História Devils and Angels - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Personagens Originais
Tags Camila Cabello, Camren, Drama, Lauren Jauregui, Lésbico, Romance, Violencia
Visualizações 98
Palavras 3.140
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei voltei e não vou demorar aqui, leiam o capitulo e la nas notas finais me encontrem, TEM SURPRESA PRA VOCÊS SZSZ

Capítulo 32 - A dream


POV. Camila

-Vai me ligar todos os dias e me contar cada detalhe, okay? –perguntei para Katherine enquanto descíamos as escadas do apartamento onde encontraria Lauren e Allyson que jogavam bilhar na sala de visitas.

-Eu vou, Camila! Confie em nós, vamos cuidar para que seu casamento seja perfeito –Katherine disse rindo, recebendo de mim um sorriso agradecido.

Eu e Lauren estávamos indo para Dubai, com a desculpa de uma festa, mas no fundo eu sabia muito bem que ela queria fugir do caos que nossa vida estava ultimamente e dos compromissos caóticos e cansativos, eu não a culparia.

-Obrigada, Katherine! –eu disse rindo fraco lhe dando um abraço quando chegamos a base da escada sentindo ela acariciar minhas costas.

-Esta pronta, querida? –A voz de Lauren soou rouca como sempre, seu salto ecoou quando ela caminhou até mim e abriu seu sorriso deslumbrante e impecável.

-Estou –concordei seguindo até ela segurando em sua mão livre já que a outra tinha sua bolsa, seu casaco e seu cachecol.

-Tudo bem, meninas! Cuidem-se as duas e qualquer coisa não esqueçam de me avisar –Katherine disse dando um sorriso para nós enquanto nos agasalhávamos.

-Liguem todos os dias, sabem que é importante mantermos um contato –Allyson quem disse isso, agora com o braço enganchado no de Katherine, ambas nos olhando com um olhar cuidadoso, mas cheio de ternura e carinho.

-Tudo bem, o mesmo para vocês –Lauren disse, o tom sério e a feição fechada, agora escondida atrás de um óculos de sol exagerado.

Não houve despedidas formais, depois da ordem de Lauren, ela apenas deu as costas para a mãe e seguiu até a porta enquanto arrumava o cachecol no pescoço e eu fazia o mesmo. Embora estivéssemos em risco, sentia que não era necessária uma despedida, pois eu voltaria a ver Katherine e Allyson, tinha certeza disso.

Durante o caminho até o carro eu e Lauren não trocamos palavras, não por estarmos estranhas, porque não estávamos, mas porque Lauren era absurdamente linda com sua cara fechada e sua boca desenhada fechada, naquela pose de durona. Ela segurava minha mão com firmeza enquanto nossos passos seguiam juntos em sincronia, vez ou outra ela passava a ponta da língua nos lábios os umedecendo, logo depois mexia no cabelo e voltava a ficar seria. Foi observando estes detalhes que seguimos ate o carro, com ela abrindo a porta do carona para mim, mas me prensando contra a lataria do carro e direcionando a mim seu sorriso presunçoso.

-O que da a senhorita o direito de me secar por todo nosso trajeto e nem sequer me dar um beijo? –sua voz rouca soou rouca enquanto sua mão deslizava por minha cintura, parando em minha bunda onde ela deixou um belo aperto.

-Esse anel e o titulo de noiva –eu disse segurando em sua cintura antes de lhe sorrir da mesma forma que ela vendo ela rir fraco antes de colar seus lábios aos meus e convidar-me elegantemente para mais um de seus beijos apaixonantes que me faziam viajar pelo universo de sua boca.

Talvez o fato de eu saber que qualquer beijo poderia ser o ultimo agravasse a situação, mas Lauren jamais havia me dado um beijo que não fosse absurdamente apaixonante e de tirar o folego, era como se todo beijo fosse o primeiro e o ultimo.

Era assustador.

-Agora você pode levantar –ela disse assim que separou nossos lábios para logo então se afastar e parar ao lado da porta do carro limpando o canto de sua boca.

Apenas recebeu de mim um sorriso fraco junto de uma negação com a cabeça e então eu decidi que era melhor eu entrar antes que o estacionamento se tornasse nosso motel. Por fim, recebi um tapa na bunda enquanto entrava no carro e logo depois porta bateu.

Lauren dirigiu calmamente até o aeroporto, no radio tocavam algumas musicas aleatórias que vez ou outra ela cantarolava, atrás de nós, em uma suv preta, dois seguranças nos acompanhavam, um deles para trazer o carro de volta.

Por termos escolhido uma viajem comercial, tivemos que esperar algum tempo ate embarcarmos, mas nada que as piadinhas filhas da mãe de Lauren não pudessem preencher, além de conversas idiotas e a minha empolgação exagerada com a nossa cerimonia de casamento, o tempo que esperamos também não foi tanto, logo nós estávamos na primeira classe do avião que ia rumo a Dubai.

[...]

Eu não sei ao certo o quanto nosso voo durou, não sei em que momento eu dormi, mas acordei com os olhos verde esmeralda de Lauren espremidos em uma feição risonha enquanto ela me chamava porque havíamos chegado, aparentemente ela se divertia absurdamente com minha cara amassada e a baba que escorria pela minha boca, enquanto dela, não havia sequer uma marca de que havia passado horas em um voo.

Durante o caminho até o hotel eu tive que dedicar a babar na quantidade de riqueza e luxo que predominava na atmosfera daquele lugar, tudo parecia demais, o lugar parecia um sonho e tudo parecia um projeto de mundo perfeito sem tristeza, sem dor, sem medo.

Isso era o mal.

Eu acabei rindo com a minha conclusão, era o tipo de coisa que os arcanjos aprendiam e pensavam, mas agora, depois de tudo que entendi, presenciei e passei, parecia que não havia um ser completamente bom ou um completamente mal no final todos eram corrompidos por si mesmo.

-Sai disso –eu disse brava, pegando o celular das mãos de Lauren e enfiando no meu sutiã- olha a beleza desse lugar, é um crime ficar nessa droga e não aproveitar –Lauren então olhou para suas mãos, para mim, para meus peitos e por fim umedeceu os lábios sutilmente.

-Se eu quiser, pego essa droga dai sem problema algum –ela sorriu de forma convencida e eu, deixando que meu lado mais sem vergonha tomasse conta, estufei meus seios e os encarei no decote.

-Pega! –levantei a sobrancelha para ela e sorri de maneira desafiadora antes de me virar para a janela pronta para me deslumbrar com a paisagem daquele lugar, mas agora eu pude sentir a mão de Lauren na minha coxa e seu corpo mais perto, com ela observando a paisagem ao meu lado.

Quando o carro entrou na ponte de acesso ao enorme Burj Al Arab eu olhei para Lauren completamente pasma, obviamente eu não acreditava que ficaríamos hospedadas justamente naquele hotel; ao meu lado, Lauren apenas ria da minha reação diante de todo luxo, este na qual ela obviamente sempre fora acostumada.

Assim que o carro parou, um funcionário abriu a porta para nós, este então nos cumprimentou com uma reverencia e um enorme sorriso no rosto, nos saudando com um Salaam Aleikum seguido de um aperto de mão, este sendo completamente respeitoso, Lauren em seguida passou o braço por minha cintura e nós duas seguimos ate a porta giratória, onde tudo que eu esperava era fazer o check in e ir para o quarto tomar um bom banho, mas o que encontrei foi um grupo de serviçais, gerentes e sheiks ali, enfileirados, para nos receber.

Foi então que eu tive noção da importância que Jauregui tinha no mundo e a o posto que eu assumiria por ser sua esposa.

Nossas bolsas e casacos foram pegos, logo depois nos foram dadas pela primeira moça da fila, a segunda colocou em nossas mãos uma espécie de óleo, com um aroma doce, no qual espalhei pela mão, o terceiro da fila era um chefe renomado que nos serviu um chá em taças de ouro, em seguida nos foi dado um de bolinho de grão de bico que eu demorei a identificar, então Lauren se estendeu em uma breve conversa com os chefes, gerentes e empresários enquanto tudo que eu fazia era rir e responder algumas coisas.

Milagrosamente, nenhum deles se demorou demais na conversa, sabiam que havíamos passado horas de viagem o que nos deu uma folga. Logo, uma das moças, bem vestida e extremamente arrumada nos guiou pelas dependências luxuosas, comigo babando na enorme fonte que exibia uma bela dança de aguas no meio do hall de entrada do hotel.

-Sra. Jauregui e sua noiva, Camila Cabello –foi assim que a moça nos apresentou ao atendente do balcão onde faríamos o check in. O Moço, de terno e barba perfeitamente bem feita se colocou em pé e fez uma breve reverencia diante de nós duas, algo que me fez apertar o braço de Lauren brevemente, por pura insegurança.

Após toda aquela droga de check in, o mesmo homem fez questão de nos conduzir até um dos elevadores, apertando então o botão que nos levaria até o nosso andar, o 56 andar.

-Royal suíte? Não é um pouco demais? –eu perguntei para Lauren encarando ela com um riso de canto.

Sabia que ela não era do tipo que costumava economizar, apesar de não ser a mulher mais rica do mundo, sua empresa crescia cada vez mais e evoluía cada vez mais, além do renome deixado a ela, ela não era do tipo que ponderava preços, apenas desejava e tinha ali o que queria.

-Não, é o que merecemos na nossa ultima semana de namoradas –ela sorriu e então me deu um beijo na testa antes de olhas as horas em seu celular e então suspirar profundamente.

Não levamos mais que cinco minutos até que o elevador se abrisse no meio do hall de entrada, este que nos dava a visão de uma escadaria, toda em mármore, com um tapete de cores quentes e corre mão tão brilhantes que era impossível questionar a veracidade do ouro utilizado ali.

-Quer que eu te mostre tudo? –a voz doce de Lauren soou enquanto os baques secos de seus saltos denunciavam seus passos lentos para me acompanhar.

-Quero...é claro –eu disse ainda abismada com aquele lugar maravilhoso.

Nós apenas olhamos tudo por cima, sem nos apegar muito aos detalhes da decoração e dos confortos que integravam aquele lugar, isso porque o apartamento contava com duas suítes com cama king size, escritório (este já equipado com toda papelada e computadores de Lauren), sala de estar com sofá-cama tamanho king size também, sala de jantar, terraço mobiliado e uma vista panorâmica maravilhosa do oceano azul que se estendia no horizonte; Lauren parecia não se importar em estar gastando uma fortuna com todo aquele exagero, parecia querer aproveitar seus dias da melhor forma.

Eu não tirava sua razão.

Ao final do nosso tour, eu apenas fiquei feliz em tomar um longo e apreciado banho de chuveiro em nossa suíte antes de cair na cama nua com Lauren, ambas cansadas demais para pensar em uma transa maluca e desenfreada, apenas deitamos e pude ver então, as grandes esmeraldas brilhantes que se escondiam nos olhos de Lauren serem vencidas pela exaustão e ela suspirar, se entregando então ao sono da forma mais inocente que se podia presenciar.

Sua pele branca parecia mil vezes imaculada por um poder inimaginável, as ondas de seus cabelos (que se estendiam até sua bunda), espalhavam-se pelos lençóis de cores quentes, suas mãos repousavam ao lado de seu rosto de forma singela e delicada, suas unhas estavam perfeitamente pintadas em um tom de vermelho sangue que combinava perfeitamente com ela, aquela cor que eu sabia muito bem ser sua favorita, em seu dedo anelar esquerdo encontrava-se nosso anel de noivado, nada simples ou discreto, a peça era repleta de diamantes, assim como o meu.

Lauren era a definição da perfeição, apesar de seus defeitos inúmeros, de seus medos e seus erros, Lauren era o ser perfeito aos olhos de qualquer um que a olhasse e aos meus olhos? Ela não era perfeita apenas dormindo.

POV. Lauren

Quando eu acordei, o sol já estava se pondo, mas ainda eram 5:00pm; era obvio que o fuso horário iria me deixar confusa. Não precisei me mover muito para saber que Camila ainda estava comigo, sua bunda encontrava-se empinada na minha direção e seus cabelos na minha cara, nada delicada ou angelical, Camila era uma espaçosa que só eu entendia o quanto, mas no final, aquilo me arrancava mais risos do que resmungos.

Levantei-me com todo cuidado do mundo para não acordar a princesa que ali dormia e então vesti um roupão e pantufas para então sair do quarto coçando os olhos enquanto seguia até o meu escritório; fui até o telefone e pedi para que trouxessem nosso café da tarde, para então voltar ao quarto substituindo meu roupão por uma calcinha de renda e um sutiã, substituindo um vestido justo por um Jelabiah, vestimenta tradicional árabe que eu, por respeito, deveria colocar por cima da calça preta e da camisa de botões que eu usava, um salto alto e por fim, parei em frente ao espelho do closet pensando se deveria tentar fazer algo no cabelo, mas desistindo assim que averiguei seu tamanho, desistindo desta ideia e apenas usando um modelador para dar forma as ondas naturais de meus fios, logo depois eu fiz o básico de uma maquiagem, apenas para dar mais intensidade ao meu olhar e voltei ao quarto, agora encontrando uma Camila com cara de sono, sentada no meio da cama, coçando os olhos no seu mais doce estilo bebêzão manhoso, com um bico nos lábios.

-Você me deixou –ela choramingou quando me viu e eu apenas dei risada me sentando ao seu lado, na beirada da cama.

-Deixei? Que maldosa –disse em tom de indignação enquanto afastava seus fios castanhos e os colocava atrás de sua orelha, sorrindo para ela.

-Porque esta arrumada? –ela perguntou suspirando enquanto eu me distraia com meus dedos que contornavam a linha de sua mandíbula.

-Porque vamos sair, tenho alguns compromissos e depois vamos passear, fazer comprar e aproveitar nossas férias –eu sorri por fim vendo seu sorriso começar a tomar forma antes de ela se aproximar e me deixar um beijo demorado nos lábios.

-Eu estou com fome –ela resmungou enquanto escondia o rosto na curva do meu pescoço comigo rindo e abraçando seu corpo contra mim.

-O café esta sendo servido, venha, se arrume –me coloquei em pé lhe estendendo a mão com ela me olhando antes de se colocar em pé comigo lhe ajudando- estou no escritório, querida! –eu decretei antes de deixar um beijo em cada um de seus mamilos então dando-lhe as costas e saindo dali ouvindo seu bufar.

Aquela viagem não era apenas uma viagem de férias com minha noiva, era mil vezes mais que isso, era uma viagem de negócios, grandes negociações estavam em jogo, grandes sociedades estavam sendo arriscadas, tanto em meu beneficio quanto em beneficio dos sheiks dos quais eu era convidada.

A parte chata era que eu não queria mais trabalhar, queria apenas aproveitar os momentos com Camila porque eu sentia que eles estavam chegando ao fim, isso me colocava quase em modo desesperado.

Eu iria agora passear com um sheik dono de ações de uma das maiores empresas de extração de petróleo, era ele o alvo principal da viagem, eu tinha como objetivo faze-lo se interessar pelos projetos da Jauregui Interprises e que pudéssemos criar uma sociedade, que se interessasse pela minha empresa, assim, mais uma fronteira estaria quebrada e eu teria ainda mais matéria prima para os laboratórios, mas antes de tudo isso, eu precisava fazer o cara se interessar pelo meu negocio.

-Sim, em algumas horas nós estaremos no píer dentro de uma hora e meia –eu disse para a secretária do tal sheik- sem problemas, eu e minha noiva aguardamos com ansiedade para este passeio –foi como me despedi e então desliguei o telefone comigo bufando.

-É notável sua ansiedade –senti as mãos de Camila rodearem minha cintura e ao me virar, encontrei-me com a mulher de cabelos ondulados e maquiagem leve, usando uma calça branca de cós alto, uma blusa que exibia um decote, o que me fez sorrir fraco.

-Você precisa usar um deste aqui –apontei para a espécie de roupão/túnica que eu usava, esta em cores nude com detalhes bordados em vermelho sangue.

-Não –ela fez um beicinho dengoso e eu ri enquanto a puxava pela mão- eu não gosto deles –ela resmungou enquanto me seguia com toda má vontade do mundo.

-Acho que mulher alguma gosta –eu disse rindo enquanto arrastava ela para o closet- mas eu saparei um que acreditei que era sua cara, vai ficar lindo em você –eu disse pegando a peça de roupa rosa bebê com bordados em preto, então coloquei a sua frente e soltei um riso fraco- abuse das suas jóias e vai ver que não é ruim usar um Jelabiah –beijei sua bochecha e deixei que ela se arrumasse, lhe ajudando com os detalhes.

No final, Camila estava absolutamente maravilhosa e a enorme túnica que cobria seu corpo não abalou suas curvas e sua bunda enorme que permanecia gritante mesmo com aquele pedaço de pano, as jóias deram a ela um brilho a mais, algo que eu acreditava ser impossível.

-Esta vendo, você esta maravilhosa –eu disse a virando para mim e lhe dando um beijo demorado.

Logo depois nós seguimos para o andar de baixo, onde tomamos nosso café da tarde sem pressa alguma; Camila parecia querer degustar cada segundo ali e eu também queria degustar cada momento com ela, registrar em minha alma cada brilho dos seus olhos e levar comigo para sempre.

-As meninas estão cuidando bem da nossa festa? Tenho medo do que podem inventar –ela disse risonha e eu a encarei concordando com seu medo.

Vindo de Allyson, eu deveria ter medo.

-Tenho certeza que Anne vai manter elas sob controle –eu tranquilizei minha noiva dando um beijo em sua mão antes de segurar a mesma firmemente.

-Ou ela perde o controle junto –Camila acrescentou rindo e eu concordei com ela soltando uma gargalhada.

Logo que terminamos o nosso café da tarde, Camila fora pegar nossas bolsas enquanto eu avisei que estávamos saindo, logo depois dei aos meus lábios o usual tom vermelho sangue de sempre, segurei minha bolsa e seguimos ate o elevador descendo para o térreo do prédio, comigo colocando o óculos escuro rapidamente, já que a luz forte me causava dores de cabeça fortíssimas agora.

O Rolls Royce preto nos esperava na saída do hotel e assim que a porta nos foi aberta nós entramos comigo dando os comandos para o motorista e então dedicando o caminho a olhar os detalhes da paisagem com Camila que parecia uma criança animada.

-Gostou da primeira impressão? –perguntei ao ver o sorriso brilhante em seus lábios, então seu olhar se fixou em mim de forma intensa, algo que me fez arrepiar apenas por saber que eu tinha atenção daqueles olhos castanhos.

-Dubai é literalmente um sonho e eu tenho certeza que quero viver ele com você –ela disse sorrindo e então seus lábios tocaram o meu de forma singela, mas fiel.

Estávamos vivendo o sonho dela, juntas!


Notas Finais


EU VOLTEI!!!
Como vocês leram na minha mensagem anterior (que será apagada em breve), eu sumi porque estava reconstruindo conceitos e mudando minha vida, passando por uma metamorfose mais lenta, mas, aqui estou de volta e agora de ferias, pretendo terminar esta fanfic logo e começar a outra pq to ansiosa para que vocês leiam.
Sem mais delongas, olhem aqui, neste link, um teaser do final de Devis an Angels!
OI? QUE?
ISSO MESMO, UM TEASER DO QUE VAI ROLAR NO FINAL DA FANFIC
https://www.youtube.com/watch?v=eeLpt63Q7y0
Olhem e comentem o que acham que vai rolar, façam suas apostas, o fim esta proximo!!

Outra coisa muuuito importante, me sigam nas redes sociais pq eu quero ter um contato mais direto com vocês, quero que acompanhem minha saga terminando essa fanfic e começando a outra, quero que façam parte:
Insta: @itslyssabae
Twitter: @sapataodetumblr

Comentem aqui o que acham e até o prooximo szsz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...