História Diário de uma bipolar e esquizofrênica - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Bipolaridade, Depressão, Doença, Esquisitice, Esquizofrenia, Mania, Pessoas, Toc, Tristeza
Visualizações 8
Palavras 656
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Algo bom pra compartilhar e desabafar *-*

Capítulo 13 - Sobre escrever...


Lembra quando eu disse que nem tudo é ruim? Então tem coisas boas não você tem uma imaginação fértil, nesse caso para mim vantagem é que eu consigo uma mente aberta para escrever. Eu gosto de criar textos, criar peças, criar livros, criar poemas... qualquer coisa e nesse caso você consegue escrever melhor quando sua imaginação voa por aí.

Eu tenho uma facilidade enorme de fantasiar, eu fico com a mente no mundo da lua, eu vivo fora da realidade, então escrever algo fora do comum para as pessoas é super natural.

Eu gosto muito de vampiros...eu vi meu primeiro filme de vampiro com oito anos, era "O pequeno vampirinho", um filme brega e com pouquíssima qualidade, mas na época era maravilhoso para mim. Eu comecei a por lençóis como capas e queria ser um aristocrata, fingia ser uma vampira e meu pai como muito religioso detestou isso e me proibiu de ver isso na casa dele (eu assistia ao filme todo dia na hora do almoço por uma semana).

Depois desse eu gostava de coisas assim, mas nada que me recorde com tanto afinco como aos meus catorze anos, eu vi o clichê adolescente "Crepúsculo", na época fiquei louca e li toda a saga (e odiei os filmes), com o tempo vi que um vampiro brilhando no sol não era legal...

Daí em diante fui afundando nas literaturas vampíricas. Eu fui ler "As crônicas de Sookie Stackhouse" (nossa essa escritora é ótima, tudo sobre o mundo sobrenatural ela tem, não tanto quanto meus delírios claro, mas é muito boa), "Quando a humanidade prevalece" (esse é muito bom, uma saga brasileira que posso dizer, é foda!!), "Vampire Academy" (muito bom, mas o final me decepcionou), li outros não tão bons assim também.

Vi The Vampire Diaries desde o lançamento no Brasil, The Original também, muitos filmes de vampiros...

E escrevi sobre alguns também, mas nada que fosse bom.

Recentemente eu decidi escrever "The New Blood", o sangue sintético foi ideia das Crônicas de Sookie Stackhouse, mas pensei em por que não mostrar a formação do sangue, por que não criar um fator solar que não os permita ficar de pé no sol sem ajuda de bruxaria como em The Vampire Diaries, ou por que não ter outros seres como uma Fênix ou um anjo, ou mesmo por que não tratar de reencarnação e de forças da natureza, evolução dos seres...? Tudo pareceu o máximo e eu coloquei empresas no meio, vampiros estudados, uma organização de tudo centrada na mão de vampiros criados pela má evolução das espécies...vários seres imortais sem serem os próprios sugadores de sangue, resolvi fazer um mix de tudo o que adquiri sobre essa "raça" e por minha imaginação junto com isso pra ver no que dá.

Nisso tudo? Estou orgulhosa do progresso. Mas tenho muito o que melhorar...

Criatividade é o que não me falta, mas não gosto de ter minha autoria comparada com True Blood, a série baseada (muito mal por sinal! A HBO fudeu com a saga) em Crônicas de Sookie Stackhouse.

Cara a Charlaine é ótima escritora, mas a história dela é mais voltada pra putaria, ela gosta de drama de relacionamento, a principal (Spoiler) fica com quatro homens interessados nela e em algum momento ela ficou com cada um deles, mesmo que não tenha ido pra cama com um deles. Mas não tô afim de uma mocinha indefesa presa no meio de vários sobres amantes. Não quero uma puta, quero alguém forte que saiba se virar, alguém que pode matar sem dó nem piedade, alguém que vai fazer sua vontade imperar e que tem poder para comandar e liderar uma guerra sem igual na história.

Eu não quero uma telepatazinha que nem vampiros consegue ler, que com um soquinho cai roxa...

Enfim, detesto gente que quer limitar meu potencial.

Escrever é uma arte, é algo que me traz paz e põe pra fora meus delírios noturnos, que põe meus medos e desejos expostos. É minha segunda paixão em questão de hobbie.


Notas Finais


📖📖📖 eis um segredo meu revelado antes da hora, um Spoilerzinho pra quem acompanha The New Blood haha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...