História Diário De Uma Estrela - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Colton Haynes, Emily Bett Rickards, Katherine Evelyn Anita "Katie" Cassidy, Stephen Amell, Willa Holland
Personagens Emily Bett Rickards, Stephen Amell
Tags Arrow, Olicity, Stemily
Visualizações 83
Palavras 4.876
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Científica, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoas, demorei mas assim como Arrow, I'M BACK haha.
Me desculpem pelo sumiço mas foram diversos fatores como provas, trabalhos, desilusões amorosas dentro(por culpa do nosso querido Amell) e fora da história rsrsrrs. O importante é que estou de volta. Pretendia prolongar ainda mais esse acampamento, porém, todavia, quero pular logo para as partes mais interessantes que é o desenrolar dessa história.
Sem mais delongas, vamos à leitura e nos vemos nas notas finais.

Capítulo 8 - Amigos


Olá meus amores, me desculpem os dias ausente, eu precisava parar um pouquinho e me forçar a voltar a viver novamente, o sentido da vida é caminhar para a frente e já está mais do que na hora de começar a fazer isso, mesmo que eu não tenha muita vontade. Tenho passado muito tempo com um amigo que conheci recentemente, vocês tinham que conhecer, é uma pessoa extraordinária e nossas histórias se parecem um pouco de forma que temos nos aproximado bastante e passamos muito tempo conversando entre as gravações e nas vezes que saímos, estou mais feliz, meus amores. A dor? Bom, essa ainda continua aqui e não tenho certeza se algum dia vai parar de doer, só espero que se torne cada dia menor e mais suportável, e que um dia eu possa dizer que ela não existe mais. Gostaria de dizer também que apesar de ter estado ausente, senti saudades de estar aqui, por isso voltei e vamos à nossa terapia ao qual eu lhes conto minha história e vocês me ouvem, ou no nosso caso, me leem.

(...)

Fizemos o caminho de volta sem pressa, caminhando de mãos dadas e aproveitando o encanto por trás desse ato tão simples que trazia tanta emoção, eu estava tomada por uma alegria contida que me fazia desejar pular e gritar a minha felicidade, mas não o fiz, a única coisa que fazia era apertar mais e mais sua mão na minha enquanto as balançava e o olhava de minuto em minuto. Era surreal esse momento.

-Você sabe que não vamos poder fazer isso tão cedo, não sabe?

- Isso o quê? –perguntou tentando entender ao que me referia, o vinco em sua testa indicando sua confusão.

- Andarmos assim, de mãos dadas, nos beijarmos, fazer coisas de casal. –suspirei um pouco frustrada, eu odiava pensar que teria que me esconder por medo de ser descoberta, logo eu que fazia mais o estilo espírito livre. Ouvi seu suspiro também frustrado.

- Eu sei, é por isso que quero cuidar das questões do divórcio o quanto antes. Não quero prolongar isso mais do que o necessário e não quero e não sei quanto tempo vou conseguir esconder do mundo que estamos juntos e que estar ao seu lado é o que eu realmente quero.

Senti as borboletas do meu estômago dançarem felizes ao ouvi-lo dizer isso, mais eu sabia que não poderia deixar as emoções falarem mais alto ou acabaríamos fazendo alguma besteira.

- Mesmo que o divórcio saia rápido ainda vamos ter que ser cuidadosos em manter nossa relação em segredo por um tempo, você sabe, vai ser um alvoroço quando essa notícia vazar e vai levar algum tempo até que os fãs se acalmem, até lá não teremos saída a não ser seguir em segredo.

- Vai ser difícil, eu sei –ele parou me puxando de encontro ao seu corpo e com a mão que segurava a minha, apoiou minhas costas nos mantendo unidos- Mas também sei que vou ter você e isso é o que me faz ter forças para continuar sem querer mandar tudo ao inferno e gritar aos quatro cantos tudo que sinto e tudo que quero.

- Desse momento em diante sempre estarei ao seu lado e vai ser sempre assim. – O vi sorrir antes de segurar seu pescoço e me içar para beijar-lhe os lábios.

Chegamos no chalé e fomos direto para a cozinha, se houvesse alguém acordado com toda certeza estaria lá. Ninguém na cozinha. Chequei a área da piscina e a sala e também não havia ninguém.

- Somos os únicos capazes de acordar cedo numa segunda feira, somos sobreviventes. – Stephen comentou assim que voltei para a cozinha.

- Não sou tão forte assim, só estou aqui por que um certo alguém não me deu escolhas. –sorri  me erguendo e sentando na bancada da cozinha, peguei uma maça e mordi em seguida, ele se aproximou sorrindo colocando suas mãos ao redor de minhas pernas e beijando o canto de minha boca.

- Emily Bett Rickards, eu não esperava que você fosse tão dorminhoca, ainda mais gostando tanto da natureza como a senhorita gosta.

- O quê? Eu amo a natureza e estar entre ela, mas dormir um pouco mais não vai fazer com que ela desapareça quando eu acordar.- dei de ombros sorrindo.

- Você tem razão, mais o sol não vai esperar você acordar para nascer e não valeu a pena o esforço? – me olhou sorrindo de canto e me fazendo avaliar toda a perspectiva e o quanto já tinha sido maravilhoso estar com ele naquelas primeiras horas do dia. Sem dúvidas que tinha valido a pena, sorri de volta.

- É claro que valeu a pena... Ver o nascer do sol. – emendei fingindo desinteresse e sorrindo sacana. Stephen se inclinou para mim e eu sorri imediatamente me abaixando para beijá-lo, mas fiquei a ver navios quando ele se desviou de mim mordendo a maça em minha mão.

- Huum, estou morrendo de fome, acho que vou fazer nosso café, você me ajuda? – se afastou sorrindo da minha cara de boba e do bico que eu ainda fazia esperando pelo beijo que não ganhei.

- O que eu tenho que fazer? – Desci da bancada fazendo bico por ter sido decepcionada e Stephen riu alto.

- Tem que me beijar. – me virou puxando-me pela cintura e já cobrindo meus lábios com os seus em um beijo que só permiti que ele se afastasse quando o ar se fez necessário.

- Sabia que não resistiria. – sorri convencida assim que nos afastamos. Ele me prendeu entre seu corpo e a bancada.

- E como resistir? – segurou meu queixo e ergueu meu rosto para encontrar meus lábios novamente, sem pressa dessa vez- Eu poderia te beijar o dia todo que ainda assim não seria suficiente. Só que agora pretendo preparar o café, podemos nos beijar bastante mais tarde. –meu deu um rápido selinho antes de se afastar e começar a procurar os ingredientes do tal café.

- Eu não poderia estar mais ansiosa.

Continuei encostada à bancada apenas o observando balançar a cabeça em negativa e sorrir enquanto se movia pela cozinha pegando uma coisa e outra que eu não poderia adivinhar para qual finalidade. Eu pensava que seria um café simples e só para nós dois, mas me surpreendi quando Stephen começou a preparar uma massa de bolo e em seguida disse que faria panquecas para todos.

- Desde quando você sabe cozinhar? – Resgatei minha maçã e voltei a mordê-la enquanto o encarava curiosa.

- Desde que minha mãe me ensinou, eu acho. Também sei fazer massas e alguns outros pratos. Além das atividades extracurriculares que não envolvem a cozinha, mas sim outro cômodo da casa. – Piscou sorrindo e eu entendi a malícia por trás de suas palavras, o que me fez lembrar da piscina na noite anterior e corar violentamente.

- Oh, eu imagino que as faça muito bem. –resolvi entrar na brincadeira. Aproximei-me pousando as mãos em seus ombros e beijando seu pescoço, me aproximei ainda mais de seu ouvido a fim de sussurrar para ele como se tivesse alguém nos ouvindo – Posso ser uma ótima aluna, caso queira me ensinar.

Ele parou de mexer a massa para me olhar e eu devolvi o mesmo sorriso que ele tinha me direcionado antes de me afastar para ir até a geladeira. Ele soltou uma risadinha um momento depois, chamando minha atenção.

- Na verdade, tenho a impressão que você é uma professora à altura.- e lá estava mais malícia em sua voz, não resisti gargalhando alto, usei do meu aleatorismo para mudar de assunto .

- Eu acho que vou cortar umas frutas. – me levantei com as frutas nas mãos e fechando a geladeira, parei do seu lado ainda sorrindo e me concentrei no meu trabalho.

Entre todas as opções do cardápio daquela manhã a única que eu poderia fazer com segurança e certeza de que não daria errado era cortar as frutas, então não tive pressa me dedicando tanto naquele trabalho que quando finalmente terminei, Stephen já havia quase terminado de fazer todas as panquecas e já começava a preparar uma vitamina, intervi antes que ele me pedisse para fazer algo que eu não fosse capaz de fazer.

- Hey, me deixe fazer isso e você pode ir terminar sua tarefa. – sorri pegando a garrafa de leite de suas mãos e já despejando dentro do copo, ele retribuiu o sorriso beijando minha bochecha e voltou para suas panquecas.

- Não se esqueça da... Em não! – Ele gritou me alertando, mas já era tarde demais.

Em um segundo eu apertava o botão de ligar do liquidificador e no outro eu estava tomando um banho de vitamina de morango. Cabelo, rosto, roupa, nada havia escapado, além da pia e da parede estarem sujas e uma pequena parte do chão de madeira. Apressei-me em desligar o motor que insistia em jogar aquele liquido em mim e quanto mais eu tentava, mais aumentava a velocidade já que com o nervosismo eu apertava os botões errados. Stephen veio ao meu socorro e finalmente desligou o maldito motor. Virei-me o olhando envergonhada enquanto ele se dobrava de tanto rir.

-Acho que esqueci da tampa.

-Olhe para você, Em, oh boy!.-ele continuava se desmanchando em risos, mal conseguia formar uma frase.

- Não tem graça, isso poderia acontecer com qualquer um. –fiz bico.

- Claro querida, não se preocupe, deixe-me limpar você. –virou-se ainda rindo para pegar uma toalha na mesa e voltou passando-a por meu rosto e cabelos- Humm, está muito cheirosa... meu moranguinho.

- Oh céus, é por isso que não gosto de cozinha! – resmunguei enquanto ele ainda tentava me limpar.

- Eu percebi. – abafou o riso quando o olhei feio- Tome um banho e acorde o pessoal enquanto eu termino tudo aqui.

- Bom dia pessoas – virei para sorrir para Colton quando ouvi sua voz e ele me olhou com os olhos arregalados- Wow! Eu vou querer saber o que aconteceu aqui?

- Estava brincando de casinha e você sabe o que acontece quando eu brinco de casinha. – ele riu e Stephen abafou o riso mais uma vez.

- Vamos ter Ems de sobremesa no café da manhã então?

- O inferno que vamos, Haynes- Stephen interveio em tom brincalhão mais eu podia sentir a verdade por trás de suas palavras.

- Não acredito que a mona foi arrumar um boy ciumento. – ele bateu a mão na testa teatralmente e Stephen e eu rimos de seu drama.- Você precisa já pegar uns vales nigth’s para irmos para as baladas.

- Arrume outra companhia, Haynes, a Em agora só vai ao cinema e a sorveteria. – ele sorriu me abraçando e beijando meus cabelos embaraçados com a vitamina que havia caído neles.

- Eu vou? Acho que ainda não conversamos sobre isso.

- Isso mesmo, Ems, mostra quem manda nessa relação. –Colton bateu palmas sorrindo- Aliás, o que eu perdi desde ontem pra essa relação ter evoluído para esse ponto?

- Conversamos hoje de manhã, finalmente contei que estou me separando e decidimos tentar, mas vamos devagar até que o divórcio saia e as coisas se acalmem para nós dois. Conto com você para guardar nosso segredo, Haynes.

- Não precisa nem pedir, é como te disse ontem quando estávamos no barco, eu só quero que faça a minha amiga feliz e cuide dela, de resto, podem contar comigo para o que vier.

- Oh Col, eu amo você, me abrace. –caminhei emocionada de braços abertos ao seu encontro e ele se esquivou.

- Nem pensar, Ems, acabei de tomar banho e você está completamente suja de sei lá o que e que tem cheiro de morango. Eu também amo você mais por favor, vá tomar um banho que eu e o Amell daremos um jeito na sua bagunça. Prometo que depois dou quantos abraços você quiser. - Piscou e deu a volta por mim, indo direto para onde estava minha bagunça.

- Está bem, seu insensível sem coração, eu vou já que acabei de ser dispensada por meu melhor amigo. - abaixei os ombros e a cabeça fingindo tristeza e subi para tomar um longo e demorado banho.

Acabei demorando mais do que o previsto no banho, o doce da fruta tinha se impregnado mais do que deveria nos meus fios e tive uma grande dificuldade para limpar tudo, além de optar por secar meus cabelos antes de descer, de modo que quando cheguei para o café recebi um grande coro em forma de reprovação por minha demora.

Stephen e Colton tinham preparado a mesa do café no jardim e vale ressaltar que eles capricharam bastante na arrumação, era uma mesa digna de Buffet, o que me fez notar que eles haviam adicionado novas opções ao cardápio, talvez uma forma de suprir minha demora para descer, quem sabe.

Colton veio ao meu encontro me pegando em um abraço de urso e afirmando que estava  pagando sua dívida de mais cedo, me indicou o assento que estava reservado para mim entre ele e Stephen, fato que não passou despercebido para o restante da turma.

Nosso café foi regado a muitas risadas e conversas animadas, ao qual falamos sobre as férias e o que achávamos que Marc e os outros teriam em mente para a próxima temporada já que só saberíamos de fato como seria alguns dias antes de começarmos a gravar, as ideias eram cada uma piores que as outras, meus amigos tinham uma imaginação bastante fértil, preciso admitir, tão fértil que eu chegava  a duvidar  que estavam mesmo falando sério. Dentre todos, quem mais chegou perto de acertar o que aconteceria foi David, claro que na sua concepção ele acrescentou muitos outros devaneios, mas também disse muito do que realmente aconteceria e se tivéssemos feito um bolão, com toda certeza seria ele a levar o prêmio.

Ficamos tanto tempo assim conversando que metade da manhã já havia passado quando resolvemos jogar vôlei antes do almoço. Éramos 8 pessoas, mais os times foram divididos em meninas contra meninos. Audacioso, não? Porém, por mais que estivéssemos em vantagem e Caity e Willa serem muito boas no vôlei, ainda assim perdemos para os homens. Gosto de dizer que a vitória se deve ao fato de que são mais fortes, mas no fundo todos sabemos que eles também jogaram muito bem. Jogamos várias partidas, até que nos demos por cansados e decidimos que era hora do almoço.

Com minha péssima experiência na hora do café da manhã, decidi que não tentaria outra vez no almoço e deixei o trabalho para os mestres, até por que, ninguém quis aceitar minha ajuda quando me ofereci... Então eu compensaria com a louça depois. Todas as garotas estavam entretidas com alguma tarefa, até Colton estava as ajudando, de forma que só Stephen e David estavam na ala da piscina tomando cerveja e conversando o que eu pensei que seria uma conversa de homens, então decidi apenas pegar meu exemplar e ir para algum canto distante e não atrapalha-lhos, porém, pediram que me  juntasse à eles e assim o fiz. Era uma sensação de dejavú estar apenas nós três, como se estivéssemos no esconderijo de Arrow e estivéssemos gravando, erámos um time, meu OTA.

- Te expulsaram da cozinha, Ems? –David me brincou assim que me sentei ao lado de Stephen.

- Depois do desastre de hoje de manhã ninguém quis arriscar e não pensaram duas vezes em me expulsar, não faz mal, culinária não é o maior dos meus amores. –sussurrei em tom de confissão e Stephen sorriu me passando uma cerveja.

- Ainda bem que você é uma boa atriz e seria uma ótima cantora se decidisse seguir por esse caminho, Em.-Stephen sorriu piscando para mim e de certa forma seu comentário sarcástico não me ofendeu por que eu sabia que por mais que ele estivesse tirando onda, também estava me fazendo um elogio.

- Não posso negar, esse sempre foi meu destino, desde criança. –sorri orgulhosa.

- Como o Amell disse, é uma atriz maravilhosa, realmente não dá para ser perfeito em tudo, nós te perdoamos.

- Oh, muito obrigada David, não sei o que eu faria sem o perdão de vocês, isso é muito importante para mim. – agradeci em tom brincalhão revirando os olhos.

- falando sério agora Ems e também mudando completamente o assunto, eu quero dizer que estou muito feliz por você e Stephen estarem tentando se acertar, eu tenho acompanhado a história de vocês por um longo tempo e mesmo sem dizer nada, eu já sabia que estava acontecendo de certa forma, algo entre vocês. – ele notou minha expressão de quem iria protestar e tratou de se explicar melhor- Não estou me referindo à um envolvimento amoroso e sim um envolvimento sentimental. Eu sei que Stephen estava tendo problemas no casamento e como estava sendo difícil para ele, por mais que ele não deixasse transparecer. Acho totalmente natural que com o tempo tenha surgido uma atração, isso era totalmente esperado, mesmo que vocês não soubessem ainda, eu já sabia. –ele sorriu de canto quando me viu formar um O com a boca e permanecer calada sem ter o que falar, então continuou quando viu Stephen segurar minha mão e sorrir- Então não foi surpresa para mim quando num certo dia Stephen me procurou para conversar sobre seus medos e confusões.

- Isso é verdade, eu estava muito perdido e confuso, com medo do que eu estava sentindo e sem saber com quem dividir tudo que estava me atormentando, vi em David um amigo e desde então ele tem sido como um terapeuta. –Stephen interrompeu sorrindo.

- Preciso dizer que foram muitas vezes que ele me procurou lamentando, Ems. Stephen quase chorava por achar que você não correspondia aos seus sentimentos, por mais que eu afirmava que sim, ele insistia em negar.

- O que queria que eu pensasse quando ela fugia de todas as minhas investidas? Quando me ignorava e fingia que não era com ela? – Stephen retrucou brincalhão.

- O que queria que eu fizesse? Me atirasse em seus braços sabendo que era casado? Eu não podia me permitir ter esperanças, não podia me permitir nem olhar para você de outra forma se não como amiga, era torturante e tentador, mas não! Mais torturante ainda fingir que não notava tudo isso. –falei o encarando e bebericando minha cerveja.

- Eu sei e te admiro ainda mais por isso, você tem ainda mais qualidades do que eu imaginei e está sempre me surpreendendo. – apertou suavemente minha mão me dando um selinho em seguida. – E preciso confessar que David foi quem deu a ideia de me aproveitar daquele primeiro beijo e testar sua reação.

- Oh, muito obrigado por me entregar, cara. – David lhe lançou um olhar de falsa indignação e me olhou com cara de culpado- desculpe Ems, mas você sabe, não aguentava mais Stephen e suas ladainhas, nem a cerveja já fazia mais efeito.

- Eu posso imaginar o quanto você sofreu. –sorri amenizando sua culpa e me inclinei em sua direção fingindo novamente estar contando um segredo – Muito obrigada por isso, David, tem um lugar especial no meu coração. – ele sorriu aliviado, voltei a minha posição inicial. - Mais não pense que seu trabalho acaba aqui, por que agora você vai ter que aguentar não só o Stephen, mas eu também. – ele alargou ainda mais o sorriso.

- Fico muito lisonjeado, Ems, estou muito feliz com minha função nisso tudo, mais feliz ainda em ver que estão bem e que as coisas só tendem a melhorar e estou torcendo que melhore o mais rápido possível. De qualquer forma, sempre estarei à disposição dos dois, afinal somos um time, tanto dentro como fora do show.

- Oh David, muito obrigada mesmo, do fundo do meu coração. –me ergui emocionada e apertei sua mão o abraçando em seguida. David era uma das pessoas mais próximas desde que entrei para o elenco regular, ele tinha um toque familiar que me fazia considerá-lo até mesmo como um irmão, a confiança e amizade surgiram quase que instantaneamente – Não imagina o quanto está sendo importante ter esse apoio, ainda mais sabendo que temos uma longa caminhada pela frente e que nada será fácil. Nesse momento e no que está por vir, nada é mais importante do que saber que podemos contar com seu apoio e amizade, isso me dá forças para prosseguir.

- Em tem toda a razão, não será nada fácil e poder contar com você é essencial para prevalecermos fortes. Você sempre terá um amigo e irmão para contar, não só por estar do nosso lado, mas por sempre se mostrar um amigo de verdade. –Vi Stephen apertar a mão de David e sorrirem muito mais emocionados do que demonstravam verdadeiramente. Eu não poderia estar mais orgulhosa e feliz por presenciar e fazer parte de algo assim.

- Agora me contem, qual vai ser o plano? – ele nos olhou divertido enquanto mudava um pouco o assunto novamente e logo depois assumiu um tom mais sério. – Temos um plano, não temos?

-Não sei se é bem um plano –sorri nervosa- Mas enquanto Stephen trata dos assuntos do divórcio, vamos manter nossa relação em segredo.

- Também optamos por não deixar que muitas pessoas saibam, eu pessoalmente não confio em algumas pessoas e também quanto menos souberem, menos chances de vazar alguma informação de maneira errada e sem que seja a hora certa. – Stephen completou já segurando minha mão outra vez.

- Compreendo e também acho sensato que façam assim. – David se sentou novamente, sua expressão de quem analisava os fatos- Também acho que será exatamente isso que os produtores e assessores vão propor, para evitar escândalos e toda a questão da série e o possível caminho para os personagens de vocês dois. – fez uma pausa continuando pensativo e então completou. - Também temos que pensar na Emily, se essa noticia vazasse antes do momento certo, Emily certamente seria acusada injustamente e isso poderia prejudicar até mesmo a carreira dela.

- Sei disso, David. – Stephen me abraçou me puxando para junto de si e me passando confiança em seu contato. – Tenho pensando nela antes de qualquer coisa e serei bastante cauteloso sempre que for pensar e agir. Serei bastante cuidadoso para que tudo saia conforme os planos.

- Mas no final das contas, acho que vamos ser cuidadosos mais pela série do que por nós mesmos, você sabe, toda a questão do contrato e não se envolver em escândalos. - completei.

- De qualquer forma, não podemos arriscar. – sorriu caloroso beijando-me os lábios.

- E quando vão contar aos outros? – David nos interrompeu chamando nossa atenção- Ou não pretendem contar?

- Agora na verdade, vamos contar aos que estão aqui já que todos já sabem e quanto aos de fora, veremos com o tempo em quem podemos confiar ou não. –Stephen beijou minha mão e me guiou para a cozinha onde nossos amigos curiosos nos aguardavam ansiosamente, David veio logo em seguida.

- Pessoal, gostaria da atenção de vocês um minutinho se não for pedir muito, Stephen e eu temos algo que queremos compartilhar. –chamei a atenção de todos para mim e de repente me vi muito nervosa para falar algo que já não era tão novidade assim para as pessoas presente. Stephen percebeu minha hesitação e então prosseguiu.

- Todos já sabem que há muito tempo eu vinha tendo problemas em meu casamento e que de um tempo para cá eu comecei a ver Emily com muito mais admiração e mais interesse e com o passar do tempo esse sentimento foi crescendo ao ponto de não poder mais negar para mim mesmo que algo havia mudado na nossa relação e que já não era só amizade. Porém, apesar desse sentimento, quero deixar claro para vocês, meus amigos, que não foi o que eu sentia por Emily que me levou a tomar a decisão extrema que foi pedir o divórcio à Cassandra e sim a forma como estávamos levando nosso casamento, o desgaste que viemos sofrendo devido às muitas brigas, entre outras razões que não valem a pena ser citadas agora. Não foi Emily a responsável pelo fim do meu casamento e sim o fracasso dele que me fez me aproximar dela. Enfim, quero dizer que estou saindo de casa e estou me separando e Emily e eu conversamos e mesmo que seja um inicio bastante precoce, decidimos tentar e como vocês são as pessoas mais próximas à nós e que criamos um vínculo desde que nos conhecemos, estamos permitindo que saibam disso por que confiamos em vocês.

 Stephen manteve seu olhar preso ao meu durante todo o tempo em que falava para só depois olharmos nossos expectadores que de repente explodiram em muitas palmas e comemorações.

- Finalmente!!! –Willa foi a primeira a falar, vindo ao nosso encontro  e se jogando contra nós  em um abraço que envolvia os três- Estou feliz por vocês e já vou logo avisando que quero ser madrinha do casamento e de pelo menos um dos 4 filhos que vocês provavelmente terão

- O quê? Não comece a pirar, Willa! Ninguém aqui está pensando em casamento e muito menos vou ter quatro filhos. - a repreendi e Stephen acabou entrando na brincadeira.

- Deixo você ser madrinha do casamento, mais dos nossos filhos não. Tenho medo do quão irresponsável você possa ser. –sorriu lhe piscando e Willa retrucou mostrando-lhe a língua.

- Vai ser muito legal para as crianças terem uma madrinha como eu, além de que eu posso ser a madrinha que vai lhes ajudar a fazer travessuras.

- Definitivamente não! – neguei com a cabeça.

- Isso é o que veremos. – sorriu convicta.

- Estou muito feliz pelos dois e saibam que podem contar comigo para manter segredo. –Caity veio me abraçar e depois Stephen- Steve, me desculpe dizer isso, mas não poderia estar mais feliz por você ter tomado essa decisão sensata, acho que todo mundo aqui concorda comigo. – deu de ombros- Todos sabemos o quanto esse casamento estava acabando com você e isso de certa forma estava afetando a todos nós, você merece que a paz de um relacionamento feliz e tenho certeza que você e Ems serão mais que felizes, parabéns pela decisão! 

- Eu sinto muito por isso Caity, eu realmente não queria que meus problemas pessoais atrapalhassem nosso trabalho. E muito obrigado por estar do nosso lado, isso é muito importante para nós.

- Não se desculpe, entendemos seu lado e agora já está tudo resolvido, ou pelo menos estamos caminhando para isso, espero que dê tudo certo.

- Bem, eu só posso dizer que podem contar comigo para qualquer coisa e que juntos seremos mais fortes. Estou muito, muito feliz que estejam tentando e saiba que vocês são lindos juntos – Katie sussurrou em meu ouvido a última parte assim que me abraçou- Vou estar aqui para o que precisarem.

- Vocês já sabem que tem meu apoio então acho que isso merece uma comemoração. – Colton que estava entretido na preparação de seu prato, agora havia sumido para outro cômodo voltando com um champanhe e distribuindo as taças e em seguida servindo-as com o líquido. – Vamos fazer um brinde, um brinde ao casal e essa nova relação, também quero propor um brinde à nossa amizade, por mais momentos como esse, pelo amor e ao sucesso do nosso show. –Ergueu sua taça sendo acompanhado por todos nós.

O resto do dia passou mais rápido do que desejávamos já que após o almoço aproveitamos bastante a tirolesa, a piscina e a quadra de areia mais uma vez, ao fim do dia estávamos tão cansados que cada um procurou preparar sua própria comida e sem muita demora envolta da fogueira, fomos dormir antes mesmo que fosse 11 da noite. No dia seguinte, após Stephen muito insistir, conseguiu que todos levantassem antes do amanhecer para subirmos outra vez até o topo da montanha e esperarmos todos juntos o nascer do sol, esse parecia ter sido ainda mais espetacular do que o do dia anterior e apesar de Willa e Colton reclamarem por terem acordado tão cedo, no final estavam mais do que agradecidos por terem presenciado esse momento tão maravilhoso. Desta forma, com nossas forças totalmente renovadas, voltamos para a cidade após o café da manhã já que muitos de nós, inclusive eu, teria que pegar um voo, no meu caso eu iria encontrar minha mãe em Nova York. Ao mesmo tempo em que eu mal podia esperar para ver minha mãe e contar-lhe sobre Stephen, eu temia sua reação por nossa relação complicada.

E por falar em Stephen, passar os dois dias junto à ele parecia não ser suficiente já que mal tínhamos nos despedido em meu apartamento com a promessa de que nos falaríamos todos os dias e eu já estava sentindo o peso de sua ausência. Stephen disse que dessa vez não faria nenhuma viagem, precisava ficar na cidade e tratar de assuntos importantes que envolvia seu divórcio e o fato de que sua mãe viria o visitar e ele precisava conversar com ela e contar que estava se separando. Então eu voltaria a vê-lo depois de um mês ou talvez mais, tudo dependeria de minha mãe que adorava estender nossas viagens.

(...)

Com amor, Em Bett. Xoxo


Notas Finais


Okay galera, peço desculpas se esse capítulo não tiver sido tão animador, pra lhes ser sincera minha parte favorita foi a conversa do nosso OTA, juro que queria fazer algo mais elaborado, porém não tinha certeza se conseguiria postar esse fim de semana já que vou viajar e não vou ter acesso a internet e eu não queria ficar mais uma semana sem postar, peço mil desculpas, prometo compensar no próximo capítulo com nosso casal, volto assim que este estiver pronto. Bjo Bjo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...