História Diamond Heart - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Selena Gomez, Vanessa Hudgens, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Selena Gomez, Vanessa Hudgens, Zayn Malik
Tags Drama, Harrystyles, One Direction, Romance, Vanessahudgens
Exibições 6
Palavras 1.073
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom, essa não é minha primeira fanfic, mas faz muito tempo que eu não escrevo então estou meio enferrujada... Enfim, espero que gostem <3
Boa leitura amores

Capítulo 1 - Machine Money



Tudo começou num sábado. Eu estava como minha doce Diamond, com minha lingerie vermelha de renda e saltos pretos. Eu dançava no pole dance ao som de Gorilla do Bruno Mars. Antes mesmo que a musica chegasse em seu refrão eu já havia reparado em todos os homens ali presente. Metade eu já conhecia, os mesmos idiotas de sempre, loucos pra tocar em alguma parte minha por alguns dólares. Uns pobretões que se acham os reis do mundo quando cheiram a cocaína pura que compram do Louis, alguns caras diferentes, carne nova, novas presas que eu precisava conhecer, e uns adolescentes idiotas que eu não tinha ideia de como entraram ali e que me observavam impressionados e sorriam um para o outro como crianças que acabaram de ganhar uma cesta de doces. Mas tinha um cara em especial que chamou minha atenção. Eu dançava com o olhar fixo nele. Ele observava cada ponto do meu corpo, cada movimento atentamente. Os olhos da cor esmeralda e cabelos meio cacheados, uma camisa branca transparente e varias tatuagens amostra. Ele era bonito, gostoso e parecia ter muito dinheiro, era o tipo de alvo que gostava. Ele observava tudo de longe, sentado na cadeira do bar, com um copo na mão com uma bebida transparente dentro, provavelmente vodka. Nos primeiros segundos da dança eu já havia observado tudo isso. Quando você trabalha na noite e precisa de dinheiro você começa a observar bem o local aonde trabalha, e eu aprendi com a Alisson, minha melhor amiga que também trabalha aqui , as três regras básicas para conseguir qualquer cara dessa boate.
Regra numero um:
Esteja sempre no campo de visão de seu alvo. Ele precisa te ver, te desejar, ver que você é diferente das outras.
Regra número dois:
Haja como se todos os olhares estivessem em você. Os homens são competitivos, se você agir como se fosse a melhor eles vao te querer. Ele ficam loucos para te exibir como um prêmio para os outros caras, isso aumenta o ego deles. 
E regra numero três:
Nunca seja você mesma. 
Eu sei, é algo bem estranho de se dizer, mas é algo que eu levo bem a sério. Cada homem tem uma fantasia diferente. Menininha burra, filhinha do papai, virgem inocente, professora, policial... Enfim, cada um sonha com uma mulher perfeita. Você só precisa descobrir do que ele precisa, do que ele quer, e ser o pecado carnal que ele mais desejar. 
Alguns homens demonstram logo de cara do que gostam, e isso facilita o trabalho. Se ele olha bastante para as strippers mais novas finja ser uma garotinha inocente, se faça de burra e faça sua melhor cara angelical. Se ele é do tipo que vem cheio de correntes de ouro e relógios caros, e que joga as notas nas dançarinas sem se importar com o valor delas apenas seja uma vadia má. Dessas que gosta de dinheiro, que gostam dos gângsteres, que não tem medo de nada e sabe o que quer. 
Eu diria que a boate era como uma selva, em que eu era a predadora e eles são as vitimas. 
Não, não durmo com eles, pelo menos não sou obrigada a fazer isso como a Cassandra ou a Alisson , mas é claro que abro exceções pra alguns para fazer minhas brincadeirinhas, mas faço chover muito dinheiro em mim com uma simples dança. E como eu amava dançar. Eu me sentia no controle de tudo, meu ego aumentava a cada movimento e a cada "elogio" que gritavam para mim. O acordo era o seguinte, se eu ganhasse 300 reais numa noite, 250 iriam para o Marcos, o dono do clube. Eu sei, parece injusto, mas eu ganhava mais que isso em uma noite, já que eu sabia escolher bem minhas presas. Sempre os mais ricos. Não quero saber do volume na cueca e sim do volume de suas carteiras. Quanto maior melhor.
Desci do palco ainda dançando e fazendo alguns homens enlouquecerem, alguns tentavam me tocar, balançavam varias notas de 50 e 100 e suas mãos como um atrativo para mim, tudo pra me observarem dançar mais de perto. Mas eu queria a atenção do garoto cacheado. 
Andei sensualmente ainda ao som da musica até o bar e parei em sua frente. Alisei suas coxas devagar e olhei fixamente para seu membro marcado na calça justa e fui subindo o olhar ate seus belos olhos verdes. Ele sorriu e colocou uma mecha do meu cabelo atrás da orelha. 
- Não quero que dance pra minha querida. - disse ainda sorrindo em um tom baixo, como se so eu pudesse ouvir aquilo. 
Meu sorriso malicioso se desmanchou. 
Como assim não quer? 
- E porque não curly boy? 
-Não estou afim de companhia essa noite. 
- Okay, então não irei perder meu tempo. - disse tocando seu rosto levemente e logo o empurrando. 
Obvio que fiquei chateada, é muito difícil receber um não, geralmente eu recebo quando o cara é gay que raramente aparecem aqui olhe lá.
Se ele veio pra cá e não veio assistir uma boa dança, ou ele esta sem dinheiro, ou realmente é gay, ou esta atrás de drogas. 
Ele não parece ser gay e tem um relógio de uns 8 mil dólares no pulso. Então a opção que me sobra... É claro, drogas. 
Assim que a dança terminou eu recolhi todo o dinheiro do palco e fui para meu camarim. Não era bem um camarim, era uma sala não muito grande, toda pintada de vermelho (minha cor favorita). Havia dois sofás pretos de couro encostados em uma parede e um quadro de um pintor qualquer com a imagem de uma mulher com os seios amostra na mesma. 
Uma grande penteadeira com varias paletas de maquiagens e batons por toda parte, sem contar meus preciosos perfumes e um espelho com luzes envolta. Uma arara de roupas ao lado com algumas fantasias e lingeries penduradas e um poster da Marilyn Monroe na porta marrom de madeira envelhecida. A sala não tinha janelas o que a tornava bem quente, mas graças a minha insistência o chefe colocou um ar condicionado nela. 
Estava pondo o meu roupão preto com o nome Diamond bordado nas costas com linha dourada quando Louis entra na sala com um grande sorriso no rosto. 
-Belo show Vanessa - disse o menino de cabelos castanhos aplaudindo fraco
Já mencionei o quanto eu odeio quando ele me chama pelo nome verdadeiro? 
 


Notas Finais


Novos capítulos serão postados com frequencia então relaxem pois ja ja terá outro!
A historia da Vanessa vai se desenvolvendo de a cordo com a historia, ou seja, voces vão saber mais sobre ela (passado, família, amigos) conforme a história for sendo contada.
Espero que tenham gostado, e se gostarem favoritem e comentem me dando algumas idéias do que pode acontecer, ou se voces estão gostando e tals... Bjocas <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...