História Diabolik Lovers - O despertar. - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Ayatosakamaki, Azusamukami, Diaboliklovers, Kanatosakamaki, Koumukami, Laitosakamaki, Reijisakamaki, Rukimukami, Shusakamaki, Subarusakamaki, Yuikomori, Yumamukami
Exibições 47
Palavras 1.652
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Antes de tudo,peço perdão pela demora. Sério, pretendo não fazer um intervalo tão longo entre as postagens novamente. Perdãozinhu.

Capítulo 17 - Refém.


Fanfic / Fanfiction Diabolik Lovers - O despertar. - Capítulo 17 - Refém.

Reiko.

 

Respirei fundo e me mexi desconfortavelmente puxando a coberta. Abri meus olhos rapidamente, o lugar estava escuro. O tecido da coberta não era o mesmo de costume, aquele não era meu quarto ?

Me sentei na cama e me recordei do que havia acontecido antes de eu adormecer. Senti uma leve queimação em minhas bochechas e após dei leves tapas na mesma para evitar que eu me perdesse nas lembranças de ontem. Eu não me lembrava exatamente em que momento eu havia dormido, mas me recordava de quase tudo... tanto que quase conseguia sentir a sensação dos toques gélidos de Kanato.

"Em que momento você se tornou patética ao ponto de não repudiá-lo ?" Pensei.

Levei a mão ao meu pescoço, o que havia acontecido havia sido tão bom que no momento nem me importei com as dores das mordidas... afinal não estava conseguindo pensar em muita coisa além dele, mas independente disso eu não poderia me esquecer do que aconteceu, de como quase morri. Na verdade deveria estar morta se não estivesse próxima do despertar.

Depois que saí do quarto de Kanato a luz me permitiu perceber que estava com outro vestido, preto com detalhes vermelhos, com muitas rendas e camadas. Pelo menos o vestido só ia até meus joelhos, se não seria algo realmente inconveniente. Quando cheguei à frente de meu quarto e finalmente abri a porta levei um susto ao ver Reiji no cômodo.

Reiji estava de costas para a porta, ou seja para mim. O mesmo se virou lentamente em minha direção, estava com os braços cruzados.

- Reiji-san.- Disse. - Aconteceu alguma coisa ?

- Estava me perguntando aonde você poderia ter ido em um momento como esse. Se bem que nesse ápice isso não é muito relevante. - Ele ajeitou os óculos. - Você não é tola como a Yui que necessita de explicação para tudo Reiko, então não faça coisas desnecessárias.

Engoli em seco, hoje era o dia. E era mais do que óbvio que, mesmo eu não sendo o alvo era melhor não gerar "problemas desnecessários" ao perambular por aí e acabar fazendo algo errado ou encontrando algum dos fundadores .

-Você ficará junto com Yui, em um certo cômodo dessa casa. - Ele disse andando em minha direção. - E é mais do que evidente que você não deverá sair de lá em hipótese alguma. E você deve se certificar de que Yui faça o mesmo.

Reiji saiu do quarto passando por mim, sem me esperar ele começou a andar. Saí do quarto e fechei a porta. Chegamos em uma das salas da casa e lá estava os outros Sakamakis e os irmãos Mukamis, assim que meus olhos passaram por Ruki Mukami ele semicerrou os olhos, não gostava dele. 
Sabia que eu não deveria me surpreender com o fato de estarem todos no mesmo local, mas certamente era um cena perturbadora.

Senti um leve arrepio em meu ombro, quando me dei conta Laito estava atrás de mim. Em um sobressalto fui para o lado, mas ele não me permitiu se afastar muito ao colocar a mão em minha cintura e me puxar para perto, ele se permitiu dar um breve riso muito debochado.

- Não precisa se assustar Reiko-chan. - Ele disse parcialmente esfregando o rosto em meu pescoço. - Eu vou te proteger.

- Laito-kun que injusto! - Protestou Kou. - Não vale se divertir sozinho!

- Laito! - Chamou Kanato com seu tom de voz elevado e brevemente irritado. - Eu não vou te perdoar se continuar colocando as mãos no que é meu.

Olhei  para Kanato e senti um leve formigamento nas bochechas, desviei o olhar. Eu acho que bati a cabeça em algum momento. Eu estava ficando interessada por ele, ou isso era só um constrangimento devido aos fato de ontem ? Esperava que fosse o último caso.

- Não seja inconveniente Laito. - Disse Reiji. - Francamente, onde estão seus modos ?

Levei minha mão a rosto dele o empurrando. Laito me soltou.

Olhei para ele, Laito esboçou aquele sorriso tão típico e malicioso dele mesmo. Ele piscou com um apenas um olho.

- Acho que posso aguentar até resolvermos esse problema. Bitch-chan. - Ele disse a última palavra sem deixar o som sair.

Fechei o senho, eu realmente odiava aquilo. Dei de costas para ele e logo Reiji voltou a caminhar eu o segui, após passarmos por alguns corredores. Reiji abriu uma porta e após ele voltou seus olhos para mim.

- Está esperando um convite ? - Indagou ele. - Se apresse.

Entrei no quarto, ou melhor dizendo sala. E logo ouvi o trinco da porta alarmando que eu estava trancada.
A sala era bem iluminada e espaçosa, Yui estava sentada em um sofá ela se colocou de pé assim que me viu e começou a vir em minha direção.

- Reiko-san. - Ela disse com um sorriso no rosto.

- Não perca seu tempo vindo até aqui. - Disse.

Me aproximei do sofá do lado oposto a qual ela estava sentada e me sentei.

- Que bom que você agora está me fazendo companhia. -Ela disse soando aliviada.

- Não agradeça. - Falei. - Não é como se eu quisesse estar aqui.

Ela pareceu desanimada por alguns segundo mas logo estava sorrindo novamente. Como ela conseguia ser tão... tão ingênua ? Ou seria, tão falsa ?

Olhei para o relógio na parede era quase meia noite. Me levantei e fui em direção a janela, a lua ainda estava bem brilhante em um tom escarlate.

 

Yui Komori.

 

Reiko sabia mais coisas a respeito da mansão e dos Sakamakis que eu, mesmo que ela não soubesse o motivo dos fundadores estarem atrás de mim, eu tinha certeza de que algum palpite ela deveria ter.

- Reiko-san. - Disse. - Você não consegue imaginar porque eles iriam querer me levar ?

Ela se virou e olhou para mim.

- Isso não está claro ainda para você ? - Falou ela. - Eles querem seu sangue!

- Mas...

- Agora, o motivo do porque eles querem o seu sangue que é a chave da questão. - Ela disse enfatizando o "seu," como se fosse algo inferior, enquanto tomava para si um "ar" pensativo. - O motivo dos Sakamakis e dos Mukamis para te manterem viva, ou melhor dizendo para quererem você, são motivos diferentes. Os motivos dos fundadores também devem ser outros.

"Motivos diferente ?" Pensei. Levei minha mão ao rosário que estava em meu pescoço. Independente dos motivos deles, eu não me deixaria ser levada! 

- Eles machucaram Ruki-kun da última vez. - Disse. - Mas dessa vez todos estão trabalhando juntos. Sei que tudo vai dar certo!

- Você tem razão. - Falou ela.- Dessa vez não será tão fac...

Reiko foi interrompida por barulho alto e ensurdecedor. Levei as mãos aos ouvidos me agachei e soltei um grito involuntário. Depois que o som passou olhei para a Reiko, ela estava olhando para a porta, fiz o mesmo. O som parecia ter vindo de longe, mas ainda sim havia sido muito alto!

- Reiko-chan... - Chamei demonstrando meu desespero. - O que nós vamos fazer?

- Como você é patética Yui! - Ela me repreendeu séria. - Você não disse que eles estavam trabalhando juntos e por isso daria tudo certo ? Cada sua confiança de antes ?

- Mas... - Ela me interrompeu.

- Você me perguntou o que vamos fazer ? - Ela disse. - Vou te dizer o que você deve fazer, calar a boca e evitar ficar gritando e alarmando onde estamos, sua tola!

Ouvi latidos vindo lá de fora e rosnados também, meu corpo começou a tremer. Me levantei, minhas pernas pareciam ter perdido a força. Me aproximei de Reiko, segurei na manga da roupa dela. Ela olhou para mim fechando o senho mas após pareceu não se importar, então segurei o braço dela com ambas mãos o trazendo para junto do meu corpo.

- Você ouviu isso ? - Sussurrei com a voz tremula.

Ela assentiu com a cabeça.

- Não vamos nos desesperar por isso. - Falou ela. - Juntando os irmãos Sakamakis e Mukamis temos dez vampiros a nosso favor.

Assim que ela terminou de falar ouvi um som de vidro se quebrando, cacos de vidros passaram por nós, Reiko se a baixou bruscamente me obrigando a se abaixar junto. Soltei novamente um grito involuntário.

- O que eu tinha lhe dito ? - Reiko disse também gritando dessa vez.

Ela se colocou de pé e se virou na direção da janela que se quebrou. Continuei agachada. Era culpa minha eles terem nos achado, agora Reiko também iria sofrer por minha causa.

- Você pensaram que poderiam nos enganar ? - Uma voz que nunca antes havia ouvido disse em um tom debochado. - Consigo sentir seu cheiro de longe! Parece que vocês não sabem o quão grandiosa é a primeira linhagem.

- Talvez aqueles vampiros patéticos sim. - Falou Reiko.

Ela era tão corajosa, mas agora nós deveríamos fujir ou chamar alguém!

Senti ela pegar no meu braço e me puxar com força para cima me levantei, Reiko me colocou me virou e me colocou à sua frente. Olhei para trás, para ela, a mesma estava olhando fixamente para frente. Senti algo gelado em meu pescoço seguido de um leve ardido no local. Olhei para baixo Reiko estava segurando um pedaço de vidro, a mão dela estava sangrando.

- Reiko-chan. - Disse. - O que...

- Mas eu não. - Concluiu ela me interrompendo.

Olhei para a frente, havia um rapaz de cabelos vermelhos curtos que usava óculos e um tapa olho. E na sala havia pelo menos três lobos que emanavam uma aura estranha avermelhada.

- Mais um passo. - Falou ela. - Seu ou dos lobos e eu mato a garota! Ela é importante para vocês não é ? Para mim ela não faz diferença!


Notas Finais


TAMTARANTAM, Reiko mostrando toda sua maldade -q
Comentários ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...