História Diário de uma bipolar e esquizofrênica - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Bipolaridade, Depressão, Doença, Esquisitice, Esquizofrenia, Mania, Pessoas, Toc, Tristeza
Visualizações 35
Palavras 473
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Bom, não sei se é interessante para vocês lerem algo desse gênero aqui, então se não gostarem eu retiro essa história, mas eu resolvi tentar de alguma maneira me expressar fora das história de fantasia e também quem sabe ajudar alguém que não está bem passando por isso sozinho (a).
Espero um feeback de vocês para saber se isso é interessante ou não.
Desde já o obrigada de sempre e bom mergulho na mente de uma bipolar/esquizofrênica...

Capítulo 1 - Apresentação


Fanfic / Fanfiction Diário de uma bipolar e esquizofrênica - Capítulo 1 - Apresentação

Hey, me chamo...esquece, pode me chamar de Gê e esse é o meu diário.

Eu sou bipolar diagnosticada desde os 18 anos e um mês, porém os primeiros surtos ocorreram cerca de três anos antes.

Vamos deixar claro algumas coisinhas aqui:

1- Bipolaridade é doença e não um chamariz de atenção;

2- Bipolar é diferente de esquizofrênico;

3- Há diferença entre mudar de humor porque algo aconteceu e por motivo nenhum;

4- Ser diferente não é ser um problema, isso é totalmente natural. Se todo mundo fosse igual qual seria a graça?

Ok, dito isso vou continuar... Eu tive uma vida bem conturbada e ao mesmo tempo muito boa para as circunstâncias em que me encontrava. Eu nasci por desejo de "ambos" os pais, numa família unida e feliz, com uma menina perfeitamente amável (minha irmã), com um pai brincalhão e atencioso, com uma mãe exigente porém cuidadosa. Mas como eu disse, não foi tudo perfeito. Aos meus quatro anos e onze meses meus pais decidiram que não ficariam mais juntos como um casal, viveriam juntos, porém sem ter nada, isso não durou muito tempo no mês do meu aniversário (dias depois dele) meus pais se separaram de vez, dividiram a casa ao meio com um guarda-roupas (literalmente) e no fim ele saiu de casa. Sinceramente, MEU DRAMA FAMILIAR NÃO IMPORTA.

Enfim, filha de pais separados que se odeiam, com uma irmã que morre de raiva por ser comparada com ser a sua mãe eu me afundei nos esportes, dançava até não aguentar mais, competia, treinava de segunda a segunda, mas um acidente aconteceu e eu me lesionei e tive que parar, tentei prosseguir sem tanto esforço por mais um ano, mas a falta de ar, a agonia, o desespero, a tremedeira não deixaram. E foi aí que tudo desmoronou.

Setembro de 2010!! Eu comecei a perder a movimentação do corpo, a perder a fala, a tremer mais do que o normal (a ponto de sair do banco no qual estava sentada), meu corpo inchou, meu coração acelerou e parecia que eu iria morrer. Eu tinha 15 anos...

Nos hospitais disseram que eu tinha asma...tratamento besta que me deixou realmente com uma deficiência respiratória. Gente EXISTEM PROFISSIONAIS NÃO QUALIFICADOS, mas não são todos!! Eu por fim vou pular para o presente momento. Chega de contar o passado.

Há uns meses eu troquei de psiquiatra, ela é bem simpática e bastante atenciosa (e olha que eu não sou de gostar das pessoas), ela identificou sintomas esquizofrênicos em mim. Eu vejo coisas ok? Eu mudo de humor sem motivos, eu tenho crises de pânico e ansiedade, eu tenho fobia social, tenho depressão e pra completar fico taquicárdica com frequência.

Eu hoje não sou uma pessoa comum e provavelmente nunca vou ser, mas eu às vezes consigo entender e aceitar isso e nesses momentos eu escrevo.


Notas Finais


Foi um capítulo confuso e com informações demais e soltas, mas ainda não descobri como vou me expressar com vocês.
Vou melhorar, juro de dedinho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...