História Diário de Jungkook! - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~jiminleia

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Comedia, Jungkook, Mpreg, Romance, Taehyung, Taekook, Vkook
Exibições 307
Palavras 3.767
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie,
Aqui estou novamente com o outro capítulo como falei antes.
Espero que gostem e tenho um aviso para dar nas notas finais espero que leiam com cuidado.

Capítulo 8 - Capítulo Oito .: Ato 8: Grávido?!


Fanfic / Fanfiction Diário de Jungkook! - Capítulo 8 - Capítulo Oito .: Ato 8: Grávido?!

Capítulo oito .: 
Ato 8: Grávido!?

"O médico que havia saído para buscar os resultados, entrou na sala novamente, ele estava mais sério que antes. Eu queria sair correndo mas não podia, eu tinha que saber o resultado.

— Vocês querem que eu fale ou querem ler? — perguntou ele.

— Fale, é melhor — disse Jimin.

— Eu quero ler.

Tomei coragem e peguei o papel, tremi quando li o resultado, eu com certeza estava muito ferrado agora."

 

Merda, eu estou muito ferrado, eu só posso ter muita má sorte mesmo. Ou só devo ter nascido muito burro. Eu e a minha pura ingenuidade; pensei que após pegar o bendito papel das mãos do médico, eu iria simplesmente ler o resultado com a maior facilidade, mas como a vida gosta de tirar uma com a minha cara, eu não entendi nada do que estava escrito naquele papel. Meu Deus, eu só posso ser uma anta mesmo para achar que conseguiria ler um papel que apenas o médico entende. Olhei meio envergonhado para o médico e o Jimin, que esperavam alguma reação minha, o médico sorriu ao entender a confusão em meus olhos. Mas antes dele falar algo o celular de Jimin começa a tocar e ele se desculpa e sai da sala para atender o telefone.

— Percebi que não conseguiu entender o resultado do exame. — disse o médico quebrando o silêncio que se instalou quando Jimin saiu da sala para atender o telefone, me sentei na cadeira a sua frente e lhe entreguei o papel — Quer que eu te explique?

— Claro. — disse sorrindo — Eu não entendi nada do que estava escrito aí. — ele leu mais uma vez o papel e me olhou seriamente — E aí, eu estou grávido ou não?

— Bom, a chance de ser positivo é de oitenta por cento, mas não se pode ter certeza já que faz pouco tempo que seu primeiro cio aconteceu, e por isso seus hormônios estão alterados. Também tem a possibilidade de seu cio está próximo novamente, é bem normal que ômegas, em geral, fiquem com sintomas semelhantes com o de uma gravidez, isso ocorre como uma forma que o corpo encontra para expressar que está pronto para gerar uma criança. 

— Mas o teste que eu fiz deu positivo, pensei que estivesse grávido.

— Eu sei, mas não deve confiar tanto assim em um teste barato de farmácia, eles não são cem por cento certeiros, ainda mais quando são apenas para a mulher. — ele abriu a gaveta do armário próximo da sua mesa e tirou de lá duas caixinhas, as colocou em cima da mesa — Esse foi o teste que você fez não é? — ele apontou para uma caixa que eu reconheceria em qualquer lugar, apenas confirmei com a cabeça — Esse teste que fez, foi desenvolvido apenas para mulheres. Como os hormônios dos homens, principalmente os ômegas, são diferentes, o resultado sai com falhas — ele me entregou a outra caixa — Quero que faça esse teste que é apropriado amanhã, na parte da manhã, quando ainda estiver de jejum.  

— Tudo bem, mas para que tenho que fazer esse teste se já fiz o exame de sangue? — perguntei enquanto guardava a caixa em meu bolso.

— Esse teste é apenas para confirmar, já que com o exame de sangue o resultado deu incerto. — ele ligou, chamando a secretária que entrou instantes depois com uma agenda em mãos, o médico a pegou e depois de virar algumas páginas alcançou uma caneta e anotou algo na agenda e em um pedaço de papel — Tomei a liberdade de marcar nossa próxima consulta — me entregou o papel.

— Claro, eu estarei aqui. — a próxima consulta foi marcada para essa terça, já que hojd era quinta-feira, eu tinha um tempo para descansar — Na terça.

— Estarei esperando, e não se esqueça de tirar o resto do dia de folga para descansar. — me levantei e me despedi do médico, saindo daquela sala.

Olhei para todos os lados e não encontrei o Jimin, onde ele foi parar? Segui para a saída, eu que não iria ficar naquele lugar nem mais um minuto, precisava de ar puro. Quando já estava no lado de fora vi Jimin conversando com uma pessoa, mais precisamente uma mulher, que por sinal se parecia muito com a minha mãe. Espera aí, aquela mulher é a minha mãe. O que ela está fazendo aqui, conversando com o Jimin? Corri até eles, mas quando cheguei lá recebi um olhar mortal de minha mãe seguidos de tapas. Por qual razão minha mãe estava me batendo?

— Que filho imprestável. — ela disse entre os tapas — Olha só para mim, menino. — eu fiz o que ela pediu — Eu sou nova para ser vovó! — e me deu outro tapa.

— Ai, mãe! — me afastei dela — Nova nada, a senhora está na idade certa. — disse sem pensar.

— Está me chamando de velha, moleque? — eu só posso estar querendo morrer.

— Claro, nova que a senhora não é. — ela ia avançar em mim de novo, mas o Jimin a segurou.

— Senhora Jeon, acalme-se, eu te disse que saí de lá antes de saber o resultado. — ele soltou minha mãe que aparentava estar mais calma —Não bata nele, pode fazer mal ao bebê.

— Tudo bem. — ela disse, arrumando as roupas — Qual foi o resultado?

— Não é um positivo ainda, o médico me disse para fazer esse teste amanhã, enquanto estiver em jejum. — mostrei a caixa para eles — E tenho que voltar novamente na terça.

— Ok então, vamos embora. — minha mãe disse seguindo para o carro dela.

— Ei, como a senhora conhece o Jimin? — perguntei enquanto a seguia.

— Eu já fui na sua casa lembra? — Jimin falou olhando toda hora para o celular — Eu realmente tenho que ir, senhora Jeon, até mais Jungkook.

— Tchau Jimin, obrigado por ter vindo comigo.

Ele apenas acenou com a cabeça e saiu, o caminho de volta para a casa foi bastante cansativo, não sei bem o que dizer sobre o que anda acontecendo comigo esses dias. Quando finalmente chegamos eu corri para meu quarto, eu meio que precisava de um tempo só pra mim. Me joguei na cama, pequei a caixinha do teste e fiquei pensando em como seria minha vida tendo um filho do Taehyung. MEU DEUS, eu vou ter um filho do meu crush, não sei se corro gritando que terei um filho do alfa mais desejado do momento — sabe, fazer as inimigas roerem as unhas de inveja —, ou se simplesmente choro. Cara, o que eu devo fazer...        

Adormeci pensando em como minha vida seria, comigo casado com o Taehyung e com o nosso filhinho entre nós brincando no parque.

Acordei com um som alto próximo de meu rosto, procurei meu celular entre a bagunça de lençóis que era minha cama. Quando o achei atendi sem ver quem era, fiquei que nem um idiota dizendo “Alô” sem parar, mass ninguém respondia, quando ia desligar na cara de quem perturbava meu amado sono, olhei meu celular e comecei a rir que nem um retardado, ainda bem que eu estava sozinho. Eu perdi alguns minutos tentando atender o telefone quando era apenas o alarme de mensagem. Me espreguicei e me levantei, fui direto para o banheiro, eu precisava de um bom banho demorado. 

De banho tomado, vesti minhas roupas confortáveis, desci as escadas e me deparei com um Suga jogado no sofá como se fosse seu, enquanto via algo na TV, já no outro sofá estava um Namjoon e um Hoseok jogando no celular e com os pés imundos no tapete que lavei na semana passada, como não queria arrumar uma confusão, apenas segui para a cozinha onde vi minha mãe ao lado do Jin cozinhando, e Taehyung conversava com ele animadamente sobre algo. Suspirei fundo, ainda me sentia cansado, então voltei para a sala e segui até onde o Yoongi estava.

— Quem você pensa que é para deitar assim no meu sofá? – perguntei, chamando a atenção de todos.

— Até que enfim a bela adormecida acordou — Suga disse sorrindo — E respondendo sua pergunta, a tia me deixou deitar aqui.

— Tanto faz, deixa eu sentar aí também — ele se sentou e eu me sentei ao seu lado.

Fiquei vendo um filme bom que passava na TV, até que minha mãe surgiu e atrás dela vinham Jin e Taehyung e pela a cara dele algo de bom não deve ser. Calma aí, só pode ser brincadeira, eu não acredito que minha mãe foi capaz de fazer isso.

— Filho eu chamei todos aqui para que você conte a novidade — ela fez isso.

— Eu não acredito nisso mãe, era segredo, poxa — disse já com raiva.

— Para de besteira e conta logo Jungkook — Jin disse, se sentando no colo de Namjoon — Estou louco para saber o que é.

Me sentei direito no sofá e olhei para cada um deles, claro que eu podia simplesmente ir na frente deles — ou não, isso depende muito do meu humor —, e falar tudo, tipo, falar na lata, sem me preocupar com o amanhã, mas eis que surge a famosa insegurança, eu estaria mentindo se dissesse que estou grávido mas assim que fizer o teste der negativo? Se isso acontecesse, o Taehyung poderia nunca mais olhar na minha cara, e isso é uma coisa que eu não suportaria. Então após pensar bastante cheguei a conclusão de que não vou falar nada, pelo menos por enquanto, só até eu confirmar com o teste. Mas a questão agora é, por qual motivo e circunstância minha mãe, que era totalmente contra minha gravidez, de uma hora para outra ficar praticamente gritando de felicidade por ter um neto?

Ah, mas aí tem algo e eu tenho a impressão que sei o motivo dela agir assim, minha mãe deve ter parado para pensar no quanto o querido genro dela é famoso e rico, e que se eu tivesse esse filho, ela teria uma vida bem confortável. Quem não a conhece que a compre, meu Deus em que ponto eu cheguei, eu achava que nunca teria minha paixonite pelo alfa mais desejado do momento correspondida, eu praticamente implorava por uma atenção, fazia de tudo para ser notado pelo crush, e aqui estou eu, com uma suspeita de estar grávido dele e ainda com os piores amigos do mundo — mas eu ainda os amo —, e como se isso não fosse o bastante, minha mãe ainda é interesseira. Quando ia me levantar para fugir desta situação, fui impedido por Suga que segurou meu braço. Me larga Suga, me deixa fugir.

— Sua mãe nos chamou aqui, disse que você tinha algo de muito importante para nos contar. — Suga disse sério — Então nada de fugir, senta aí e fala.

— Bom... — eu comecei a dizer mas fui interrompido pela minha mãe.

— O Jungkook está grávido.

— SURPRESA! — gritei quando todos ficaram sem reação com as palavras da minha mãe.

— O quê? — Todos perguntaram juntos.

— O Jungkook estava se sentindo mal esses dias, então ele foi ao médico junto com o Jimin. — minha mãe voltou a explicar e juro que nunca tive tanta vontade assim de matar alguém. Mentira, ainda tinha aquela senhora, empata foda que com toda a certeza ganha da minha mãe — Então eu tinha ido ao ginecologista hoje de manhã, quando estava saindo vi o Jimin no telefone, fui até ele, e o mesmo me falou que algumas semanas atrás ele deu um teste para o Jungkook e deu positivo, e que naquele momento eles estavam ali para confirmar.

Tanto o Jin como o Suga ficaram felizes com a notícia, e Hoseok e Namjoon tentaram acalmar seus namorados — essa tentativa falhou totalmente —, Jin me abraçou e disse que estava feliz por ser titio e que mal esperava para poder ver a criança — que ele insistia que seria menina —, e o Suga como sempre do contra, gritava que seria um lindo menino e assim começaram uma pequena discussão e tanto eu como o Taehyung ficamos sem reação. E o simples fato do Tae estar em choque me deixa muito preocupado. 

— Para porra! — gritei para que aquela confusão acabasse e por mais incrível que pareça, eles me ouviram e pararam a discussão. Todos voltaram para os lugares e chamei a atenção deles — Não foi confirmado ainda, sabe, eu ainda tenho outro teste pra fazer amanhã e voltarei no médico na terça. Ele disse que pode ser gravidez, como também pode ser que meu cio esteja próximo, e o teste que o Jimin me deu era desenvolvido apenas para mulheres. — enquanto falava, tentava deixar de uma forma que entendessem.

— Espera um pouco. — Taehyung falou pela primeira vez desde que voltou da cozinha com minha mãe e o Jin — Esse filho é meu? — ele perguntou de uma maneira calma e eu fiquei em choque com a falta de confiança que ele tinha em mim, poxa, eu só fiquei com ele esse tempo todo, será que ele não entende isso?!

— Mas isso é obvio né, Taehyung? — Jin disse quebrando o clima pesado que se instalou logo depois do Tae falar — A não ser que nossa raça evoluiu tanto que dá até para fazer filho com o dedo. — eu não sabia se chorava ou se abraçava o Jin. 

— Hã? Não era isso que eu queria dizer. — Taehyung tentou se explicar — Eu apenas queria saber se tinha ouvido direito — ele seguiu até minha direção e se ajoelhou em minha frente, colocando a mão sobre minha barriga — Eu na verdade estou bastante feliz. — ele sorriu — Eu queria ter uns seis filhos.

— Deus me livre, Tae. — eu disse desesperado — Eu sou um humano, não um coelho.

— Não, você é meu coelhinho, Kookie — Taehyung disse me abraçando.

— Já eu acho que deveria ser três. — Jin disse e minha mãe concordou.

— O quê? Isso só pode ser brincadeira — disse.

— Eu vou concorda com o Taehyung, e acho que seis seria bem razoável — Suga disse rindo.

— Suga se não for ajudar não atrapalha, ok? — Implorei.

— Imagina um monte de Kookzinhos correndo pela casa. — Taehyung falava animadamente.

— Mas que porra gente! — gritei, chamando a atenção de todos -— Nem foi confirmado ainda, e se eu estiver realmente grávido, será apenas de uma única criança.

— Acho melhor não pensar assim, Jungkook. — Namjoon falou — Afinal não se tem certeza que seja apenas um, não é mesmo?

— Parece que você está ferrado, Jeon. — Hoseok disse rindo junto do Namjoon. 

Onde eu fui amarrar meu jegue, senhor? Não tem ninguém normal nessa família não? Eu devo ter jogado pedra na cruz para merecer uns amigos desses. Uma ideia nada inocente surgiu em minha mente, então como bom ator que sou — porra nenhuma —, fingi estar muito cansado e com tontura, e como todos queriam cuidar de mim, me deixaram ir descansar em meu quarto. O Tae me levou comida e ficou todo preocupado, a minha mãe fez minha comida favorita. É, acho que estar grávido terá lá suas vantagens.

E mais uma vez eu me encontrava no banheiro do meu quarto em pleno  sábado de manhã, estava eu esperando o tempo para poder ver o resultado do teste que fiz mais cedo. Eu roía minhas unhas de tão nervoso que estava, depois de minha mal atuação de ontem, meus amigos foram embora com a promessa de que voltariam na manhã seguinte para saber o resultado, até minha mãe saiu dizendo que deixaria eu ter um momento a sós com o Tae. Devo admitir que aproveitei bastante esse momento... Não, não é nada disso que estão pensando. Não transamos apesar eu de ter tentado umas quatro vezes — não é culpa minha se ultimamente ando tendo muito fogo no rabo —, mas para minha tristeza o Taehyung não quis.

Então fiquei pensando, sabe, tipo, se o bebê que está bem pequeninho a ponto de nem se machucar nem nada — ele sabe disso —, e ele nega, imagina então quando eu estiver com uma barriga enorme? Ele me ignora quando meu corpo ainda está bonito, imagina quando eu estiver gordo e inchado? Bom está certo que ele me encheu de beijos, abraços e carinho, mas não é a mesma coisa. Eu estou tão necessitado que até parece que estou no cio, eu sinto minha boca salivar apenas por ver seu peito nu, e ele com apenas sua calça de moletom, minha vontade é tanta que me segurava para não jogar ele na parede e o obrigar a transar comigo naquele momento.

Eu juro que não estou me reconhecendo mais, eu achava sinceramente que podia controlar esse fogo todo, mas ele está bem ali, deitado na minha cama, com seu cheiro delicioso e seu corpo gostoso, e não poder tocar é muita tortura, gente. Olhei novamente para o relógio e o tempo demorava muito para passar, quer saber? Não vou perder meu tempo aqui trancado nesse banheiro não, saí do mesmo e vi o Taehyung lendo um livro deitado em minha cama. Sem pensar muito fui até ele e me sentei em seu colo, com uma perna de cada lado de sua cintura; ele dobrou a página em que estava e me deu atenção.

— O que foi, Kook? — ele me perguntou enquanto eu apenas o encarava — Já saiu o resultado?

— Ainda não. — disse e coloquei minhas mãos em seu peito e me inclinei para baixo e dei um rápido selinho antes de continuar — Tae, me distraia para que o tempo passe mais rápido, — Dei outro beijo, dessa vez em seu pescoço.

— Ok. — Suas mãos foram para minhas coxas e as apertaram fortemente. Cheirou meu pescoço, mordeu o mesmo antes de sussurrar em minha orelha com a voz grossa e rouca — Vamos brincar um pouco então. — me arrepiei todo.

Ele iniciou um beijo calmo, nossa, como era bom beijá-lo. Seus lábios eram macios e nem precisei pedir para que ele aprofundasse o beijo pedindo passagem com a língua, que logo foi concedida por mim. Sentir sua língua explorar minha boca e sua mão apertando minha coxa, nossos corpos colados, era tudo muito excitante, ele era minha perdição. Com a sua ajuda me livrei de minha blusa, e quando ia tirar minha bermuda, ele trocou as posições, ficando por cima. Suas mãos puxaram meus joelhos, abrindo ainda mais minhas pernas e se encaixando entre elas.

Ele voltou a me beijar, dessa vez com mais urgência, e eu apenas arranhava levemente suas costas com minhas unhas curtas. Me afundava cada vez mais no misto de sensações que era seus beijos com seus toques, não contive o gemido que escapou de meus lábios quando suas mãos apertaram minha bunda e seus lábios foram para meu pescoço, onde distribuía beijos e leves mordidas. A temperatura do quarto aumentou e eu já imaginava onde isso iria parar, mais o clima foi embora assim que alguém bateu na porta.

— Jungkook, filho! — lógico que tinha que ser minha mãe, era só o que me faltava — Eu e os meninos estamos aqui, e queremos saber o resultado.

— Mais tarde a gente termina, Kook. — Tae disse e me deu mais um beijo antes de se levantar e seguir até a porta — Eu vou na frente, traga o teste também.

— Ok. — respondi, me levantando, e quando ele saiu eu corri até o banheiro e peguei o teste; nesse teste continha a porcentagem do resultado e estava cem por cento positivo. É, eu realmente estou grávido... Saí do quarto com o teste em mãos e corri até a sala onde meu namorado, meus amigos e minha mãe estavam.

"Querido Diário,                 

Eu realmente estou surpreso, eu não esperava por isso. Cara, eu estou grávido, eu espero um filho do Taehyung, Meu Deus, eu ainda não consigo acreditar. Sabe, é meio estranho saber que tem uma vida sendo gerada dentro de você, além de assustador também é estranho, tem uma coisa pequenina dentro de você que daqui a alguns meses vai crescer e virar uma criança com o rosto coberto de meleca por tanto chorar. Mas... Eu simplesmente não tenho palavras para descrever o que eu estou sentindo nesse momento, mas só de saber que tem uma parte de mim e do Taehyung crescendo aí, eu fico ansioso para poder vê-lo. 

Tomara que ele puxe o sorriso do Tae, mas não seria ruim se também tivesse o meu olhar. Bom, acho melhor ir descansar, afinal, meus amigos estiveram aqui, e eles surtaram quando viram o resultado. Espero que eu não fique muito gordo e cheio de estrias e também, que meu filho cresça forte e saudável. Diário, vou lá ver se consigo agarrar meu crush, porque está difícil, me deseje sorte e beijos."

Assim que guardei meu diário, Taehyung entrou no quarto já vestido, secando os cabelos na toalha, ele se sentou na beirada da cama e eu me sentei em seu colo e peguei a toalha de suas mãos e comecei a secar seu cabelo. Ele sorriu, me olhou intensamente e eu joguei a toalha em qualquer lugar e passei meus braços ao redor de seu pescoço, me aproximando para o beijar logo em seguida, me ajeitei e sentei em cima de seu membro, ele correspondeu o beijo. Dei leves reboladas e percebi seu membro enrijecer com meus movimentos. Suas mãos foram para minha cintura.

— Kook... — ele disse interrompendo o beijo e meus movimentos, apertando minha cintura e empurrando-me, afim de nos separar um pouco.

— O que foi? — perguntei e comecei a beijar seu pescoço.

— Sabe, eu andei pensando e resolvi te fazer uma proposta. — suas mãos desceram até minhas coxas e apertaram as mesmas, olhei em seus olhos.

— E qual seria?

Ele parecia estar muito nervoso e isso me deixou preocupado, então lhe dei um abraço bem apertado e um selinho, o incentivando a continuar. E assim que ele falou eu fiquei sem reação.

— Kookie, vamos morar juntos?


Notas Finais


E aqui vem meu aviso .: ESPERO QUE LEIAM

Bom como todos sabem o enem está chegando e eu realmente preciso focar mais nos estudos já que também estou fazendo as provas finais para me formar. Então posso atrasar um pouco para postar pois vou estar estudando. Espero que todos entendam e obrigada por favoritos e comentários. Eles realmente me incentivam e me ajudam a não deixar minha criatividade morrer e ter que apagar a fanfic.

Vejo vocês daqui uma semana. Beijos até mais <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...