momento em que meus lábios tocaram os de Lauren, foi uma mistura de fogo e gelo. Sorri com a lembrança e mal percebi quando meus dedos começaram a passear por meu lábio inferior, mas no segundo seguinte meus olhos se arregalaram rapidamente quando ouvi o som da minha porta se abrindo e minha mãe entrando no meu quarto.

- Por que se assustou?

- Por que entrou no meu quarto sem bater? - sentei desajeitada escorando meu corpo com meus braços para trás, a figura de minha mãe agora ficava maior em meu campo de visão, ela se aproximou de mim e sentou em minha frente.

- Queria agradecer por ter se comportado ontem à noite, foi importante para mim.

- Tudo bem, mãe. - neguei com a cabeça e observei quando ela levantou seu rosto em minha direção. - Não precisa agradecer.

- Pode ter sido difícil para você, voltar em Miami por uma noite apenas, nem te dei espaço para encontrar seus antigos amigos.

- Falou certo, antigos amigos, não precisava vê-los ontem. - tentei fazer com que a mulher não se culpasse tanto, eu sei que sempre joguei as coisas na cara dela, mas não via motivos para fazer isso naquele momento.

- Foi um choque saber que sua professora era a filha do Michael, meu Deus, eu ameacei processá-la, Camila! - minha mãe começou a rir e eu não pude evitar a gargalhada que saiu de minha garganta. - Se eu soubesse que era ela, nem teria a tratado daquela maneira quando vocês ficaram presas no laboratório.

- Está vendo por que devemos tratar todos bem? - ela concordou com a cabeça, ainda rindo. - E, Lauren não teve culpa do que aconteceu.

- Ainda acho que ela teve, mas agora devo moderar minhas acusações. - revirei os olhos e senti a mão direita de minha mãe em meu rosto. - Eu vi você com o outro Jauregui, o que foi aquilo?

- Estávamos apenas conversando.

- Sem nenhuma intenção? - as sobrancelhas dela se levantaram, retirei cuidadosamente sua mão de meu rosto e neguei.

- Claro que não, mãe.

- Eu não gostaria que você tivesse algum tipo de relacionamento com a família do meu chefe, Camila.

- Vai me trocar de escola? Sou aluna da filha dele. - fui irônica.

- Você entendeu. - isso bastou para que meus pensamentos fossem de volta ao dia em que eu fiquei presa no elevador com Lauren e também ao dia em que roubei um selinho dela pela janela de seu carro.

- Não se preocupe quanto a isso, nunca mais falarei com o Chris, não terei nenhum relacionamento com aquela família. - encarei os olhos da mulher que estavam fixos em mim, minha mãe movimentou a cabeça a jogando para o lado e falou uma frase que eu não esperava ouvir.

- Por que algo me diz que eu não deveria acreditar nisso? - “Porque realmente você não deveria, mãe. Não é com o Chris que você deve se preocupar”.

 

                (...)

 

Segunda - feira não demorou para chegar, eu já estava acostumada com a rotina de acordar, levantar, correr para me arrumar, descer, engolir o café com pressa e sair correndo atrás de minha mãe para não me atrasar e perder a carona. Uma das primeiras coisas que me chamou atenção no estacionamento da escola era que o carro de Lauren não estava na vaga de sempre, a segunda coisa foi à buzina do carro de Hailee, que estava parado ao meu lado esquerdo, enquanto as duas meninas de dentro começaram a gritar da janela para mim.

- Cabello, entra aqui. - a voz de Dinah soou mais forte e me arrastei até o carro, abri a porta traseira e sentei lá dentro.

- Oi gente, bom dia.

- Ué, você falando assim? O que aconteceu? - a morena me observou pelo retrovisor, encarei os olhos chocolates de Hailee fixos em mim quando a respondi.

- Eu dei bom dia, não posso?

- Agora sim, pensei que tinham te trocado por uma mais educada em Miami. - revirei os olhos. - Quer nos contar como foi à viagem?

- Cansativa, o aniversário estava bem chato, mas adivinhem? - perguntei não obtendo resposta, elas estavam mais quietas hoje, provavelmente deveria ser o sono. - Lauren Jauregui é filha do chefe da minha mãe, ela estava lá. - falei mais animada que o normal.

- Isso explica o fato dela não ter chegado ainda. - Hailee respondeu introspectiva enquanto as meninas estavam olhando fixamente para o movimento do estacionamento, estranhei a situação.

- Tudo bem, o que está acontecendo aqui? Por que estão no carro? Por que me chamaram para cá e por que não estão me bombardeando de perguntas?

- Shhhh, quieta! Se abaixem garotas. - Dinah sussurrou audivelmente, enquanto Hailee enfiava a cabeça embaixo do volante de seu carro, eu girei o olhar pelo ambiente para saber o que estava acontecendo, consegui observar dois meninos se aproximando quando um segundo depois a mão de Dinah acertou em cheio minha cabeça fazendo com que eu me jogasse no banco do carro.

- Que droga meu! Quem fez isso com meu carro? - o grito de um menino foi ouvido por nós, como eu estava praticamente deitada no banco de trás, pude ver Dinah rindo em silêncio enquanto a voz soava mais alto. - EU VOU MATAR QUEM FEZ ISSO!

- Cara, só pode ter sido o Josh. - agora era outra voz masculina.

- Duvido que aquele bostinha teria coragem. Olha como ficou o meu bebê! - ele estava chorando?

- Será que alguém pode me explicar o que está acontecendo? - sussurrei.

- Quieta, Mila. - Hailee xingou aos sussurros, revirei os olhos e aguardamos abaixadas até que as vozes sumiram, provavelmente eles deveriam ter ido reclamar na secretaria.

- Pronto, já foram. - Dinah avisou, levantamos as cabeças devagar, as meninas agora gargalhavam desesperadas nos bancos da frente, o carro preto estacionado na vaga da frente estava todo pichado com spray vermelho, como eu não tinha visto isso antes?

- O quê? Quem fez isso? - perguntei incrédula.

- Nós, quem mais faria? - Hailee respondeu ainda rindo.

- Por quê?

- Esse desgraçado estava saindo com a Haiz e nesse fim de semana descobrimos que ele tem namorada, acredita? Queria namorar as duas ao mesmo tempo! - Dinah me respondeu indignada.

- E precisavam pichar o carro dele?

- Melhor vingança, foi ideia da Dinah, estou me sentindo bem agora. - minha amiga respondeu limpando as lágrimas que escorriam pelo canto dos seus olhos, consequência do ataque de risos.

- Vocês não existem. - comentei podendo sorrir nesse momento.

- Vamos sair daqui logo antes que nos vejam. - Dinah abriu a porta e saiu do carro olhando para os lados, se certificando de que não tinha ninguém. Hailee e eu saímos logo depois apressando os passos para entrar na escola.

Assim que atravessamos o corredor o sinal tocou, mais à frente, na sala da direção, estavam os meninos que choravam em volta do carro há minutos antes. Fui encarada por minhas amigas no mesmo instante, rapidamente a morena levou o dedo indicador até sua boca sinalizando um “silêncio” para mim, concordei com a cabeça e me separei delas indo em direção as escadas, estava pronta para mais uma manhã de aula.

- Algum de vocês leu o capítulo que eu pedi na aula passada? - ninguém foi capaz de levantar a mão e responder a professora de literatura. - Cabello? Você leu?

- Por que fez a pergunta para mim, professora? - questionei impaciente, havia exatamente trinta alunos naquela sala, naquele dia, naquela manhã, e a pergunta foi direcionada a mim. “Pensei que meu problema fosse apenas com a Jauregui e a Kordei”.

- Porque você é uma aluna como qualquer outra e deveria responder. - a mulher respondeu impaciente, bufei.

- Eu tive que viajar este fim de semana, não deu tempo de ler.

- Viajou para onde, senhorita Cabello? - agora ela já estava andando em passos lentos até mim, me ajeitei na cadeira e apoiei minha cabeça em uma de minhas mãos.

- Tive que ir a Miami. - respondi.

- Creio que teve tempo de ler no caminho. - revirei os olhos para ela, era só o que me faltava.

- Ninguém leu o capítulo, a senhora vai pegar justo no meu pé? - o olhar da professora agora era furioso, merda, consegui irritar a fera.

- Sua sorte é que a professora Jauregui não está aí hoje, porque se estivesse, você já estaria na sala dela. - “Meu azar ela não estar aqui hoje.”

- Me desculpe professora, eu não li o capítulo. - falei rendida, a mulher assentiu e virou as costas se afastando da minha mesa e voltando para o centro do quadro.

- Muito bem, todos lerão o capítulo dois para a próxima aula - ouvi alguns colegas comemorarem. - mas também irão ler o três, o quatro, o cinco, até o dez. Quero que me entreguem um resumo, e se eu ver que tem uma simples frase copiada do livro, vai ser nota vermelha na hora. - joguei minha cabeça para frente e gruni, seria mais fácil ter lido o capítulo.

 

                Lauren POV

 

Me despedi de minha família em casa com lágrimas nos olhos. Parece ser mais fácil quando estou longe deles, a dor das despedidas nunca agradam ninguém e, comigo, uma mera mortal, não seria diferente. Taylor sem dúvidas foi a que, depois de minha mãe, mais sofreu, prometi voltar no próximo mês e mesmo assim foi um sacrifício para sair de seu abraço apertado. Agora, depois de avisar que não iria trabalhar hoje, eu esperava ansiosamente meu vôo ser chamado, levantei o olhar para meu irmão que estava quieto, era sempre assim quando eu ia embora.

- Você sabe que se quiser ficar, seu quarto ainda está lá em casa. - Chris comentou olhando para o chão, estendi meu braço segurando sua mão firmemente, seus olhos castanhos subiram até os meus.

- Eu sei, mas minha vida não está aqui, assim como você sabe que a sua também não. - falei firmemente sentindo agora seus dedos se fecharem pressionando minha mão.

- Se mamãe te ouvisse falando isso, ela prenderia nós dois em um cativeiro. - o sorriso largo de meu irmão me contagiou e eu acabei por sorrir também.

- Tudo bem, mas você sabe que se precisar de apoio para ir atrás dos seus objetivos, eu estarei aqui.

- No momento eu preciso que você me consiga o número do celular da sua aluna, esqueci de pegar com ela ontem. - abri a boca incrédula e depositei um soco em seu ombro. - Ai!

- Eu aqui falando sério e você de deboche. - revirei os olhos e me afastei dele.

- Estou brincando, pode ficar com ela para você, eu não conseguiria fazê-la virar heterossexual. - antes que eu pudesse responder, a voz quase eletrônica anunciou o embarque, olhamos na mesma hora para o painel do aeroporto e fiz uma careta.

- Tenho que ir. - falei simplesmente.

- Boa viagem irmã. Se cuida, te espero daqui algumas semanas. - me aproximei novamente de Chris para me aconchegar em seus braços, podíamos ter nossos momentos ruins, mas sempre nos amaríamos mais do que tudo na vida.

- Juízo, moleque. - desvencilhei-me de seu abraço e segurei firmemente minha mala, fui me afastando aos poucos até que perdi completamente a visão do lugar que meu irmão estava. Era hora de começar tudo de novo, o final de semana havia terminado.

                


Notas Finais


No que será que essa história vai dar, huh?
Nos vemos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...