História A Irmandade - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Assassino, Psicológico
Exibições 17
Palavras 1.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu quis escrever essa história pois toda história sobrenatural era muito "previsível" e eu quero com essa história deixar todos de boca aberta, 1 capítulo por semana ou mais quem sabe

Capítulo 1 - Como tudo começou...


Fanfic / Fanfiction A Irmandade - Capítulo 1 - Como tudo começou...

28/06/1728

~Rosner

Eu acordei primeiro, como sempre, eu olhei ao redor, o cheiro de esterco já estava no ar, todos estavam dormindo ainda, eu sempre fico preocupado com eles, viver em um lugar desse no estado que eles estão, ainda mais nessa idade, não é saudável, a mais nova, a Agnès tem 13, eu encontrei ela em um beco quando eu voltava de uma padaria que eu acabará de assaltar, eu me sinto muito mal por fazer isso sabe, mas é fazer ou morrer, quando eu voltei passei por um beco e ela estava lá toda ensopada de sangue, mas o sangue não era dela, tinha um homem do lado dela, alto e totalmente desfigurado, eu sequer sabia que era uma pessoa, ele estava aberto com mordidas e rasgos em todos os lugares, eu perguntei perguntei onde estavam os pais dela, então ela apontou para o lado:

-Ele disse que queria brincar comigo, bom brinquei, hahahahhaha.

Ela começou a rir, e o que mais me surpreendeu é que eu não me impressionei. Eu sabia que ela estaria sozinha agora, e uma criança sozinha não vive na França:

-Porque você não vem comigo ? Eu tenho uma família, você pode ficar conosco.

Ela aceitou mas ela sempre fora mais fechada.

Era por volta das 5 horas o sol estava  começando a raiar, eu sabia que eles ficariam com fome, eu não ligo ja passei muita fome na minha vida, mas eles, eles não merecem isso. Eu me levantei e chamei o Oli para nós irmos pegar comida em algum lugar, ele tinha uns trocados e por isso fomos no seu Fernandes, ele era um padeiro e por algumas moedas ele nos dava alguns pães, nos pegamos os pães e voltamos para casa, bem "casa" quer dizer a ponte que nos moramos, ela fica no porto e todo dia nos escutamos o som dos pés dos soldados passando em cima de nós. Quando eu cheguei,  o Denis ja estava contando as suas piadas matinais, ele tem 16 mas sua mentalidade é de uma criança de 2 anos. Eu distribui os pães para todos os 7 e depois um para eu, então o Oli me chamou

-Ei Rosner, vamos lá, temos muito a fazer hoje.

Sempre gostei do Oli, eu me levantei e segui ele, eu fiquei pensando como eu um homem de 18 anos pode ser responsável por 7 pessoas ? Será que estou pronto ? Será que eu consigo fazer isso ? Sinceramente eu não sei.

~Aimme~

-Eu estou cansada dessa porra!!!! Todos os dias roubando, batendo em pessoas por dinheiro, precisando fugir dos guardas. Pelo amor de deus!! A maioria de vocês já mataram e NINGUÉM SE IMPORTA!???!!!?

Eu saí correndo praia afora, eu sei que  não deveria ter falado aquilo, "nunca julge um livro pela capa pequena Aimme" eu lembro como minha mãe falava, acho que sou a única pessoa que ainda se lembra da sua mãe nesse circo de loucos. Sabe ontem eu estava conversando com o Thomas, nunca entendi muito bem ele, sempre misterioso da forma dele, e pra falar a verdade ele é bem bonito, branco, alto, olhos verdes, e aquele cabelo, todo bagunçado mas tão charmoso ao mesmo tempo, eu fui falar com ele ontem não me segurei, perguntei o por que é tão quieto:

-Quando eu tinha 12 anos, estávamos passando por um inverno muito forte, e por desespero minha mãe matou meu pai, ela arrancou os pedaços de carne dentro dele e os fez para nós comermos, então um dia a comida acabou, e ela me pediu em lágrimas para eu matar ela... E eu matei.

Então eu entendi o porquê que ele é assim, ele não confia nas pessoas, tudo pode mudar de uma hora para outra, é apenas uma questão de sobrevivência.

-Quer o meu ? O pão pode estar duro é ruim mas dois é melhor que um.

Ele me deu um susto tremendo, mas por incrível que pareça ele estava sorrindo, o Thomas, ele estava sorrindo eu pulei no pescoço dele, o abracei e disse:

-Obrigado, o seu sorriso é tudo que eu preciso para me saciar.

Eu sei que nada ocorreu, mas tenho um bom pressentimento a respeito do que vai acontecer entre nós dois. Quando eu estava voltando com ele eu me peguei pensando, " eles comem gente, eles roubam, fazem muitas coisas horriveis, mas no fim apenas eles que ficaram ao meu lado"...

~Louis

A Aimee voltou com o namoradinho dela sinceramente estou pouco me fudendo para eles, todos os dias é a mesma coisa essa menina filha da puta faz alguma merda ou da algum chilique, estamos na merda, vivemos embaixo de uma ponte, mas ela não aceita isso, ela está em um universo lindo e perfeito com a porra do namoradinho dela.

Não que eu tenha inveja sabe, cá entre nós, eu já me engracei com muitas mulheres por aí, para falar a verdade acho que sou o mais experiente daqui, e também o mais alto sabe, minha barba cresceu muito rápida pra minha idade, com isso eu consigo dizer para todo mundo que tenho 20 anos e eles acreditam, hahaha, eu digo isso rindo mas eu sei que é errado, mas sabe não tem como evitar as mentiras vem a minha boca como se fosse mágica, e eu não entendo o porquê isso acontece sabe isso se tornou algo comum, sempre que meus irmãos vão enrolar alguém eles me chamam, sinceramente estou pouco me fudendo para isso sabe, quer dizer eu os amo, eles são minha única família, mas eles são tão filhos da puta, por exemplo o Oli com todo aquele ar de mais velho, eu nunca vejo esse cara falar nada, e quando fala é algo como "ei, vamos ali" porra meu que idiota, odeio esse cara.

Sinceramente estou com raiva sabe, eu estou a um bom tempo sem fazer nada, na real eu fui estuprado beleza ? Falei, Por 6 anos eu fui estuprado e um dia eu peguei uma faca e capei o desgraçado, era meu tio, meus pais me rejeitaram, disseram que eu era um demônio por ter feito sexo com ele, hahaha eles sequer se importaram por eu ter capado o meu tio, hahaha ,eles me expulsaram de casa, mas eu voltei, e quando eu voltei mostrei a eles, quem eu realmente sou, o demônio que vive aqui dentro, quando eu terminei, eles estavam chorando, eu olhei pra eles e comecei a rir, o que ? Você não acha engraçado uma pessoa coçando a cabeça com o próprio pé ? Hahahaha, eu rio até hoje... Mas eu sempre me lembro... Todas as noites... Nunca deixe o demônio sair...

Continua...







Notas Finais


Bom é isso eu não quero falar tudo no primeiro capítulo, isso foi mais uma sinopse, eu quis apresentar mais os personagens nesse capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...