História Diamonds | MITW - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", Flavia Sayuri, Marco Tulio "AuthenticGames", Matheus Neves "Pk Regular Game", Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Cauê Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felps, Flavia Sayuri, Marco Tulio "AuthenticGames", Matheus Neves, Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Thiago Elias "Calango"
Tags Mike, Mitw, Pac, Tazercraft
Visualizações 198
Palavras 1.199
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Eight


        Ponto de vista de Pactw
                ------------------------------------------

Meu fim de semana passou rápido, o fato de sexta não saía da minha mente e aquilo estava me incomodando. Odeio ter problemas que não posso resolver

Segunda-feira, 7:10

Caminhei até a escola, adentrei no pedacinho do inferno e passei pelo corredores até encontrar minha sala.

Sentei em minha carteira dupla e deitei minha cabeça sobre o caderno, eu havia acordado com uma dor de cabeça lancinante, eu estava quase dormindo na sala. Minhas olheiras se encontravam aparentes e meu cabelo mal penteado.

Vi de lado Kelly sentar-se no colo de Mike e beija-lo, ela nem é dessa turma, o que está fazendo aqui? Ah, aqueles dois me enojam, revirei os olhos e voltei a tentar não dormir sobre minha mesa.

O professor chegou na sala e os alunos ajeitaram-se em seus devidos lugares, era aula de ciências, Mike sentou-se ao meu lado e eu afastei minha cadeira como de costume.

- Alunos, eu recebi uma proposta da diretora, ela disse que haverá um passeio para uma floresta reservada, para que vocês fiquem mais próximos a natureza..

Eu parei de prestar atenção assim que o professor começou a falar de que nos aproximariamos da natureza. Fechei meus olhos e acabei dormindo, só fui acordada quando ouvi alguém chamar o meu nome.

- Ham? O que foi? - Perguntei abrindo os olhos e me espreguiçando

- Você baba enquanto dorme. - Mike disse e riu, olhei para o meu caderno e fingi rir também

- Muito engraçado. - Fala e bocejei, Mike me passou um papel de autorização do aluno para ir ao passeio, suspirei e guardei o papel sem olhar o mesmo.

- É brincadeira, não leve as coisas tão a sério, santinho. - Ele disse e eu suspirei, parece que ele nunca vai para de me chamar disso.

- Me deixa em paz, só por hoje, eu estou cansado. - Falei tentando manter meus olhos abertos

Mike não respondeu, o sinal para a segunda aula tocou, coloquei minha cabeça sobre o caderno mais uma vez enquanto os alunos se levantaram e conversavam uns com os outros.

A bagunça foi interrompida por um inspetor, que abriu a porta. Todos sentaram-se em seus lugares e ele disse:

- A professora Aline não pode comparecer hoje a escola. - Ouvi todos comemorarem - Mas ela deixou os exercícios da página cinquenta e cinquenta e um para vocês fazerem.

A turma grunhiu em reprovação, era de se esperar de uma professora de biologia como Aline.

- Voltarei no final da aula para conferir os exercícios. - O inspetor disse e fechou a porta, as conversas logo começaram. Mike abriu o caderno e o livro de biologia para fazer o exercício

- Pensei que você iria ficar com seus amigos.. - Falei baixo

- Quanto mais rápido eu fizer, mais rápido eu acabo. - Ele falou e começou a fazer os exercícios

Fiz o mesmo, depois de alguns minutos nossos exercícios  estavam prontos, eu me encontrava bocejando e limpando os olhos.

- Deus, você vai desmaiar de sono. - Ele disse guardando o celular no bolso da calça

- Desculpe senhor mas eu tive uma noite mal dormida, não estou me aguentando em pé, será que poderia ficar quieto por um-

Fui cortado por Mike puxando minha cadeira e meu braço fazendo minha cabeça recostar sobre seu peitoral assim como minhas mãos.

- M-Mike?! - Eu gaguejei, eu consegui sentir seu peitoral subindo e descendo levemente por causa de sua respiração e conseguia ouvir seu coração batendo. Eu não devia ficar reparando nessas coisas.

- Seu dia de sorte, eu não sou tão bom assim, então descanse. - Ele falou baixo, dentro de mim, a razão e a emoção brigavam para quem predominaria naquele momento. Eu não posso deixar-me levar pelo perfume do Mike, nem os braços fortes.

Inalei mais uma vez seu perfume e senti meus olhos pesarem, eu estava sobre o peitoral de Mike, eu não devia estar ali, mas estava tão bom e tão quente... Eu perdia o controle lentamente, senti meus olhos pesarem, parei de lutar e finalmente adormeci.

E lá estava eu, dormindo sobre o peitoral do garoto mais irritante de Los Angeles, o que eu poderia esperar de mim naquele ano?

Não sei quanto tempo se passou, talvez foram minutos, mas que pra mim duraram a eternidade. Fui acordado pelo som da porta bater, cerrei as sobrancelhas e abri meus olhos lentamente e levantei meu olhar, Mike respondia alguém no celular com a mão livre, ele notou que eu não estava mais dormindo e virou o rosto deixando-o bem perto do meu.

Perto demais! Me afastei do peitoral dele, o que eu estava fazendo ali exatamente?!

- P-por que eu estava no seu peitoral? - Perguntei assustado, não me lembro de muita coisa.

- Eu não ganho nenhum "Obrigado por me deixar usar seu peitoral de travesseiro, Mike"?! -Ele disse e revirou os olhos

- Travesseiro?! - Perguntei coçando a cabeça

- Você dormiu. - Ele disse e suspirou levatando.

- Espera, eu dormi? E-Em você?

Eu não acredito, como isso pode ter acontecido?! Virei meu rosto pra Sayuri e ela me fitava com estranheza, Maria estava perto de tirar uma trinta e oito da cintura e atirar na cabeça de Mike.

- Sim, pergunte a classe toda se precisar de testemunhas. - Ele disse e riu baixo caminhando até a mesa de seu amigo Felipe, conhecido como Felps

Me levantei rapidamente e fui até a mesa de Sayuri.

- Por Deus, o que aconteceu? - Eu perguntei desesperado para Sayuri

- Como você conseguiu dormir ali?! Eu pensei que você odiasse o Mike! - Ela disse

- A culpa não foi minha! Eu estava quase desmaiando de sono. - Falei e bocejei

- Não condene o Pac, Sayuri, ele dormiu  aula de ciências inteira, Mike apenas foi gentil com ele. - Cellbit disse rodando sua caneta nos dedos.

- Mike, Gentil?! Não estamos falando da mesma pessoa. - Sayuri falou e grunhiu

- Amor, ele pode não ser tão terrível quanto, vocês garotas, pensam. - Cellbit disse

- Pare de defendê-lo, Cellbit! - Sayuri disse e deu tapa na nuca do namorado. Olhei pro lado e vi Felps um pouco encomodado com a situação.

- A-Ai! - Continuei olhando pra Felps, enquanto Cellbit alisiva o local atingido com a mão da namorada. Feps percebeu que eu estava olhando-o então disfarçou.
- Amor, ele até mesmo pediu que fizemos silêncio para não acordarmos o Pac.

- Você quer ganhar outro tapa? - Sayuri perguntou ameaçando erguendo a mão.

- Ok, sem violência. - Cellbit protegeu a nuca

- Ele... pediu? - Perguntei confuso

- Sim, mas não foi nada de importante.. - Sayuri disse e revirou os olhos

Entre eu, Sayuri, Cellbit e Maria, Sayuri é a pessoa que mais não gosta de Mike, eu já tentei perguntar o porquê desse ódio, mas ela nunca me contou, sempre desviou das minhas perguntas. Eu não gosto dele, ele sempre foi playboy, mas ano passado ele não passava de um veterano idiota pra mim. Nunca convivi com ele como esse ano, em apenas dois períodos eu aprendi a odiá-lo por ele ser tão... ele.















Notas Finais


Demorou mais saiu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...