História Diabolik Lovers (reescrevendo) - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Diabolik Lovers
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Diabolik Lovers, Hetero, Min Yoongi, Vampiros
Visualizações 485
Palavras 1.277
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ollaaa

Avisooo!: A fanfic inteira foi reescrita! Não me joguem pedras! Eu realmente precisava reescrever! \o/

Bora pro capítulo!
Ain estou nervouser

Capítulo 38 - Thirty eight


Fanfic / Fanfiction Diabolik Lovers (reescrevendo) - Capítulo 38 - Thirty eight


 

5 meses depois – 30/05/2025

04:35 a.m

Naeun 


 

Acordei, o quarto estava escuro ainda e minhas costas doíam. Ainda não me acostumei com esse barrigão. Me mexi um pouco com dificuldades e senti a cama um pouco molhada, coloquei minha mão na minha calcinha e estava encharcada. Eu não posso ter 'mijado na cama. Nae.. que ridículo.

Me levantei trombando nas coisas e segui pro banheiro. Liguei a luz e vi.. uma cachoeira saindo da minha intimidade. Desesperei. Corri com um pouco de dificuldades e liguei a luz do quarto, eu fiz um riacho no chão. O que esta acontecendo? Ah, eu sou a mãe e não sei.

– YOONGI PELO AMOR DE DEUS. – gritei muito alto. Eu estava em desespero, vai que a bebê morreu, sei la. Ninguém me explicou sobre essa cachoeira aqui.

– O que foi? – ele falou e se levantou rápido sentando na cama. – O que você derrubou no.. – ele não terminou de falar e olhou pra mim e logo pras minhas pernas. – O QUE ACONTECEU?

– EU NÃO SEI... AHHHH ELA MORREU, NÃO PODE SER.. EU VOU MORRER? PORQUE EU ESTOU SENTINDO DOR? AHh – gemi me contorcendo. 

– CALMA NÃO SE DESESPERE. – ele falou se levantando e tirando sua roupa, colocando uma mais ou menos.

– Ai meu Deus, eu... isso não é xixi né? – falei olhando lá... – Carai minha barriga ta diminuindo. SUGA ELA.. ELA VIRO LÍQUIDO. – comecei a chorar e sentir algumas dores fortes.

– O que? Para isso ta me deixando nervoso. – ele disse pegando na minha mão e abrindo a porta.

– Que gritari.. – A senhora Kim me olhou e logo sua expressão mudou. – Ai meu Deus ela esta entrando em trabalho de parto.

– O QUE? – eu e Suga gritamos fazendo os meninos abrirem as portas de seus quartos e nos olharem assustados.

– Coloca um pano nisso e vamos pro hospital, rápido! – Senhora Kim disse me puxando pela escada.

Suga logo veio atrás com uma toalha. Eu vou pro hospital de camisola?

– Vamos entrem no carro. Querida não se desespere. – ela disse me ajudando a sentar no banco do passageiro.

Ouve uma pequena discussão de quem iria dirigir e acabou que a senhora Kim ganhou. Suga se sentou nos bancos de trás com cara emburrada e eu comecei a sentir algumas contrações.

– Respire e expire, querida. – Sra. Kim disse acelerando.

Comecei a respirar fundo e a soltar o ar de vagar. Mas as dores só pioravam. Suga afagava meus cabelos por de trás do banco. Estávamos em uma cena de filme aqui. Ai meu ''glob''.

Eu já conseguia ver o grande prédio do hospital e já estava me sentindo aliviada. Em partes.

Sra. Kim parou o carro e Suga logo desceu abrindo minha porta e me pegando no colo. Nossa nunca o vi tão desesperado assim. Entramos no hospital, eu ja era bem conhecida lá, por que sempre ia fazer as consultas, essas coisas. Logo a recepcionista chamou um médico quando viu meu lindo e maravilhoso estado.

Um enfermeiro veio com uma maca e o Suga me colocou na mesma e logo foi uma correria, eu estava me sentindo no filme Velozes e Furiosos, só que em trabalho de parto desta vez.

Entramos em uma sala e logo um monte de médico vieram. Me colocaram deitada na caminha lá, e alguns começaram a medir minha pressão e outros a me falar o procedimento, e algumas enfermeiras estavam colocando várias coisas do meu lado. Eu estava desesperada. Suga logo apareceu na sala com uma máscara igual a dos médicos. Ele fica bem lindo usando essa máscara.. Naeun para! Se controle! Oush. Olhei pra ele e ele me olhou. A famosa conversa de olhares começou entre a gente, mas eu não estava entendo nada.

Logo um médico veio com um ''trem'' pontudo e meu desespero começou, mas estava se misturando com dor. Senti uma passadinha fininha mas que doía a beça na minha barriga e logo mais algumas. Peguei na mão do Yoongi e apertei.

minutos depois


 

Foi longo o tempo para aquela dor insuportável passar, eu ainda sentia mas era fraca, em comparação a algum tempo atras. Estávamos todos apreensivos e eu, não sei, eu estava feliz e emocionada, e olha que nem tinha ganhado essa criança ainda.

– Ótimo. – o médico disse me olhando. – Agora mocinha, faz o máximo de força que conseguir. - Ele disse e eu comecei.

Suga pegou na minha mão e eu tive a linda ideia de descontar minha raiva de algumas semanas atrás nele. Comecei a lembrar do grande vacilo dele e usei isso ao meu favor apertando sua mão e fazendo mais força.

– Aí.. – ele murmurou.

Acabei por deixar uma risada escapar.… seria uma longa jornada de dor e força..


 

06:03


 

Eu estava exausta e chorosa. Eu finalmente estava com ela... a menininha que me fez sofrer no parto, eu estava com ela nos braços. E puta que pariu, ela é linda. Puxou a mãe, claro.

O parto ja havia acabado a algumas horas, e não sentia minhas pernas. Logo as enfermeiras me levaram pra um banheiro e me ajudaram a me limpar e a Sr.Kim tinha ido buscar algumas roupas para mim, então eu me vesti e esperei eles voltarem com minha bebêzinha.

Eu pensei que o Suga ia desmaiar ou coisa do tipo, ele estava branco, tipo, mais que o normal. Ele teve que sair depois que acabou por que os médicos praticamente o expulsou da sala. Achei que iria rolar briga.

– Ai meu santo. – escutei e logo a porta foi aberta. Suga.. ele estava com os cabelos bagunçados e carregava uma bandeja nas mãos. Ele olhou pra mim e sorriu fechando a porta. – Como está minhas duas bebês?

– Bem.. – sorri e ele me deu um selinho me afastando com cuidado pro lado.

– Eu trouxe barrinha de cereal e suquinho de laranja. – ele disse colocando a bandeja no meu colo e pegando nossa pequena. Seus olhos brilhavam. Ele se sentou com cuidado do meu lado da cama. Ela era apertada mais eu gostava de ficar perto dele.

– Não tinha algo melhor não? Um hambúrguer?

– Os médicos disse que você tem que comer coisas com calorias agora, para ter leite. – ele riu – Ela é tão linda. – acariciou suas bochechas gorduchinhas.

– Fizemos um ótimo trabalho. – gargalhei mordendo a barra de cereal.

– Fizemos mesmo. – ele riu. – Quando você sair daqui.. eu tenho um surpresa. – ele falou beijando minha testa. E logo uma enfermeira bateu na porta do quarto e logo entrou com um grande sorriso.

– Vou ter que tirar essa gracinha de perto dos papais agora. – ela falou e o Suga entregou a Sun com cuidado nos braços da moça. – Podem ficar tranquilos, ela vai passar só por mais alguns exames e estará no berçário.

– Serio que vou ter que ficar longe da minha cria? – falei bebendo o suco. Eu estava morrendo de fome.

– Sinto muito. – ela riu. – Tenho que ir. Quer se despedir?

– Óbvio né? – falei e ela me entregou a Sun com cuidado e eu dei um beijinho em sua testinha pequena. – Tchau minha gaxinha. – apertei seu narizinho. – Omma te ama!

– Appa também. – Suga falou rindo dando outro beijo em sua testinha.

A enfermeira sorriu docemente, deve estar entoxicada de tanta fofura. Ela pegou a Sun e saiu do quarto cuidadosamente.

– Ainda não estou acreditando. – Suga riu deitando do meu lado na caminha.

– Nem eu.. – falei. – Sabe amor. Você podia trazer algo mais... qualificado para mim comer. – fiz bico.

– Tudo bem.. só porque você ganhou neném. – ele riu se levantando.

– A é? É assim agora? – cruzei os braços aumentando meu bico.

– Estou brincando! – ele beijou minha bochecha logo mordendo meu bico – Já já volto.

– Estarei esperando.. se possível trás refrigerante. – falei antes de escutar sua gargalhada e a porta ser fechada.

 

 

 


Notas Finais


(Capítulo reescrito! :3)

NASCEUUUUUUUUUUUUU AMEM IRMAOOOSSSSSS

Eu realmente posso virar parteira depois de tantas coisas que eu li sobre parto na internet pra fazer esse capítulo akaksahdhags.

Mas enfim... Espero que tenham goxtado.

Um beijo um queijo e falooow


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...