História Dias Presentes - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Família, Menma, Naruto, Romance, Sasunaru, Viagem No Tempo, Yaoi
Exibições 398
Palavras 3.522
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Saga, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ah, fiquei com essa fanfic paralisada um tempinho devido computador de dado defeito e depois por falta inspiração, mas finalmente estou de volta.
Devo intercalar na postagem de ambas fanfics (Assuntos e Dias). Peço que tenham paciência e enviei bastante energia positiva.

Eu revisei umas duas vezes o capítulo, mas ainda deve ter errinhos... Quem encontrar algo deva acertar, podem gentilmente avisas por comentário ou mensagem privada... qual frase e qual correto. Serei grata"

Abraço!

Capítulo 9 - Ciumes


Fanfic / Fanfiction Dias Presentes - Capítulo 9 - Ciumes

Sakura cerrou os dentes. Ela apertou as mãos um pouco mais difícil contra o corte no braço do paciente. O brilho verde intensificou em torno da sua mão e a ferida começou a fechar. A rosada realizava o atendimento sobre o olhar atento de seu tutor, e quando a ferida desapareceu, o brilho sumiu.

A garota retirou o suor da testa e franziu o cenho ao observar a pequena cicatriz. A marca iria desaparecer naturalmente, no entanto, ainda assim foi frustrante para Sakura. Ela queria aprimorar as suas habilidades para perfeição.

Sakura endireitou sua posição e encarou seu tutor esperando a sua avaliação. O homem usava o mesmo sorriso encorajador de sempre. Ela olhou para o seu paciente, um menino com o rosto manchado de lágrimas que olhava para o seu braço com reverência.

— Agradeço-lhe muito Haruno-san! — disse a mãe da criança que inclinava m típica posição de gratidão. Depois, ela lançou olhar fulminante para o seu filho, que rapidamente se curvou em agradecimento.

— Basta ter cuidado com a sua prática de shuriken! — Sakura disse.

— Eu prometo... — a criança disse em uma fungada.

Sakura os observou sair da sala de atendimento. Seu tutor chamou a sua atenção.

— Você se saiu muito bem Sakura-chan! Seu progresso tem sido brilhante. — ele disse. — Não vai demorar muito para tornar-se uma médica-nin incrível!

Sakura sorriu timidamente quando a sensação de calor invadiu seu peito. — Tenho longo caminho para percorrer!

— Seu turno vai acabar em alguns minutos, por que não vai ser trocar. Está dispensada!

— Obrigada, Sensei! — ela gaguejou.

Sakura amava seu trabalho como aprendiz no hospital. Não era fácil dividir entre treinando de médica e ninja, mas ela estava se esforçando. A única parte ruim em trabalhar turnos no hospital era que não podia ver Sasuke.

O Uchiha não fazia propriamente parte do time 7, porém era a equipe que ele mais treinava ou executava missões em conjunto, talvez porque seu irmão Itachi e sensei, ficava às vezes fora por semanas por causa das missões ou por que Kakashi era ninja copiador que mais poderia ajudar crescimento do Sharingan.

Ela seguiu para o banheiro feminino e trocou de roupa antes de pegar a sua mochila com seus itens e deixou hospital. Andou calmamente pelas ruas de Konoha e cumprimentou alguns aldeões.

Os ombros de Sakura arriaram. Desde criança guardava sentimentos pelo Uchiha, o herói de Konoha e jinchuuriki, entretanto nunca chegou perto dele. Ela sempre o alcançou fisicamente. De tantas meninas de Konoha, era privilegiada de conviver com mais frequência com o moreno, treinar com ele ou falar, mas todavia raramente Sasuke lhe respondia e literalmente nunca lhe dava devida atenção.

— Eu deveria esquecer!

— Testuda! — a voz estridente de sua maior rival a retirou os pensamentos.

— Ino-porca!

A garota loira respirava profundamente, mostrando que havia corrido. — Não vai acreditar no que descobrir!

Sakura suspirou. — O quê?

— Sasuke-kun foi para Omiai...

— O quê? — Sakura gritou ganhando atenção de algumas pessoas na rua. Ela corou e abaixou o volume da voz. — Com quem? Onde?

— Eu já tentei me infiltrar, mas um esquadrão ANBU está guardando o lugar. Tudo que sei que é filha de um Daimyo.

— Merda!

— Eu acho que devíamos desistir dele. — Ino declarou.

Sakura estreitou os olhos. — Você desistir que também farei.

Ino bufou. — Vai sonhando! Quer me enganar fazendo-me desistir para que tenha o caminho livre.

— Ino-porca!

— Testuda!

As duas meninas se encaravam selvagemente, uma competição de olhar. As pessoas em volta olhavam abismados e até com medo, afastando-se delas.

Sakura bufou. — Eu vou me casar com Sasuke-kun!

— Veremos!

As duas deram as costas e andaram para longe em fúria e determinação. Nenhuma delas estavam dispostas a desistir do primeiro amor.

Sakura parou somente quando chegou na porta da sua casa. Ela suspirou. Isso era uma loucura. Precisava de um plano para aproximar de verdade de Sasuke. Quando ideia infiltrou sua mente, ela deu um sorriso alargou.

— Claro! Por que eu não pensei antes! Naruto-baka é o melhor amigo de Sasuke-kun... Eu preciso me aproximar dele, assim conseguirei um aliado para alcançar meu amor. — ela disse animado. Sentia-se estúpida por nunca ter pensado nisso antes.

Animada, ela entrou em casa com as suas forças renovadas. Ela iria ter um gostoso banho, jantar com sua família e uma boa noite de sono, pois no dia seguinte iria iniciar o seu plano.

~oÕo~

Era um pouco depois das 22 horas quando o Hokage deixou o apartamento da família Uzumaki sendo seguido por dois ANBU.

Kushina tinha-se ocupado em arrumar a mesa enquanto os seus filhos se retiraram para seus quartos. A ruiva não sabia ao certo como lidar com essa situação. Ela havia-se designado para sempre viver sem o homem da sua vida, escondendo de seus filhos e Minato a relação sanguínea, porém as coisas pareciam caminhar para um desfecho diferente do que imaginou.

Ela não sabia lidar com isso. Ao mesmo tempo queria afastar os seus filhos do Hokage, ela sentia seu coração aquecer ao ver os três homens da sua vida tão pertos.

Será que ela tinha o direito de afastá-los novamente?

Kushina soltou suspiro pesado. Talvez fosse o momento de não interferir. Deixa que as coisas acontecessem em seu curso normal. O Habaneiro Vermelho voltou atenção a sua tarefa, mas sem deixar de lembrar o ocorrido no jantar, mais precisamente a atmosfera calma e calorosa... O primeiro momento em família...

~oÕo~

Naruto deitou em sua cama com os braços cruzados para alto e apoiado atrás da cabeça. Ele sentia seu estômago cheio e sua face quase dividiu em um sorriso.

— Ei, Naru-chan... Porque você queria tanto Hokage viesse nesse jantar? — Menma perguntou. O gêmeo moreno estava deitado em sua própria cama encarando o teto do quarto.

— Nhe, Menma... Não acha que Okasa e Hokage formam um belo casal?

Menma deitou de lado na cama e encarou o irmão. — Sério?! Quer dar um de casamenteiro. A Vila e os conselheiros não iriam aceitar.

— Eles não têm aceitar... Apenas... Minato precisa. É tão óbvio que eles se gostam... Eu quero ver mamãe feliz.

— Não posso negar... Ela parecia... Tranquila... Sabe... Realmente feliz e sem preocupação depois de muito tempo. Sei que Okasa é solitária. — Menma disse e retornou posição anterior. — Ser for para ela namorar alguém, concordo que tem que ser o ninja mais forte da aldeia. Ninguém menos!

Naruto sorriu. — Sim... Eu vou unir os dois. — murmurou. De repente sua mente iluminou com uma ideia. — Ei, pode me dar cobertura?

Menma apoiou-se no cotovelo e levantou parcialmente o seu corpo. — O que você vai fazer?

— Tenho que sair rapidinho. Apenas para resolver uma situação!

Menma deu um sorriso travesso. — Aposto que vai questionar o seu namorado-baka sobre o Omiai.

— Você sabia?

— Claro que si!. O fãclube dele são as melhores fofoqueiras. Não sei como descobriu tudo, você normalmente é lerdo. Não disse porque se soubesse antes, você iria estragar o jantar.

— Ahhh... Não sou lerdo! — Naruto disse levantando da cama e pegando um casaco do guarda-roupa.

— Relaxa! Basta colocar um clone na cama... Mamãe vai achar que está em casa. Pode dormir tranquilamente com seu namorado. Dizem que sexo depois de uma briga é o melhor.

— Idiota! — Naruto disse com o rosto corado. Entretanto, acabou formando um clone e instruiu para ficar em seu lugar até que retornasse.

— Oh... Eu quero algo em troca. — Menma disse olhando para o seu irmão que começava a subir na janela para fugir de casa.

— O que quer?

— Treinar! Lee nos convidou para longarina contra o seu time.

— Sabe que aceitaria. — Naruto disse.

— Eu quero lutar contra Neji! — Menma declarou.

Naruto franziu cenho. Era uma merda que ainda não lembrava-se de todos os fatos de sua nova vida, assim, saberia especificamente porque o seu irmão queria tanto derrotar Neji. Bem, talvez fosse algo que envolvesse Hinata.

— Okay... Bye neh... — ele disse baixo para não alertar a sua mãe e deixou o quarto. Ele seguiu em direção ao distrito Uchiha pulando sobre os telhados das residências da aldeia. O bairro Uchiha era rigorosamente vigiado, porém nada que iria atrapalhar o loiro. Com 6 anos de idade poderia fugir com facilidade dos ANBU, aqueles olhos vermelhos não iria assustá-lo. Ele poderia com maestria esconde o seu chakra.

Ele percorreu sem nenhum empecilho toda aldeia até o distrito Uchiha. O loiro parou agachado sobre mastro alto. Observou ao redor em busca de qualquer som, cheiro ou chakra. Com facilidade, ele localizou todos os guardas do composto. Escondendo o seu chakra e não fazendo nenhum som, Naruto pulou do poste diretamente no telhado mais próximo, infiltrando no Distrito mais temido.

Naruto percorreu pelas ruas desertas e os telhados até o seu destino. Ele pousou sobre a casa que era seu alvo e aguçou os seus sentidos para garantir que não havia alertado os residentes. Após garantir que as quatros pessoas ainda dormiam, ele seguiu para a janela que dava acesso direto ao quarto de Sasuke.

Ele respirou fundo e entrou pela janela do quarto. Observou o quarto escuro, e com facilidade visualizou cada detalhe. Sorriu quando percebeu que tudo era metodicamente arrumado.

Naruto aproximou da cama e sentou, para então inclinar-se parcialmente sobre o outro.

— Sasuke... Está dormindo? — ele chamou o namorado que estava debaixo do cobertor relaxado.

— Não desde que alguém decidiu invadir um composto de Clã perigoso, arriscando morrer. — disse o moreno sem abrir os olhos.

— Oh... Você percebeu... Achei que ninguém tinha.

— Meu irmão deve ter sentido a invasão, o único...

— Será que Itachi-chan causará problema? — Naruto perguntou.

Finalmente Sasuke moveu-se deitando de costas contra a cama e ergueu uma mão, apoiando na nuca de Naruto e o puxou para mais perto, permitindo que suas bocas ficassem poucos centímetros de distância.

— O que faz aqui, Dobe?

— Estava com saudade?!

Sasuke arqueou uma das sobrancelhas.

— Ok... Qual o problema?

Naruto fez olhinhos tristes e afastou do alcance da mão de Sasuke, apenas para deitar na cama ao seu lado. — Não posso simplesmente querer vê-lo?!

— Eu te conheço, idiota. Você percebeu ou seu irmão lhe disse?

— Sobre o quê? — Naruto tentou fazer de alheio. No começo pareceu uma boa ideia, ir questionar o moreno sobre Omiai, contudo agora sentia-se estúpido. Ele parecia um namorado inseguro e ciumento.

— Dobe, sabe que não gosto que faça de desentendido!

— Thá... Da’ttebayo... Alguém me disse... Mas não foi Menma... — ele virou-se para deitar de lado e encarar o outro. — Porque foi nesse encontro? Acaso cansou de mim e quer uma namorada? Casar? Você é jovem para casar!

Sasuke revirou os olhos.

— É tradição do clã. Não vou me casar, agora! A tradição exigir que quando completar 16 anos, tenho que ter meu primeiro omiai para discretamente anunciar para as famílias mais importantes que a negociação está aberta.

— Mas ainda terá que se casar?

— Daqui alguns anos. Itachi será próximo o chefe do clã, então ele terá que casar-se primeiro. — Sasuke disse.

— Ele tem ao menos uma namorada? — Naruto exigiu.

— Hn... Não oficialmente. — Sasuke disse contorcendo suas feições. — Não vamos falar sobre isso!

— Vamos falar do quê?

Sasuke deitou-se de lado e aproximou-se mais do namorado, colocando uma mão em seu quadris e a outra o rosto bronzeado. — Que tal aproveitarmos que você está aqui?

— Ah... — Naruto murmurou sem entender, até que sentiu a mão de Sasuke escorregar do seu quadril para a sua bunda, apertando a carne macia. — Eh!

— Shi... Precisa ser silencioso ou meus pais acordaram.

Loiro colocou as duas mãos na boca e sentiu o seu rosto aquece. — Teme... Não... Vamos ser descobertos. — disse abafado por debaixo das mãos.

Sasuke sorriu safado. Ele moveu de forma que forçou Naruto deita de costas na cama com o seu corpo sobre ele. — Por isso que você precisa ser silencioso... — alegou o moreno.

Seu coração batia descompassado quando Sasuke apertou os lábios contra os seus. Ele se afastou e deparou com sorriso do Uchiha.

— Sasuke... Tem certeza...

Sasuke não vacilou quando deslizou uma das mãos para debaixo da camisa e acariciou a pele macia, deixando um rastro quente.

Naruto engoliu em seco quando o outro moveu-se afastado dele apenas o suficiente para retirar as suas sandálias e depois trabalha no botão de sua calça antes de retirá-la por suas pernas juntamente com a cueca, deixando-o exposto aos olhos de Sasuke.

Loiro estremeceu quando os dedos calejados subiram de sua panturrilha até o seu quadril. Naruto olhou para cima e encarou os olhos negros. Engoliu em seco ao perceber que Sasuke vestia unicamente uma cueca boxer.

— Você tornou minha noite perfeita ao ter vindo aqui. — Sasuke declarou sem nunca desviar os olhos.

— Cala a boca, bastardo. — disse corado. Naruto fechou os olhos quando sentiu a língua molhada de Sasuke subindo desde o seu umbigo até o mamilo esquerdo, enquanto a blusa foi levantada e esquecida acima da linha suas axilas. — Ah... — ele gritou quando os dentes fecharam ao redor do seu mamilo direito.

— Não grite! — Sasuke murmurou com a boca rente ao mamilo, contribuindo que o seu hálito quente arrepia-se os pelos do corpo do loiro.

Naruto mordeu o lábio inferior, prendendo entre os dentes, e fechou os seus dedos fecharam ao redor do lençol da cama.

Os lábios quentes se moveram sobre o seu peito, chupando e mordendo, deixando marcas que o chakra da raposa faria desaparecer por um tempo. — Nn... — ele sacudiu a cabeça quando Sasuke envolveu a mão ao redor do seu pênis desperto, acariciando em um ritmo constante. — Ahh... Porra...

Ele não suportou muito mais tempo e caiu no precipício de prazer. O rosto de Naruto corou furiosamente, e ele escondeu a sua face entre os braços cruzados.

— Tão carente... — Sasuke balbuciou divertido.

Naruto abriu os olhos e olhou entre as fendas dos braços. — Cale-se! — ele fez uma careta enquanto observou o namorado lamber os dedos. — Isso é nojento...

Moveu os braços para apoiar as mãos na cama e levantar, somente para ter o peso de Sasuke sobre ele e os lábios atacados. Naruto engasgou quando a língua do moreno mergulhou em sua boca, girando ao redor da sua e misturado as salivas. Ele afastou em busca de ar e ignorou o sabor amargo que encheu a sua boca. Ele observou ansiosamente Sasuke retirar uma pequena garrafa da gaveta do criado-mudo.

Naruto estremeceu quando as suas pernas foram afastadas e Sasuke alojou ajoelhado entre elas. — Não... — disse tom mais alto quando os dedos acariciaram suas bolas.

— Calma...

Arqueou sutilmente as costas quando dedos circularam a sua entrada, empurrando levemente e vencendo a resistência do anel.

Naruto desviou o olhar, não querendo encontrar os olhos negros de Sasuke, que eram capazes de desvendar cada pedacinho dele. Ele se sentiu desconfortável. Ele gemeu quando sentiu a sua entrada ser esticada um pouco mais. — Naru-chan?

Loiro sentiu-se vazio quando Sasuke removeu os dedos, e retirou sua própria cueca. Naruto não pode deixar de olhar, incapaz de desviar os olhos da visão do corpo do namorado.

Naruto balançou a cabeça, tremendo, quando Sasuke roçou a glande de seu pênis contra o seu ânus para então empurrar mais e vencer as barreiras do músculo.

— Hn... Sasuke... — Naruto olhou para cima deparando com o olhar aquecido do namorado. Inconsciente, ele moveu as pernas, dando mais espaço para o Uchiha.

— Está tudo bem... — Sasuke disse e inclinou para mais perto, permitindo que suas bocas se chocassem.

Naruto gemeu abafado quando dedos rodearam o seu pênis até agora abandonado. Ele engasgou, fazendo uma careta. Suas entranhas estavam em chamas. Cada movimento parecia incendiar o seu corpo.

Seus braços envolveram o pescoço de Sasuke, segurando-o, e as suas pernas repousaram nos quadris do seu amante.

— Nm... Merda... — ele gemeu. Sua entrada apertou ao redor do mastro duro e quente. — Ah... Sasuke...

Seu corpo tremeu quando estava tão perto. Era demais. O prazer acumulou em seu corpo deixando-o sobre a borda. Naruto mordeu os lábios, evitando um grito alto e acordar todos ocupantes da casa.

Já Sasuke gemia rouco contra a sua orelha, servindo apenas aumentando seu prazer. Ele empurrou mais fundo dentro do seu amante. Naruto se sacudiu quando sentiu algo enchê-lo, jorrando contra as paredes internas de sua bunda. Levou poucos segundos para que Naruto seguisse Sasuke e alcançasse pela segunda vez aquela noite o seu prazer.

Naruto soltou um gemido cansado quando Sasuke retirou-se de dentro dele. Seus braços desembaraçam do pescoço do moreno, deixando-os cair flácido na cama. Suas pernas tomaram abertas e os seus olhos pesaram. Naruto olhou cansado para Sasuke, sentindo o sêmen do outro vazar da sua bunda.

— Eu estarei de volta em um minuto. — Sasuke disse antes de levantar da cama.

Naruto fechou os olhos e estava quase cochilando, quando ele sentiu algo frio contra a sua pele. Acabou sendo forçado a abrir os olhos e encarar o outro. Sasuke parecia ter um pano molhado e o limpava.

Ele gemeu quando a cama afundou, e ele admirou Sasuke deitado ao lado dele, ainda nu, brincando com seu cabelo.

— Não seja bobo... Não vou-me casar com outra pessoa que não seja você.

Naruto soltou risadinha. — Como ser os seus pais vão permitir!

— Não importa. Eu sempre tenho o que quero! — disse o arrogante Uchiha.

Loiro abanou a mão para ele. — Tanto faz... Deixe-me dormir! — ele aconchegou perto do outro e fechou os olhos.

— Não precisa preocupar-se. Não quero outro além de ti!

Naruto suspirou e virou a cabeça, dando a Sasuke acesso com os lábios ao seu pescoço. — Posso ir dormir agora? — ele pediu, ouvindo a risada de Sasuke, algo raro e para poucos. Fechou os olhos e deixou que o cansaço o embalasse.

— Esse é um dos motivos porque te amo, você me trata normal, diferente dos outros. — Sasuke disse baixinho, ciente que o namorado não estava escutando. Ele apoiou a cabeça no travesseiro, ouvindo o ronco suave de Naruto enquanto acariciava os cabelos loiros.

~oÕo~

Kushina brincava com a máquina de café no salão jounin com uma carranca no rosto. Hoje ela acordou e imediatamente descobriu que Naruto não havia dormido em casa. Ah sim, ela estava indo castrar seu filho. Aquele moleque insolente que tem tendência suicida. Não bastava namorar o jinchuuriki e o filho do chefe clã Uchiha, ele tinha que invadir o distrito e dormir na casa do namorado.

Não foi realmente difícil arrancar a verdade de Menma. O garoto não é muito cuidadoso quando ainda está sonolento e não tomou café da manhã.

Seus filhos são imprudentes.

Bufando de raiva, ela pegou o corpo de isopor cheio de café e se dirigiu para o escritório do Hokage. O homem não havia chegado ainda, porém quando o  fizesse, encontraria o seu café esperando por ele em sua mesa.

Entretanto, somente depois que ela colocou a xícara fumegante sobre a mesa e se virou para sair, que o homem loiro se arrastou através das portas do escritório. Ele parecia perdido em seus pensamentos e não a notou de imediato. Quando o loiro sentou-se na cadeira e percebeu o seu café que ele olhou para cima e a viu.

Minato engoliu em seco e abaixou o olhar para o seu café. — Bom dia...

— Oyaho Hokage-sama! — Kushina franziu o cenho para o humor desanimado. Começou a considerar que o homem havia se arrependido de ter ido jantar ontem em sua casa. — O que aconteceu?

— Eu me encontrei com Jiraiya-sama hoje cedo. — ele respondeu hesitante.

— Será que ele disse algo perturbador?

— Ele mencionou que nos conhecíamos antes... — Minato disse com olhar ferido. — Jiraiya-sama disse que éramos amigos, mas você nunca disse uma palavra sobre isso...

Jiraiya, eu vou castrá-lo. Kushina gritou em pensamento. — Como a sua memória havia sumido, eu decidi aproximar de você como um estranho e começar novamente. — ela disse enquanto colocava uma mecha de cabelo atrás da orelha. — Parecia mais fácil. Você realmente acreditaria se alguém dissesse que o conheceu antes ou tinha sentimentos? Não era melhor conhecer a pessoa antes de confiar?!

— Eu… Eu acho que sim. — ele disse com relutância. — Mas eu teria gostado de saber, em algum momento!

— Bem, agora você sabe. — Kushina sorriu. — É não é, pelo menos, um pouco melhor dessa maneira agora você me conhece!?

Yondaime arregalou os olhos em surpresa e depois abaixou o olhar sentindo suas bochechas arderem.

Kushina piscou.

Às vezes o Hokage mostrava-se um garoto tímido. Ela nem sempre pode identificar o motivo, mas geralmente acontecia quando ele era confrontado por suas admiradoras. Nesse momento, ele parecia um estudante tímido que carregava uma paixão...

Uma esperança assustadora cresceu dentro do peito de Kushina. Parecia que Minato tinha desenvolvido um interesse mais que simpático por ela.

Pare com isso!, ela pensou furiosamente.

Era perigoso pensar nisso. Ela não podia dar o luxo de ser uma kunoichi imprudente. Tinha dois filhos para zelar.

Em breve iria iniciar o exame chuunin. O hokage não poderia distrair com algo bobo. A tensão já estava alta na aldeia e somente aumentaria. A segurança da aldeia era prioridade.

— S-sim. — o homem disse. — É um pouco melhor. Obrigado!

Kushina deu sorriso animador. — Agora, por que não desfruta do seu café enquanto preparo os primeiros relatórios?! A comitiva das equipes que participaram do exame chegaram daqui uma semana, temos que garantir que aldeia esteja funcional e segura!?

— Tudo bem. — Minato acenou.

Kushina se virou e saiu, mantendo a expressão feliz em sua face. Ela precisava manter o foco.

Até próximo capítulo...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...