História Diário das cores - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Diário
Visualizações 6
Palavras 725
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Luta, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 19 - Incêndio


Fanfic / Fanfiction Diário das cores - Capítulo 19 - Incêndio

PRETO e VIOLET estavam adorando aquele passeio. A cidade era bem estruturada e linda. Apenas as pessoas que olhavam para ele de forma estranha o estavam incomodando. VIOLET não conseguia acreditar que havia transado com um desconhecido. Nunca imaginou que fosse fazer tal ato sem vergonha. Contudo, todas as vezes em que ele fazia carinho nela, sorria de modo doce e apertava sua mão na dela, VIOLET não conseguia se arrepender.

VIOLET o levou até a praça da cidade onde havia várias famílias Vermelhas, Violetas e Marrons.

P: é impressão minha ou essas pessoas querem me bater?

Alguns homens o olharam enviesado e se aproximaram de suas mulheres e crianças.

V: eles não estão acostumados com estrangeiros, só querem proteger suas famílias.

A conversa morreu. PRETO desviou o olhar do dela e encarou o chão de pedra branca. Um vento forte soprou de repente fazendo um calafrio correr por sua espinha. Havia algo estranho, um sentimento doloroso o corroendo por dentro.

V: o que foi? Você parece pálido.

P: não é nada demais. Estou apenas cansado de andar tanto.

Ele sorriu para ela e levantou. Tenho que tira-la daqui. Tenho que proprotege-lá. O mal pressentimento apertou seu coração e ele ficou sem ar. Antes que VIOLET percebesse ele sorriu outra vez e estendeu a mão para ela pegar. O que está acontecendo?

V: tudo bem. Vamos para casa.

Ela sorriu feliz e PRETO quis abraça-la com força. Eles voltaram para a pensão andando, foram por um caminho diferente e mais longo chegando apenas a noite. Quando dobraram a esquina da rua da pensão...

V: f-fogo?

PRETO arregalou os olhos e encarou a pensão queimando por inteira. As chamas haviam engolido a construção por completo. Não se tinha sinal de vida alguma ao redor, nem mesmo nas outras casas.

V: NÃÃÃÃÃO!!!

Gritou VIOLET chorando e correndo em direção a sus casa. PRETO a segurou pela cintura apertando com força seus braços envolta dela.

》QUEBRA DE TEMPO/30M antes《

VIOLETA: parem com isso.

Disse ela rindo aos três homens que tentavam cozinhar. Seu marido insistiu em cozinhar e BRANCO e CINZA se oferecerão para ajudar. Agora a cozinha estava uma bagunça de farinha, temperos e água.

SR. V: vamos já acabar amor. Fique quietinha.

B: não estou confiando em suas habilidades culinárias Sr. V.

C: também não estou muito confiante nisso.

Todos riram até alguém bater na porta.

VIOLETA: quem seria a está hora? Ou será que VIOLET saiu sem levar as chaves.

Sua irmã estava distraída desde a noite passada. VIOLETA sorriu feliz. Sua irmã caçula havia caído apaixonada por aquele garoto de cabelos cacheados. VIOLETA se aproximou da porta e quem estava do outro lado voltou a bater.

VIOLETA: já vai. Mais que pressa.

Ela abriu a porta e levou uma pancada na testa. VIOLETA caiu no chão com o sangue descendo pelo corte feito na testa. Seu marido correu da cozinha para acudi-la. Havia três homens encapuzados e grandes entrando em sua casa.

DESCONHECIDO: onde estão aqueles caras estranhos?

SR. V: saiam da minha casa agora. Ou não respoderei pelos meus atos.

Um deles riu de forma seca e olhou para dentro da casa. VIOLETA se apoiou no marido sentindo seu corpo pesado e sua visão borrada. BRANCO e CINZA estavam se aproximando devagar. Quando os homens encapuzados olham para eles...

Tudo fica estranho e acontece muito rápido. Aqueles homens entram correndo e começam a espancar BRANCO e CINZA. Sr. V ficou sem ação. Ele ligou para a polícia, tentou expulsar os homens da sua casa, mas sua mulher desmaiou e ele tinha que ajuda-la. DROGA! CINZA tentava a todo custo defender o namorado. Sr. V se surpreendeu ao ver que os dois homens sabim lutar. Mas não adiantou de nada.

Mais dois homens entraram e começaram a jogar gasolina na casa e ascenderam um fósforo. Foi quando tudo começou. O fogo se espalhou rápido do corredor até a sala. Sr. V pegou sua mulher e saiu correndo da casa. Não demorou para que chamassem uma ambulância. O fogo chegou até a cozinha e ouve uma explosão enorme. Todos entraram na ambulância e receberam os primeiros socorros.

VIOLETA estava com a pressão baixa e com um possível coágulo no cérebro devido a pancada.

BRANCO estava muito machucado e no meio da briga, um dos homens puxou um canivete e o esfaqueou na perna esquerda.

CINZA havia deslocado o ombro, cortado o lábio e estava cheio de lacerações pelo corpo.

SOCORRISTA: ela está muito mal e seu oxigênio está caindo.

SR. V: por favor, ajudem a minha mulher e meus filhos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...