História Diário de Uma Lesma - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Comedia, Otaku, Zoeira
Exibições 27
Palavras 700
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Luta, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Yoo minna! 'u'
Voltei com mais um capítulo (q era pra ter saido antes de ontem, mas ai comecei a escutar BTS...)
Espero que vocês gostem! O que vai ser dificil pq esse cap foi feito com 5% da minha criatividade e 95% de qualquer coisa.
Nos vemos nas notas finais! Jya nee!

Capítulo 2 - Colégio... Ou Hospício?


Fanfic / Fanfiction Diário de Uma Lesma - Capítulo 2 - Colégio... Ou Hospício?

Como eu havia falado, a gente nem tinha chegado e já dava pra ver um monte de gente gritando por alguma coisa. Era treta.

Cheguei de mansinho e escutei que duas ex-bffs estavam brigando por um garoto, fala sério, um garoto! Pra que desperdiçar tempo com moleques (falou a garota q passa o dia inteiro vendo anime)?! Eles só vão sugar o que você tem de melhor, depois te trocar por outra, como se fosse um brinquedinho velho! Depois você iludida vai arrumar briga com outra garota e perde cabelo o bastante pra fazer uma peruca! Isso e um desperdício total de tempo!

Como tava atrasada e o segundo sinal já tinha tocado, saímos de lá e fomos correndo pra dentro do colégio, chegando no nosso armário como se tivéssemos acabado de sair de uma piscina. Pegamos nossas coisas e corremos pra nossa classe, que estava tão quieta...

Já tava estranhando quando a Lia disse, olhando pra mim com uma cara de que eu tinha feito merda (e com certeza eu tinha feito) :
-Sério mesmo que você esqueceu que hoje a primeira e a segunda aula é no laboratório? A professora ficou enchendo o nosso saco pra avisar isso pro resto da turma ontem, e você ainda deu conta de esquecer?

Mas eu não acredito. Como eu sou retardada. Ontem a professora chamou nós duas na saída da escola mandando a gente avisar pra toda a classe que a gente ia ter aula no laboratório hoje, e tivemos que sair correndo feito duas retardadas fugindo do hospício pra avisar isso pra todos, quando terminamos já era quase cinco horas da tarde, e olha que a gente sai as três e meia! E EU NÃO DEI CONTA DE LEMBRAR DESSA MERDA DE AULA?!?!?!

O pior é que a gente estava morrendo. Ela nem tanto porque correu mais devagar, mas eu estava. E já que o laboratório ficava no segundo andar, a gente tinha uma escada pra enfrentar. MAS NEM ESSA COBRA DA LIA PRA AVISAR HEIN? DEIXOU EU ME FUDER E SÓ FOI ABRIR A BOCA DEPOIS! Bom, não dá pra pausar a vida pra eu poder falar umas poucas e boas pra ela, e a gente já tinha perdido meia aula, então segui em frente, mas quem disse que quando a gente chegou lá estava tendo aula?

Eu falo, falo, falo, mas ninguém me leva a sério. Isso daqui não é uma escola, e sim um hospício. Quando chegamos lá, a professora estava escondida atrás de um armário de jalecos telefonando pra alguém, provavelmente pra polícia. E quando virei pra ver o que tava acontecendo, só vi um pedaço de madeira que surgiu do nada vindo em direção à minha cabeça. Foi tiro e queda, literalmente.

Acordei na ala hospitalar com a cabeça enfaixada e minha mãe fazendo uma cara feia pra alguém, só depois de um tempo eu percebi que tinha uma pessoa do meu lado, provavelmente quem tacou o pedaço de madeira na minha cabeça.

Não tive nenhuma surpresa ao ver a dupla dinâmica dos chupa-cabras ao meu lado, Leo e Mark, logo que virei eles falaram juntos um pedido de desculpas, obviamente que forçado, porque se não estivéssemos no colégio eles tratariam logo de me matar. Eu os perdoei, só que eles sabiam que ia ter revanche. Uma revanche bem dura, diga-se de passagem.

Minha mãe me perguntou se ia dar pra eu continuar até a hora de ir embora, e falei que sim, afinal, era só uma quase rachadura no meu crânio, e já tinha sofrido coisa pior nesse lugar. E só faltava uma hora, que passou rapidinho até.

Só falta dois anos e meio. Dois anos e meio pra eu sair daqui e me mudar pra capital, aonde eu vou cursar faculdade de design de games. Vou sentir falta daqui? Claro, tive meus primeiros amigos nesse colégio e vários momentos divertidos que vou guardar pro resto da vida. Mas um dia ou outro isso iria acontecer. Então, acho melhor não me apegar demais à aqui. Se não to fudidassa. Já deu pra perceber que eu sou dramática, então se eu guardar muitos sentimentos daqui, quando sair a terra vai passar por um segundo dilúvio.


Notas Finais


E é isso, cap sem muita referência, mas vou tentar colocar um monte no próximo.
Espero que tenham gostado!
Até o próximo cap! Jya nee!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...