História Devils - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lemon, Namjin, Rap Monster, Sobrenatural, Suga, Taejin, Vkook, Yaoi, Yoonmin
Exibições 227
Palavras 4.290
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OOOOOI, LINDEZAAAS!! o/

Tudo de bão? :)

Eu ia postar esse cap ontem, mas como a merda da minha internet tá uma porcaria, eu não consigo nem responder comentário. :v

Vcs acreditariam se eu dissesse que achei duas músicas que definem perfeitamente o Yoonmin e o Taejin dessa fic? Pois é, eu achei. :v

Do nosso querido Taejin, o nome é "Angel Eyes" do New Years Day (Ash é uma das minhas deusas dona do meu kuraçaum! o/) só que eu prefiro o nightcore masculino que parece mais, sacas?

E do nosso Yoonmin armozinho é o nosso querido "My Demons" do Starset. De início não vai fazer muito sentido pq tem muita coisa na fanfic q ainda num foi explicada, e que é preciso ler a letra em outro ângulo pra fazer sentido. Agora, vamos falar de algo que me faz sorrir tanto quanto o smile dog:

900 e pouquinhas visualizações... Ai meu KUraçaum ;u;

68 favs... Ai meu KUraçaum dinovuh ;u;

Já falei q amo vcs? Pois é, eu amo vcs! <3

Ok, já falei demais.

Foca na história.

Boa Leitura~

Capítulo 7 - Capítulo VI


Fanfic / Fanfiction Devils - Capítulo 7 - Capítulo VI

Um agradável dia de domingo. Calmo, temperatura nem muito quente e nem muito frio e sem Namjoon ou Taehyung por perto. Jin estava extremamente confuso com todas as coisas recentes acontecendo. Sentia-se tão desconfortável perto dos dois loiros. Quer dizer, ainda amava Namjoon com todas as forças, aquilo era uma certeza. Mas... Se sentia tão incomodado e com medo que tentava evitar o mais alto. Tudo por culpa daquelas palavras. Aquelas malditas palavras. Jin havia dispensado o retorno dele como namorados, quando aquilo era o que mais desejava, mas estava tão incomodado e assustado com aquela frase que não conseguia aceitar a proposta do loiro de cabelos mais escuros. Estranho? Talvez.


Jin estava em seu apartamento solitário e, ao mesmo tempo, agradável. Pensar que um dia havia dividido aquele pequeno espaço com Namjoon o fazia feliz e magoado. Fora alí que discutiram uma última vez antes de terminarem.


"— eu cansei, Jin! Não aguento mais essa sua indiferença comigo!! Esses cinco anos não significaram nemm para você?! — rosnou Namjoon, estava extremamente irritado.


— acontece que eu não posso ficar muito tempo com você, por justamente sustentar a gente!!


— e eu já tentei te convencer inúmeras vezes de que eu poderia te ajudar com os nossos gastos, mas você me ouve?! Não, apenas diz 'não quero que trabalhe, quero que se esforce nos estudos'!! Jin, você é orgulhoso demais para admitir que precisa de ajuda!!


— EU JÁ SEI DISSO, OK?! EU SEI QUE SOU MUITO ORGULHOSO, VOCÊ JÁ DEIXOU ISSO CLARO INÚMERAS VEZES!! MAS PRECISO RESSALTAR SEUS SURTOS DE CIÚME POR CONTA DO MEU  TRABALHO?!


— VOCÊ DEIXA TODOS DAREM EM CIMA DE VOCÊ, JIN!! NÃO É A TOA QUE A CINCO ANOS ATRÁS, VOCÊ FOI QUASE ESTU-...


A fala de Namjoon foi cortada por um tapa, desferido pelo garoto de cabelos rosas, que na época, possuía cabelos castanhos.


— eu não aguento mais essas suas crises de ciúme. Eu te amo tanto que meu coração chega a doer. Nunca te traí, faço de tudo para estar com você, mas o que recebo em troca é apenas briga por ter sido paquerado en meu trabalho. Eu nunca iria te trair, Namjoon. — o rosto de Jin, já se mostrava molhado pelas lágrimas quentes que insistiam em cair. — o que devo fazer para você acreditar em mim? Eu só quero seu carinho, não apenas briga. Eu sinto muito por estar te ignorando, mas eu realmente fico cansado do meu trabalho e as vezes estressado. Só me perdoa, Namjoon. Por favor.


— pra mim já deu, Kim SeokJin. — Jin arregalou os olhos, Namjoon raramente o chamava por seu nome completo. — eu não aguento mais essa sua indiferença comigo, sempre que busco me aproximar de você, você está sempre dizendo 'estou cansado, Joonie' ou então 'me deixe em paz'. Você diz que ainda me ama, mas suas ações são totalmente diferentes de suas palavras.


— Namjoon, por favor, eu-...


— acabou, Jin. Tudo o que tínhamos, acabou."


Jin nem percebeu quando as lágrimas começaram a descer por sua pele clara. Lembrar-se daquele fatídico dia, era a mesma coisa que assistir um filme trágico sabendo que você vai chorar, mas se convence que não vai fazer tal ato, e se surpreende que ao final do filme, você chorou como uma garotinha que deixou seu sorvete cair no chão. O rosado limpou as lágrimas de seus olhos, tentando não pensar no que aconteceu.


Namjoon tinha se entendido com Jin, e ambos se tornaram apenas amigos. O de cabelos loiros tinha conseguido ir para os Estados Unidos, ele era fluente em inglês e Jin ficou orgulhoso que ele conseguiu ir para aonde queria. Ainda nutria um amor por Namjoon, estava começando a se esvair, mas agora que o mais alto voltou, seus sentimentos voltaram a se misturar e deixar sua cabeça totalmente confusa.


Antes que pensasse em outra coisa que fosse, o celular de Jin vibrou em cima do criado mudo ao lado de sua cama, onde se encontrava deitado. O de cabelos róseas suspirou antes de pegar o celular e verificar o que era, mas tinha quase certeza de que era uma mensagem no kakao.


Jimin: Oi, Jin!


Realmente, era uma mensagem no kakao.


Jin: Oi


Jimin: ai que seco, aconteceu algo, hyung?


Jin: não, não aconteceu nada. Pq? '-'


Lógico que tinha acontecido algo.


Jimin: tudo bem, não vou discutir.


Hyung, posso ir aí na sua casa/apartamento?


Jin: não vejo problemas.


Claro que pode vir. :)


Jimin: você pode fazer algo gostoso quando eu for para aí? *^*


Jin: kkkkkk claro, Chim Chim. :)


Jimin: estarei aí depois do almoço.


Posso fazer uma pergunta?


Jin sentiu seu coração apertar. Será que a pergunta seria algo relacionado à Namjoon ou Taehyung?


Jin: claro que pode. :p


Jimin: o que você vai fazer de bom? *^*


Jin não conseguiu segurar as garagalhadas. Estava se preocupando demais em achar que o amigo tinha percebido que ele estava incomodado.


Jin: vai ser surpresa. :p


Jimin: ah, não, hyung~! [Áudio]


Jin: "anão" é um homem que não cresce e você está nessa categoria. :')


Jimin: magoou. (╥_╥)


Jin: tudo bem, anão de jardim, eu tenho que preparar meu almoço.


Jimin: isso vai ter volta, só espere.


Jin riu com a mensagem e então bloqueou seu celular e foi preparar algo para comer.


Após comer e quando deu 14:27 no relógio, ouviu as batidas na porta. O amigo de cabelos roxos entrou procurando o que Jin poderia ter feito para ambos comerem.


— ah, sério, Jin? Me conta o que você vai fazer! — Jimin perguntou com a voz manhosa.


— não. — riu divertido, se sentando no sofá.


Jimin fez uma careta e se sentou ao lado do amigo. Ficaram um pouco em silêncio, ninguém queria puxar assunto no momento. Até Jimin resolver se pronunciar:


— aconteceu alguma coisa, hyung?


— ... Não, não é nada.


— sabe que eu não vou desistir de tirar a verdade de você, não é? — disse Jimin, estreitandos os olhos.


— com Yoongi foi diferente. — Jin falou rindo.


— é diferente, ele parece tão delicado quanto porcelana.


— só com você, pois pra mim ele é mais duro que pedra. — disse revirando os olhos e rindo um pouco. — é sério, de onde tirou a ideia de que Yoongi é delicado?


— ele parece uma criança. É inocente, fofo, fica vermelho com qualquer coisa que eu faço ou digo e tem um sorriso lindo. Sinto vontade de proteger Yoongi do mundo e das pessoas.


— bom, ele pode fazer isso sozinho sem problemas. Ele não é uma flor delicada que ao ser tocada pode se quebrar, ele é forte. Não apenas fisicamente, mas também em mentalidade.


— argh... Você não entende. Comigo ele é diferente, e, sim, comigo ele parece uma flor delicada ao toque.


— nesce caso, eu descreveria Yoongi como uma rosa. Apesar dos espinhos, elas são lindas e encantadoras.


— pra mim, Yoongi seria uma rosa do deserto. Ela é uma raridade em meio as areias do deserto. Assim como Yoongi é raro em meio a tantas pessoas. — Jimin torceu o nariz. — afinal, por que tocamos no assunto Yoongi? E o que ele tem haver com flores? Francamente, vamos mudar de assunto.


Jin riu anasalado.


— ok, vamos mudar o assunto das flores, mas vamos continuar falando sobre a mesma pessoa e como ele é diferente com você.


— é, eu sei que ele é meio gelo-seco com outras pessoas-...


— "meio"?


— ok, MUITO gelo-seco, mas comigo ele é tão mole quanto manteiga derretida.


— e aquele negócio de "proteger" ele?


— ainda sinto isso. Eu não sei explicar o que é, mas quero protegê-lo.


— vou classificar isso como uma queda por Min Yoongi.


— eu não tenho uma "queda" por Yoongi.


— ah, desculpe. Você tem um precipício por ele. — disse Jin, que riu da expressão fechada de Jimin.


— não é nada disso. Eu só quero protegê-lo, e somos apenas amigos.


— ah, sim, claro! Vou falar pra ele e ver se ele também acredita nas suas palavras assim como eu acredito.


Jimin suspirou.


— se você disser algo que seja, eu vou negar.


— aish... Seu rabugento. — Jin fez biquinho.


— a propósito, você tem que fazer um doce pra mim! Tá me devendo uma, então levanta essa sua bunda gorda desse sofá e vai preparar o que quer que seja!


— devo lembrar quem tem uma bunda que mais lembra a da Nick Minaj? — sorriu sarcástico.


— vai se foder.


Jin foi para a cozinha enquanto ria da cara irritada de Jimin e o mesmo ficava xingando a sí mesmo por ter falado aquilo com Jin.


Mal eles sabiam que Yoongi havia escutado toda a conversa.


~•••~


Namjoon estava em seu velho apartamento, o mesmo em que havia ficado depois de romper com Jin e sair do lado do mais velho. Haviam virado apenas amigos assim que o loiro foi para os estados unidos, estavam entendidos.


Foi aí que as coisas começaram.


O de cabelos esverdeados estava em sua casa. Não iria dizer a Jin a verdade. Não diria ao acastanhado que ainda se sentia péssimo por conta do fim do namoro. Já faziam quase um ano desde que terminaram, já deveria ter superado.


Mas não superou.


Namjoon bebia e fumava para esquecer suas mágoas, mas não era o suficiente. Queria Jin de volta, queria voltar para o apartamento do mais velho e pedir perdão pelo seu ciúme, queria dizer o quanto ainda o amava e que não vivia sem ele.


Namjoon bebeu um pouco do líquido contido na garrafa de vodka.


Estava tão emocional. O álcool tinha aquele efeito sobre sí, ao invés de ajuda-lo a esquecer, ele só o fazia remoer mais o seu passado com o doce Kim SeokJin.


Outro gole.


As pessoas que arranjassem algo pra fazer. Por que estavam olhando para ele com pena e desprezo? Não queria isso delas.


Mais um gole.


E como se estivesse em câmera lenta, seu corpo foi ao chão, como um castelo de cartas. Seu último folego foi embora junto com o nome de Jin murmurado em seus lábios cheinhos e secos.


Havia morrido. Aquilo não era uma pergunta, era uma afirmação.


Havia bebido tanto, fumado tanto, que seu corpo não aguentou mais a carga que lhe era exercida.


Mas se estava morto, por que ouviu uma voz feminina o chamando? Estava morto ou não estava afinal?


Quando retornou à abrir os olhos, encontrou uma mulher. Era bela aos olhos, estava sentada em um trono e o local era decorado em um azul esverdeado, roxo, dourado... Era bonito e sombrio ao mesmo tempo. A mulher à sua frente emanava astúcia, sedução e, principalmente, alguém que não seria bom irrita-la.


— quem é você? — foi a primeira coisa que disse.


— isto não é importante, Kim Namjoon.


— como sabe meu nome?


— sei de muitas coisas que você nem imagina. Sei que ainda sente amor por Kim SeokJin e que ele é a causa de sua morte.


— Jin... — Namjoon murmurou.


— uma pena que ele nem se importe com seus sentimentos, não é? — a mulher fez surgir um espelho na frente de Namjoon, era decorado em prata nas suas bordas. O esverdeado olhou nele e se surpreendeu ao ver seu ex com outro, sem ser Jimin, aos sorrisos. — veja só, mal te abandonou e já partiu para outro. Sempre pensei que demorava para encontrar alguém que substituísse o antigo amor.


— deve ser apenas um amigo. — disse mais para sí do que para a mulher, tentando mais convencer a sí mesmo.


— nós dois sabemos que não é apenas amizade, Kim Namjoon. Foi exatamente assim com você quando conheceu Jin. Mas o que mais me surpreende nessa sua dramática história, é que Jin te trocou por um demônio.


— o que você quer dizer com-...


— Kim Taehyung, é o nome dele, Namjoon. Não estou dizendo mentiras à você, eu também sou um demônio.


— eu devo estar tendo um pesadelo, apenas isso!


— não está. Você morreu, mas posso trazer-lhe de volta à "vida".


Namjoon à olhou desconfiado. Se era apenas sua mente inventando histórias e quando acordasse encontraria Jin ao lado de sua cama dormindo tranquilamente, não faria mal entrar na brincadeira.


— como?


— ah, é simples. Apenas jure lealdade à mim e me diga... O que você deseja?


Namjoon olhou para o espelho que mostrava Jin se divertindo com o loiro cujo nome era Taehyung. Se estava com ciúmes? Era bem mais que isso.


— quero Kim SeokJin de volta para mim. — murmurou, trincando os dentes e fechando as mãos em punhos. — eu, Kim Namjoon, juro lealdade à você, senhora.


A moça sorriu largamente, mas não era um sorriso de doçura, era um sorriso maldoso.


— que bom, Namjoon.


Foi o que ela disse antes de tudo se tornar negro e voltar a clarear. A senhora se levantou do trono e pegou o espelho de prata que flutuava no ar, desafiando a gravidade, o colocando na frente de Namjoon, fazendo-o ver a sí mesmo. Os cabelos pintados em verde mudaram para um loiro escuro e o cabelo havia crescido, estando em um corte que o deixava mais sexy. Até as roupas mudaram para preto.


— o que é tudo isto? — perguntou confuso.


— você agora é um demônio, Namjoon. Um demônio um tanto diferente em que as leis de distinção entre luxúria, inveja e ilusão não podem te dizer ao que você pertence.


— o que eu sou exatamente?


— a inveja em sí.


Namjoon arregalou os olhos.


— inveja, tipo... Um pecado capital?


— exatamente. — disse sorrindo de canto. — agora, Namjoon, diga-me. O que fará à SeokJin?


— não sinto nada mais por ele. — sua voz soou fria e cortante, como uma lâmina.


— você não sente nada por ele? — a mulher riu em cinismo. Como aquelas bruxas nos filmes. — traga-o para mim, Kim SeokJin tem algo que eu quero.


— yes, my lady.


— ora que cavalheiro.


— antes, my lady, diga-me. Qual é seu nome?


Sorriu, mas aquele sorriso não tinha sentimento algum.


— meu nome é


— Kim Namjoon.


O loiro se levantou rápido de seu sofá. Sua senhora o estava chamando. O que ela queria? Ele não sabia.


Foi até onde a voz estava e a viu, da mesma forma que a havia visto quando a viu pela primeira vez.


— está tendo dificuldades em conseguir Jin de volta não é?


— Kim Taehyung não deixa que ele se aproxime tanto de mim. É até adorável sua preocupação com Jin. Não deveria temer à mim, sou apenas o ex ainda "apaixonado" por ele. — Namjoon fez um biquinho, mas o desfez, rindo do que havia dito como se fosse uma piada realmente engraçada.


— falando assim, você parece mesmo gostar dele.


— não gosto. Só sinto o sentimento de o possui-lo. É apenas o pecado da inveja que me faz querer as coisas que não são minhas.


— ah, eu as vezes entendo isto.


— você também está sobre o poder de algum pecado capital, my lady?


— não, mas quem nunca foi dominado pelo sentimento da luxúria? — disse sorrindo maliciosa.


— huh... Eu fui dominado muitas vezes quando estava com Jin e ainda era um humano. — disse, mordendo o lábio inferior ao se lembrar das noites quentes que passou ao lado de Jin. — eu não o amo mais, mas Jin é realmente gostoso na cama. Acho que esse seria um dos meus motivos para querê-lo de volta. Não seria ruim usá-lo.


— que feio, Namie. — a dama disse o olhando com falsa repreensão. — desse jeito, você parece eu.


— sinto muito por isso, my lady. — disse rindo, cínico. — eu tenho que voltar, não é? Preciso achar uma maneira de tirar Kim Taehyung da jogada.


— sim, é claro, meu soldado.


— my lady... O que Jin tem que você tanto quer?


— ... A resposta para eu encontrar um livro.


~•••~


Após Jimin ter ido embora, Jin foi em um mercado fazer compras, visto que seu estoque de comida estava acabando.


Saiu do supermercado, verificando se havia comprado tudo o que precisava e foi andando. Sentia-se, de certa forma, observado e isso o fazia se sentir desconfortável, mas resolveu ignorar. Podia ser somente sua mente inventando coisas, certo?


Jin foi andando calmamente, tentando ignorar a sensação desconfortante, e seguiu seu caminho. Estava quase chegando em seu apartamento, até acabar esbarrando em alguém e quase deixar suas compras caírem, estas que foram seguradas pelo desconhecido.


— desculpe me, eu não-...


A fala de Jin morreu assim que viu que se tratava de Kim Taehyung quem lhe estava à sua frente. Estava desconfortável, sempre que estava perto de Taehyung ou de Namjoon, o rosado se sentia assim. A expressão de Jin era de total surpresa e espanto, não esperava esbarrar com Taehyung por aí. O mundo era realmente um lugar pequeno.


— oh, Jin, não se preocupe! Só tente ficar mais atento, imagine se eu não seguro suas compras a tempo? — Taehyung sorriu quadrangular, e Jin se viu mais nervoso. Por que estava assim? Era apenas Taehyung, certo?


— t-tudo bem. Eu estava perdido em meus próprios pensamentos.


— quer que eu te ajude com as compras?


— ... não precisa, obrigado... Eu estou bem, não se preocupe.


— eu insisto. Não será problema nenhum para mim, e você parece meio pálido. — Jin abriu a boca para discutir, mas antes que falasse alguma coisa que fosse, Taehyung colocou seu dedo indicador contra os lábios de Jin. — eu não aceito um "não" como resposta. Vamos.


Taehyung pegou uma das sacolas das mãos de Jin e deixou que o rosado carregasse apenas uma. Embora uma parte no cérebro de Jin estivesse gritando para que saísse de perto de Taehyung, seu orgulho se mantinha em pé, não faria nada, Taehyung não estava fazendo nada. E assim esperava que continuasse da mesma maneira.


Ambos os dois seguiram andando juntos. Não falavam nada pelo caminho, e aquilo deixava Jin desconfortável. Chegaram sem mais tardar na porta do apartamento do de cabelos róseas e o loiro lhe entregou a sacola que estava em sua mão para Jin.


Jin abriu a porta da casa e pensou muito antes de se virar para Taehyung.


— quer entrar e beber um pouco de água?


Jin sentiu que se odiaria para sempre por convidar Taehyung à entrar no seu pequeno apartamento. Não que ele não tivesse confiança em Taehyung, longe disso, só se sentia muito desconfortável com a presença do loiro. E Jin ficou pedindo, silenciosamente, que Taehyung negasse educadamente seu convite.


— se você não se importar, quero sim. — falou sorrindo.


Definitivamente, Jin iria se odiar eternamente.


Jin abriu espaço para que Taehyung entrasse e se dirigiu para a cozinha. Estava tentando raciocinar direito e se acalmar, não era nada demais, era apenas Taehyung.


Pegou um copo de vidro e o encheu de água. Assim que se virou, Jin acabou se assustando quando deu de cara com Taehyung e deixou o copo cair e se estilhaçar em pedaços com a água no chão.


— desculpe, você demorou e achei que tinha acontecido algo. — Taehyung se justificou, parecendo triste aos olhos de Jin.


— não, sem problema. Eu que peço desculpas. Vá para a sala, eu vou jogar fora os cacos.


— não se preocupe, eu ajudo.


Jin concordou e então se abaixou junto com Taehyung para recolherem os cacos. O loiro pegou um pedaço de papel e ia colocando os cacos na folha. Jin por um instante acabou deixando um dos cacos escorregar por estar molhado e cortou o dedo, emitindo um gemido baixo de dor.


Taehyung teve de prender a respiração. Aquele gemido o havia feito travar. O som era tão lindo quando saído dos lábios carnudos de Jin, queria escutá-lo mais vezes sem se cansar. Era música para seus ouvidos. Taehyung levantou o olhar na direção de Jin e viu o rosado com o dedo machucado na boca, o que na visão (e imaginação) do loiro, aquilo conteve um duplo sentido. Respirou fundo, precisava se controlar e não deixar que a luxúria o dominasse. Iria sim possuir aquele corpo de Kim SeokJin, mas ainda não era o momento.


Taehyung retirou o dedo de Jin de sua própria boca, o rosado acabou soltando um gemido de surpresa quando sua pele quente foi tocada pela mão fria de Taehyung e o loiro o puxou para que se levantasse, trazendo-o para perto da pia. Abriu a torneira e colocou o dedo machucado na água corrente, permitindo que aquele sangue vermelho e convidativo fosse embora. Algum dia descobriria qual era o sabor daquele sangue rubro e pastoso. Jin mordia os lábios evitando de soltar algum gemido, ato que não passou despercebido por Taehyung. Ah... Jin...


Taehyung desligou a torneira e perguntou à Jin onde tinha algum curativo. Jin indicou onde estava e Taehyung colocou o curativo sobre o dedo machucado.


— obrigado... — falou após ter seu dedo cuidado pelo loiro.


— não se preocupe. Só tome mais cuidado.


Jin concordou.


— eu vou pra casa, então. Obrigado por me receber em seu aparmento, ele é confortável.


— obrigado...


Taehyung riu e bagunçou os fios rosados de Jin, fazendo o outro fechar os olhos com força em uma careta.


Jin o acompanhou até a porta, e a abriu esperando que ele saísse. Taehyung ficou do lado de fora e o olhou sorrindo.


— nos vemos amanhã.


Jin concordou com a cabeça.


— ah, antes que eu esqueça! — Taehyung falou se aproximando de Jin.


— o que-...


A fala de SeokJin morreu assim que sua nuca foi puxada para frente, ao mesmo tempo que Taehyung aproximou o rosto do seu, e assim a distância de seus lábios já não existiam mais.


Os lábios de Taehyung eram frios e o contato fez o rosado gemer sem perceber. Taehyung lambeu seus lábios e Jin acabou por abrir levemente a boca carnuda. Taehyung deslizou a mão da nuca de Jin até seu queixo, o puxando para baixo, fazendo com que o de cabelos róseas abrisse mais a boca. Taehyung invadiu a boca de Jin com sua língua quente e aveludada, o beijo tinha uma sicronia perfeita, era como se ambas as bocas fossem feitas uma para o outro. Ficaram naquele ritmo gostoso e calmo até a falta de ar vencer e fazer com que ambos os dois se separassem, com a respiração descompassada.


— para que o machucado sare mais rápido. — disse Taehyung, sorrindo sapeca.


— que eu saiba, o beijo é só um selinho e é onde fica o machucado.


Taehyung segurou a mão de Jin e deixou um selo delicado no indicador de Jin.


— agora fiz certo?


— sim. — disse tentando ignorar o rubro de suas bochechas agora quentes.


— certo! Tchau, Jin!


Taehyung saiu e Jin trancou a porta. Estava mais pensativo que antes. Não sabia se assustava ou se ficava sorrindo que nem um idiota por ter beijado Kim Taehyung.


~•••~


— Jimin, eu... Eu queria te dizer uma coisa...


JungKook estava com Jimin num canto mais afastado da faculdade, estava tomando, mais uma vez, coragem para dizer à Jimin sobre seus sentimentos. "E o que aconteceu com as outras vezes que ele tentou se declarar?" Bem, alguém sempre o atrapalhava, seja um aluno ou um professor. Criar coragem era realmente difícil para o moreno e quando era justamente o momento de dizer o que sentia, alguém aparecia e mandava todo seu esforço pro ralo. Era decepcionante.


— você quer me dizer...? — disse Jimin, encorajando o mais novo a falar.


— eu-...


— JungKook!


Mais uma vez interrompido, mais uma vez perdeu sua coragem.


JungKook suspirou, já estava esperando que algo assim acontecesse, como nas outras vezes. O mais novo se virou para a voz conhecida e apenas murmurou um "hm?".


— JungKook, eu-... —Yoongi parou de falar assim que sentiu o olhar de Jimin sobre sí. É claro que ele sabia que JungKook ía se declarar para o arroxeado, ele mesmo estava escondido com Taehyung apenas vendo se a conversa tomaria um rumo mais perigoso e impediria. — eu atrapalhei a-alguma coisa?


Yoongi mentiu, ele sabia que tinha atrapalhado e fez aquilo propositalmente. Já estava começando a sentir fortes dores de cabeça, mentir era um pecado, e pecados significam mais penas negras e dor.


— não, você não atrapalhou nada, hyung... O que você queria me dizer?


— sua mãe me ligou dizendo para eu ver o que aconteceu com você, estava demorando e ela ficou preocupada com você.


— ah, sim... Eu... Estou indo, Jimin.


— ok, nos vemos amanhã.


Jimin saiu, deixando Yoongi e JungKook sozinhos. O silêncio entre eles era constrangedor.


— me desculpe por atrapalhar você, JungKook.


As palavras saíram da boca de Yoongi com extrema facilidade. Não era mentira. O mais velho, realmente, se sentia culpado por atrapalhar a vida amorosa de JungKook.


O mais novo suspirou.


— tudo bem, hyung... Não é culpa sua.


Sim, a culpa era de Yoongi.


JungKook saiu deixando Yoongi "sozinho", e o mais velho não impediu.


— sucesso. Declaração evitada. — brincou Taehyung.


— é... Sucesso... — Yoongi disse sem animo, ainda olhando na direção que JungKook seguiu.


— você não está nada contente... — Taehyung adotou uma postura mais séria. — por que você atrapalha eles ao invés de deixar os dois se... Amarem?


— eu não sei... Eu só quero ter uma chance com Jimin, mas me sinto culpado por ver JungKook daquela forma.


— acho que entendo. — Taehyung cruzou is braços. — afinal, por que você não cria uma ilusão em que JungKook não vê o Jimin e o Jimin não vê o JungKook? Seria bem mais fácil do que ficar seguindo os dois de cima à baixo.


— você é burro ou o quê? Você ainda não percebeu? — perguntou Yoongi, com uma das sobrancelhas arqueadas, com um olhar de "depois eu que sou trouxa?".


— como assim?


— sério isso? Ok, vou te dar uma dica. — Yoongi suspirou. — sabe que eu evito fazer ilusões de grande porte perto do Jimin, né? Lembra-se daquela vez que eu torci o tornozelo e fiz todo mundo acreditar que me curei só quatro semanas depois?


— o que isso tem haver com-...


— o Jimin estranhou. — cortou Taehyung, e o mesmo se calou para escutá-lo. — ele perguntou como eu estava, um tanto desconfiado, e eu disse a ele que não não havia sido nada grave.


— tá me dizendo que você não usou a ilusão no Jimin?


— estou dizendo que eu tentei usar a ilusão nele. — Taehyung arregalou os olhos, como se estivesse começando a entender. — sim, é exatamente isso que você está pensando. O Jimin não é afetado pelas minhas ilusões. Ele consegue ver através delas e enxergar a verdade.




Notas Finais


TAN
TAN
TAN
TAAAAAAN~

REVELAÇÕES CABULOSAS ( =①ω①=)

O tal local q o Namjoon conheceu a mouça é o mesmo cenário que aquela sala onde os meninos estão todos juntos no MV de Blood Sweat And Tears.

Sabem aquele evento q os meninos ganharam o prêmio de melhor álbum do ano? Alguma coisa com melão? Onde o mozão tava de cabelo preto, o Mochi tava de louro platinado, o TaeTae tava de cabelo castanho e o Namjoon tava um puta dum deus grego pra lá de sexy e gostoso todo de preto e vermelho? Pois é, é assim que o Namjoon ficou depois de virar demonho. Um tremendo gostosão da porra. Se eu fosse o Jin eu parava com cu doce e pegava o Nam, pq essa criatura tá muito gostosa. (͡° ͜ʖ ͡°)

Ok, isso aqui é Taejin. Vamos focar em Taejin e não em Namjin.

Brotou uma ideia maluca pra um Taegi, e eu queria saber o que vocês acham sobre ela, pq vai ser uma próxima fanfic e quero saber se vcs querem q eu faça o primeiro capítulo e poste ou se eu espero uma dessas fanfics acabarem.

⚪⚪🌙⚪⚪

"a lua é o único satélite natural da terra. Ela não emite luz, mas sim funciona como um espelho que reflete a luz do sol à noite e é responsável pelo aumento do nivel da maré."

É isso o que a maioria dos sites em que você pesquisar a palavra "lua" vão dizer. Essa definição da lua está errada.

A lua, para início de conversa, nem deveria ser "a" e sim "o". "A" lua é um garoto de apenas 1,58 de altura, cabelos cinzas platinados, pele pálida, olhos escuros e feições delicadas um tanto andrógenas. Ele é misterioso, dorme muito, fala apenas o necessário e parece uma pedra de gelo, mas ele continua sendo lindo. E como continua.

Antes, se alguém chegasse em mim e dissesse "ei, a lua não é uma pedra que gira em torno da terra, ela na verdade é um garoto muito pequeno e lindo" eu chamaria um hospício pra essa pessoa, um louco reconhece outros loucos. Agora, eu me pergunto como nunca me contaram isto antes.

⚪⚪🌙⚪⚪

Antes que me perguntem: sim, eu acho q fumei umas ervas muito lok4s pra ter essa ideia. :v

O q acham sobre essa próxima fanfic?

Enfim.

Se tiver erro, comenta pra mim corrigir.
Se estiver uma boxta, comenta pra eu melhorar.
E se tiver sugestões, comenta pra tornar esta fic mais interessante.

Kissus de açúcar! ( ˘ ³˘)❤

Xau, minhas estrelinhas purpurinadas! Tentarei responder os coments, se nn der é pq minha internet não deixa!

Fui~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...