História Diário de uma Yandere - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Yandere Amor Morte
Exibições 41
Palavras 1.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie, mais um capítulo pra vocês ^-^

Capítulo 38 - Liar


Fanfic / Fanfiction Diário de uma Yandere - Capítulo 38 - Liar

June

Apenas vi Mary deixar algumas lágrimas caírem. Contei a ela que minha tia Amanda estava atrás de mim para me matar, pois matei a irmã dela, minha própria mãe. E que talvez ela tenha ficado irritada por eu não estar na casa deles e os mataram.

- Me prometa uma coisa, June... Quando você encontrar a sua tia, mate ele da forma mais dolorosa e lenta possível – disse Mary com uma expressão que eu não conseguia decifrar

- Prometo – digo

Voltei meu olhar para Derek, ele encarava de forma triste Mary. Talvez ele tenha percebido que ela não é do tipo que sente um ódio muito grande por uma pessoa. Eu podia sentir o amor dele pela Mary. Coisas desse tipo me fazem sentir falta do Kevin.

Fico me perguntando se ele está namorando aquela tal de Lana. Só de pensar na possibilidade de isso estar acontecendo meu peito dói e uma raiva me invade. Outra coisa que eu estava me perguntando. Quem era a pessoa que Matt estava conversando hoje cedo? Parando também para pensar um pouco, eu sei muito pouco sobre Matt, talvez eu devesse fazer umas perguntinhas a ele.

Voltei para casa na esperança de Matt ainda estar lá, mas ele já tinha ido. Ele deixou um bilhete em cima da minha cama.

 

Fui resolver assuntos pessoais, você sabe...

Coisas de família, por favor não fique sentida por ter

Eu ter saído sem avisar, qualquer problema me ligue

Volto as 19:00 beijo, Matt”

 

Peguei o bilhete e amassei ele e joguei no lixo. Legal! Teria tempo o suficiente com meus pensamentos me sufocando. Eu precisava fazer algo pra ocupar minha mente. Peguei meu diário, tinha um tempo que não anoto coisas nele, mas nele havia uma lista de garotas que eu queria matar. Garotas que deram em cima de Kevin quando namorávamos e que ainda estão vivas. Seria bom voltar as minhas raízes de Yandere pra variar.

Kevin

Eu estava numa cafeteria junto com Lana, seria hoje em que iria dispensá-la. Ela estava em minha frente com um sorriso alegre no rosto, irei me sentir culpado em destruir esse sorriso.

- O que queria falar comigo? – ela perguntou

- Lana, acho melhor não levarmos isso em diante – sou direto

O sorriso em seu rosto desaparece.

- Você esta se referindo ao que tivemos ontem?

- É... Não sei bem o que sinto por você e não acho certo te usar pra esquecer a June – digo

Vejo a feição dela ficar triste parecia que ela ia chorar. Não pensei que ela ia reagir tão mal. Ela coloca as mãos nos olhos, talvez para conter que as lagrimas escorressem.

- Vai ser meio difícil eu esquecer você, Kevin – Lana disse com a voz embargada

- Não, não vai... Você é uma garota bonita e com certeza vai achar alguém que ame você – digo de séria

- Mas, eu vou te ver praticamente todo dia. – ela estava olhando fixamente pra caneca de café – Esqueceu que trabalhamos juntos?

Ela me olhou, seus olhos estavam vermelhos e tinha um rastro úmido que iam dos seus olhos até queixo. Ela estava chorando.

- Não, mas você vai mal perceber que estou lá, como se eu não existisse – falo

Ela limpa o rosto e se levanta da cadeira e pega a bolsa que ela havia trago.

- Então, te vejo agora no trabalho – ela diz e vai embora

Depois de alguns minutos também saio do local deixando o dinheiro em cima da mesa. Ando por alguns quarteirões quando passo por um beco escuro escuto um gorgolejar. Como se alguém estivesse sendo enforcado. Sem pensar eu entro no beco e vejo June matando uma garota de nossa turma. June havia cortado a garganta dela.

- June? – eu estava surpreso em ver ela e feliz também

As roupas que June usava que eram uma calça jeans e uma blusa regata azul estavam sujas de sangue até seu rosto estava sujo. Mas ela continuava linda.

- Kevin? O que está fazendo aqui? – ela me perguntou de forma dócil

Ela estava muito insana, eu conseguia ver seus olhos inquietos e a pupila totalmente dilatada.  (Não me perguntem como ele consegue :v)

- June, eu sinto tanto a sua falta – digo abraçando ela

Pra minha surpresa ela aceita meu abraço, me distancio um pouco dela sem largá-la, vi que ela estava sorrindo.

- Eu também estava sentindo sua falta – ela disse

Quando eu vi, já estava beijando June, de inicio ela estava relutante, mas logo concedeu passagem pra minha língua.

Matt

 - Você é um imbecil sabia? UM IMBECIL!

Amanda gritou comigo.

- Olha eu não posso fazer nada se eu comecei a gostar dela, e também eu não tenho nada haver com seu planinho de vingança – digo

Amanda, tia da June era uma mulher prepotente e vingativa. Ela me pagou para seguir June e vigiá-la de perto pra sempre dar noticias dela. Ela também estava em busca da filha dela, mas eu não sabia onde a menina estava.

- Você aceitou a proposta que te fiz, eu te paguei em dinheiro vivo e você faz essa merda comigo – ela estava furiosa

Estávamos em uma rua deserta.

- Se você quer o dinheiro de volta eu te dou não me importo mais com isso – digo

- Hahaha... Não pequeno Matt – pequeno? Eu sou maior que essa desgraçada – Não é pelo dinheiro, eu quero a cabeça da June ou ela viva pra eu poder matá-la lentamente – ela disse dando um sorriso psicopata

- Você é louca – digo

- Sua amada June também é... Você sabe quantas garotas ela matou pelo Brian? Várias, um monte delas e muito provavelmente matou várias garotas pelo Kevin... Mas não acho que ela vai fazer isso com você, ela não te ama – ela disse rindo no final da frase

- Cansei dessa merda... Vou embora, procure outra pessoa pra sua vingança, eu to fora – digo me virando

Amanda me puxa pelo braço e eu apenas sinto uma pontada aguda na barriga. Uma dor lancinante passou por todo meu corpo. Amanda tinha me esfaqueado. Ela me deixou caído no chão.

- Ninguém diz não pra mim garoto

Dito isso ela caminhou pra longe, me deixando pra morrer.


Notas Finais


Se gostaram comentem, isso ajuda demais ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...