História Diario De sobreviventes 2.0 - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~gaabylennon

Postado
Categorias Originais
Tags Originais, Resident Evil, The Walking Dead, Walkers, Z Nation, Znation, Zombies, Zumbi, Zumbis
Exibições 2
Palavras 1.436
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - Is this a war tank?


Flavia POV

Acordei com o sol  em meu rosto, deveria ser umas 6:00 am. olhei para baixo e vi que caio ainda estava dormindo, desci da arvore com cuidado para não acorda-lo,  olhei em alguns arbustos e achei um pequeno esqulo, tem café da manha melhor? acendi uma fogueira e preparei o esquilo para assa-lo algum tempo depois, acho que ele deve ter sentido o cheiro delicioso de carne assada e levantou, sentou ao meu lado na fogueira e dei o esquilo para ele comer (( comer era o minimo depois de dar um tiro nele) ele precisava se recuperar)

- Eu nem sei oque dizer, me desculpa...- ele disse mastigando o esquilo com os olhos cheios de lagrimas e com a mão cheia de sangue

- já estamos aqui, não estamos!?

- Sim, mais ainda podemos voltar.

- Quem sabe um dia... acho que não nos querem lá, senhor mudo

- por que? e por que senhor mudo?

- porque não sei se você lembra mais quando lutavamos juntos você nem abria a boca- sorri

- não mudei muito então né?- ele sorriu de volta

- Não mesmo!

Até o momento estávamos nos divertindo muito, estava tudo ótimo, mais não se passaram nem 5 minutos e escutamos um grito, um grito desesperado que parecia vir de gabi em algum lugar da floresta. No mesmo momento que escutei, peguei minha mochila e sai correndo em direção ao som

Caio POV Eu estava no meio de um sonho onde Flávia e eu estavamos em um campeonato de lutas em dupla, onde  eu poderia socar a cara do Felipe sem ser julgado, e ela estava linda em um uniforme que era uma mini saia  e um cropped.... mais isso não vem ao caso, no meio do meu sonho, um cheiro maravilhoso de carde me acordou, e eu estava morrendo de fome, despertei, levantei e vi a melhor coisa que pude imaginar Flávia estava sentada de frente para uma fogueira fazendo um apetitoso esquilo assado, em outras circunstâncias isso seria bem extranho, sentei ao seu lado e conversamos um pouco, eu estava amando, estava tudo perfeito e por alguns minutos eu me esqueci do APZ até que um grito de desespero me fez voltar para a realidade, o grito parecia o de Gabi, e antes que eu pudesse dizer algo, Flávia já havia levantado e pego suas coisas, ela correu na direção de onde o grito parecia vir, ela já estava bem longe quando consegui raciocinar oque estava acontecendo, corri atráz dela o mais rapido que pude

Gabi POV

quando me dei conta, eu estava perdida, no meio da floresta, sem fazer a minima ideia de onde eu estava, olhei para todos os lados tentando ver se eu reconhecia algo, mais tudo parecia muito igual, eu estava tonta e mal conseguia me mexer, comecei a escutar um barulho bem alto e cada vez mais perto, tudo tremia e eu não sabia oque estava acontecendo, até que uma criatura de uns 2 metros de altura e uns 4 metros de largura com músculos enormes que se destacavam comparado a sua pequena cabeça, a criatura possuia uma casca grossa e vermelha no lugar de pele e poderia me quebrar no meio como se eu fosse um graveto, eu sabia que eu teria que correr dali ou me esconder, eu com apenas uma pistola nunca conseguiria mata-lo 

Flavia´s POV

Corri o maximo que pude, até que me deparei com uma mostruosa e enorme criatura, porra! era enorme!, a "coisa" estava olhando para alguém, até que eu me toquei, mano, era Gabi!, ela estava com uma cara de panico que me assustava mais que o bicho em si, no mesmo estante, sendo a unica atitude que pensei em tomar, saquei minha arma, uma minegun e comessei a metralhar o monstro.

Caio POV

Vi uma criatura que parecia ter saido de um jogo de video game, era enorme e assustadora, mais a louca da Flávia chegou a poucos metros dele e comessou a atirar, não ia deixar ela lá sozinha ( não que ela não saiba se defender) mais não iria deixar ela lá sozinha, peguei minha arma e ajudei-a com os tiros, descarregamos varios pentes no bicho e ele nao morria, até que Gabi gritou

-Se abaixem!- ela tirou do bolso uma granada e jogou na criatura, eu e flavia corremos o maximo que pudemos para nao morrermos na explosão, e e bomba estourou, fazendo vooar pedaços da criatura em toda parte, incluindo em nois 

 

Flávia POV

O deitamos no chão e eu senti o calor da explosão atrás de mim, e a carne do animal voando em minhas costas, olhei para o lado e caio estava lá fedendo a carne podre e com a cara de quem estava com nojo e medo de tudo isso, porém estava feliz em me ver,  dei um meio sorriso para ele e me levantei, ele olhou para mim e retribuiu o sorriso, eu estendi minha mão e ajudei ele a levantar, minha cabeça estava doendo bastante, ele se levantou e me abraçou, eu realmente não imaginava que ele iria fazer isso, retribui o abraço e olhei para o lado enquanto o abraçava, notei que Gabi ainda estava caída a alguns metros de onde nós estávamos, assim que a à vi soltei Caio e corri em sua direção, ela estava de olhos fechados e totalmente parada, assim que olhei para o rosto dela, meus olhos encheram de lagrimas, senti o cheiro do perfume de Caio misturado com o odor de carne podre e pude sentir ele tocando meu ombro olhei para ele e ele me olhou de volta, o olhar dele me dizia que ele sabia que ela estava morta, mais eu sabia que ela estava viva!, eu podia sentir; Iniciei o precedimento de massagem cardíaca, depois de uns 50 segundos de massagem, ela começou a tremer e a abrir os olhos lentamente, abri um sorriso maior que meu próprio rosto, peguei Gabi no colo, e levei para o local onde os outros estavam, o posto não estava tão longe e eu fiz questão de leva-la no colo enquanto corria o caminho inteiro, Caio levou as coisas e chagamos lá em média de uma hora, assim que chegamos vi Felipe, que estava cavando um buraco junto à Guilherme, eu lembro que antes de eu partir escutei eles dizendo algo sobre fazer um poço artesiano,  corriamos bastante e assim que chegamos mais perto, os dois nos viram, Felipe e Guilherme largaram tudo e correram em nossa direção.

- Ela está mal, mais vai sobreviver, arranjem uma cama e analgésicos para ela! Rápido!- eu disse dando ordens para os dois.

- oque aconteceu?- Felipe e Guilherme perguntaram em coro.

- tivemos que usar uma bomba para matar um zumbi mutante, eu e Caio conseguimos correr a tempo, mais ela não teve essa sorte!

Entramos na loja de conveniência e coloquei Gabi deitada em um colchão que estava lá.

-Guilherme? você pode assumir daqui? tenho que tomar um banho antes que essa carne infectada entre em alguma ferida minha!

- Sem problemas!- Guilherme disse trazendo alguns comprimidos.

Sai da conveniência e caio estava encostado em uma das bombas de gasolina, ele se aproximou de mim e perguntou:

- ela vai ficar bem?

- sim, não teve como ele ter tido algum ferimento interno, e os externos foram leves.

-Ah, sim... nós precisamos nos limpar

- sim, acho que no banheiro ainda tem água

Ele segurou minha mão e fomos juntos ao banheiro, ele entrou e logo em seguida entrei e tranquei a porta, ele ligou o chuveiro, o único que tinha no banheiro do posto, a água funcionava perfeitamente, e tudo parecia estar perfeito, Caio tirou a camisa, e se apoiou na pia, ele deu um pulo e subiu na pia, tirou as meias e os sapatos, ele tinha uma linda barriga travada que permanecia intacta mesmo ele estando sentado, eu então ele iria continuar a se despir dentro da cabine do chuveiro, ele desceu da pia e retirou as calças jeans azul escuras que ele estava usando, eu não pude disfarçar minha cara de espanto, o seu corpo moreno destacava sua roupa intima branca box , e um volume bem grande era impossivel de se passar despercebido. eu dei um sorriso de lado e ele chegou mais perto de mim, ele pois sua mão em minha nuca e subiu encaixando-a perfeitamente em meu rabo de cavalo, ele me puxou meu rosto junto ao dele, ele começou a me beijar de um modo exitante, enquanto ele me beijava ele tirou minha blusa e a jogou junto com as roupas dele 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...