História Diário de Uma Ex-Adolescente - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Drama, Ogriniais, Romance
Exibições 5
Palavras 1.927
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá amores!

Estou de volta, completamente atrasada, mas com um motivo muito triste, mas que fora rapidamente resolvido.
Meu computador deu uma pane e por conta disso eu não pude postar o capítulo na segunda. Porém na quarta feira ele foi consertado. (Então por que você não postou quarta?) Por que eu já ia postar BB hoje então resolvi fazer tudo num dia só!
O que significa que, a partir de hoje, DDUEA vai ser postada agora todas as sextas, juntos com BB (Beloved Brother, pra os que não conhecem)

Espero que tenham apreciado essa nova mudança, eu achei digno, pois postando na sexta, vocês tem o fim de semana livre pra ler a qualquer momento se não puderem ler hoje! Boa ideia não?
Bom, vão ler meus amores!

Nos vemos nas notas finais? Nos vemos nas notas finais!

Capítulo 12 - 11. As complicações da vida a dois


Fora preciso muita conversa e muita paciência, minha mãe não gostava da ideia, vivia a dizer que eu estava apenas no início de minha vida e que era tudo muito cedo para se acontecer e eu iria me arrepender, mas eu tinha a certeza de que daria certo, e não era só por amar Chris, mas também por ser algo que nós dois queríamos e faríamos o possível para dar certo, afinal, vivemos de arriscar para acertar ou errar, e se erramos, tentamos de novo, certo?

Com muito custo, mudei-me para o apartamento de Chris, que agora passa a ser nosso apartamento, no dia 20 de Outubro e então passamos a viver juntos. Pouco depois descobrimos minha gravidez, e estávamos muito felizes com isso, porém não durou muito, e na fatídica noite de 7 de Novembro, sofri um aborto espontâneo enquanto tomava banho.

Embora tudo fosse cruel demais, Chris ficou ao meu lado naquele momento e me acalmou com sua voz e seu jeito doce e inocente de falar. Na segunda feira fui a escola normalmente e na hora de voltar para casa ganhei carona, Tião e Victor estavam indo na mesma direção embora fossem ao shopping e resolveram que iriam me deixar em casa.

Eu até tentei chamá-los para entrar um pouco e até se possível almoçarem, mas eles se recusaram. Sendo assim apenas me despedi dos dois e segui para o nosso apartamento no bloco C. Corri para o banho e me livrei do calor daquele dia e quando colocava uma muda de roupa confortável e leve, ouvi a porta abrir e achei estranho, pois Chris nunca chega cedo assim.

 

- Chris? - Uma voz feminina chamou por Chris da forma que eu o chamava, uma forma bem íntima.

 

Vou até a sala curiosa e logo que chego tenho a visão de uma mulher loira sentada no sofá menor da sala segurando uma criança nos braços, uma menininha que deveria ter mais ou menos uns seis meses e estava a dormir serenamente em seu colo. Logo minha mente formula um fato, ela já teve algo com Chris, e essa criança deve ser fruto disso.

 

- Ahn… Desculpe. - Digo vendo levantar assustada - Quem é você? E como conseguiu entrar aqui?

 

A mulher -agora nomeada Clara- explicou-me tudo acreditando que eu era apenas uma empregada da casa, e assim eu soube que ele havia tido um relacionamento com essa mulher enquanto era meu professor e que a bebê -agora nomeada Alice- poderia ser sua filha, fruto de uma única noite que tivera com ele em todo o relacionamento dos dois.

Estava devastada, disse-lhe que iria ligar para que ele viesse para casa e resolvesse esse assunto com ela o mais rápido possível, mandei-lhe uma mensagem e fui para a cozinha para ter um pouco de privacidade, lá chorei por poucos minutos e logo que enxuguei as lágrimas, voltei para a sala e fiquei a conversar com ela, até mesmo segurando sua menininha quando ela precisou ir no banheiro, e foi nesse momento que Christopher chegou.

 

- Oi Chris. - disse logo vendo Clara surgir no corredor, entreguei-lhe sua bebê e virei-me de frente para Chris, podendo ver sua feição chocada com o que via.

- Obrigada Jéssica. - Disse Clara sorrindo para mim.

- De nada. - Disse voltando a olhar para Clara - Muito linda sua garotinha. - Disse escondendo num sorriso a raiva que sentia - Agora se me derem licença, vou deixá-los a sós. - Peguei meu celular na mesa de centro e indo até a porta, para ao lado de Christopher e dando-lhe um selinho rápido que percebi ter deixado Clara chocada - Conversamos mais tarde.  - Conclui entregando-lhe a aliança e saindo logo em seguida, batendo a porta com força.

 

Eu não conseguia sequer ter um pensamento coerente, segui por instinto até a casa de meu melhor amigo que ao abrir a porta teve de segurar todo o meu peso, eu chorava e não tinha mais forças para andar, Julio e Fernando completamente preocupados me levaram até o sofá e me puseram lá com muito esforço, sentando um de cada lado logo após e apenas me confortando com seus carinhos até que eu tivesse condições de falar, o que demorou um pouco.

 

- Hey Jessi, Conta o que houve huh? Estamos aqui para ajudar pequena. - Disse Fernando preocupado.

- Chris… Filho… Outra mu-mulher… - Digo aos soluços.

- ‘Pera… Chris, filho, out-Como?! - Gritou chocado após fazer a ligação das palavras - Que porra é essa?! Como assim Chris tem um filho com outra mulher? - Perguntou incrédulo.

- É filha… - Disse seca - O nome da menina é Alice e o da mulher, Clara. - Disse logo contando a ambos a história completa.

 

Julio rapidamente mostrou-se irritado, querendo dar uma lição em Chris e foi preciso uma conversa curta, mas séria de Fernando para que ele se acalmasse, pelo menos até a campainha tocar e ele ir atender, revelando um Christopher a perguntar se eu estava lá, pergunta essa que mais parecia uma afirmação, e em seguida ouvirmos o barulho de um soco, que ao corrermos para ver, já havia virado briga, com muito custo conseguimos separar os dois.

 

- Canalha! Vai com sua mulherzinha d’uma figa cuidar da sua menininha seu nojento! - Gritava completamente estarrecido com Christopher - Estava com as duas ao mesmo tempo seu miserável?! - Esbravejou e logo após cuspiu no rosto de Chris - Você não a merece! Saia daqui antes que eu te bata de novo seu covarde! - Disse por fim fechando a porta com força - Você dorme aqui até voltar pra casa dos seus pais! - Disse autoritário.

- ‘Tá, mas vem logo cuidar dessas marcas horríveis na sua cara. - Disse preocupada enquanto ia com Julio até a cozinha, onde Fernando já preparava uma bacia com gelo e separava uns panos limpos.

- Idiota, só não te dou um tapa na cara porque seu rosto já ‘tá roxo demais. - Disse Nando pressionando uma bolsa de gelo no olho de Juh, que fez um som de dor - Briga não resolve nada, seu infantil! Só te deixa parecendo um monstro de halloween. - Disse enquanto cuidava dos machucados que com certeza ficariam roxos, pondo os panos frios nos locais.

 

Após agradecer e pedir desculpas várias vezes, eu e Nando cuidamos de seus machucados. Pedi para ficar com eles até ter como voltar para casa, afinal era como minha mãe havia dito. E nisso se passou mais de uma semana sem que eu ao menos falasse o seu nome. Juh e Nando sempre procuravam me deixar alegre e eu agradecia com sorrisos. Era sexta feira e eu estava a preparar o jantar com Julio ao som de Shakira -dançávamos mais que preparávamos o jantar- quando a campainha tocou e eu me disponibilizei a atendê-la, surpreendendo-me ao ver Clara, O que ela faz aqui?

 

- Desculpa aparecer assim… - Disse desconcertada - Mas preciso conversar com você, posso entrar?

- Claro, entre. - Disse dando espaço para que ela passasse com Alice - Por aqui. - Disse guiando-a até a sala, onde cada uma se sentou num sofá e logo Julio se fez presente ao meu lado - Então? O que tem a dizer?

- Em nenhum momento eu quis ter o Chris de volta, por isso peço desculpas por ter arruinado seu relacionamento que estava passando por um momento tão delicado. - Disse com pesar - Soube por Guilherme, falando em Guilherme, devo dizer que estava enganada sobre quem é o pai de Alice.

- Como assim? - Pergunto confusa.

- Como já lhe disse antes, eu e Christopher começamos um relacionamento durante o seu período de férias, e logo percebi que ele não gostava realmente de mim. O que não te contei é que, uma noite eu fui a um bar e conheci o Guilherme, me deixei levar pelo momento e acabei no sofá da casa dele, infelizmente fomos pegos no flagra por Chris, que saiu sem dizer nada e então terminamos o que havíamos começado. - Pausou suspirando pesado - No dia seguinte, sabendo que ele já estaria mais calmo, fui explicar a Chris que seu amigo não sabia sobre nosso relacionamento e pedi para que ele o perdoasse. Depois disso fui para São Paulo viver minha vida e descobri estar grávida uns dois meses depois, assim decidi que após o bebê nascer eu os procuraria para fazer o teste de paternidade. - Disse retirando de sua bolsa uns papéis, que julguei serem o resultado do exame - Aqui está o exame, o resultado mostra claramente que o pai é o Guilherme. - Disse entregando-me os papéis para que eu pudesse avaliar.

- Obrigada por vir. - Disse olhando o resultado - Eu vou processar tudo, para depois conversar com ele.

- Mais uma vez, me perdoe por arruinar seu relacionamento, a culpa fora inteiramente minha. - Disse levantando-se e ajeitando a criança em seus braços - Obrigada por me ouvir, com licença.

 

Julio se levantou e acompanhou Clara até a porta e ao abrí-la, vira Fernando que olhou confuso para a mulher que nunca havia visto em sua vida, a loira por sua vez apenas pediu licença e saira, após isso virou-se para despedir-se e agradecer pela hospitalidade, se surpreendendo ao ver que o homem que a acompanhara e o homem que havia acabado de chegar estavam se beijando, envergonhada, apenas voltou a virar-se e seguiu seu caminho. Logo entraram conversando sobre Clara e Julio me olhou com um sorriso pequeno no rosto.

 

- Vá. Você quer perdoá-lo. - Disse enquanto segurava minha mão, fazendo um leve carinho - E quer fazê-lo o mais depressa possível.

- Obrigada. - Disse me levantando - Não vou me esquecer do carinho e apoio que me deram. - Disse com um sorriso terno.

 

Recebi um abraço de ambos e logo fui ao quarto de hóspedes me trocar, colocando um par de roupas meu que ficou lá, que era um suéter, uma calça e um par de tênis um tanto velho, logo em seguida, me despeço de ambos e saio, é hora de voltar para casa. Faço o possível para chegar o mais rápido que posso e logo que adentrei o condomínio corri para o bloco C, indo pelas escadas mesmo, sem esperar o elevador. Ao chegar no corredor, corro até a porta e a abro com toda a minha força, ouvindo um som de panela caindo corro para a cozinha e vejo Chris com um cara surpresa olhando em minha direção.

 

- Jess... - Chamou meu nome de forma incrédula, como se eu fossem um sonho, uma miragem.

- Chris… - Disse e corri para seus braços, logo sentindo-o me segurar forte enquanto chorava de forma audível - Me perdoa por ter sido tão estúpida e por ter ido embora sem ouvir suas explicações, me perdoa, amor eu te amo tanto.

- Eu também te amo! - Disse me apertando junto a si - Eu que peço perdão, devia ter te contado antes, mas eu não sabia que poderia acontecer algo desse tipo, nunca mais vamos ter segredos um com o outro.

 

Entre lágrimas e sorrisos, nos beijamos como se fosse o nosso último beijo, nossos lábios perfeitamente encaixados eram como nosso sopro de vida, com um pouco de esforço, Chris levantou-me e eu logo enlacei sua cintura com minhas pernas e então ele nos guiou até o nosso quarto, onde firmávamos nosso amor, unindo até mesmo nossas almas com esse sentimento que sabíamos ser eterno.

 

Continua...


Notas Finais


E quem está nas notas finais? Eu estou nas notas finais!

E então?
Gostaram?
Espero que sim.
Vejo você no próximo capítulo amores
Sendo assim até sexta!!!

XOXO~ ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...