História Devils - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lemon, Namjin, Rap Monster, Sobrenatural, Suga, Taejin, Vkook, Yaoi, Yoonmin
Exibições 572
Palavras 4.417
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, estrelas coloridas e brilhantes (vulgo estrelinhas purpurinadas), tudo de bom com vocês?

Não deu pra me segurar, eu tinha que escrever essa fanfic ou eu ia morrer de ansiedade.

Eu tive essa ideia maluca bem antes de Blood Sweat and Tears, mas depois de uma amiga minha ter me mostrado uma paródia dessa música, eu pensei "man, eu tenho que fazer uma fic sobre isso", porém, essa fic não está com o gênero comédia pq vai ser mais séria, mas talvez (lembrem que eu disse "talvez") vá ter uma cena engraçada para descontrair.

Quem quiser saber de qual paródia eu tô falando é aquela do "anjos do museu" do canal da Julyah chan (acho que eu escrevi certo)

Enfim.

Boa Leitura~

Capítulo 1 - Capítulo I


Fanfic / Fanfiction Devils - Capítulo 1 - Capítulo I

No topo de um prédio, é possível sentir o vento passar por seu corpo e observar as pessoas abaixo de sí, tão pequenas e insignificantes como insetos. Qualquer um que olhasse para Taehyung naquele momento, poderia jurar que o mesmo iria se suicidar, jogando-se de um prédio com mais de vinte andares, mas mesmo que fizesse aquilo, o mesmo não morreria, de qualquer maneira, porém, não era essa a sua intenção. Taehyung mantinha um olhar vazio para as pessoas que passavam abaixo de sí, e pensar que as mesmas se achavam as donas do mundo, que patético, nem sequer deve passar pela cabeça delas que este mundo não as pertence. Idiota, patético e insignificante. É esta a visão que Taehyung tem sobre a humanidade. Mas uma alma, dentre tantas, chamou sua atenção. A distância não conseguia impedir sua visão do rapaz que andava entre a multidão. Apenas mais um neste mundo sujo.

— observando os humanos, Taehyung? Pensei que você havia dito que detestava essa raça nojenta e hipócrita, tanto é que caiu por terra.

— isso não é da sua conta, Hoseok. Na verdade, eu nem deveria sequer lhe dirigir a palavra. Pensamos de maneira diferente e defendemos causas diferentes. Além do mais, ainda não esqueci o que você fez comigo, e isso não possui perdão. — Taehyung disse sem tirar os olhos da vista abaixo, ainda seguia com o olhar, o humano que havia lhe capturado a atenção.

— perdão? Quem é você para falar de perdão, Taehyung? Você cometeu um pecado gravíssimo e ainda diz que não me perdoa? Eu fiz apenas o que devia ser feito.

— aquilo machucou, Hoseok. — disse tocando as próprias costas e segurando o tecido de suas roupas com força, como se lembrasse da dor que havia sentido. — incrível como uma amizade de milênios pôde acabar em questão de segundos. — Taehyung falou sorrindo sarcástico, característica de sua raça.

— incrível como um ser de luz e bondade pôde ter caido tão baixo. — Hoseok falou com uma expressão de desprezo.

— HAHAHAHAHAHAHAHA — Taehyung começou a rir alto, deixando Hoseok curioso. Como ele ousa rir de sua pessoa? Que afronta!

— do que está rindo, demônio? — cuspiu as palavras de forma ríspida e seca.

— nada, velho amigo. — disse se levantando e ficando na ponta do prédio. — apenas lembrei que tenho coisas importantes a fazer. Acha que só por que eu não sou mais um anjo, como você, eu não tenho ocupações?

— eu devia ter te matado quando tive tempo e não apenas ter arrancado suas asas!!

— acho que você devia mesmo ter me matado, assim, teria me poupado de tal humilhação.

Da mesma forma como Hoseok apareceu, Taehyung desapareceu.

~•••~

Uma vida corrida e cheia de ocupações. Jin tinha que se virar, tinha faculdade e um trabalho que contribuía mais para deixar sua vida mais complicada, e como se apenas isso não bastasse, havia terminado com o namorado. Não, você não ouviu errado. Jin possuía um namorado, mas terminaram seus cinco anos de namoro por motivos de que Jin não conseguia dar atenção à ele por estar sempre muito ocupado. Jin conseguia entender as razões de Namjoon e sabia que ele estava certo, estava agindo errado em se preocupar mais com o trabalho e esquecer totalmente de sua vida amorosa. Aquilo tinha sido melhor. Não gostaria de deixar seu namorado pensando que não se importava com os sentimentos dele. Agora, era apenas o seu ex, e aquilo doía de certa forma em seu coração, estava mais solitário do que nunca e tinha apenas Jimin como seu amigo e família, já que a sua própria havia o rejeitado pela sua orientação sexual. A vida estava sendo tão cruel, mas Jin tinha que continuar seguindo em frente, não importa quantas vezes ele iria cair, teria de se levantar e continuar seu caminho.

Jin estava indo para a faculdade as pressas, havia acordado tarde e agora teria que lidar com as consequências. Talvez, ir à faculdade fosse o momento em que menos se sentia sozinho, pois nos intervalos e na saída, ele tinha a companhia de Jimin ou apenas "Chim Chim" como o mesmo o chamava por conta de seu nome. Gostaria de ter outros amigos, mas tinha certeza que falharia se tentasse. Jin era muito quieto, na dele e focado nos estudos, mesmo não sendo o mais inteligente, tentava ao máximo conseguir notas boas e conseguir um bom emprego.

Jin entrou em sala de aula. Tudo estava como sempre. Alunos conversando entre sí com seus grupinhos e Jin sentado em um canto isolado, totalmente sozinho. Gostaria de estudar na mesma classe que Jimin, mas não poderia, a diferença de idades não contribuía. Então teria que ficar sozinho por um semestre inteiro.

~•••~

Talvez Jimin estivesse sendo muito trouxa, ou talvez estivesse simplesmente se fazendo de trouxa. Tentava com todas as suas forças se aproximar de JungKook, mas todas suas tentativas eram falhas. Alguém ou algo sempre interrompia e ele tinha que pensar em outra forma de se aproximar. Pode parecer um pouco obcecado da parte de Jimin, mas ele queria apenas atenção de sua paixão e dono de seus desejos mais sujos. Jimin era mais velho que JungKook, mas ele mesmo era menor que o mais jovem. Jimin era popular em sua sala e JungKook era o excluído, parecia que o garoto evitava fazer qualquer coisa que chamasse a atenção, era totalmente tímido.

Jimin se sentia irritado. Não tinha com quem desabafar, quer dizer, "ter" ele tinha, mas não eram pessoas de sua total confiança. Seu único amigo verdadeiro se encontrava em outra sala, e Jimin não poderia desabafar com seu hyung até a hora do intervalo.

Jimin ficou perdido em seus pensamentos e não conseguia pensar em nada além do quanto sua vida era cruel em que seu senpai não o notava e seu melhor amigo se encontrava em uma sala diferente.

A porta da sala de aula se abriu com um forte som, fazendo todos olharem para quem a havia aberto com tanta violência. Um rapaz pequeno, parecia ter quase a altura de Jimin, porém devia ser uns centímetros mais alto, adentrou a sala sem se importar com os olhares de todos sobre sí.

— sinto muito, tive problemas e acabei me atrasando. — falou de forma que não demonstrava emoções.

O mesmo foi andando em direção as cadeiras, mas o professor o parou e o rapaz pareceu não gostar muito do contato.

— sinto muito, mas acho que você não é daqui. Nunca vi você por aqui.

— acho que você se esqueceu, mas eu sou o aluno novo. — o rapaz se livrou da mão que o segurava e encarou o professor, sem deixar transparecer qualquer tipo de emoção.

Passaram-se alguns minutos, e o rapaz desconhecido encarava o professor de forma profunda, sem desviar o olhar.

— ah, sim... Sinto muito, eu devo ter esquecido. Quer se apresentar para que as outras pessoas o conheçam?

— não, você pode fazer isso. Não estou no clima.

— oh, certo... — Jimin começou a se perguntar em como o professor aceitou aquilo de forma tão simples, ele mesmo já havia presenciado outros novatos chegarem com essa mesma desculpa para não se apresentar, mas nunca adiantava, o professor sempre insistia até que eles se apresentasse aos demais. Então, o que havia de diferente com o desconhecido? — alunos, este é Min Yoongi, ele irá estudar conosco esse semestre. Dêem as boas vindas a ele.

O desconhecido, agora conhecido como Min Yoongi, se sentou em uma cadeira vazia perto de JungKook e os dois começaram a puxar assunto. Jimin ficou indgnado. Sempre que se sentava ao lado de JungKook, o mesmo nem sequer lhe dirigia o olhar, imagine as palavras. O que havia de diferente em Yoongi que Jimin não possuía? Ok, o rapaz era de certa forma muito bonito, Jimin pensou que se anjos fossem bonitos, eles teriam a mesma beleza que Yoongi. Talvez, apenas um simples "talvez", Jimin estivesse com ciúme. Era pedir demais para que JungKook conversasse ou olhasse para ele uma vez só? Jimin chegou a conclusão de que,  sim, aquilo era pedir demais.

~•••~

Depois de horas e horas de aulas, finalmente o sinal de que o intervalo iria começar, tocou. Jin saiu de sua sala, foi para o refeitório e após ter pego algo para comer, foi para uma das mesas. Jimin não tardou em pegar sua comida e se sentou ao lado de seu hyung e se calou, apenas encarando a comida.

— você está muito quieto, Chim Chim. Geralmente você devora sua comida em questão de segundos e você é muito falante. — Jin se pronunciou.

— é por causa do JungKook, Jin hyung!

— o que foi agora?

— chegou um aluno novo na minha sala, ele se sentou ao lado de JungKook e os dois começaram a conversar!

— e o que tem isso, Chim Chim? JungKook é uma pessoa solitária, não é mesmo? Deixe que ele faça amigos, é bem triste ficar sozinho em uma sala de aula com pessoas que você não conhece.

— não é isso, hyung! O problema é que o aluno novo se sentou ao lado de JungKook e o filho da puta começou a puxar assunto com o novato! Dá pra acreditar nisso? Quando eu me sentava ao lado de JungKook, o safado nem sequer me dirigia o olhar! O que esse Yoongi tem de melhor do que eu? Ok, além daqueles cabelos pretos, a pele clara, a-...

— é aquele de cabelos pretos no total forever alone conversando com aquele loiro? — Jin perguntou interrompendo Jimin, e olhando para um rapaz de cabelos pretos, ele estava conversando com um rapaz, um pouco mais alto, em que ele tinha cabelos loiros.

— sim, é esse de cabelos escuros, mas eu não faço ideia de quem seja o loiro com quem ele está conversando.

— bom, eles são muito bonitos.

— eu pensei a mesma coisa, hyung! Eles parecem anjos!

— pra mim, eles parecem k-idols.

— oh, verdade! Eles se assemelham muito com k-idols! Talvez ainda não tenham sido descobertos!

— talvez, agora come sua comida antes que ela esfrie.

— tá bom, eomma. — disse em tom de deboche, se colocando a comer como seu hyung havia dito.

~•••~

Yoongi estava afastado de todos os outros alunos do refeitório, juntamente com Taehyung. O loiro queria informações de um dos alunos e Yoongi ficou confuso, ele sabia que Taehyung poderia descobrir aquilo à hora que quisesse, então pra que perguntar informações à Yoongi? O moreno tinha suas próprias razões para estar naquela escola, uma razão chamada "Park Jimin".

— Taehyung, por que não descobre suas informações sozinho? Eu também tenho minhas razões para estar aqui.

— que razões seriam essa?

— não importa. O que quer com SeokJin?

— não é de sua conta também, "tenho minhas próprias razões", sabe? — falou fazendo aspas com as mãos e lançando um sorriso sarcástico.

— tsc... Saiba que não temos o que falar. Já estou bastante corrompido para me envolver mais com sua laia.

— acontece, Yoongi, que você já pertence à minha "laia". Estar apaixonado por um simples humano que gosta de outro, quebrar as regras celestiais para ficar mais próximo dele e ainda se rebaixar a tal nível... Você não possui mais o direito de ser chamado de "criatura celestial", assim como eu.

— a diferença é que não quero fazer mal à ninguém! Só quero o direito de amar!

— amor? Faça-me o favor... Está cometendo uma grande calúnia ao se apaixonar por um humano e um grande pecado por esse humano ser um homem.

— não tenho culpa se meu coração escolheu gostar dele!

— coração? Coração? Acha mesmo que possui um coração? Você não sente amor, você só quer os prazeres deste mundo sujo, assim como eu também quis conhecer. E agora, olhe para mim! Sou um demônio da luxúria, e não me arrependo nada. Posso fazer o que eu quiser, enquanto você, está limitado às regras celestiais.

— diferente de você, não quero machucar ninguém! Só quero ter liberdade de escolha!

— e você tem, Yoongi, você tem muita. Agora, para ter a liberdade de amar, você tem que se juntar a mim.

— nunca!

— ah, é uma pena. Cheguei até pensar em fazer um pacto com você em que não precisaria se tornar um demônio. Acho que não temos mais o que conversar. — Taehyung começou a se afastar.

Yoongi havia caído perfeitamente na lábia de Taehyung. Ele sabia que Taehyung, uma vez sendo um demônio da luxúria, saberia como tentar os outros à fazerem o que ele quisesse. Taehyung conseguiu atiçar sua curiosidade, o que aconteceria se aceitasse fazer tal acordo com aquele demônio?

As asas de Yoongi não estavam totalmente negras, faltavam tão poucas penas para ser considerado um anjo caido e humilhado na frente de todos da mesma maneira que Taehyung foi. Seria tratado da mesma forma. Um verme, uma praga, uma escória... Não possuiria mais o direito de ser chamado de anjo, apenas de demônio. Desde que a primeira mancha apareceu em suas asas, Yoongi passa mal, aquilo estava se tornando uma tortura, as dores só parariam se suas asas se tornassem totalmente negras, ou se elas fossem arrancadas, coisa que era extremamente dolorosa, e mesmo que suas asas se tornassem completamente pretas, elas seriam arrancadas em sinal de que não possuía mais o direito de ser chamado de "anjo". Mesmo que tentasse com todas as suas forças, era impossível esquecer o amor que sentia por Park Jimin.

Já estava corrompido de qualquer maneira. Um pecado a mais na lista de Yoongi não faria mais tanta diferença, apenas queria uma maneira de fazer com que Jimin retribuisse seu amor.

— espere, Taehyung! — o loiro olhou por cima do ombro para Yoongi, sorrindo vitorioso. Seu plano havia sido um perfeito sucesso. — que tipo de pacto você está propondo?

— bem simples, você conseguirá cumprir. Quero que me coloque na mesma sala que SeokJin, caso não se lembre, minha peculiaridade é tentar as pessoas e lhes oferecer prazeres e não iludir as pessoas e criar memórias falsas. Você daria um perfeito demônio da ilusão, se estiver-...

— não estou interessado em me tornar um demônio. O que eu ganho com esse pacto?

— tudo. Basta me dizer o que quer que eu faça, que tornarei seu desejo uma realidade.

Aquilo era tentador demais. Não era atoa que Taehyung se autodenominava como um demônio da luxúria, ele sabia exatamente quais palavras usar para convencer os outros a fazerem pactos com sí e conseguia realizar tais desejos. Yoongi mordeu o lábio inferior, como se estivesse se repreendendo internamente com o que iria dizer.

— você... Você pode fazer com que JungKook deixe de amar o Jimin?

Yoongi se sentia péssimo. Acabar com o amor que JungKook sentia por Jimin, aquilo era muito egoista de sua parte. Yoongi deveria apoiar e aceitar que aqueles dois se amavam, mas não conseguia, simplesmente, não conseguia. Algo em seu interior lhe dizia que tinha que fazer aquilo. Yoongi havia simpatizado com o rapaz de cabelos castanhos e mais alto que sí, chegou até a pensar que ganharia um amigo e por conta de sua rivalidade, aquilo não seria possível enquanto JungKook gostasse de Jimin.

Taehyung abriu um sorriso torto, Yoongi chegou a conclusão que havia feito uma terrível escolha.

— não só posso fazer com que ele deixe de amar o Jimin, como também posso me divertir bastante com isso. — sorriu malicioso. — só vou precisar de seus poderes de ilusão e tornarei seu desejo em realidade. Vou resumir nosso pacto. Você faz com que eu entre nessa faculdade fajuta e eu faço JungKook deixar de gostar do pequeno Jimin com uma pequena ajuda do seu poder... De acordo? — falou estendendo a mão para que o moreno o cumprimentasse, assim selariam seu pacto.

Yoongi suspirou antes de cumprimentar o loiro, e assim selando seu acordo.

— de acordo.

Taehyung sorriu vitorioso e assim que Yoongi soltou a mão dele, sentiu uma forte dor, tendo de se apoiar à parede. Consequência de ter cometido mais um pecado.

— parece que você está bem corrompido, Yoonggie. Me pergunto por que Hoseok ainda não cortou suas asas.

— o-o que você quis-...

Assim que Yoongi olhou na direção de Taehyung, o mesmo não se encontrava mais lá, assim como todas as outras pessoas que antes estavam no refeitório.

~•••~

O novato intitulado como "Yoongi", teve que ir embora. Ele disse ao professor que estava passando mal, e o mesmo assentiu. Yoongi se retirou da sala e a aula continuou normalmente.

Jimin ainda estava com raiva por nunca ter falado com JungKook, mesmo que uma única vez sequer. Sempre que trocavam palavras, JungKook respondia com respostas curtas e logo ía embora. Revoltante, não?

O professor disse que teriam um trabalho em duplas para que as pessoas novas e os veteranos se socializassem mais e se conhecessem melhor. Jimin, como um ótimo trouxa, ficou rezando silenciosamente para que o professor colocasse ele para fazer dupla com JungKook, mas a notícia veio como um balde de água fria. Jimin teria de fazer dupla com Min Yoongi, justamente, com quem ele não havia simpatizado nada. Definitivamente, a vida estava brincando com Jimin.

Jimin saiu da sala e foi até o portão, esperando Jin para poderem irem juntos pra casa. Jin não demorou muito, e foram conversando entre sí durante o percurso.

— que cara é essa, Jiminnie? Aconteceu alguma coisa?

— vou ter que fazer dupla pra um trabalho com aquele Min Yoongi.

— o de cabelos pretos?

— esse mesmo.

— ah, não deve ser tão ruim, Jimin. Ele pode ser alguém bom. Não se deve julgar o livro pela capa.

— eu sei, hyung, eu sei.

— então ajeita essa cara de quem acabou tendo um doce roubado e sorri!

— nem fala em doce que eu tô com muita fome.

— bom, quando você for lá em casa, talvez eu faça alguma coisa pra você.

— sabia que eu te amo, hyung? — Jimin falou brincando.

— é, eu sei, Jiminnie. Também amo você. — Jin dá umas risadinhas e bagunça os cabelos de Jimin.

— o que você vai fazer se eu for na sua casa?

— bom, vai depender do horário, e além do mais, vai ser surpresa.

— idiota.

— bom, talvez eu faça algum doce, de qualquer forma.

— idiota? Onde que você ouviu eu te chamar de idiota? Eu disse que você é um amor de pessoa, Jinnie! — disse abraçando SeokJin, fazendo o mesmo rir.

— bom, está entregue em sua casa! — Jin parou de andar e ficou olhando para a casa de Jimin.

— obrigado, hyung! — deu um último abraço em SeokJin e foi andando pra dentro de casa.

— Jiminnie, você demorou a chegar em casa! Aconteceu-... Ah, olá, Jin! — a mãe de Jimin sorriu, fazendo seus olhos se fecharem em um perfeito eye smile.

— olá, senhora Park!

— não quer entrar, SeokJin? Você tem vindo tão pouco aqui em casa!

— é por conta do trabalho dele, mãe. — disse Jimin.

— ah, entendo.

— agradeço o convite, senhora, mas eu preciso ir. Prometo que vou vir aqui quando der! — Jin sorriu.

— ah, que garoto responsável... Por que você não é que nem o SeokJin, Jiminnie?

— mãe, eu também tenho minhas ocupações!

Jin riu um pouco.

— bom, eu vou indo, não posso me atrasar.

— tchau, Jin!

— tchau!

~•••~

Jin trabalhava em uma espécie de maid-café, a dona do estabelecimento era japonesa e teve a ideia de fazer esse café. Jin trabalhava como um maid, assim como outros garotos e garotas, enquanto o uniforme das garotas parecia com de empregadas inglesas de época o de Jin e de todos os outros garotos eram como os de mordomos ingleses. O salário era bom, dava para fazer as compras do mês e pagar as contas, era perfeito para alguém que morava sozinho e ainda estava estudando para conseguir um emprego melhor. Mas para tudo se tem um "porém", certo? E esse porém se consistia em trabalhar até tarde. Jin, sempre que voltava pra casa, ele se encontrava cansado e com fome. Era tudo uma questão de chegar em casa, comer e dormir. As vezes, Jin recebia indiretas do quanto era bonito e de como seria bom ter ele em uma cama, e isso vinha de ambos os lados, tanto das garotas quanto dos garotos. Jin não poderia negar, ele mesmo também se achava bonito e gostava muito quando as pessoas diziam isso para ele.

A porta do estabelecimento se abriu com o barulho de um sininho, anunciando que um novo cliente havia chegado. Como todos os outros colegas de trabalho de Jin estavam ocupados, ele mesmo foi receber o "mestre" ou a "senhorita".

Ao chegar na porta, Jin se surpreendeu. Era um rapaz loiro, de olhos castanho, quase da mesma altura que Jin e muito bonito. Ele era o mesmo com quem aquele tal Yoongi estava conversando no intervalo.

Jin mudou sua expressão de surpresa e voltou a agir novamente, focando de novo em seu trabalho.

— seja bem-vindo, mestre, me chamo Jin, espero que relaxe em nosso café. Poderia leva-lo até a mesa? — Jin falou fazendo uma reverência.

— sim, por favor. — respondeu o rapaz.

Jin o levou até a mesa e lhe entregou o menu. O loiro tinha uma voz grossa, mas doce, além de ter uma aparência perfeita. Ele daria um ótimo k-idol, na visão de Jin.

Jin ficou ajudando os outros com os pedidos até ter seu nome chamado pelo loiro. Provavelmente, ele teria se decidido com o que iria consumir.

~•••~

Taehyung observava, atentamente, Jin. Não conseguia tirar os olhos do rapaz, ele era lindo, e ver outras pessoas dando em cima dele fazia Taehyung ficar muito irritado.

— deseja alguma coisa, mestre? — Jin perguntou formalmente à Taehyung.

— apenas um café e uma torta doce, por favor.

— como quiser, mestre.

Seria estranho dizer que Taehyung gostava da forma submissa que Jin tomava? Chegava a ser excitante para o loiro. Ele mesmo gostaria de constatar se ele seria assim tão submisso se eles estivessem em quatro paredes. Taehyung afastou tais pensamentos de sua cabeça, não seria bom ficar excitado em um local público. Teria de focar em como fazer com que JungKook se apaixonasse por outra pessoa, mas se lembrou de seu plano inicial e achou que se encaixaria melhor com a situação, porém, precisaria de uma pequena ajuda com Yoongi. Taehyung não era de ficar em baixo, mas teria de ficar por conta desse plano.

Seu pedido não demorou a chegar e Taehyung comeu calmamente. Ele podia comer, mas não era necessário, visto que não podia morrer de fome. Aquilo era apenas um capricho da parte de Taehyung, afinal, comer um docinho aqui e alí a cada um século nunca faz mal. Enquanto comia, Taehyung prestava atenção em Jin. O garoto era tão bonito e perfeito, que ele nem parecia ser apenas um mero humano. A beleza de Jin chegava a beirar a de um anjo. Mesmo que Taehyung falasse milhares e milhares de vezes, ele nunca se cansaria de dizer o quanto Jin é bonito.

~•••~

Finalmente, Jin terminou seu trabalho. Foi andando tranquilamente pelas ruas iluminadas de Seul. Jin estava cansado, não ao pé da letra, mas psicologicamente, já que seu trabalho não era nem de perto cansativo, mas gostava de dormir pra descansar.

Jin recebeu uma mensagem de Jimin, o mesmo de sempre, o mais novo estava reclamando do quanto seria chato fazer o tal trabalho com Yoongi. Jin respondia as mensagens e as vezes ria das respostas de Jimin. Continuou andando e respondendo as mensagens até ser puxado para trás, repentinamente, e ver um carro passar exatamente por onde estava. Jin iria ser atropelado.

Jin olhou pra trás para ver quem o havia salvado e encontrou com o rapaz loiro que havia atendido no café em que trabalha. O mesmo ainda segurava seu braço e os dois se olhavam fixamente. Parecia uma daquelas brincadeiras para ver quem piscava ou chorava primeiro, mas a diferença é que ambos os dois piscavam.

— nunca ouviu falar no quanto é perigoso andar enquanto mexe no celular? — o loiro suspirou, soltando o braço de Jin.

— ah, sim... Eu... Fui irresponsável, sinto muito.

— não é a mim que deve desculpas! Imagine se eu não tivesse te tirado da rua?

— desculpe causar todo esse trabalho para você.

— você se desculpa demais! Anda, pára de pedir desculpas e dá um sorriso por não ter morrido! — o loiro sorriu quadrangular e Jin se viu obrigado a sorrir com aquele sorriso tão adorável.

— obrigado por me salvar...?

— Kim Taehyung, é um prazer conhece-lo! — que mentira! Taehyung sabia perfeitamente o nome do outro, mas Jin não sabia deste fato.

— Kim SeokJin, o prazer é meu! — falou estendendo a mão para se cumprimentarem e Taehyung o fez.

Taehyung estava atuando tão perfeitamente, que mais parecia o anjo que nunca caiu. O anjo que continuava puro e inocente, mas tudo isso não passa de uma simples atuação. Quando Jin estivesse tão envolvido com o demônio, ele não poderia mais escapar das garras maldosas de Taehyung. Estaria para sempre com ele e não poderia ir embora a menos que Taehyung deixasse.

— foi muito bom conhecer você, Kim SeokJin, mas tenho coisas a fazer sabe?

— sim, eu entendo. Tchau!

— tchau, e tome cuidado em não se distrair com o celular novamente!

— tomarei cuidado, e mais uma vez, obrigado!

Jin viu Taehyung se afastar lentamente pela multidão e voltou ao seu caminho original, desta vez deixando o celular de lado, como Taehyung havia dito.

Jin não demorou muito à chegar em seu apartamento. Trancou a porta do mesmo, tomou um banho rápido no pequeno banheiro, comeu alguma coisa para não ficar de barriga vazia e se deitou na cama.

Ficou respondendo algumas mensagens de Jimin e assim que o sono chegou, ele guardou o objeto e se ajeitou na cama para dormir.

Jin dormiu despreocupado, afinal, se preocupar com o quê? Não tinha com o que se preocupar. Porém o que não sabia, era que sua vida iria mudar. Iria se tornar mais perigosa e cheia de coisas que estariam além da sua compreensão.


Notas Finais


4.000 palavras com muita besteira... Eu sei, tá uma boxta com X. ;-;

Espero que tenham gostado desse... Sei lá... Nem sei exatamente o que foi isso.

Se tiver erro, comenta pra eu corrigir. (Odeio erros de português quando não é proposital :v)
Se estiver uma boxta (coisa que eu tenho certeza que está), comenta pra eu melhorar.
E se tiver sugestões, comenta para tornar esta fic mais interessante.

Kissus de açúcar! ( ˘ ³˘)❤

Xau, minhas estrelinhas purpurinadas! Até sei lá quando!

Fui~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...