História Diário Sangrento - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Criminoso, Justin Bieber, Suspense
Visualizações 19
Palavras 1.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi oi oi oi oi oi
Tudo bem?
Bom, se você reconheceu essa capa, parabéns, ela era da minha antiga fanfic com esse mesmo título. Bom, preciso dizer logo que sou uma escritora muito bipolar, então sempre vai ter algum capítulo sendo reescrito (irei avisar nas notas finais se acontecer).
Como sabemos, o comentário do leitor é de muita importância pra uns e nem tanto pra outros, mas pra mim é de EXTREMA importância porque saberei se estão gostando.
Queria agradecer desde já a paciência de vocês porque eu vou tirar muito daqui pra frente kkkkkkk.
Minha fanfic é um tanto clichê e um tanto "não-clichê", vocês vão entender melhor quando ela for se concluído.

Boa leitura.

Capítulo 1 - Introdução


Fanfic / Fanfiction Diário Sangrento - Capítulo 1 - Introdução

Era a segunda vez que eu voltava para os Estados Unidos, a primeira eu tinha poucos anos de vida e fiquei até meus 14/15 anos se não me engano. Depois voltei para o Brasil para ficar com minha mãe que exigia um tempo comigo.

É complicado já que meus pais são separados desde que me lembro. Meu pai é americano e minha mãe brasileira, nunca soube como eles se conheceram e pra falar a verdade, não tenho nenhum interesse também.

Mas o maior problema é que minha mãe é uma drogada assumida. Meu pai apenas me deixou ir para o Brasil porque meus avós diziam que minha mãe já tinha melhorado isso.

Fiquei lá por dois anos e foi os piores anos da minha vida, minha mãe tinha ataques de fúria a todo tempo por falta das drogas e bebidas, meus avós eram muito religiosos e isso era irritante a ponto de acharem que tudo se resolvia com um crucifixo na mão. Eu não tinha amigos lá, eu não tinha ninguém lá. Foi uma viagem a toa, até que eu me cansei e pedi para meu pai que me pegasse de volta.

E cá estou eu, morta na minha cama depois de arrumar minhas coisas no meu antigo quarto, de onde eu nunca deveria ter saido. Peguei meu notebook e liguei o mesmo. 

Eu nasci no Brasil mas eu me sentia completa aqui, em Seattle com meu pai, Sammuel, ele trabalha como delegado numa delegacia da região.

Eu tinha uma vida boa, não podia reclamar de nada. 

- Querida, Doutzen está aqui em baixo - A voz alta do um pai me despertou, meu coração disparou na hora, fazia muito tempo desde que eu não via minha amiga.

fechei a tela do notebook rapidamente e sai do quarto, desci as escadas rapidamente encontrando Doutzen jogada no sofá.

- Oi Doutz. – Ela virou o rosto me olhando sorrindo.

- Oi? - Ela deu um riso irônico - Depois de quase dois anos separadas você só me diz “oi” sua vagabunda? – Ela se levantou vindo em minha direção.

Abracei a mesma sentindo um ar diferente.

Doutzen é minha melhor amiga desde que eu havia vindo para os EUA pela primeira vez, e eu a amo como se fosse minha irmã.

- A última vez que eu te vi seu cabelo estava mais claro. – Eu havia mudado a cor, o preto pra mim foi a primeira escolha. - E você escolheu bem, esse preto fixou lindo em você, ainda mais nessa sua pele maravilhosa, as branquelas vão ficar com inveja. - Eu revirei os olhos com o comentário bobo dela.

- E a última vez que eu te vi estava mais pálida do que o vampiro daquele filme sua safada. - Ela riu e jogou as madeixas loiras pra trás como nos comercias de shampoo. 

- Minha pele agora está bronzeada pois fiz bronzeamento artificial, agora sou mais eu.

Não tinha sombra de dúvidas de que Doutzen era linda, os olhos azuis destacavam o louro natural dela. 

Eu não me achava feia, mas também não tinha a beleza da Doutz. 

Minha pele é de cor oliva e meu cabelo, antes castanhos, agora estavam completamnste negros. Meus olhos eram pretos e grandes. 

Ela voltou pro sofá deitando nele me deixando apenas o outro menor como opção caso eu quisesse sentar, então assim eu fiz.

- Ah, sei lá, acho que mudanças são boas. – Sorri sapeca olhando para seu dedo vendo que ela estava sem o anel de compromisso que ela estava usando desde que começou a namorar o "maior cafageste de Seattle" como havia me dito pela chamada de video há um tempo atrás. – E como está Ryan? – Ela pareceu entediada no mesmo instante.

- Comendo uma buceta ruiva se não me engano. – Não me segurei e cai na gargalhada. Não era de hoje que Ryan tinha um pau que não se comportava quando via o sexo oposto, e também não era a primeira vez que ele traia Doutz. Ela também não era santa, mas eu sempre ficaria do lado dela, não importava a situação.

- Ruivas? Como assim?

- Ele agora esta com a Cheryl Kroes. A vadia do nono ano lembra?

Ah, como não lembrar? Cheryl Kroes era a maior puta da escola, que eu lembre, mesmo que naquela época ainda fossemos pré-adolescentes.

- E então, como foi lá no Brasil? Sua mãe ainda está daquele jeito? – Assento não querendo aprofundar o assunto. – Sinto muito amiga, ela vai melhorar. – Doutz sorri e se levanta do sofá vindo me dar outro abraço.

- E então, é sábado, tem alguma coisas que a gente possa fazer? – Pergunto enquanto ela se afasta.

- Ah, claro que tem, mas duvido que você vá gostar.

- Diz logo, talvez eu vá por você.

- Vai ter uma racha hoje a noite, todo mundo de Bellevue vai, eu não iria porque meus planos era passar o sábado com minha melhor amiga que voltou pra mim depois de dois anos, mas seria legal você ir, reencontrar as pessoas e se enturmar...

Concordei.

- Vamos, estou a fim de ver uns garotos e de chapar o coco.

- Essa é minha garota. – batemos as mãos e logo meu pai sai da cozinha.

Eu ainda teria de pedir para ele se poderia sair ou não. Eu sabia que ele deixaria pois meu pai sempre foi liberal mas com tanto que eu me comportasse e tirasse notas boas.

- Pai, então, vai rolar uma festa hoje com os alunos do Colégio Bellevue. – Ele parou na frente da tv olhando com a sobrancelha arqueada para mim e Doutzen.

- Lyanna, você chegou da viagem, e Doutzen, seus pais sabem?

Doutz apenas deu de ombros.

- Eu peço. – Meu pai me olhou novamente e eu fiz minha melhor cara de pidona pra ele.

- Quero o endereço desse lugar e que vocês voltem antes das 03:00 da madrugada.

Eu e Doutz pulamos do sofá festejando. Hoje a noite prometia, fazia tempo que eu não curtia um pouco.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, foi pequeno e nada de muito importante aconteceu, mas ainda é só a introdução.
No próximo prometo que vai rolar coisas mais legais e mais ação haha.
Bjs na bunda.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...