História Diario de confusões - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Personagens Astrid, Bafo e Arroto, Banguela, Batatão, Bocão, Cabeçadura Thorston, Cabeçaquente Thorston, Dente-de-Anzol, Fúria da Noite, Melequento, Mosca da Tempestade, Perna-de-Peixe, Presa de Odin, Soluço, Stoico, Valhallarama
Tags Hiccstrid
Visualizações 114
Palavras 952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIIIIIII PESSOAS, FELIZ DIA DAS CRIANÇAS, e aqui está mais um capitulo não foi tão longo como os outros mas é melhor que nada né, obrigada pelos favoritos quase 30 né! Amo vocês! Boa leitura!

Capítulo 5 - Confusão


Fanfic / Fanfiction Diario de confusões - Capítulo 5 - Confusão

Meu corpo tremeu por completo ao ouvir a voz rouca do ruivo a minha frente levantei meu rosto para encarar o homem mas na mesma hora uma sombra negra apareceu cortando qualquer contato entre nós.

-Se controle Dagur não está em sua casa! -Falou um homem ruivo também um pouco mais alto que eu.

Ele possuia roupas graciosas e uma bela postura.

Quem será?

-Desculpe irmão mas gosto de ver os olhos das pessoas em mim, o que posso fazer é o meu jeito! -Falou o Dagur com a voz mais brincalhona.

-Entendo irmão, mas mude o seu jeito pelo menos em nosso reino! -Falou o ruivo sério.

-Bem o que acha de um belo banquete hoje a noite? -Falou o Melequento tentando quebrar o clima pesado que se formou entre todos nós.

Claro que todos concordaram com a proposta do herdeiro do trono, com grande sorrisos nos lábios todos foram em direção ao salão mas meu corpo não se movimentou e o corpo do homem ainda estava em minha frente.

-Desculpe pelo modo estranho que ele se comportou mas é seu jeito! -Falou se virando revelando sua face, eu quase me perdi nos seus olhos, aquela imensidão esverdeada me prendeu.

-A-ah sim, eu entendo! -Falei tentando desviar o olhar.

-Bem se não se importa tenho que me juntar aos outros. -Ele falou e colocou as mãos atrás do seu corpo começando a andar.

-Espere! -Falei levantando a mão em sua direção fazendo um sinal de "pare"

-Qual o seu nome? -Perguntei curiosa.

-Soluço Haddock filho de Stoico! -Ele falou e colocou um sorriso charmoso nos lábios em seguida saindo.

Eu passei um bom tempo parada no mesmo local rindo como boba aquele sorriso mecheu comigo.

-Soluço Haddock! -Repeti as mesmas palavras que ele disse.

-Filho de Stoico! -Falei mais uma vez abraçando o meu próprio corpo e sorrindo como uma criança que encarava um prato de gulosemas.

-Espera, filho de Stoico? -É agora que eu parei para pensar.

***

-Não, não, não pode ser! -Eu falava sozinha andando de um lado para o outro no meu quarto passando a mão em meus fios loiros.

-Ele não pode ser o mesmo cavaleiro da noite anterior! -Falei me jogando na cama e encarando o teto com desgosto.

-Ele foi tão diferente! -Eu falei me movimentando na cama de um lado para o outro até deixar a cama completamente bagunçada.

-Não pode ser verdade! -Eu falei novamente mas dessa vez me sentando na cama.

Eu estava completamente perdida na confusão que se formava em minha cabeça até ouvir batidas na porta que me tiraram daqueles pensamentos confusos.

-Quem é? -Perguntei do lado de dentro do quarto.

-Sou eu, Heather! -Falou abrindo uma pequena brecha na porta.

-Posso entrar? -Ela perguntou já entrando no quarto.

-Claro! -Falei passando a mão em meu cabelo afim de por no lugar os fios loitos bagunçados.

-Bem, vim te pedir desculpas! -Ela falou se sentando na cama e passando a mão em seu vestido de cor cinza.

-Por? -Perguntei confusa.

-Por meu irmão! -Ela falou olhando para um canto qualquer do quarto.

-Irmão? -Perguntei mais confusa que antes.

-Sim, o Dagur, é meu irmão! -Ela falou com um sorriso falso no rosto.

-Oh nossa! Então você é uma princesa? -Perguntei confusa.

-Não, mulheres não são tão valorizadas como devem! -Ela falou passando a mão nos fios negros de seu cabelo longo que estava em uma trança lateral.

-Entendo, mas eu ouvi o Dagur chamando o filho do Stoico de irmão! -Falei meio incomodada por falar do ruivo que fez uma grande confusão na minha cabeça.

-Não, não! -Ela falou rindo o que me deixou envergonhada.

-Falei algo errado? -Perguntei com as bochechas coradas.

-Não, mas todos confudem, nós só fomos criados juntos não somos irmãos da mesma mãe nem do mesmo pai! -Ela falou sorrindo.

-Entendo! -Falei sentindo que uma das muitas dúvidas da minha cabeça tinha sido esclarecida.

-Bem, é melhor eu ir saindo, temos um banquete para ir! -Ela falou se levantando.

-Até mais Astrid! -Ela falou e saiu fechando a porta atrás de si.

-Até... Heather! -Falei por fim.

***

Não demorou para o anoitecer chegar e consigo a agitação dos criados pelos corredores do castelo.

Eu já estava arrumada com um belo vestido vermelho com detalhes amarelados, meu rosto já possuia sua pintura que estava mais chamativa que o normal pois meus lábios possuiam uma cor escura como o vinho, meu cabelo estava com uma trança e alguns adereços no mesmo.

Eu estava sentada na cama esperando apenas o momento certo para sair do quarto, estava entediada e foi ai que vi o pequeno caderno em cima da cama peguei o mesmo abrindo e começando a escrever tudo que eu sentia, todos meus sentimentos, toda dúvida e toda confusão foi colocada ali em palavras.

"Querido diario, faz um bom tempo que não escrevo mas acho que esta é a minha única saida, estou em um lugar desconhecido, um lugar que a cada dia me deixa mais confusa.


Eu não sei ao certo o que sinto nesse momento pois é como se todos meus sentimentos se manifestassem no mesmo minuto mas eu sabia que o medo era o maior de todos eles.

Toda noite eu tenho pesadelos me lembro da minha mãe deitada no chão frio clamando por ajuda e saber que eu não pude ajuda-lá me machuca, a saudade e a lembraça foi a única coisa que me restou.


Eu não sei em quem devo confiar e quem eu devo odiar, estou confusa... "

Assim que fechei o diario ouvi batidas na porta guardei o pequeno caderno e fui em direção a porta abrindo a mesma.

-Boa noite Lyne! -Falei sorrindo.

-Boa noite minha menina! -Ela fala beijando minha testa.

-Você está maravilhosa! -Ela fala me olhando de cima para baixo.

-Obrigada! -Falo sorrindo.

-Vamos, não podemos nos atrasar, os lordes estão esperando! -A Lyne fala me puxando para perto das outras garotas.

-Que os deuses me guiem! -Sussurro apertando o pequeno pingente que estava em meu pescoço.

Continua...



Notas Finais


O capitulo foi curto ei sei, me desculpem mas eu fiz o capitulo nas pressas kkkkk espero que tenham gostado desse capitulo e eu parei ai pq amo deixar vocês curiosos rsrs

Até o próximo, comentem o que acharam e beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...