História Dias Contados - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Min Hyuk, Personagens Originais
Tags Minhoo
Exibições 25
Palavras 1.308
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quanto tempo né amorinhas ?!
Demorei porq agora estou fazendo imagines a tal....psér. !
Fiz esse capítulo ouvindo as seguintes músicas, se quiserem ouvir lendo, será bem mais aconchegante, né ?!

Winner : Sentimental
Winner : Empyt
Vixx : Error
BTS : Mama // Esse novo álbum realmente me destruiu. SOS//

Capítulo 6 - Die ?!


Fanfic / Fanfiction Dias Contados - Capítulo 6 - Die ?!

                     
Hoozy POV's

                Hoje, meu dia foi o pior dia já vivido por minha pessoa, estou internada agora, meu dia foi limitado nas seguintes badalações:
                 Acordei com meus pulmões clamando por ar, grito e grito por ajuda, Minhy e minha mãe aparecem na porta do meu quarto, Minhy havia dormido na sala hoje, queria que eu tivesse o melhor espaço possível, Minhy me coloca em seus braços, me suspendendo e carregando-me pelas escadas, minha mãe acorda meu pai, que logo corre atrás das chaves do carro, giro minha cabeça, clamo por ar, preciso respirar, vou aguentar.
       Desmaio mil e uma vezes até chegarmos ao hospital, Minhy,  juntamente á minha mãe, tentam me acordar, colocam toalhas úmidas em meu rosto, dão leves tapinhas em minhas bochechas, chamam por meu nome, nada sou capaz de responder.
-Hoozy, amor.....Acorde !!! Acorde !!! - Minhy dava beijos em mim, eu não o queria fazer sofrer desta maneira, me odiava por fazer isso, magoar os outros, e fazerem gastar seu tempo e dinheiro comigo.
     Chegando ao hospital, eu passo meus olhos cansados pelo local, vejo mamães e papais chorando, crianças berrando por ajuda médica, e eu estaria tomando esse lugar por minha urgência, Droga.
- Hey, a mamãe está aqui, Hoozy......você vai melhorar, eu prometo..- Minha mãe dizia isto chorando á prantos, Minhy corria comigo no colo para um maca, quando somos parados por guardas do hospital.
- Não podem entrar, estamos lotados de gente !! - Um guarda de vestimenta falara, minha mãe gritava com ele, discutindo, dizendo que eu poderia morrer naquele instante, era óbvio, meu fim estara próximo, e eu estou aqui, prestes a vê-lo cara a cara.
- Kim, abra seus olhos, por favor, abra.- Reconheci ser meu pai, ele era o único que me chamara por meu primeiro nome, desde meu nascimento, sempre fora assim.
- P-pai ?! - Minha voz estava fraca, saiu como quase um sussuro, foi ai que senti ser colocada em algo brusco e alinhado, uma maca.
       Meus olhos passeavam pelos corredores brancos e com aroma hospitalar, aish, que horror. Ouvia minha mãe, juntamente de meu pai falar algo a Minhy, não entendi, ainda estava tonta, foi ai então, que apaguei de vez.
       Sinto o cheiro forte de álcool hidrogenizado do hospital, luvas de borracha sendo colocada em mãos, luzes ofuscantes em cima de mim, ouvia e sentia tudo, apenas não era capaz de reagir nem falar, era como se alguém tirasse de mim os sentidos própios, como andar ou sentir.
      Agulhas são penetradas em minhas veias, e nelas, contém algum medicamento específico, no qual não saberei destinguir, acordo totalmente, e Minhy está ao meu lado, sentando numa pequena e desconfortável poltrona azul, meus pais não estão aqui, somos apenas eu e ele.
- Minhy ?!... - Digo baixinho, mais o mesmo conseguira ouvir, seus pequenos olhinhos levemente puxados foram se abrindo lentamente, virei minha cabeça de lado para olhá-lo, quando percebera que eu estava ativa, deu um pulo, se levantando e vindo até mim.
- Hoo....você acordou, finalmente.....- Seus olhos e suas bochechas estavam todas inchadas, estaria chorando pequeno Min ?!
- Min... estava chorando ?!-Perguntei, mais ainda com medo da resposta dele, era claro que se ele chorasse por mim, me sentiria mais culpada......era algo inevitável a se fazer, eu o alertara antes de prosseguir-mos nisso, se apegar à mim é pedir para sofrer, sou como um jarro de porcelana, novo em folha, e acabado de ser comprado por uma família, nela, há crianças, e é provalmentente óbvio, que serei quebrado, deixando rastros e um espaço vazio pela casa, a casa, simboliza minha família, junto a Minhy, e as crianças, simbolizam minha doença, é estremamente importante, que ele saiba que um dia irei partir, não teremos uma família montada, não serei mãe, não teremos cachorro, nem casa própia, isso é o que mais me assusta.....e se ele esqueçer ?! esqueçer de mim e de nossos momentos juntos ?! Que grande perda de tempo que ele teve comigo, que droga....por que eu tinha que nascer assim, ser assim, não poderia ser uma garota normal ?! QUE DROGA.
-Eu....não estava não, mais Hoo....jura estar melhor ?! .....
- Min.....eu estou....juro.
       Nada acreditei nas falas de Min.......queria nunca ter entrado na vida dele...assim não o faria sofrer.....
-Graças a Deus......- Quem pensas que é amor ?!.....Está chorando e sofrendo por uma pessoa que não vale de nada....que logo irá partir.....viva sua vida......por favor.
- Vamos dormir, Min......
         Digo e dou espaço para que o mesmo deite-se ao meu lado, e assim ele faz, se deita ao meu lado, me abraçando, deito no peito dele, e assim dormimos, naquele estrondo hospital.

Minhyuk POV's

         A Sra. Hook, e seu marido, meus sogros, me alertaram sobre Hoozy, eu juntei todas minhas forças, para dizer a eles que a amo verdadeiramente, aguentarei o tranco, eu escolhi isso, e mesmo que ele se vá....estou decidido de minhas decisões.
ฯ  - Minhyuk.....sabes que Hoozy está doente, ela não vai aguentar, essa doença é irreversível, não só estamos te alertando, como estamos pedindo para que vá viver sua vida....sem se preocupar com Hoo....
- Olha....Sr. e Sra. Kim.....eu amo a Hoozy, cuidarei dela até o último segundo da vida dela ... isso não é apenas uma promessa, mais sim uma afirmação.
- Mas....Minhy, pense bem....você vais sair ferido disso, prefiro que ela sofra com a perda de um relacionamento, do quê você sofrer a perda de uma pessoa.....- Dizia a Sra. Hook, nada fiz, apenas me virei de costas, e andei em passos largos até onde se encontrava Hoozy, eu não iria desistir dela, sei que ela também faria o mesmo, se fosse em meu caso, e isso era o mais me aterrorizava, perder ela seria algo grande que ficaria vazio em mim, sinto como se ela ficasse fraca a cada instante que fico ao seu lado, a vida está a deixando, e isso não é bom, estou morrendo juntamente á ela, ela que faz-me viver, o que será de mim, sem Kim Hoozy por perto, para me fazer sorrir, para esbarrar em mim, e fazer eu cair da bicicleta, quem eu vou acordar ma madrugada apenas para espantar meu sono ?! Seria um tédio ficar longe dela, por mais que eu quisesse, não seria cabível.
          Chego ao quarto da mesma, e ela está dormindo, lindamente como sempre faz, chego perto da cama, e seguro em suas mãos, estão mais geladas que o comum, e isso ainda me espânta, é como se esfriasse conforme o tempo passa, vejo-me no dia em que isso tudo pode acabar, em como isso vai acabar, eu surtaria, apenas em não podê-la ver sorrir de novo, não ouvir sua voz desafinar enquanto cantas, fazer as mesmas piadas todos os dias, como se fossem novas e engraçadas a todo momento, ver seus cabelos ondulados molhados depois do banho quente tomado, ver seus olhos inchados depois de acordar ao meu lado, ter ela brigando ao meu lado por o algodão doce roubado, isso é como se fossemos um só, não somos parecidos em quase nada, mais é isso que mais me atrai nela, seu jeitinho único e atrapalhão de ser, o mundo devia estar chocado e desapontado por perdê-la, queria que tudo isso fosse passageiro, mas infelizmente.......não é.
       Acabo por acariciar seus cabelos, e lágrimas quentes tomam conta de meu rosto, Hook e Jinhoo aparecem na porta do quarto, me acomodam, e tentam voltar ao chato assunto de anteriormente, chato e ampreciso assunto.Idiota.
          Quando acabo de dizer o quê realmente quero a eles, eles saem do quarto onde internada está Hoozy, e ficamos nós dois, a observo dormir, será possível um dia, sermos um casal normal pequena Hoo ?!
        Sento na pequena poltrona que há ali, e acabo por pegar no sono, a última coisa que vejo, é Hoo, deitada naquela cama de hospital, desacordada.....ainda assim ficara bela...como conseguia ?!


Notas Finais


Até breve :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...