História Diario De sobreviventes 2.0 - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~gabasema

Postado
Categorias Originais
Tags Originais, Resident Evil, The Walking Dead, Walkers, Z Nation, Znation, Zombies, Zumbi, Zumbis
Visualizações 4
Palavras 1.432
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - You make me sicker than the walkers.


Gabi POV

Assim que demos um pouco de distancia extra dos zombies, achamos uma BR e decidimos andar por ela, pois seria mais facil de achar suprimentos, como só tinhamos 3 enlatados e uma barra de chocolate que Fá tinha pego, avistamos um posto de gasolina, seguimos até ele pelo canto da pista, pois seria mais dificíl de sermos vistas de longe.

Chegando lá pedi para fá arrombar um carro e colocar gasolina para que pudéssemos usa-lo, decidi ir até a loja de conveniencia para pegar algumas coisas

-fá, vou checar a loja

- vai lá zooe! - ela respondeu com uma piada interna

ri- só não morra francis - respondi continuando com a brincadeira.

Segui em direção a lojinha e segurando firme minha pistola, fiz uma limpa para ver se tinha algum inimigo ali, por sorte só encontrei um cadáver atras  do bacão `` pobre moça do caixa´´ pensei comigo mesma, se ela soubesse oque iria acontecer nao iria ter ido trabalhar na quele dia..., abri minha mochila e olhei a validade de alguns produtos, coloquei alguns energéticos,cigarros, salgadinhos e biscoitos, eu já estava fechando a mochila quando lembrei de levar alguns ice´s para Fá, ela adorava aquilo, mais extranhamente odiava cerveja... 

Sai da loja  mais não achei ninguém, nem Flávia, nem nenhuma pessoa, nem nenhum zombie, mais soube que ela não tinha me abandonado pois o carro ainda estava ali, obcervei uma mancha de sangue do outro lado em baixo do carro, e antes que eu pudesse fazer algo, apaguei. 

Flávia POV

Gabi foi para a loja e eu fiquei aqui, tentando arrombar a droga de um carro velho que provavelmente fundiria o motor antes da próxima esquina, peguei uma pedra para quebrar o vidro levantei o braço e usei toda força que tinha, antes que eu enconstasse a pedra no vidro senti uma forte pancada na cabeça e desmaiei.

Gabi's POV

- Acorda princesa- eu ouvi uma voz que eu não conhecia, abri lentamente os olhos e vi um menino na minha frente, deveria ter em torno dos 17, 18 anos... tentei me mexer mas algo estava prendendo meu braço- ah não, não tente sair você não vai conseguir. Você  desmaiou por muito tempo

- quem é você?

-isso não interessa, mas o que duas menininhas faziam sozinhas na estrada?- olhei para o lado e vi a flávia ainda desmaiada

-isso não interessa- eu retruquei. Apenas vi ele sorrindo cinicamente e um baque veio na minha cara

-aprenda a responder, vamos conviver muito tempo juntos- ele disse enquanto eu ainda tinha o rosto virado e ardido pelo tapa

Ele saiu e alguns minutos depois a Flávia acordou e me olhou. Expliquei pra ela tudo o que havia acontecido e ela ficou desacreditada, também tinha as mãos presas. Após algumas horas ele voltou

- ora ora, a outra princesa acordou?! que ótimo, agora a festa já está crescendo- eu olhei para a Flávia e ela revirou os olhos-não faça isso, sua amiguinha já sabe como tem que se comportar aqui- ele disse pois havia visto o gesto da Flávia

- estão com fome?também  estou... vocês vão me satisfazer hoje- ele disse com um tom nojento, ele era bonitinho, mas me dava um certo repúdio- já volto princesas- ele disse  saiu da sala trancando-a

- vamos sair daqui- a Fá sussurrou para mim

- não sei, estamos presas nessas porras de corda- eu disse tentando em vão tirar minhas mãos dali

- se o Felipe estivesse aqui-a flávia disse

- se ele estivesse aqui não adiantaria bosta nenhuma, ele é mais fraco que nós duas

- verdade... estou com um leve pressentimento de que esse cara é um estuprador

- jura?! como que eu não pensei nisso antes ?- eu disse com sarcasmo

- cala a boca, não é hora de brigar... fica procurando um lugar por onde a gente passe- ela disse olhando para todos os lados analisando o lugar

escutamos o barulho da porta abrindo e eis que chega aquele se repugnante com uma grande maleta na mão. Ele olhou para nós duas sorrindo pertubadoramente e colocou a maleta no chão abrindo-a. Lá haviam inumeros materiais de sexo

-vamos brincar

-Você- ele apontou para mim e veio andando em minha direção, ele desamarrou meus braços e depois veio para minha frente e se abaixou, sorriu pervertidamente e segurou meus cabelos, me levantando a força- vamos começar por você!

Ele me pois em pé em costas encostada na parede que a medida do tempo ficava mais gelada.- vamos lá gracinha! vamos mostrar do que você é capaz!

Flávia tentava virar o rosto o maximo possivel. - ei! você! olhe a sua amiguinha se divertir!  ele caminhou até ele e virou seu rosto em minha direção com um tapa-e continue olhando, você será a proxima!- ele veio novamente em minha direção e começou a passar a mão pelo meu corpo

-para... por favor- eu implorava apenas sentindo nojo. Ele não respondeu, apenas começou a me forçar ainda mais contra a parede, e começou a massagear violentamente meus seios. Após alguns segundos nessa ação e então bateram na porta do quarto. Ele parou na mesma hora 

- pode entrar- ele disse enquanto ainda me pressionava na parede. Meu rosto estava virado para a porta, 7 caras fortes entraram segurando a Isa, Bea, Geovanna, Guilherme e Felipe. Eles estavam algemados e o Felipe estava com um corte na boca

- achamos esses no mesmo posto chefe- um deles disse

- e esse que já desobedeceu, qual o nomew- ele perguntou se aproximando do Felipe

- não sei senhor- Na mesma hora a Flávia virou o rosto e viu o namorado

-FELIPE- ela gritou, ele sorriu pra ela 

-ora ora, já se conhecem?- ele perguntou e então a Flávia se pronunciou

-sim- a isa se pronunciou de cabeça baixa, Guilherme que até agora mantinha a cabeça baixa, levantou-a e me olhou, o cara já havia desencostado de mim e então sem pensar duas vezes eu corri e o abraçei

- que lindo- ele bateu palmas sarcasticamente- namoradinhos?

-sim...- Eu disse e Guilherme me olhou surpreso

-melhor ainda!- ele disse mandando um dos outros caras me prenderem em um tipo de maca.

pediu para que segurassem Guilherme para que pudesse ver tudo, o "chefe"  então pegou bea e segurou-a pelo cabelo que estava amarrado em um rabo de cavalo.

- levem os outros daqui, só deixem a menina que está sentada e esse tal de Felipe

Ele abaixou a calça dela até seus joelhos e pediu para que ela ficasse de joelhos, ela relutou, ele então deu uma rasteira nas pernas dela e ela caiu. Ele abaixou as próprias calças e a cueca junto e segurou os cabelos dela

-abre a boca- ele pediu ela fechou a boca com muita força, ele então se forçou para frente fazendo com que seu próprio pênis abrisse a boca dela, ela relutante não fez movimentos, mas ele segurando o cabelo dela, forçava-a para frente e para trás. Após alguns minutos disso ele acabou gozando dentro da boca da mesma, depois de tirar seu pênis da boca dela ela vomitou de nojo

- já está cansada querida? te dou 15 minutos para descansar enquanto eu cuido da sua amiguinha- ele disse e olhou para mim, ele veio até mim e violentamente puxou meu rosto me beijando, eu tentei manter a boca fechada mas ele conseguiu entrar com a língua

- SOLTA ELA AGORA- Guilherme começou a se debater para soltar-se do cara que o prendia. Ele então não ligou para o que o Guilherme disse e começou a tirar minha calça, logo depois recolheu sua calça do chão e tirou de lá uma pequena garrafa, era um lubrificante. Olhei assustada para ele

- calma anjo, a gente vai se divertir

- SE VOCÊ ENCOSTAR UM DEDO NELA EU TE MATO- Guilherme começou de novo a tentar sair

- alguém por favor cala a boca dessa criança- ele pediu e então o cara que estava no canto da sala pegou uma atadura e foi até o guilherme, colocou na sua boca e amarrou atrás da sua nuca- ótimo

Ele abaixou minha roupa intima até a minha coxa e despejou dentro de minha vagina um pouco de lubrificante e com a própria garrafinha ele me masturbou. Eu não sabia se gemia ou se gritava de nojo, mais por impulso acabei gemendo.

- isso minha princesinha linda! geme! mesmo! - voz dele me ocasionou uma náusea tao grande que parei na mesma hora.Ele tirou novamente seu penis para fora e penetrou-me,não era assim que eu esperava fazer meu primeiro sexo pós apocaliptico 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...