História Diario de Um Shinigami - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach, Dakara Boku wa, Ecchi ga Dekinai, Death Note, Soul Eater
Tags Bleach, Death Note, Soul Eater
Visualizações 4
Palavras 931
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ecchi, Escolar, Luta, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oia eu aqui outra vez. Sabado dia 12/08 como prometido. Obrigado a quem esta lendo e gostando.

Pergunta: Quem tem uma sogra que é o cão em pessoa? Eu não tenho, mais sei que existe.

Capítulo 4 - A grande familia. Literalmente


Dentro da casa, percebi que ela era bem maior do  que aparentava ser por fora. Norima, a garota que aparentava ser mais velha disse enquanto me carregava.

-É bem grande não.

Minha resposta.

-Hã, o que?

-A casa. Nossa casa, ela é bem grande não acha?

-Ha. Sim, é bem grande. Mas, quantos pessoas moram aqui?

-26 pessoas. Tirando os novatos.

-Nossa. Tem tanta gente assim.

Acabavamos de chegar a um quarto que parecia com uma enfermaria. Fui jogado em cima da cama, e Norima começou a procurar algo na gaveta da comoda ao lado da gaveta. Ate que.

-Ha, finalmente. Aqui Kazuto, se vira.

Quando olhei para a mão dela, vi a pior coisa que eu poderia imaginar no momento. Uma seringa com uma agulha de ponta gróssa.

-Haaaaa Não. Você não faria isso. Por favor não!

Ela me virou, levantou minha camisa e disse.

-Dexa de ser froxo. É só uma picadinha. É pra acabar com a dormencia do seu corpo.

Só senti uma dor insuportavel nas minhas costas.

-P@#$a. C@#!$alho. Filha da p#@$. Haaaahaaaa.

-Nossa. Que escandaloso.

Pouco tempo depois, eu ja conseguia me mover. Logo fui para a parte central da casa, ou a sala de jantar.

-Ai, ai. Isso aqui ainda ta doendo sabia.

Quem me repondeu foi Norima.

-Sinceramente. Você é bem froxo sabia. Vé se cresce.

Quando entrei na sala, vi doze pessoas sentadas ao redor da mesa. Todas eram mulheres. Uma delas, aparentemente mais velha que as outra disse.

-Esse é o novato. Finalmente mais um pra familia.

Essa era ruiva, se parecia muito com Estela. Uma outra mais velha, dessa vez com um cabelo cinza disse.

-Ei foi você quem gritou agora a pouco. Vé se toma cuidado com o que fala.

Disse ela apontando para uma menininha tambem de cabelo cinza, essa aparentava ter uns 7 anos de idade.

-Ha me desculpe por isso. Eu acabei de tomar uma injeção maior que um palito de fosforo.

Norima me deu um tapa no local da injeção e disse enquento eu sorria quase chorando.

-Não precisa ezagerar. Froxo.

A mulher ruiva se levantou e disse.

-Bem. Sente-se por favor Zazuto. Nós estavamos esperando você.

Eu percebi que ela estava sorrindo, mais não parecia estar muito feliz.

-Serio obrigado senhora..?

-Naume. Pode se sentar aqui se quizer.

Ela falou isso apontando para um lugar vazio ao lado dela. Resolvi me sentar, mas percebi qie todas as outras mulheres estavam me olhando com um olhas de pena. Me senti meio violado naquele momento.

-Mas então que assunto vocês tem a tratar comigo. É sobre esse casamento arranjado.

Quando disse isso, Naume se retirou e depois de um pequeno momento Hayate entrou na sala dizendo.

-E então. Onde esta a comida, to morrendo de fome. Ho, Kazuto você ja esta aqui. Que beleza, vamos...CUIDADO.

Quando ele disse isso, ouvi um grito atraz de mim. Olhei para traz e vi Naume vindo em minha direção com uma espada bem grande.

-MORRA SEU TARADO. Você vai pagar pela minha filha!

Ela quase me acertou, mas consegui me desviar me jogando pro lado.

-Calma. Senhora Naume. Não precisa fazer isso.

Eu corri ate a porta, mais uma garota de cabelo cinza me empediu.

-Hãhã. Vai ter que aguentar ate o fim.

Quando olhei ao redor, vi todos sentados perto das paredes, inclusive Hayate. A minha frente estava Naume, com um olhar de raiva imensuravel, não sabia o que tinha que fazer, mais invoquei minha lança e disse.

-Eu ja tive um dia bem conturbado hoje. Pelo menos, me diga o que foi que eu fiz com a sua filha?

Não pareceu que ela me ouviu, só que ela partiu pra cima de mim gritando.

-Fo@#$se. EU NÃO QUERO OUVIR NADA QUE VOCÊ TEM A DIZER.

Quando vi Naume vindo em minha direção, me lembrei de um dos golpes que Hayate me ensinou. Esquivar pro lado, mais manter a lança apontada na direção do inimigo em modo de ataque. Foi o que eu fiz, mas não consegui acerta-la.

-Droga...

Mais uma vez ela veio em minha direção, só que dessa vez com a espada acima da cabeça em posição de corte. Coloquei a lança entre minhas mãos e consegui defender o ataque. Joguei-a para traz e parti pro ataque com a lança a minha frente. Ela se desviou de novo e dessa vez ela me golpeou com o punho da espada no lugar da injeção. Só que consegui bater com a mão entre as penas dela. Foi eu e ela no chão gritando de dor.

-Aiaiaiaia[...]Tarado de mente suja. Logo aqui. Eu vou te matar Kazuto.

-Desculpa. Mais isso não valeu sabia, bater logo no ponto fraco.

Todos os que estavam na sala começaram a rir. Hayate veio ate nós dizendo.

-Hahahaha. Essa foi boa Kazuto. Naume ja chega, o teste acabou. Hahahai

Me levantei e dei a mão para Naume se levantar. Ai eu percebi algo.

-Me desculpe por isso. Mas, você disse minha filha. Significa que você e a mãe da Estela não.

Ela estava meio torta, mais de pé, e disse.

-Agora que percebeu. Seu tarado, concerteza deve ter feito algo com a minha filha só de ter visto o aviso.-Colocou as mãos em reza, e com um olhar de alegria-Ha minha filha querida. Deve estar chorando depois de ser violada. Coitada.

Hayate ficou de frente pra ela e disse.

-Naume. Não se preoculpe, ele só soube disso quando chegou aqui.

Simplismente ela mudou de expressão para normal e disse.

-Serio. Ha, ataquei ele por nada. Desculpa Kazuto, te julguei mal.

-Era por isso.-Sussurrando disse-Se bem que, ela me deu uma ideia.

Naume--O que disse.

-Ha nada. Mais, sera que vocês poderiam servir algo pra comer. A minha barriga ja ta doendo de tanto roncar.

Naume--Depois dessa zona, ate eu fiquei com fome. Vamos meninas, podem servir o jantar.

Ai eu percebi algo.

-Jantar. Mais, que horas são. Os meus pais vão chegar logo em casa. Eu não acredito que me esqueci disso. DROGAAA.

    CONTINUA...


Notas Finais


Quatro fucking horas. Serio, eu passei esse tempo escrevendo esse capitulo. Espero que tenham gostado, e assim que der eu posto outro. VALEU...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...