História Diario De sobreviventes 2.0 - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~gaabylennon

Postado
Categorias Originais
Tags Originais, Resident Evil, The Walking Dead, Walkers, Z Nation, Znation, Zombies, Zumbi, Zumbis
Exibições 2
Palavras 1.995
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - Everything becomes more difficult


Flavia´s POv

Amarrei caio no vaso sanitario, eu queria interroga-lo, foi mais facil amarrar um garoto de em média 80 quilos poque ele estava desmaiado, esperei um certo tempo até ele acordar para que eu pudesse interroga-lo,nesse meio tempo revistei ele, afinal eu não queria surpresas, no fundo eu ainda gostava dele, mesmo ele sendo um completo babaca eu ainda tinha esperanças de minhas fantasias "Jill e Chris, felizes para sempre" ainda se realizar, oque parece pessimo vindo de mim, poxa, eu namoro. Vários pensamentos vinham À minha cabeça e percebi que ele estava acordando e cheguei mais perto.

Caio´s Pov

Acordo sem poder me mexer, que porra é essa?! Estou amarrado? percebo que estou amarrado em um vaso sanitario, minha cabeça doia muito e estava sangrando, como se alguém tivesse me dado uma coronhada, oque no fundo da minha memória eu acho que realmente aconteceu. olho para frente, e vejo alguém, mais minha visão está desfocada de mais para eu poder reconhecer, parece que a pessoa está chegando cada vez mais perto e mais perto, até que pude ver seu rosto, era Flávia.

Flávia´s POV!

- Pode me explicar oque aconteceu entre você e a Ge!- eu disse aproximando meu rosto do dele

- isso é ciumes?

- hahaha me poupe, estou aqui por um motivo maior- mais que garoto metido, pensei.

- anda me solta.

-não mesmo! VocÊ me deve respostas senhor Caio!

-ahh nao vai me soltar né?

-NÃO!

-então me solto eu!

Ele de algum modo se soltou e veio para cima de mim tentando me segurar e eu esquivei, entramos em um combate corporal, ele me derrubou, e eu o chutei, ele caiu de costas e eu subi em sua barriga tentando golpea-lo enquanto ele movia sua cabeça de um lado para o outro, ele virou seu corpo para cima me derrubando de lado rolei então para dentro de uma das cabines e me tranquei.

Caio´s POV

Ela se trancou dentro de uma das cabines e eu sabia qual era, corri até a porta e chutei a maçaneta, assim abrindo a porta, olhei para dentro da cabine e ela não estava lá.

Flávia´s POV

Assim que tranquei a porta, sabia que ele iria tentar abrir, então passei para a cabine ao lado pela fresta que havia em baixo da parede que separava as cabines, sai pela cabine ao lado, abri a porta lentamente e sai da cabine, caio estava na cabine que eu tinha entrado primeiro ele estava de costas me procurando dentro da cabine, pulei nas costas dele e sentei no ombro dele nos joguei para traz aintes de cairmos no chão me joguei em cima dele, ele me empurrou e eu levantei e saquei minha arma e ele fez o mesmo.

-Você sabe que eu atiro em você se fizer algo- Eu disse.

-Oque você quer de mim?- ele disse com o nariz sangrando.

- Só quero a verdade! não precisava nem da metade de tudo isso.

- Sabe qual é a verdade? que você é uma puta que namora e gosta de mim!

- calaaaaa a boca! eu juro que atiro em você Caio!

- atirar por que motivo? só porque eu falei a verdade?!

-Eu tenho nojo de você Caio, tenho nojo!

- você sabe que um de nois dois vai morrer hoje, isso não acabou e nem vai acabar, eu vou caçar cada um de seus amigos depois que eu te matar e fazer com eles igual oque eu fiz com a Geovana, imagina só seu namoradinho viado indo pro saco junto com sua melhor amiga!? Mais eles são a sobre mesa, quem é o jantar é você!

Antes que ele pudesse fazer mais qualquer outra coisa eu atirei em seu peito com toda precisão que pude ter, ele caiu na hora eu eu tinha quase certeza que ele estava morto.

Flavia's POV

Depois que dei o tiro em Caio eu continuei com a arma apontada para ele, em choque com o que eu havia acabado de fazer. Eu sabia que não tinha feito nada errado, eu havia me defendido; Mas por algum motivo eu estava um tanto quanto arrependida.

Ouvi alguns passos e olhei para trás. Guilherme assim que bateu os olhos em Caio, soltou o braço da Gabriela apontou a arma que já estava em sua mão para mim. Gabriela quase que no mesmo instante, puxou a arma da cintura e apontou para Guilherme

- Você não vai matar minha melhor amiga- Ela gritou...

...

*~~*~~*

Depois que Geovanna morreu, eu sai dali e voltei ao banheiro. Duas pessoas mortas. Fiquei alguns minutos olhando para Caio e me perguntei porque eu havia feito aquilo. Eu menti realmente quando disse que não gostava dele. Eu sempre gostei dele, desde quando lutavamos juntos. Mas eu amo o Felipe, não poderia terminar algo que eu teno certeza, meu namoro, por algo que eu nem sei se começaria, no caso, eu e Caio. Arrastei seu corpo para o lado de fora do banheiro; como o banheiro era virado para o lado da Floresta, eu o arrastei lá para dentro sem ninguém ver. Porém eu desviei um pouco o caminho, mas eu sabia para onde estava indo

 

Gabriela's POV

Procurei Flávia em toda a loja de conveniências; nada dela. Como ela não estava no banheiro, e o banheiro era virado para a Floresta, eu decidi entrar lá. Como eu ainda estava meio tonta, eu fui me apoiando em algumas árvores, passei alguns cinco minutos andando. Como não achei ela, eu decidi voltar para o posto; mas para minha surpresa, o posto não estava mais visível. Acho que como eu estava mal, quanto mais eu tentava achar o caminho, mais eu me perdia.

Flávia's POV 

Depois que arrastei Caio para um pouquinho dentro da floresta, eu voltei ao posto. Fiquei sentada na entrada do banheiro. Após algum tempo, eu fui para a frente do posto; Guilherme e Felipe já haviam enterrado a Geovanna. Felipe estava sentado ao lado de uma das bombas de combustível.

- Você está bem?- eu perguntei a ele. Ele balançou a cabeça e me puxou devagar para o colo dele; ficamos abraçados

- Queria que ela não tivesse morrido. Ela era uma ótima pessoa, ela evitou Guilherme e eu de fazermos bastante merda enquanto vocês estavam sumidas. Ela gostava de você e da Gabi 

- Também gostavamos bastante dela- eu disse triste 

Guilherme´s POV 

Eu estava distraído dentro da loja de conveniência; fiquei andando olhando para as prateleiras; Em uma delas, tinha meio que uma pequena farmácia; Fiquei olhando para os remédios e achei o que a Gabi deveria tomar. Peguei o remédio e fui procurar Gabi; ela não estava na loja, no banheiro (aliás, o corpo de Caio tinha sumido, muito estranhamente). Fui para o Lado de fora e Flávia e Felipe estavam sentados 

- Viram a Gabi ?- perguntei .

-"Não"- os dois disseram juntos

-certo... obrigada mesmo assim!

Atrás do posto tinha uma floresta, decidi andar pela parte da frente da floresta para procurar Gabi, mais sem sinal dela, andei alguns minutos e achei apenas um rastro de sangue que levava para dentro da floresta, decidi voltar para o posto e chamar Felipe para vir comigo (não sou nem louco de ir sozinho) Chegando lá, vi apenas Felipe de cabeça  baixa encostado em uma das bombas de gasolina, com as pernas encolhidas.

- hey cara, oque aconteceu?- perguntei

Ele levantou a cabeça e percebi que ele chorava muito.

-a Flá... ela pediu um tempo, como se já não fosse suficiente tudo que já está acontecendo!

- Mais porque cara? você faz alguma ideia?

- Não, mais ela estava estranha já faz um tempo, e depois que ela supostamente "matou" Caio ela surtou

-é, percebi, falando nisso cadê ela? eu ia te chamar para investigar um rastro de sangue que leva até a floresta- eu disse.

- eu achava que ela estava com a Gabi.

- também não sei cade a gabi!

- Mais isso não importa mais já que eu acho que não namoramos mais... certo?- ele disse tentando enganar a si mesmo.

Concordei com a cabeça e seguimos para a floresta.

Flávia POV

Felipe e eu estávamos sentados conversando, na verdade... ele estava falando, mais eu estava pensando em tudo que tinha acontecido nesses ultimos dias, até que percebi que eu precisava de um tempo para mim, eu estava quase me matando e eu não cheguei até aqui para morrer agora! por mais que eu e Caio tenhamos praticamente nos matado, eu ainda gostava dele, e o pior eu achava que ele estava morto! merda! o mais extranho e que até agora ele não se transformou e ele parece ainda ter pulso e....

- Amor?- Felipe interrompeu meus pensamentos.- Está me escutando minha flor?

- Sim meu bem! estou apenas pençando

- Você anda longe ultimamente... 

- e como não andar?! eu acabei de matar um guri!- eu sei minha flor, mais ele mereceu... acho que me lembro dele... de algum lugar antes do APZ

- AMOR!?

- diga minha linda!

- acho melhor darmos um tempo...

- quê!? Por que?! amor! diz que você ta brincando bebe

- Me desculpa... ainda não acabou...

Dei um beijo delicado em sua boca e me levantei, não consegui dizer mais nenhuma palavra para ele, e segui em direção a floresta, onde o corpo de caio ainda tinha deixado um grande rastro de sangue, alguns metros dali eu tinha deixado minha mochila, o corpo de caio e  uma fogueira pronta para ser acesa quando preciso, cheguei e me sentei ao lado do corpo e puz a cabeça de caio em meu colo, até que percebi que sua mão mexia, foi uma das poucas veses que realmente senti medo de algo, senti medo de que além de matar ele humano eu ainda teria que ve-lo e talvez até mata-lo depois de morto, mais eu não sabia qual medo era maior, o medo de que ele estivesse vivo ou o medo de que ele estivesse morto. A mão por um segundo parou de se mexer e seus olhos abriram, ele olhou para mim e eu soube que ele estava bem! A unica coisa que consegui fazer, não sei o por que, foi beija-lo e dar um abraço com todo o meu amor, logo em seguida eu o soltei e dei um forte tapa em sua cara, peguei minha mochila e levantei, comessei a andar floresta a dentro e percebi que Caio me acompanhava, caminhamos um pouco sem dar uma palavra, até que percebi que o tiro que eu tinha dado nele ainda estava aberto e sangrava. Então sem dizer nada sentei, abri minha mochila e fiz um gesto com a mão que indicava que era para caio sentar, ele era osso duro de ruer e ainda estava vivo, depois de um quase encontro com a morte, peguei dentro da minha mochila uma pinça e uma bandagem, empurrei ele para que ele deitasse  e tirei a blusa dele, tirei um vidro  de cachaça que estava em minha mochila e lavei minhas mãos com a cachaça e lavei a pinça, e eu saberia que iria doer tanto nele quanto em mim, mais ele é forte e ia acabar morrendo de infecçao se ficasse com os estilhassos de bala no corpo dele, então com a pinça comessei a procurar cada pedaço de bala e a retirar ele se segurava o maximo possivel para nao gritar e não chamar atenção e ele conseguiu, e não deu um pio durante todo o tempo, até que em fim terminei e fiz o curativo, guardei as coisas na mochila e com Caio ainda deitado coloquei a cabeça dele apoiada na mochila e dei a primeira palavra em todo esse tempo.

-Ei, durma um pouco, e se recupere.

Ele balançou a cabeça e se aconchegou, eu subi em cima da arvore em que a mochila estava apoiada e sentei em um galho me apoiando no tronco da árvore, eu e ele dormimos ali mesmo...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...