História Devils Among Us - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Originais, Os Instrumentos Mortais
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan
Tags Clave, Harry Styles, Idris, Liam Payne, Louis Tomlinson, Luta, Niall Horan, One Direction, Os Instrumentos Mortais, Sexo, Tortura, Violencia
Exibições 5
Palavras 1.100
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Saga, Sci-Fi, Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - I Hope That Clave Remembers


Kate

 

A porta era enorme. Já tinha se esquecido de como era. Fiz questão de esquecer depois o que aconteceu. Depois de tudo que aquele bastardo me fez passar. Cassie olhou para mim e respirou fundo.

- Você está bem? – Perguntei, levando a minha mão até seu ombro. Ela olhou para mim e percebi que seus olhos estavam com uma cor esverdeada por causa da luz da esquina. – Não precisamos fazer isso se não quiser.

- Você precisa achar o seu irmão. – Ela disse quase como um sussurro. Sorri fraco. – Vamos fazer isso.

Antes que eu pudesse falar qualquer outra coisa, Cassie já havia batido na porta. Por um instante eu pensava que não havia ninguém, mas assim que ouvi passos se aproximando da porta, senti meu coração apertar. Tinha alguém vindo. Ajeitei meu corpo corretamente e engoli qualquer nervosismo que eu tinha naquele momento. Depois de todo esse tempo, finalmente, verei eles. Sam e Pedro. Assim que a porta de abriu, uma figura preta apareceu na porta, apoiando o seu corpo por completo na porta, bloqueando a nossa entrada. O menino tinha um sorriso debochado no rosto, formando irritantes covinhas em suas bochechas e seus olhos demonstravam surpresa em nos ver aqui.

- Ora, ora, ora. O que temos aqui? – Disse ele, suavemente. – Pensei que não viriam.

- Para a sua infelicidade, viemos.

Ele riu maliciosamente e me encarou de cima para baixo.

- Não diria infelicidade. – Harry cruzou seus braços acima do abdômen. – Acho que poderíamos nos divertir muito ainda...

- OLHA AQUI EU DESGRAÇADO DE MERDA! – Gritei dando um passo para frente. – A ÚNICA RAZÃO PARA QUE EU E CASSIE ESTEJAMOS AQUI, É PARA SALVAR MEU IRMÃO E ENCONTRAR SAMUEL, ENTÃO VÊ SE VOCÊ... AI! – gemi de dor assim que senti Cassie pisar no meu pé. – Por que você fez isso?

Ela não disse nada, apenas vez o um sinal com as mãos para que eu visse o que tinha atrás de Harry. Quando foquei meus olhos eu vi uma figura pequena olhando para a porta. Os cabelos ruivos estavam levemente arrumados. Meu coração ia sair pela boca.

- SAMUEL! – Eu empurrei Harry com força e vi que ele bateu com tudo na parede. Eu riria da situação dele  se não tivesse ansiosa demais para abraçar o pequeno Sam. Antes que eu pudesse correr até aquela criança, percebi o quão rápida ela tinha sido. Samuel me abraçou com tanta força que fez com que qualquer sentimento ruim fosse embora rapidamente. Como eu tinha sentido falta dele. Senti meus olhos encherem de lágrimas. Cai de joelhos para que eu pudesse ficar na sua altura. Pela a dificuldade de respiração, percebi que ele também estava chorando. Samuel soluçava constantemente. Ficamos abraçados por um tempo até que eu consegui me recompor e afasta-lo com dificuldade. – Hey, Sam...

Suas bochechas estavam vermelhas como dois pares de tomate cereja. Sorri e limpei as lagrimas que escorriam compulsivamente pelo seu rosto. Sam soluçava descontroladamente.

- K-Kate... – Assim quando disse meu nome, senti meu peito afundar de culpa. Não deveria tê-lo abandonado. Não deveria ter abandonado meu irmão e ele. – V-você... tá... aqui.

Balancei a cabeça e segurei seu pequeno rostinho cheio de sardinhas.

- Eu voltei. – Ele sorriu, mas como se tivesse se lembrado de algo, seu sorriso desmanchou e eu sabia por que. – E eu prometo ficar. Nunca mais irei te deixar.

Samuel deu um sorriso tão largo que tenho certeza que doeu aquela pequena bochecha. O abracei novamente e assim que ouvi passos vindo em nossa direção, me desvencilhei de seus pequenos braços delicadamente e me levantei. Ele correu para o meu lado e segurou a minha mão com força. Como eu pude deixar ele? Covarde, Katerina!

Uma figura arrumada caminhou até nós. Percebi que Cassie estava atrás de mim, possivelmente com medo que estava por vir. Uma mulher linda, com cabelos castanho-escuros que não passava da altura dos ombros. Nas partes nuas, era notável inicio e fim de inúmeras runas de batalha. A mulher era familiar e isso fez com que minha respiração falhasse.

- Katerina Bellwather e Cassandra Sakewood. – Disse a mulher, parando em nossa frente. Fazia muito tempo que não ouvia meu sobrenome. - Faz muito tempo...

- Anne Styles.

- Não sabia que ainda lembrava-se do meu nome, Katerina.

- Kate, por favor.

- Kate... – repetiu ela, pensativa. – Não sabia que estavam vivas ainda.

- Não me espanta. – Cassie parou do meu lado. – Você queria que nós tivéssemos morrido.

O choque foi tanto para Anne, que a vi dando um passo para trás. Como se tivesse levado um soco.

- Como pode dizer uma coisa dessas!

- Não se finja de burra, Anne. Nós sabemos o que você fez e isso... - eu cheguei perto dela de uma maneira intimidante, mas aquela mulher não pareceu se sentir abalada. Conseguia se controlar, mas eu sabia que estava com medo. – é o suficiente.

- Pelo jeito, ter sangue demoníaco lhe caiu bem, Bellwather.

Que nojo dessa mulher. Senti Sam apertar minha mão com força e aquilo fez com que eu me lembrasse de que não seria uma boa hora para matar uma Caçadora de Sombras. Tenho outros na lista. 

- Mas que porra foi essa que você acabou de falar? – Uma voz grossa surgiu atrás da minha orelha e eu me afastei rapidamente. Harry. Olhei para trás e sua expressão era tão perturbadora que até eu me assustei. – Como você pode falar isso para uma pessoa? Para uma Caçadora de Sombras?

Antes que Anne pudesse rebater o filho, Cassie os interrompeu com uma tossida falsa. Precisamos achar Richard, Kate. Sua voz soava na minha cabeça. Eu sei que você pode me ouvir. Balancei a cabeça e levantei a mão na cara de Anne. Isso é mais desrespeitoso do que qualquer outra coisa que você faça para uma líder do instituto, mas eu não me importava, ela não era a minha líder.

- Richard Bluitym. Onde ele está?

- Você não tem o direito de...

- Quem nos chamou aqui não foi você e sim ele. E pelo que sei a Clave esta de acordo. – Anne ficou pálida. Completamente em estado de choque.

- Eu sei onde o tio Rick está Kate. – Sam puxou a minha mão. Sorri para ele. – Venha, eu te levo lá.

Assim que passei pela Anne, senti o quão tensa estava, mas não ligava. Ninguém mandou ser uma vaca. Agora eu entendia um pouco do por que o Harry é um babaca. Quando Cassie passou por ela, apenas sorri com o que eu ouvi:

- Espero que a Clave saiba o que você fez Anne Styles.


Notas Finais


Espero que estejam gostando!
Lauren Hith... :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...